VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sexta-feira, 31.07.09

Insolação.

A notícia não é notícia. A notícia é uma informação que, quando olhada de forma ingénua ou malévola, conduz a um título alarmista. Os senhores do Sol chegaram à brilhante conclusão de que o patrocínio da Sagres vai directo para o BES. Serviram esta informação como um anúncio do apocalipse. Como não acredito na ingenuidade de nenhum Escobar, resta-me acreditar que a notícia não tem a bondade tola dos ingénuos. [link]

 

Há uns tempos, sobre o mesmo assunto, já o Carlos Miguel Silva se pronunciara nesta Tertúlia:

«Há, evidentemente, contratos cujas receitas estão a ir directamente para os bancos com os quais se têm financiamentos de médio e longo prazo. Resulta directamente da reformulação da estrutura contratual associada ao project finance do estádio. É público, foi amplamente explicado pelos responsáveis do Benfica para quem verdadeiramente quis ouvir. A estrutura do financiamento passou inclusivamente por uma alteração no sentido da libertação de uma série de garantias e mordaças contratuais tipicamente associadas a um project finance - passando a assumir praticamente a natureza de uma dação ‘pro solvendo’, cuja figura jurídica implica o recebimento dos pagamentos de um conjunto de Contratos Comerciais associados ao Novo Estádio directamente em contas dos bancos, por forma a amortizar os financiamentos tidos com estes. O Contrato Comercial de Naming e Pouring Rights com a Centralcer era um deles.» [link]

 

Perceberam? Basta ter tantos neurónios como o Sá Pinto e ter uma honestidade intelectual ligeiramente superior à do Vítor Queirós para perceber. Lamentavelmente, parece que o antibenfiquismo primário do José António Lima impera acima destes dois simples pressupostos.

 

Lamentavelmente, o Sol assemelha-se ao The Sun em termos de seriedade e este, como sabemos, tem paralelo apenas no defunto Incrível. Neste momento, o Sol pare informação abaixo da folha do Lidl.

por Pedro F. Ferreira às 12:10 | link do post | comentar | ver comentários (30)
Quinta-feira, 30.07.09

O fanfarrão.

Actualmente, uma derrota do Braga é uma pequena facada em dois dos fantoches que melhor servem publicamente de lacaio ao responsável pela corrupção no futebol português das últimas décadas.

 

Recentemente, um tal Domingos, rapazito cheio de complexos de inferioridade mal compensados, decidiu tirar os chavelhos do chão (para onde convenientemente atira com os ditos em certos jogos) para olhar para cima, para o Glorioso, e desatou a regurgitar a cartilha encomendada. Tentou denegrir o nosso treinador, comportou-se como um capacho imaturo e expôs mais uma vez as ridicularias próprias.

 

Hoje, bastou uma equipazeca para pôr no seu sítio o embusteiro. Já viram a cara do roncolho depois de ter perdido com o Elfsborg? Parece que lhe coçaram o esfíncter com uma malagueta.

por Anátema Device às 23:50 | link do post | comentar | ver comentários (26)

Insólito.

O pasquim publicou um apontamento sensato. Parece-me que este Nuno Pombo consegui escapar aos tentáculos da censura e publicou uma heresia, uma ofensa aos comentadeiros da nossa praça. Bom, para os que consideram que o Benfica tem jogadores a mais e etc., encontram naquele apontamento algumas boas razões para termos o plantel que temos, como a forte possibilidade de a época ser longa (a julgar pelo que vimos até agora, temos de acreditar), ou o facto de termos jogadores nas selecções nos jogos de apuramento para 2010, com as lamentáveis lesões e cansaços.

 

Ter jogadores a mais não me parece intrinsecamente um problema, mas é evidente para mim que o Jorge Jesus terá algum trabalho pela frente em termos de gestão emocional e motivacional. Essa, creio, será a sua grande tarefa, a par evidentemente da gestão dos recursos em função das tácticas específicas que ele quiser montar para os diferentes contextos (não esqueçamos que quem diz que o Benfica tem 6 ou 7 avançados ignora que eles têm características diferentes, basta comparar a importância do Cardozo com a importância - sem qualquer ironia - do Mantorras).

