VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Terça-feira, 29.07.08

Déjà vu?

Segundo "A Bola", Petit sai do Benfica a custo zero...

Se calhar já chega

 

Percebo o sentimento do Pedro, mas neste momento estou honestamente mais preocupado com o facto de estarmos a míseras semanas do início do campeonato e o moço espanhol, em vez de dar tempo de jogo e solidificar os automatismos de eventuais equipas titulares, continuar a fazer experiência científicas e a testar as leis do Universo ao colocar gente como o Luís Filipe, Edcarlos, Makukula e companhia em campo.
Será mesmo preciso andar ainda a testar os monos da equipa em torneios onde jogamos com equipas que já rodam os prováveis onze titulares?
 
O futebol moderno e o actual momento do Benfica não se compadecem com jovens demasiado analíticos e que precisam de utilizar várias vezes o método científico para perceber porque é que não se deve saltar de um prédio de 15 andares ou acender um fósforo quando cheira a gás. Há coisas que não precisam de ser testadas até à exaustão. Se calhar, se nas primeiras 5 vezes que formos a correr contra uma parede de tijolo, a parede ganhar e ficarmos com a cara como a do Sá Pinto, não é preciso continuar a experimentar. No fundo, continuar a dar espaço de manobra a malta como o Edcarlos e o Luís Filipe é como um técnico de reinserção social regado de molho de mostarda tentar reabilitar o Hannibal Lecter.
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 08:58 | link do post | comentar | ver comentários (27)
Segunda-feira, 28.07.08

Petit desabafo de quem só serve para pagar cotas.

Pelos vistos, passa pela cabeça de quem dirige o futebol do Benfica dispensar o Petit. Faz todo o sentido. Quem tem Yebda, Binya, Katsouranis (até ver), R. Amorim (este também pode jogar como trinco, não?) pode dispensar o Petit. O que é que um veteraníssimo de 31 anos ainda pode dar ao Benfica que um Binya e um Katsouranis (este fica?) ou um Yebda não possam dar?

 

Além de tudo mais, futebolistas que sintam a camisola do Benfica como o Petit é o que mais por lá existe. Ainda ontem, depois de termos perdido com a agremiação de queques do alvalixo, Luisão, o nosso capitão de equipa, num emocionante momento de puro benfiquismo, garantia que, pela sua vontade, já nem começava esta época no nosso Benfica. Perante exemplos de garra, abnegação e ser Benfica como o do Luisão (capitão de equipa, não sei se já tinha dito isso?)… o que é que interessa um português de 31 anos (imaginem a veterania!) chamado Armando, com meia dúzia de anos de Clube e de total entrega ao Benfica? Nada! Jogadores com a cepa do Petit é o que mais por lá temos. Isto para não falar na alegria que me dá ver um traste como o Petit sair do Clube e estar lá um exemplo de benfiquismo como o do tal gajo que veio do Varzim ou do Boavista e que é irmão do outro gajo. Com a mais do que provável saída do Petit ficamos com quantos portugueses no plantel? Não sei, mas isso também não interessa absolutamente nada nos tempos actuais.

 

O lugar cativo há muito que foi renovado, a minha maneira de viver o Benfica impede-me o assobio aos nossos e, além de todas estas minudências, a minha opinião é a de quem vive o Benfica apenas pela emoção… portanto, de nada interessa para quem tem interesses no meu Benfica. Deste modo, na perspectiva de quem toma as decisões, já cumpri a minha missão e, de agora em diante, pouco préstimo já tenho. Neste particular do préstimo, eu e o veteraníssimo Petit estamos em pé de igualdade.

 

Caso se confirme a anunciada (e desejada por alguns dirigentes) saída do Petit, cá fico à espera da explicação para este excelente acto de gestão desportiva… e até já sei qual vai ser. A cosmética já está a ser elevada à categoria de arte.

_____

[actualização do post]

Pelo que leio neste link, a cosmética é, efectivamente, uma arte  que, quando interpretada por verdadeiros artistas, até parece música.

[post actualizado às 19 horas de 29 de Julho]

tags:
por Pedro F. Ferreira às 19:25 | link do post | comentar | ver comentários (41)

Fraco

Muito fraco mesmo. Para mim, foi bem pior o jogo desta noite do que o de sexta-feira. Jogámos pior, voltámos a asnear na defesa, e perdemos bem. Sim, eu sei que é preciso dar tempo ao novo treinador, e a conversa do costume. Não estou a fazer nenhuma futurologia em relação à nova época. Estou apenas a falar sobre o jogo que perdemos esta noite.

Irritou-me bastante o nosso meio campo. Foi demasiado complicativo, incapaz de jogar simples, e houve uma quantidade assustadora de passes errados, mesmo quando o colega estava a menos de cinco metros. Não sei que raio de táctica foi aquela com que começámos, sem avançados, mas quero acreditar que foi apenas para fazer experiências e que não terá nada a ver com aquilo que faremos nos jogos a sério. Até porque, se tivéssemos ido buscar o Aimar para o pôr a jogar assim, então ele não serviria para nada, e ao fim de um mês já estaria a ser assobiado pelo Terceiro Anel. A defesa em linha continua a deixar-me nervoso, e fiquei com a sensação de que se o árbitro assistente não fosse tão mau, teríamos assistido às suas consequências nefastas mais do que uma vez. E claro, seria fácil agora desatar também a bater no meu ódiozinho de estimação, e cascar forte e feio no Edcarlos. Toda a gente sabe o que penso dele, e que acho que não tem valor para ser titular do Benfica. É verdade que ele esteve directamente envolvido nos lances dos dois golos, e é o principal culpado (no primeiro então, se é verdade que o Quique já o estava a avisar antes do passe ser feito - e eu acredito que sim, porque até eu quando estou nas bancadas a ver jogos ao vivo consigo ver que ele se posiciona e movimenta mal, e por vezes dou comigo feito tonto aos gritos - então ele poderá começar já a fazer as malas) mas a falha é também, e muito, colectiva. Onde é que andava o Léo no primeiro golo, por exemplo? E no segundo, porque é que os outros jogadores (em particular do nosso meio campo) demoraram tanto tempo a tirar a bola dali, e preferiram complicar? Aquele passe à queima do Binya para o Edcarlos já era meio caminho andado para lhe complicar a vida. Depois houve mérito dos avançados adversários, que pressionaram bem e provocaram o erro.

De positivo pouco ou nada sobrou. Talvez a boa vontade do Urretavizcaya, que correu quilómetros a tentar pressionar os defesas adversários, e um ou outro pormenor do Fellipe Bastos. Julgo que no próximo fim-de-semana, no torneio de Guimarães, já poderemos ter uma ideia mais concreta de qual será o nosso plantel e esquema táctico para esta época. Este torneio serviu apenas para fazer experiências, que de positivo terão tido apenas o facto de dar ao treinador algumas certezas sobre quem não deverá ficar no plantel.

por D`Arcy às 01:57 | link do post | comentar | ver comentários (26)
Domingo, 27.07.08

Estou preocupado.

