Faltam três jogos.

- os adversários directos do Benfica sabiam que esta era a grande oportunidade de nos pararem. Sabiam-no e faziam questão de o mostrar. Pelas bandas da Briosa cheirava a um prémio de jogo daqueles que faria corar de inveja aquele tipo de dirigentes apanhados a transportar  dinheiro em sacos de plástico na mala do carro. Não conseguiram parar o Benfica e, com todo o mérito, trouxemos os três pontos, um par de sustos e cinco minutos finais de um imerecido sofrimento. A envolver tudo isto esteve, naquele Municipal de Coimbra, um louvável mar de benfiquismo que, sofrendo e apoiando, ajudou o Benfica a vencer este(s) obstáculo(s).

 

- o presidente do Benfica, na antevéspera do jogo em Coimbra, deu uma pequena entrevista ao jornal “A Bola” que convém recordar. Nessa entrevista apresenta duas linhas que importa reter relativamente ao futuro próximo: a) exige-se concentração total e total ausência de festejos enquanto não estiver conquistado o que importa conquistar; b) o Benfica não desbaratará este plantel, antes pelo contrário. Mas, para que isto aconteça, é essencial ganhar, também, os próximos 3 pontos.

 

- faltam 3 jogos. Faltam 3 jogos... parecem tão poucos jogos e ainda são tantos. Faltam apenas 3 jogos. Ainda faltam 3 jogos.

por Pedro F. Ferreira às 15:15 | link do post | comentar