 

Além de tudo isto, não me parece que o Benfica contrate jogadores para que outras equipas não os contratem ou que os contratem por atacado para os pôr a rodar noutras equipas (ainda que isto garanta uns campeonatos), por isso, no mínimo, Rui Costa, Jorge Jesus e Luís Filipe Vieira merecem o benefício da dúvida.

Quarta-feira, 29.07.09

Vergonha na cara (ou lá o que é aquilo)

Vem isto a propósito do último pedaço de esterco disfarçado de crónica saído da pena do MST (já uma lenda no mundo da ginástica artística e uma inspiração para todos os monges copistas) na edição de ontem d’A Bola.

 
O Centro de Estágio utilizado pelo clube do Guarda Abel foi construído pela Câmara Municipal de V.N. de Gaia, que arcou na sua totalidade com os custos de € 16 milhões e cedeu os direitos de superfície ao referido clube por 50 anos.
 
O clube do Carlos Calheiros paga uma renda mensal de € 500 (leram bem, 500) pela utilização exclusiva da infra-estrutura.
 
Se os meninos de coro do Fruta Clube do Porto um dia decidirem que não lhes apetece mais treinar ali, arrumam a trouxa e vão brincar para outro lado, sem qualquer compensação para o município, que ficará com um mamarracho muito interessante para alugar para casamentos e baptizados, o que é capaz de ser ‘desastroso do ponto de vista dos recursos públicos’, conforme admitido pela Câmara num documento oficial.
 
As irregularidades e ilegalidades do processo são mais que os jogadores emprestados pelo clube do Jorge Sousa, do Paulo Costa e do Olarápio Benquerença a outros clubes da I Liga.
Há acusações de gestão danosa, há investigações do Tribunal de Contas e da Inspecção-Geral de Finanças e relatórios com conclusões muito interessantes sobre a forma como todo o processo foi gerido.
 
Entre outras preciosidades de carácter quase humorístico (não fora o facto de meter o nosso dinheiro ao barulho), saliente-se que o avaliador dos terrenos associado ao processo não tinha estatuto para fazer as avaliações, o que resulta em responsabilidade criminal; o interesse público no âmbito do qual se efectuaram as expropriações urgentes para o projecto não tinha qualquer justificação legal; as fundações através das quais se canalizaram verbas para o projecto não tinham cabimento legal; a garantia do financiamento contraído pela Portogaia (uma das fundações) foram os próprios terrenos cedidos ao FCP, o que constituía outra ilegalidade; as obras foram adjudicadas sem qualquer tipo de concurso público (aliás, a CM Gaia, apesar de representada na referida fundação, terá prescindido da ‘capacidade de influenciar decisões importantes’); e o interesse público foi subordinado aos interesses do FCP – interesses particulares (percebe, caro ginasta?) - em todo o processo.
 
No relatório da IGF pode-se ler que ‘todos os riscos financeiros ficaram do lado público, especialmente o risco de expropriações, o risco de construção e o risco financeiro’. Mas os lucros da exploração do Centro de Estágio, se os houver, serão sempre para os cofres do clube do Martins dos Santos.
De acordo com a IGF, o processo configura, portanto, “um inequívoco apoio a um clube desportivo”. Por uma autarquia. Financiada pelas gentes de Gaia e pelos nossos impostos.
 
Estamos esclarecidos.
 
Quanto ao Benfica, que caminha de cabeça erguida, nunca pagou viagens a árbitros, não os recebe em casa e não tem dirigentes que tenham sido condenados por corrupção, construiu, do seu próprio bolso e sem qualquer tipo de ajudas nem ofertas de municípios amigos, um Centro de Estágio no Seixal após um acordo com a Euroárea, claro e benéfico para ambas as partes. Esse Centro de Estágio é pago com recurso às receitas do mecanismo de naming rights, à semelhança do que foi feito com as bancadas do Estádio. Tudo claro. Tudo limpo.
 