Estou preocupado. Estou mesmo muito preocupado. Não é por andarmos a perder jogos com equipas da treta… é porque o Rui Santos pediu (agora mesmo na SIC) tempo e paciência para o Quique Flores. Além disso, ainda defendeu o Rui Costa!!! Isso, vindo de quem vem,  preocupa-me quase tanto como ver o Edcarlos ou aquele gajo que é irmão do outro gajo com a camisola do nosso Benfica.

por Pedro F. Ferreira às 23:55 | link do post | comentar | ver comentários (15)
Sábado, 26.07.08

Ontem

Gostei sobretudo do Yebda, do Fellipe Bastos, do Nuno Assis e do Balboa - parece ser um extremo clássico, parte com a bola para cima dos adversários, e procura a linha para centrar (bem).

Não gostei das asneiras defensivas, em que curiosamente os marretas do costume, tal como o ano passado, apareceram de alguma forma envolvidos nos lances (excepção feita ao livre, que aquilo foi ingenuidade do pessoal todo da barreira e depois foi muito bem marcado). A avaliar pelo jogo de ontem, se tem que sair algum central com a chegada do Sidnei, não é o Miguel Vítor. Também fiquei desagradado com a exibição do Sepsi, muito nervoso e a fazer demasiados passes errados e erros de marcação. E eu até gostaria que fosse ele a ficar como reserva do Léo.

Os melhores períodos do Benfica foram os primeiros vinte minutos - altura em que ainda se viu o Carlos Martins, que depois se eclipsou e só voltou a aparecer, sem surpresa, quando a coisa ameaçou descambar para a pancadaria (nem era ele quem estava directamente envolvido no caso, era o Fellipe Bastos, mas mal ele viu uma oportunidade para a confusão foi-se lá meter); e os minutos finais, que se seguiram ao golo do Makukula. Por mim, o Binya voltou a mostrar que tem lugar no plantel, e a exemplo do pouco que vi do jogo contra o Estoril, o Amorim continua demasiado discreto.

Já se viram alguns pormenores interessantes de jogo colectivo, com boas trocas de bola (sobretudo na primeira parte). No entanto, algo que me desagrada é a aparente intenção de jogarmos com a defesa em linha. Pode ser embirração minha, já que não sou adepto desta táctica, mas acho que não temos defesas suficientemente rápidos (e inteligentes) para defendermos assim. É que basta um deles errar para deixarmos um adversário isolado.

por D`Arcy às 13:59 | link do post | comentar | ver comentários (19)

Adenda ao post anterior

Deixo aqui algumas pérolas sobre o modo como funcionou um dos tentáculos da máfia que governa o futebol português há 25 anos. O inefável António Gonçalves Pereira definido pelo Freitas do Amaral:

 

(...) uma séria violação dos mais elementares princípios democráticos – é qualificada expressamente pela lei como "falta grave para efeitos disciplinares".

 
Sendo assim, o despacho do presidente do CJ estava ferido de nulidade, por usurpação de poder.
 
(...) a primeira coisa que se deve fazer – em defesa da honra -, é promover o esclarecimento imediato e total das questões, das dúvidas e das acusações.
 
- Não actuou na prossecução do interesse público;
- Actuou na prossecução de, pelo menos, dois interesses privados.
 
(...) concepção autoritária do Poder: quem manda, manda bem; o chefe tem sempre razão; um presidente nunca perde.
 
(...) temível precedente que constituiria legitimar a conduta do presidente de um órgão colegial que, só para defesa do seu prestígio e para manter o seu cargo, bem como para não perder votações quando está em minoria, encerra antecipadamente as reuniões sem marcar as seguintes, impedindo assim o debate e a votação de propostas de que discorda. Se a moda pega, que se passará a seguir nas autarquias locais, nos institutos públicos, nas entidades autónomas e, por contágio, porventura também nas associações, fundações e sociedades de direito privado? O problema deveria merecer a atenção do Ministério da Justiça.
 
(...) ilícito previsto nos artigos 385º e 386º do Código Penal - abandono de funções públicas ou negligência no seu desempenho, com a “intenção de impedir ou de interromper serviço público”, confiado por lei a um “organismo de utilidade pública”.
 
(...) comportamento que ofende o princípio do Estado de Direito Democrático  (Constituição, art. 2º) e o princípio constitucional da imparcialidade no exercício de funções públicas (art. 266º, nº2); viola os deveres legais de isenção e imparcialidade.
 
(...) tornam suspeita a actuação do presidente do CJ, dr. António Gonçalves Pereira, que em Abril considerava não haver nenhuma incompatibilidade do dr. João Abreu com base na acumulação de cargos e em Julho do mesmo ano (apenas 3 meses depois) declarou o mesmo dr. João Abreu impedido pelo mesmo motivo.

 

Mesmo perante isto, ainda há quem lamente que o parecer "não tenha contribuído minimamente para aclarar os factos, nem para serenar o ambiente turvado no futebol nacional" (link omitido por óbvias questões higiénicas). Não, meus acéfalos corruptos, o parecer aclarou (e bem demais) os factos ocorridos e só não serve para "serenar o ambiente turvado" porque vocês, num país normal, estariam na II Divisão como a Juventus e o Marselha. As definições de desfaçatez, hipocrisia e nenhuma vergonha na cara vão sendo reescritas cada vez que eles abrem a boca.

por S.L.B. às 03:24 | link do post | comentar | ver comentários (11)
Sexta-feira, 25.07.08

E agora, polvo?

O parecer do Freitas do Amaral foi tornado público hoje e as decisões tomadas pelos membros do Conselho de Justiça foram consideradas válidas. Ou seja, o Boavista desce à II Liga e o presidente do clube regional corrupto fica suspenso durante dois anos. Estou muito curioso para saber como é que o poder mafioso que tem dominado o futebol português vai dar a volta a esta situação. Há uma decisão do Conselho de Disciplina da Liga, confirmada pelo Conselho de Justiça da Federação e validada pela maior sumidade portuguesa em Direito Administrativo, mas mesmo assim eles não estão convencidos. Claro está que já começaram a pôr em causa a idoneidade do Freitas do Amaral (o presidente do Boavista, o tal que usurpou 80 mil contos ao Benfica com a anuência do Vale e Azevedo, veio dizer que gosta de “pessoas que caminham em linha recta”; fartei-me de rir, a hipocrisia não tem de facto limites!), a criticar a mistura de “futebol com política” (engraçado que o Pôncio Monteiro não tenha referido isso acerca do Valentim) e outras questões que tais.

