Faltam seis jogos.

- ganhar ao Braga foi importantíssimo. Jogámos, mais uma vez, muito melhor do que o nosso adversário. Foi uma vitória justa, digna e limpa. Contra uma equipa cuja dignidade se mede numa aliança espúria com criminosos, uma aliança que nega a história do próprio clube e a quem a história não perdoará.

 

- ganhar ao Braga reforça a legitimidade em sonharmos com a conquista do campeonato, mas obriga-nos a ter o saudável pragmatismo de perceber que, sem os 3 pontos que necessitamos de conquistar na próxima jornada, estes que galhardamente conquistámos no sábado valerão de pouco.

 

- Domingos Paciência foi um futebolista que beneficiou de inúmeras situações em que simulou faltas, penáltis, agressões e afins. Chegou a simular uma carreira internacional e acabou desterrado num clubeco de terceira linha a choramingar para regressar ao clube onde bebeu a cultura da batota, da corrupção e da vigarice. Tem o futuro traçado… será, mais cedo ou mais tarde, treinador da casa que o pariu para o futebol. É justo e são dignos um do outro.

 

- Pedro Proença confirmou mais uma vez o material com que alicerçou a sua carreira: cobardia, chico espertice e subserviência ao dono. O gesto enternecedor de ter entregado as suas insígnias da FIFA ao Paciência foi uma tentativa de garantir o seu futuro. Certamente que quando precisar de um envelope com aconselhamento familiar sabe que na Madalena terá uma casa que lhe abrirá as portas.

 

- no jogo de sábado estiveram mais de 60 mil fiéis do benfiquismo na nossa Catedral. Foi justo e merecido. Aquela equipa merece este apoio. Já o merecia desde o início do campeonato e espero ver o nosso estádio cheio nos restantes jogos. Na próxima jornada, mais uma vez, o apoio incondicional dos benfiquistas será imprescindível para conquistar mais três pontos. Acredito que, mais uma vez, estaremos com os nossos.

 

- faltam 6 jogos. Faltam 6 jogos... parecem tão poucos jogos e ainda são tantos. Faltam apenas 6 jogos. Ainda faltam 6 jogos.

por Pedro F. Ferreira às 00:24 | link do post | comentar