Faltam 8 jogos.

- os 30 minutos iniciais do jogo contra o Paços de Ferreira foram de excelência futebolística. Aquilo é talento puro ao serviço de um grande rigor táctico e estratégico, apenas ao alcance das grandes equipas mundiais. As dinâmicas do futebol do Benfica nos 30 primeiros minutos do jogo podiam ser apresentadas numa acção de formação aos Paciências da vida, para ver se aprendem a diferença entre um futebol sublime e um futebol “cagadinho”.

 

- após os 2 primeiros golos, a equipa, fruto do seu virtuosismo e talento, encantou-se, depois de ter encantado o público. Nesse momento, aquilo tanto poderia ter dado para a goleada como para sofrermos um golo. Desta vez, sofremos o golo. Sofrido o golo, deu para perceber que o Airton não tem a rotina do Javi para compensar as cavalgadas desembestadas e, por vezes, desajustadas do David Luiz por terrenos que não são dele... nada que não se corrija. Tal como o Coentrão também deve ganhar um sentido posicional mais eficaz na marcação a futebolistas velozes... nada que, com tempo e treino específico, não se consiga.

 

- a relação, em campo, entre Carlos Martins e Cardozo está obrigada a sujeitar-se, única e exclusivamente, aos valores do colectivo.

 

- houve jogadores a fazer, e bem, 3 posições; e houve posições ocupadas, e bem, por 3 jogadores. Isto revela que os princípios do jogo não só estão adquiridos por todo o plantel como cada um individualmente tem a noção do todo. Isto só se consegue com um trabalho metódico, sistemático e de grande qualidade por parte de toda a equipa técnica.

 

- no jogo de ontem faltaram jogadores como Aimar, Javi Garcia e Ramires. Em qualquer clube europeu seria um rombo na eficácia e qualidade de jogo. No Benfica foi apenas um contratempo utilizado para provar que todos os que estão no plantel são úteis nesta longa e árdua caminhada.

 

- na minha opinião, Artur Soares Dias é o árbitro português que tem mais capacidades e potencialidades para ser um árbitro de topo internacional. No entanto, insiste em desencontrar-se com o seu potencial, para se encontrar com as encomendas. Amarelou conveniente e selectivamente 3 futebolistas do Benfica. Outro virá no próximo fim-de-semana terminar de despachar a encomenda. E, deste modo, por caminhos ínvios, acabará por se perder um árbitro que tem tudo para dignificar a arbitragem. Há concessões das quais é impossível regressar limpo.

 

- quanto ao público, saliente-se o feito notável que é, num vergonhoso horário de Domingo à noite, termos 42971 espectadores no Estádio. Além do horário, o jogo foi transmitido em canal televisivo de sinal aberto e a chuva intensa e incessante foi, certamente, um efeito dissuasor para muitos benfiquistas. Por outro lado, este Benfica merece mais: merece que, pelo menos em nossa casa, tenhamos sempre lotação esgotada. Assim, merece um estádio repleto de adeptos de corpo e alma com o Clube, com a equipa e com a sistemática dignificação do benfiquismo que esta vem demonstrando. Deste modo, no próximo fim-de-semana, na Madeira, é importante começar por ganhar os 3 pontos logo nas bancadas.

 

- faltam 8 jogos. Faltam 8 jogos... parecem tão poucos jogos e ainda são tantos. Faltam apenas 8 jogos. Ainda faltam 8 jogos.

por Pedro F. Ferreira às 12:12 | link do post | comentar