 

Sugiro vivamente a leitura do parecer, principalmente a partir da pág. 113, ponto 3. É um relato jurídico da actuação mafiosa no futebol português. Aqui vai um excerto que vale a pena ler:

 

 

O presidente do CJ só decidiu encerrar abruptamente a reunião às 17h55, depois de tomar conhecimento de uma proposta do dr. Álvaro Batista que visava instaurar-lhe um processo disciplinar e decidir a sua imediata suspensão preventiva. Os motivos principalmente determinantes da decisão de encerramento foram:

- Evitar a votação dessas propostas do dr. Álvaro Batista;

- Evitar a votação dos requerimentos do impedimento do presidente do CJ apresentados pelo Paços de Ferreira;

 

- Considero que a decisão de encerramento tomada pelo presidente do CJ foi um “acto nulo e de nenhum efeito”, em virtude das seguintes ilegalidade que o viciam;

a) Violação do princípio do Estado de Direito Democrático (Const., Art.2º);

b) Violação do princípio constitucional da proporcionalidade (Const., art. 266º, nº2);

c) E falta, na decisão, de um elemento essencial do acto administrativo – o fim legal de interesse público. Houve, ali, uma ilegalidade evidente e muito grave: o vício de desvio de poder, que consiste no uso de um poder público para fins de interesse privado);

d) A sanção legal estabelecida para os actos administrativos a que falte um elemento essencial, neste caso um fim público, é a da nulidade (CPA, art. 133º, nº1);

- Para além de a decisão ter sido nula – e, como tal, ineficaz e não obrigatória para ninguém – é de admitir que ela possa configurar o ilícito tipificado como “abuso de poder” no artigo 382º do Código Penal. Tratando-se de matéria que não é da minha especialidade, sugiro à Direcção da FPF que solicite a atenção da Procuradoria-Geral da República para o assunto;

 

 

 

Tal como a queda deste mafioso se deveu a motivos fiscais, espero eu que este parecer seja o princípio do enterro das maiores figuras do poder siciliano do futebol português. Só não vê quem não quer, ou quem é acéfalo como os adeptos do clube regional corrupto. São CORRUPTOS, foram julgados e condenados nas instâncias desportivas. Produzam-se os devidos efeitos.

 

P.S. 1 - Não vejo como é que a enguia Madaíl se pode livrar de não seguir o parecer.

 

P.S. 2 - Aguardo com curiosidade a posição da Uefa sobre este assunto. Não me importo de esperar um ano, mas vou-me fartar de rir com a condenação do clube regional corrupto.

por S.L.B. às 19:21 | link do post | comentar | ver comentários (12)

João Pinto

 

(só por manifesta falta de tempo é que este post, já escrito há dias, não foi aqui colocado quando devia)
 
É da mais elementar justiça que deixe aqui umas linhas sobre João Pinto. E, sim, o meu sentido agradecimento.
O João Pinto (sem o Vieira: o outro João Pinto, o dos corruptos, nem merece que se confunda com este) foi o principal protagonista de um dos melhores jogos de futebol que me lembro de ter visto. Um jogo que faz hoje parte da memória colectiva do desporto português e que nos deu um título suado, contra tudo e contra todos. Mas isso foi apenas uma pequena parte do que fez. O João foi, na esmagadora maioria das vezes que envergou a camisola cor de sangue, o melhor jogador do Benfica, e numa altura em que o Benfica mergulhou nas trevas e por lá navegou durante anos, muitas vezes o único que a mereceu envergar.
Enquanto foi jogador do Benfica (e só o deixou de ser porque um criminoso sem escrúpulos que se aproveitou do Benfica o empurrou de lá para fora), honrou aquela camisola como poucos e liderou a equipa semana após semana, contra hordas e hordas de corruptos de costas quentes, protegidos por galões, fruta e viagens ao Brasil. Foi capitão (não se esqueçam disso) do Benfica numa altura em que a conjuntura foi a mais difícil de sempre, mas nunca virou a cara à luta e foi durante muito tempo, não só a nossa principal fonte de esperança mas também a principal razão para se ver jogos do Glorioso. Não me esqueço disso. Não me quero esquecer disso.
Foi durante 8 anos o símbolo do Benfica e defendeu garbosamente as nossas cores. O que fez a seguir não me importa.
O Benfica não deve ter memória curta e não deve renegar o seu passado, de que o João Pinto faz parte indissociável.
 
Obrigado João.
 
 
p.s. e já agora, obrigadinho pelas galhetas no Paulinho Santos.
 

 

por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 08:31 | link do post | comentar | ver comentários (22)

Com três dias de atraso...

Já tinha dado aqui a minha opinião, mas como houve alguns comentários a estranhar a ausência de referência a este assunto na Tertúlia, venho colmatar essa falha. E lá diz o povo que mais vale tarde do que nunca. Não é consensual nem entre os escribas da Tertúlia, nem entre os benfiquistas, mas é um jogador incontornável na nossa história. Por (muitos) bons motivos, acho eu. O principal dos quais refere-se a este jogo.

 

 

Obrigado por oito anos de dedicação, JVP.

por S.L.B. às 02:17 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 24.07.08

Triste

Quem quiser reclamar comigo, que reclame. Que digam que ainda o jogador não vestiu a nossa camisola num jogo e que já estou a falar mal dele, que a partir do momento em que ele assinou merece todo o nosso apoio, ou que o futebol profissional não se compadece com valores que tendem a ser esquecidos com o tempo. Eu tenho memória. E é por ter memória que para mim, como benfiquista, hoje é um dia triste. Para mim o Jorge Ribeiro, depois das atitudes abjectas que já teve, nunca voltaria à nossa casa. Nem que fosse o melhor jogador do mundo. Ainda por cima porque nunca ouvi uma única palavra da parte dele a pedir desculpa ou a justificar minimamente aquilo que fez, e em vez disso fala e comporta-se como se nada se tivesse passado. Ao abrirmos as portas ao seu regresso, para mim estamos também a abri-las para deixar sair mais um bocado da nossa identidade, e daquilo que faz o Benfica ser o Benfica.

Se alguma vez vir o Jorge Ribeiro jogar, não o vou assobiar ou apupar, até porque nunca o fiz em relação a qualquer jogador do Benfica. Mas posso garantir que não tenciono aplaudir uma única vez, faça ele o que fizer em campo.

 

P.S.- Quanto aos outros dois apresentados hoje, tenho que esperar para ver. Continuo a dizer que tenho confiança no trabalho dos actuais responsáveis pelo nosso futebol (muito bom o facto do Sidnei ter assinado e sobre este negócio não termos ouvido uma única palavra na imprensa antes do negócio ser consumado). Mas também devo dizer que, sinceramente, neste momento a sensação que continuo a ter quando penso no nosso futebol é que vejo jogadores a mais e equipa a menos.

por D`Arcy às 17:27 | link do post | comentar | ver comentários (26)
Quarta-feira, 23.07.08

RTP


Não sei se mais alguém terá a mesma opinião, mas quando hoje li a notícia que informava que os jogos da nossa Liga vão regressar à RTP, fiquei satisfeito. Se calhar é um pouco um efeito nostálgico, já que me habituei a ver a bola na estação pública quando era miúdo, ou então apenas um reflexo do desprezo total que sempre senti pela TVI (em minha casa a televisão sempre esteve programada para saltar do canal 3 para o 5). De uma coisa tenho a certeza: é que um serviço pior do que aquele que a TVI prestou ao nosso futebol nos últimos anos, é difícil a RTP fazer. Duvido que seja necessário esperar até à uma da manhã para poder ver os resumos da jornada, por exemplo. E mesmo quando tenho paciência para esperar, ter que ver alguns partidos ao meio, com anúncios e outros resumos pelo meio.

Um bónus extra poderá ser deixarmos de aturar as análises doutas do Sr.Coroado (embora não ponha as mãos no fogo - ele trabalha também para a RDP, por isso até é bem capaz de conseguir arranjar o tacho na RTP). Fico também na expectativa de um eventual regresso do senhor ali de cima à RTP, ou até do José Nicolau de Melo, que apesar de ser incapaz de disfarçar o seu facciosismo andradiano, muito me ensinou na arte da pronúncia dos nomes de jogadores de leste. Quem pode esquecer nomes como 'Muénárchique', 'Záhhhóviche', 'Félque', ou o incomparável 'Querálhe'?

por D`Arcy às 22:54 | link do post | comentar | ver comentários (34)
Terça-feira, 22.07.08

Era só o que mais faltava!

Este site diz que o irmão do outro também virá para o Benfica. Espero sinceramente que seja mais um dos 3.647.215 jogadores que anualmente são colocados no Glorioso pela comunicação social e que depois ninguém os vê no relvado da Luz. Não quero acreditar que esta hipótese se ponha realmente. Caso contrário, quem virá a seguir? O Paulo Sousa para treinador das camadas jovens?!

 

P.S. - Por termos deixado de ser "Roma" é que estamos no estado em que estamos.

por S.L.B. às 19:51 | link do post | comentar | ver comentários (44)
Segunda-feira, 21.07.08

Freddy Adúvida.

Confesso que tenho dúvidas. Será Adu apenas um produto de marketing? Será Adu apenas um miúdo talentoso para fazer uns malabarismos inconsequentes? Será que é um caso de talento precoce sem futuro? Será que foram apenas motivações desportivas que provocaram a sua contratação? Será que foi mais um erro crasso a sua contratação? Será que foi acompanhado com os cuidados que a sua juventude implica? Será que, com o seu empréstimo ao Mónaco, estamos a cometer um erro histórico na gestão desportiva do Benfica?

por Pedro F. Ferreira às 21:58 | link do post | comentar | ver comentários (65)
Sexta-feira, 18.07.08

Acrobata: um homem que dobra as costas para encher a barriga.*

O título deste post poderia ser sobre os Gilbertos ou sobre o Laurentinos ou sobre algo mais lato chamado “sistema” ou “justiça desportiva”. Podia ser escrito sobre alguns títeres manipulados por uma corja denominada “empresários / representantes de futebolistas”. Poderia ser escrito sobre alguns (muitos) jornalistas desportivos e não só.

Infelizmente, poderia, ainda, ser epíteto de alguns (poucos) benfiquistas que repercutem a sabedoria de uma turba de tolos que se revê no discurso de um corrupto na forma tentada, fazendo loas ao dito corrupto e ignorando que os sucessos deste assentam sobre a coacção. Poderia ser escrito sobre todos os que vivem à custa de um futebol português que enferma do mesmo mal de quem o tem sujado nos últimos anos: uma espécie de malfadado carcinoma espinocelular ou coisa reles de valor semântico equivalente.

A entrevista de Luís Filipe Vieira, ontem à noite, a uma jornalista que sabe muito bem quando e a quem deve fazer perguntas incómodas foi um momento importante para ajudar a extrair a referida maleita do futebol português. Espero que todos os benfiquistas, mesmo aqueles poucos que dobram as costas para encher a barriga, saibam, neste momento, dar o devido valor à luta sem tréguas contra a corrupção andradiana.

 

*expressão de Ambrose Bierce retirada da obra “The Devil’s Dictionary”

por Pedro F. Ferreira às 01:13 | link do post | comentar | ver comentários (38)
Quinta-feira, 17.07.08

Aimar

Custou, mas foi. A novela durou tempo a mais, já andávamos todos fartos de ver diariamente as capas dos jornais dizerem que ele já vinha a caminho, mas desta vez as coisas acabaram de forma satisfatória para nós. Confirmou-se a contratação do médio argentino, e o nosso novo director desportivo só pode mesmo sair bem na fotografia neste caso, sobretudo em comparação com um passado mais recente.

Não sei que Aimar é que vamos ter, mas que pelo menos ele é, potencialmente, um jogador claramente acima da média da Liga portuguesa, é, e é também a primeira contratação para a nova época que eu posso confessar que me entusiasma verdadeiramente. Parabéns ao Rui Costa pela paciência e perseverança na defesa dos interesses do Benfica em toda esta história, e em particular pela acção decisiva que terá tomado ao saber da existência de 'interferências' de terceiros (sejam lá quem forem) neste negócio.

por D`Arcy às 03:20 | link do post | comentar | ver comentários (29)
Quarta-feira, 16.07.08

Aimar no Benfica: ver para crer. [está visto]

 

Segundo a Rádio Renscença, Pablo Aimar já é jogador do nosso Benfica. Depois de tantos avanços e recuos, depois de tamanha e desnecessária exposição mediática, depois de ter aprendido que, no futebol, as verdades de hoje são as mentiras de amanhã, apetece acreditar na notícia, mas a experiência diz-me que, nestes casos, só uma percepção empírica da realidade me permite acreditar na mesma. E mesmo assim...

_____

Continuação do post:

Agora, comunicada que está a contratação de Aimar à CMVM, posso dizer, com alívio e satisfatição, que seja bem-vindo, que esteja à altura da esperança que depositamos nele e, essencialmente, que seja digno de vestir o manto sagrado.

post actualizado às 00:41 de 17 de Julho

por Pedro F. Ferreira às 18:14 | link do post | comentar | ver comentários (27)
Terça-feira, 15.07.08

Resumo Alargado

Apesar de há muito não escrever neste blog, não tenho deixado de acompanhar os posts nem tão pouco o que se tem passado envolvendo, directa ou indirectamente, o nosso Benfica.

 

Para quebrar este "silêncio", aproveito para fazer um "resumo (muito) alargado" da minha opinião sobre alguns dos temas relacionados com o nosso clube que me parecem mais importantes.

 

 

 

1. Rui Costa como director desportivo: mais do que os nomes dos jogadores que foram/venham a ser contratados/dispensados, deposito grande esperança no trabalho estruturante de que Rui Costa está incumbido e nos seus frutos a médio prazo. Apesar da inexperiência no cargo, acredito não só no seu profissionalismo como também, e acima de tudo, no seu benfiquismo, que certamente o levará a pôr sempre os interesses do clube em primeiro lugar.

 

2. Quique Flores como treinador: pode não ser um treinador "entusiasmante", mas para se jogar bem "à bola", é preciso, em primeiro lugar, jogar como equipa, e é isso que espero que Quique Flores consiga. Acho difícil "exigir-lhe" o título já este ano, mas acho que devemos esperar que ele consiga trazer competitividade à equipa. Acho que vai ser preciso ter paciência até que o seu trabalho comece a dar frutos visíveis, e é precisamente isso que me preocupa, sabendo como são muitos adeptos do nosso clube... Por outro lado, e apesar das notícias que vieram a público, acredito que Chalana e Diamantino poderão ter um papel fundamental, pelo seu conhecimento do que é o Benfica e das "manhas" do futebol português.

 

3. Plantel: Perdemos 2 dos nossos melhores jogadores da época passada (sendo de lamentar a atitude de C. Rodriguez – mas foi para o clube que melhor se enquadra com a mesma...) e corremos o risco de perder o 3º (Katsouranis). Sem desprestígio para os jogadores que ficam e para os que entretanto foram contratados, parece-me fundamental a contratação de um ou outro jogadores de reconhecida qualidade (sem especificar nomes...), não só pela mais-valia que por si só representam, mas também porque servem de referência para os restantes jogadores, sobretudo os mais jovens.

 

4. Apito Final: apesar de o processo em si não dizer respeito ao Benfica, obviamente este é um assunto no qual o Benfica tem todo o interesse (e é nessa perspectiva que nele falo - o comportamento da FPF, respectivo CJ e afins, bem como o "alheamento" dos nossos governantes, já transcedem um pouco o Benfica...). Claro que o Benfica tem muita culpa própria pelo fraco desempenho desportivo dos últimos anos e nunca o envolvimento do Benfica neste processo poderá servir para branquear este facto. No entanto, é evidente que a concorrencia desleal de quem paga favores a árbitros em "géneros" também tem sido um obstáculo a que o Benfica possa, no mínimo, tirar o máximo partido da qualidade dos seus jogadores. E a isto também não é alheia a posição dominante que o FCP tem em termos de mercado de transferências, com as consequências que também conhecemos...  Mas repito: qualquer que seja o desfecho deste processo (para já, em termos práticos, está tudo na mesma...) e as suas consequências, nunca o trabalho a desenvolver, a nível desportivo, pode sofrer interferências. Sejam quais forem os jogadores que ficarem no plantel, é dever do Benfica tirar o máximo rendimento dos mesmos, em benefício do colectivo.

 

5. Modalidades: aqui faço um "mea culpa", pois apesar de achar que o Benfica deve esforçar-se por as manter a um nível compatível com o prestígio do clube, não tenho o hábito de as acompanhar (por manifesta falta de tempo) e nem faço parte do "restrito" grupo que paga a quota das modalidades (o que é, ainda assim, mais fácil de resolver). No entanto, não me deixam de preocupar as razões que aparentemente estão por trás das dispensas de treinadores campeões, como Beto Aranha e Aleksander Donner.

 

6. Assembleias Gerais: é certo que a actual direcção, em particular, na pessoa de Luís Filipe Vieira, não prima pela capacidade de escutar os adeptos. No entanto, quando há adeptos que também não sabem comportar-se e optam pela via do insulto, torna-se mais difícil criar condições para que esse diálogo exista. Infelizmente, estas situações fazem-me lembrar uma frase que a minha avó muitas vezes dizia: “em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão”...

 

7. Equipamentos: Bem sei que é um detalhe de menor importância, mas gosto de voltar a ver o branco como cor da camisola do equipamento alternativo (em teoria os calções desse equipamento são pretos, mas nada impede de a usar com os calções brancos do equipamento principal!). Apesar da pouco importância que isto tem, o que é certo é que, desde que o Benfica começou a utilizar outras cores para o equipamento alternativo, o Benfica só foi campeão precisamente no ano em que o equipamento alternativo voltou a ser branco...

 

Over and over again.

Sou só eu ou há aqui uma certa obsessão doentia?

Livra!

Sexta-feira, 11.07.08

Onde param as dispensas do Atlético de Madrid??

O ano passado o Simão foi vendido não pelo preço da cláusula mas por um preço inferior.

 

O Presidente do Benfica veio logo dizer que era um grande negócio porque o Benfica ia ter preferência nas dispensas do Atlético de Madrid.

 

A época passada não veio ninguém.

 

Está época também me cheira que não vem ninguém.

 

Acho que nós benfiquistas não nos deviamos esquecer disto, e deviamos perguntar ao Presidente quando é que o negócio do Simão fica concluído de vez.

 

Ou realmente vamos buscar dispensados que sejam mais valias para o Benfica, ou pelo menos vamos buscar os 5 milhões que não recebemos e que constavam na cláusula.

 

Agora nem um nem outro é que não!

 

Vamos abrir os olhos, ou qualquer dia nas águas nacionais, e uma vez que o nosso presidente é um grande nadador que adora nadar, vai andar por ai um Luky Me II.

 

Anastércio Leonardo

 

 

 

Quinta-feira, 10.07.08

Benfica 08-09 - primeiras ideias

 

Agora que a pré-época começou, quero dar aqui conta das minhas primeiras impressões sobre o nosso Benfica 08-09, as certezas, as dúvidas, as esperanças, as perplexidades.
 
Em primeiro lugar, convém dizer que trabalhei com base em dois pressupostos, a partir do que já li sobre as ideias do treinador.
 
Primeiro pressuposto: a equipa irá jogar com quatro defesas, dois médios-centro (mais “trincos” ou mais “box-to-box” consoante as necessidades), dois alas, um médio ofensivo que poderá por vezes dar lugar a um segundo avançado, e um ponta de lança.
 
Segundo pressuposto: o plantel irá ter 26 jogadores. 
 
Isto leva-me a concluir que, para além dos 22 que resultam do princípio de dois jogadores para cada lugar, haverá o inevitável terceiro guarda-redes, e ainda um ou dois “avançados extra”, digamos assim, para reforçar uma posição onde as lesões existem sempre e é preciso ter sempre alternativas, e um ou dois polivalentes para aumentar as opções tácticas ou suprir faltas pontuais de jogadores titulares.
 
Vamos então posição a posição.
 
1 - Guarda-redes: Para já, temos Quim, Moreira e Moretto. Este último parece ser uma carta fora do baralho. Se a decisão está tomada, não vale a pena discutir. Desta forma, o terceiro guarda-redes deverá se um ex-júnior. Acho bem.
 
Fala-se no entanto na possível vinda de Codina. Não conheço o jogador, mas pergunto; se Moreira está recuperado, não tem categoria para ser pelo menos suplente? Se não está, então aceito a necessidade de outro guarda-redes, mas caso isso aconteça resta a questão do que fazer com Moreira, que me parece bom demais para ser terceiro guarda-redes.
 
2 – Defesa direito: Temos para já Nelson e Maxi Pereira. Creio que Luís Filipe não ficará, e ainda há a hipótese do jovem Pedro Correia, mas deverá ser emprestado. 
 
Eu via com bons olhos a contratação de um jogador de categoria internacional para esta posição. A não ser possível, então ficamos bem servidos com o que temos. Espero que Nelson volte ao nível dos seus primeiros tempos no Benfica, caso contrário Maxi é bem capaz de agarrar o lugar.
 
3 – Defesa esquerdo: Temos Leo, Sepsi, e eventualmente Jorge Ribeiro.
 
Eu ficaria com Leo e Sepsi; caso Jorge Ribeiro venha, e espero que não, acho-o hoje mais talhado para funções de médio esquerdo, parce-me ser fraco precisamente a defender. E Sepsi deixou-me boa impressão sempre que jogou.
 
4 – Defesas centrais. Luisão, David Luiz, Edcarlos, Miguel Vítor, Zoro, Halliche.
 
O argelino será seguramente emprestado ou cedido. Entre Edcarlos e Zoro, eu apostaria em Zoro, que me parece melhor jogador; mas percebo que este tem um ordenado muito alto, logo se houver hipóstese de o vender (é seguramente um jogador com mercado) ou emprestar a um clube italiano ou espanhol que assegure o pagamento do ordenado, é uma hipótese interessante.
 
5 – Médios Centro. Aqui temos crise de abundância. Petit, Katsouranis, Bynia, Rubem Amorim, Yebda, Felipe Bastos, e até Carlos Martins.
 
Deixando Martins de fora das contas, já que embora faça o lugar não é seguramente a sua posição de eleição, temos seis homens para quatro vagas. Katso sairá se houver propostas, e nesta altura já não me parece que tal vá acontecer. O mau Europeu assim ditou. Yebda ficará, porque foi agora contratado e por indicação de Quique; Petit também. Entre Bynia, Felipe e Rubem, ficará um. 
 
Talvez seja boa ideia emprestar Bynia um ano, a uma equipa espanhola ou italiana. Foi muito perseguido pelos árbitros e uma mudança de ares poderá ser benéfica. Acho que seria um erro emprestá-lo em Portugal. Felipe e Rubem são ambos jovens, um deles será emprestado, neste caso um clube da 1ª Liga seria uma boa opção.
 
6 – Alas. Algumas dúvidas ainda. Certos, temos Di Maria e Balboa, e Di Maria irá aos Olímpicos. E altermativas?
 
À esquerda, poderemos ter Jorge Ribeiro, temos ainda Fábio Coentrão (que ainda não me parece estar pronto para o Benfica) e o jovem André Carvalhas. À direita, ninguém. Há Freddy Adu, que poderá fazer o lugar; mas também vai aos Olímpicos, e diz-se que poderá ser emprestado para Itália, o que de facto pode ser bom para ele se isso significar jogar mais. Será que Urreta pode fazer o lugar? E aos 18 anos, estará já capaz de jogar no Benfica?
 
7 – Médio ofensivo. Aqui é a grande incógnita. Aimar vem ou não vem? Se não vier ele, alguém terá de vir. Carlos Marins e Nuno Assis poderão ser opção como suplentes, mas não como titulares. Sempre que se jogar com um segundo avançado em vez de um médio ofensivo, Nuno Gomes e Mantorras (se ficar) ou Urreta e mesmo Adu também podem ser alternativa.
 
8 – Ponta de Lança. Temos Cardozo, não sei se virá mais alguém; Luís Garcia parece longe, agora que o Tottenham se meteu ao barulho. Alternativas, temos Nuno Gomes e Makukula, o que me parece pouco. Se Cardozo se lesiona, poderemos ter problemas, a menos que Makukula melhore bastante.
 
Dentro de uma ou duas semanas já deveremos ter uma ideia mais precisa do plantel definitivo.
 
por Artur Hermenegildo às 18:13 | link do post | comentar | ver comentários (36)
Quarta-feira, 09.07.08

Céptico

Confesso que desde que foram conhecidas as conclusões da atribulada reunião do Conselho de Justiça da FPF, a semana passada, ando a evitar escrever sobre o assunto, ou fazer grandes considerações sobre ele, mesmo tendo essas mesmas conclusões sido favoráveis às nossas pretensões de vermos a batotice, a corrupção e a 'chico-espertice' punidas. A minha primeira reacção foi mesmo de espanto perante o súbito aparecimento de uma espinha dorsal nos membros do CJ. Depois, face ao comportamento ridiculamente comprometido do presidente do CJ, Gonçalves Pereira (de facto, é mesmo preciso uma pessoa não ter vergonha nenhuma para expor ao país de uma forma tão clara a sua falta de ética, tentar apresentar as suas atitudes conspurcadas de caciquismo e compadrios como um comportamento correcto, e ainda manter uma cara séria enquanto o faz) e face a tudo o que temos visto acontecer neste processo até agora, limitei-me a ser o mais céptico possível.

Imediatamente pensei que o curso 'normal' das coisas levaria a que os lacaios e avençados do costume imediatamente começassem a necessária campanha não de crítica ao comportamento do presidente do CJ, mas sim dos outros cinco membros, e pensei que o resultado mais óbvio ainda acabaria por ser destituir os cinco membros em questão (ou até o CJ inteiro), substituindo-os então por outros que garantissem o resultado da avaliação dos recursos de Boavista e PC que Gonçalves Pereira, apesar de toda a sua diligência, não conseguiu obter. Primeiro comecei por ouvir adeptos em geral do FCP (e mais uma vez com uma cara séria) acusarem os cinco membros em questão - e não os outros dois, claro - de terem sido corrompidos (pelo Benfica, claro) - percebe-se que para alguém habituado à corrupção como moeda corrente em sua casa não consiga imaginar outro tipo de cenário. Ontem já o MST, como não podia deixar de ser, e perante a inevitabilidade do comportamento vergonhoso de Gonçalves Pereira, adoptou a via de colocar todos os membros do CJ dentro do mesmo saco. Ou seja, admite que o presidente do CJ não era isento, mas depois acusa os outros cinco de serem exactamente a mesma espécie de vermes sem espinha dorsal, só que defendendo o Benfica. Hoje já o fantástico Gonçalves Pereira - palavra de honra que eu estou estupefacto com a forma como este fantoche continua a agir como se fosse uma pessoa idónea em todo este processo, e de cada vez que o vejo falar sobre o assunto só me vem à memória o saudoso Muhammed Saïd Al Sahaf - vem dizer mais uma vez que não se demite, mas vai pedir ao presidente da AG da FPF que demita os cinco membros malvados que não lhe fizeram o favorzinho que ele tinha prometido aos padrinhos. E apesar de achar que esta situação é quase demasiado surreal para ser verdade, continuo convencido que vão arranjar maneira de descalçar esta bota, e que isto não vai dar em nada.

Entretanto, e para falarmos mesmo da futebol, a nossa época arrancou ontem. Não vi grandes diferenças em relação aos últimos anos, pois mais uma vez ainda temos o plantel longe de estar fechado, e até aposto que vamos andar a gramar com 'contratações' virtuais para o Benfica até ao dia 31 de Agosto, porque me custa acreditar que, chegada essa data, o plantel já esteja de facto completo. Tendo em conta o início de campeonato que vamos ter (ao menos não vamos ter que esperar muito para percebermos se este ano a candidatura ao título é séria ou não), convinha que se resolvessem estes assuntos o mais depressa possível. Acredito muito no trabalho do Rui Costa, mas já estou farto de andar há duas semanas a ouvir que o Aimar 'está por horas' ou que 'já fez as malas'. Detesto estas novelas de pré-época, e já começo a ficar ansioso para que a bola comece a rolar, com ou sem Aimar.

por D`Arcy às 22:14 | link do post | comentar | ver comentários (12)
Terça-feira, 08.07.08

Corruportugal

 

O chico esperto do Presidente do CJ da FPF (sim, esse indivíduo com cara de doninha que é vereador da Câmara Municipal de Gondomar), a mando dos donos, fez birra porque não conseguiu corromper os restantes membros do Conselho de Justiça da FPF. Quando percebeu que não tinha conseguido coagir o Conselho de Justiça a dar provimento aos recursos dos corruptos, decidiu, numa atitude prepotente, ditatorial e velhaca, acabar com a reunião, não cumprir com a ordem de trabalhos, e sair porta fora como uma prima donna. Pois bem, os restantes elementos adquiriram algures uma coluna vertebral e decidiram não ceder, decidindo o que havia para decidir.

 
O que é que esta pobre amostra de gente (que ainda por cima anda por este planeta a consumir oxigénio que seria útil para outras coisas) faz? Sabendo muito bem qual o paraíso de impunidade onde vive, vai para os telejornais (porque neste país dá-se tempo de antena aos animais mais ridículos em prol das audiências) vomitar um conjunto de alarvidades e fazer figura de vítima, porque não lhe deixaram fazer o caldinho para os amigos:
‘Eu é que sou o Presidente, eu é que sei, eu é que mando, e os outros meninos têm que fazer o que eu digo, senão acabo com as reuniões!’;
‘Mas o Conselho de Justiça, de qualquer maneira, ia decidir contra os recursos, porque os conselheiros eram maioritamente contra…’;
‘Eles não sabem nada! Eu é que sei! E enquanto eles continuarem a tentar votar contra, eu vou acabar com as reuniões todas! Basta levantarem uma mão, e acabo com a reunião. Zás. Há reuniões que nem vão chegar a começar se eu vir um sobrolho mais levantado que o normal. Zás. Acabou. Sinto uma brisa nas costas e trás! - não vá ser qualquer coisa de importante - fujo porta fora. Passa um mosquito, acabo com a reunião. O padrinho é inocente, o padrinho é inocente, o padrinho, é inocente, o padrinho é inocente, o padrinho é inocente, o padrinho é inocente…’.
 
Só neste país. É por causa de néscios amorais destes que Portugal é este esgoto a céu aberto. Mas querem mais uma amostra da estirpe do moço de que estamos a falar? Aí vai, conforme consta da imprensa de hoje:
 
A outra polémica do presidente do CJ
Sozinho, Gonçalves Pereira anulou as classificações dos árbitros da AF Porto, em 1997. Chefe dos árbitros da altura demitiu-se.
(…)
«Na altura era ele o presidente do Conselho de Justiça da Associação de Futebol do Porto», recorda Fernando Marques, que era o presidente do Conselho de Arbitragem da AF Porto e acabaria por apresentar a demissão, por se sentir desautorizado pelo comportamento de Gonçalves Pereira. Sem que se tenha realizado qualquer reunião, o dirigente terá assinado sozinho uma acta a anular as classificações dos árbitros da AF Porto. ‘
 

Pois é, trata-se do mesmíssimo desperdício de carne que agora tenta acabar com reuniões quando estas não lhe estão a correr de feição. Ou seja, no auge do domínio criminoso do Futebol Corrupto do Porto nos anos 90, quem é que era o Presidente do Conselho de Justiça da Associação de Futebol do Porto? Quem é que assinava actas (ou 'iatas') sozinho? Quem é que anulava sozinho as classificações dos árbitros da AF Porto a seu bel prazer (e de acordo com as encomendas do padrinho?) O menino Gonçalves.

Imagino que já na altura alimentava o saudável vício de acabar com reuniões do CJ quando lhe apetecesse, e daí ser o único subscritor das actas.
 
Ah, é verdade: o que faz o Governo depois de ver o futebol deste país ser enxovalhado por acéfalos como este? O que é que faz o Laurentino ao ver a imagem do futebol de um país destruída pelo mundo para tentar salvar o Sindicato do Crime que controla o Futebol Corrupto do Porto e as casas de alterne do Norte? Nada, porque neste momento não há jogadores do Benfica para perseguir e há uma série de festas de Verão onde se impõe ir para encher o bandulho e manter o look ‘lontra do ano’.
 
Dissolva-se este país, que já passou do prazo.
 
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 16:18 | link do post | comentar | ver comentários (17)

Bonito, bonito...

... seria que o clube regional corrupto recorresse mesmo para o Tribunal Administrativo e a UEFA obrigasse a FPF a descê-lo de divisão (por ser interdito o recurso de assuntos desportivos para os tribunais civis, aliás tal como aconteceu com o Gil Vicente há dois anos), sob pena de afastar a selecção nacional dos jogos de qualificação para o Mundial 2010 e as equipas portuguesas das competições europeias.

 

O que eu me fartaria de rir!

por S.L.B. às 00:20 | link do post | comentar | ver comentários (19)
Segunda-feira, 07.07.08

Os troféus (parte II)

Do interior do S.L.Benfica telefonou-nos voz amiga a pedir ajuda para o que se passava com uma parte do espólio de troféus do nosso Benfica. Apresentámos a situação e outros amigos bloggers encarregaram-se de espalhar a palavra que acabou por chegar à comunicação social. Assim, quem de direito resolveu em pouco tempo o que a incúria de alguns profissionais do nosso Clube demorara demasiado tempo a resolver.

No final da AG da última quinta-feira, Ricardo Maia garantia-nos que as taças (e não só) já estavam sãs e salvas na nossa casa, no nosso Estádio. Bastava-nos a sua palavra mas, como em tudo na vida, esperava a confirmação de quem nos dera a informação. A confirmação chegou hoje: o espólio que estivera retido demasiado tempo na alfândega, em Luanda, chegou na passada quinta-feira e, salvo erro, já está em exposição ao público no nosso Estádio da Luz.

por Pedro F. Ferreira às 22:22 | link do post | comentar | ver comentários (13)
Sábado, 05.07.08

Perderam o medo e ganharam vergonha.

Se a ameaça, o compadrio, a gritaria e a aquisição de colunas vertebrais a preço de saldo fora regra que frutificara nos últimos 25 anos, por que motivo não frutificaria também agora?

Foi com esta convicção que partiram para este processo os protagonistas do costume. Foi com esta convicção que nós, espectadores, nos preparávamos para ver mais uma facada na moribunda justiça desportiva portuguesa.

Desta vez, alguma coisa mudou e houve uma inaudita coragem por parte daqueles de quem se esperava mais um momento de genuflexão perante a voz do dono.

O Hermínio, o Gilberto e o Laurentino não contavam com esta. Bem, pelo menos dois deles não contavam com esta. Nas mãos do outro estará, possivelmente, o motivo para que cinco conselheiros do CJ da FPF tenham perdido o medo… até ver.

 

Apostila: garanto que hoje é que a colheita de escutas telefónicas traria revelações interessantes.

por Pedro F. Ferreira às 20:05 | link do post | comentar | ver comentários (20)
Sexta-feira, 04.07.08

Tristeza geral

Até me custa escrever sobre o que se passou ontem na Assembleia-Geral do Sport Lisboa e Benfica. Entre seis milhões de adeptos e 170.000 sócios é natural que haja pessoas que não se sabem comportar. Por muita razão que tenham, não é com insultos, ofensas e berros que as coisas se resolvem. Mesmo que a resposta dos responsáveis não tenha sido, no entender dessas pessoas, a mais conveniente até agora. As posições estão cada vez mais extremadas e vai ser difícil chegar a um consenso pela simples razão que o diálogo é (quase) impossível.

 

Eu só falo do que vejo, não tenho a certeza sobre o está por trás e o que se passou até agora (o que sei é o que me contam e há sempre que ouvir os dois lados da história), mas pondo-me na pele do presidente, acho compreensível que não tenha muita vontade de falar perante pessoas que passam o tempo a insultá-lo aos berros. que ele deveria ser superior a isso, deveria engolir o sapo dos insultos pessoais e tentar dar uma resposta na AG aos sócios que o contestam. Porque é isso que se espera de um presidente do Sport Lisboa e Benfica. Que se levante e fale perante os sócios, principalmente os contestatários que se dirigem especificamente a ele, ainda que de forma imprópria. E é isso que ele deveria ter feito ontem. Assumir uma atitude de estadista e tentar expor as suas razões. E aí sim, se os insultos e os berros continuassem, ele manifestaria a impossibilidade de falar. Tinha tentado, mas não o tinham deixado. E desta maneira, os culpados por não terem tido uma resposta seriam os sócios que o contestaram de forma mal-educada na altura em que o presidente tentava falar. Ao não subir ao palanque para discursar, o presidente do Sport Lisboa e Benfica deu azo (ainda que não o tenha feito de propósito) a que a AG terminasse de forma abrupta por manifesta falta de condições. E muitos outros sócios ficaram sem resposta a algumas questões pertinentes que levantaram.

 

Não estou, de forma alguma, a defender quem foi mal-educado e insultuoso. Aliás, acho mesmo que esses sócios que não se sabem comportar de maneira civilizada deveriam ser impedidos de entrar em AGs do clube. Não está em causa o direito à contestação, mas sim a forma como ela é feita. Desejo sinceramente que em futuras AGs do clube se possa discutir os assuntos convenientemente. Porque para o futuro do clube é urgente essa discussão.

por S.L.B. às 18:50 | link do post | comentar | ver comentários (14)

Jantares

Realizou-se ontem uma Assembleia Geral do nosso clube, tendo como ponto único da ordem de trabalhos a discussão do Orçamento para a época desportiva de 2008/2009. Tendo em conta o que vi durante a assembleia da passada semana, esperava que a de ontem fosse ainda mais 'animada', e não me enganei. Não me parece que o que se passou tenha sido tão mau como as imagens que passaram cá para fora farão crer. Mas não deixou de ser uma situação triste.

A discussão do orçamento em si não teve problemas de maior. Foi apresentado, foram feitas perguntas, a que a direcção tentou responder. Em relação ao ponto mais polémico - a redução do orçamento das modalidades - gostei da intervenção do responsável por elas, Fernando Tavares, que deu explicações bastante concisas para as decisões tomadas. Pelo meio, foram-se começando a ouvir alguns distúrbios, que aumentaram de tom e frequência após a intervenção do Jorge Máximo, vindos invariavelmente do mesmo grupo de pouco mais de duas dezenas de adeptos - e discordo com as notícias que vi hoje, que apontam o dedo às 'claques' como causadoras dos distúrbios na assembleia geral. Estavam lá imensos membros das claques, e a grande maioria deles não teve qualquer comportamento censurável, sendo que muitos deles estavam em desacordo com o comportamento daquele grupelho desordeiro. Eu compreendo que as pessoas se possam sentir insatisfeitas e que queiram pedir satisfações, mas quando a crítica mais articulada que conseguem fazer ouvir é 'Chulos! É só jantares!', não percebo onde é que querem chegar. Além disso, não percebo muito bem a embirração particular que aqueles consócios têm para com o acto de se jantar.

Após a aprovação do orçamento, seguiu-se o período de intervenções dos sócios sobre temas livres. Ouviram-se várias intervenções muito válidas e interessantes, com acusações e questões pertinentes feitas à direcção e ao LFV. Nesta fase, o referido grupelho de adeptos começou a tornar-se cada vez mais insuportável, quase sempre instigado pelos mesmos que eu já tinha lá visto a semana passada. Não percebo que raio de discussão válida querem ter quando semeiam imediatamente a desordem de cada vez que alguém diz algo com o qual não concordam. Não percebo para que é que serve insultarem os sócios que votam a favor de algum ponto, acusando-os de não terem opinião própria (entre outros impropérios) e depois votarem cegamente contra todo e qualquer ponto, mesmo quando acabam por manifestar opiniões contraditórias - a semana passada votaram contra um ponto que, a ser chumbado, provavelmente representaria o fim do rugby do Benfica, e esta semana andam irritados com a redução do orçamento das modalidades.

Fiquei muito curioso em saber as respostas que a direcção teria para todas aquelas questões que lhe foram postas. Só que assim que chegou a altura de responderem, como não foi o presidente da direcção a dirigir-se aos sócios, imediatamente o grupo desordeiro semeou uma confusão tal que ao Vilarinho não restou alternativa senão dar por terminada a assembleia. E ninguém ganhou nada com isso. Compreendo que possa haver frustração com o silêncio a que o LFV se remete durante as assembleias gerais, até porque é nele que se centram a maioria das críticas dos adeptos. Mas com atitudes daquelas, o que acabou por acontecer foi que não ouvimos o que a direcção tem a dizer sobre todos aqueles assuntos. Depois gerou-se alguma confusão na saída do LFV, com o referido grupo a rodear o presidente, e não sei o que se passou lá fora, ou o que terá sido captado pelos jornalistas sedentos de sangue.

Em relação ao orçamento em si, apenas duas observações. Primeiro, preocupa-me muito a enorme descida nas receitas da quotização. Estamos a falar de uma descida de mais de um milhão e meio de euros, o que, feitas as contas por alto, representará uma perda de cerca de 10.000 sócios pagantes num único ano. Nos pressupostos, isto é justificado pela 'conjuntura socioeconómica do País'. Isto não passa de um eufemismo, para não lhe chamar outra coisa. Todos sabemos muito bem os motivos principais que levam à desistência/demissão de sócios, e estar-se a justificar isto com a tal 'conjuntura socioeconómica' é um acto de pura desresponsabilização. Depois, quanto à quota das modalidades, apenas uma correcção em relação ao eventual número de cerca de 5.000 aderentes de que falei a semana passada. Mais uma vez fazendo as contas, a realidade é ainda pior, já que o número de aderentes nem sequer chegará aos 3.000.

Neste momento não me agrada nada o ambiente que sinto no interior do nosso clube, que põe sócios contra sócios, e em que o benfiquismo de cada um está constantemente a ser posto em causa pelos outros. Talvez devessem começar a vender réguas especiais para medir benfiquismos. Nesta situação, está-me a ser muito difícil sentir-me sequer motivado para a época que ainda nem sequer começou.

por D`Arcy às 17:06 | link do post | comentar | ver comentários (10)

escribas

pesquisar neste blog

 

links

arquivos

recentes

tags

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com

Visitas




blogs SAPO

subscrever feeds