É preciso ter uma lata de proporções cósmicas – e ser, convenhamos, burro - para ser adepto de um clube a quem foi vergonhosamente oferecido um Centro de Estágio construído com dinheiros públicos nos termos em que descrevi e escrever uma ‘crónica’ encomendada sobre o Centro de Estágio do Seixal pejada de suspeitas imbecis e acusações de coisas como ‘concorrência desleal’ e ‘utilização de coisas públicas em benefício de interesses particulares’.
 
Todos nós sabemos quem eram os Presidentes da CM Porto e da Metro do Porto à data destes brindes. E também sabemos quem era o Ministro da Administração Interna à data da viabilização (ferida de ilegalidade) das fundações para a construção do Centro.
 
Concorrência desleal? Utilização indevida de dinheiros públicos? É mais ou menos isso, sim. Pelo menos, caro MST, acerta nos termos.
Quem tem telhados de vidro não devia atirar pedras. A não ser, claro, que costume privar com os seus amigos da lagartagem para os lados da Academia de Alcochete e lhe apeteça receber convidados à pedrada.
 
Agora veja se ganha vergonha na cara. Já devia ter alguma, atendendo à fronha com que tem a coragem de sair de casa todos os dias.
 
 
Quando passeamos na rua e pisamos um pedaço de excremento de cão, temos duas opções: ou continuamos despreocupadamente e o excremento vai-se limpando, natural e inevitavelmente, pelo caminho trilhado ou paramos por um bocado para limpar o sapato num pedaço de relva ou com um pau antes de recomeçar a andar. Nesta ocasião específica, apeteceu-me esfregar o sapato num pedaço de relva antes de recomeçar a andar.
Adiante.
 
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 16:44 | link do post | comentar | ver comentários (38)
Terça-feira, 28.07.09

Keirrison (II)

Está confirmado, o Benfica garantiu o Keirrison por uma época, com mais outra de opção. Apesar da incógnita que poderá ser a sua adaptação ao futebol europeu, daquilo que conheço do jogador só posso estar convencido que será um grande reforço.

Agora espero os argumentos do costume. Será que veio gozar a reforma para o Benfica. Parece-me que não, já que tem 20 anos. Será que só veio para o Benfica porque não é bom? Bem, quem o comprou foi o Barcelona, que desembolsou €14M por ele. Será que não faz falta? Já andava a ouvir dizer que se faltasse o Saviola ou o Cardozo o Benfica não teria um plano alternativo. Se calhar foi a novela que se arrastou muito tempo. Mas não, quando se dizia que o Benfica não era opção para o empréstimo, num dia tudo mudou e o jogador vem a caminho. Então se calhar o problema será que agora temos avançados a mais. Mesmo para quem há pouco dizia que o Weldon 'não é avançado para o Benfica', que o Nuno Gomes só interessa pelo peso no balneário, ou que o Mantorras é uma figura decorativa. De certeza que se arranjará um qualquer motivo de preocupação ou crítica.

Entretanto, e face às informações veiculadas pelo próprio Barcelona e pelo empresário do jogador, que deram conta das tentativas do sportém (pausa para risos) e do fóculporto para obterem o seu empréstimo, fico a aguardar por uma capa do Pasquim que dê conta deste 'roubo' perpetrado pelo Benfica.

por D`Arcy às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (31)

Mensagem para os nossos rivais.

TENHAM MEDO. Tenham muito medo.

 

Este ano só uma coisa pode derrotar-nos...o sistema.

Mas confio que nem assim conseguirão.

Esta época cumprir-se-á o Benfica. Tenho a certeza. Já o achava antes desta contratação.

Sente-se qualquer coisa poderosa no ar, neste arranque da época...

Que todos ajudem e ninguém se esconda, dentro e fora do campo.

Vamos a eles.

 

 

PS - Não se consegue despachar Bynia, Zoro, Makukula...? (E Carlos Martins, claro :-))

 

Keirrison

Agora fico ansiosamente à espera que os emprenhados comecem a arranjar formas de criticar o Keirrison. Há-de ser do corte do cabelo, do tamanho das unhas, do facto do cunhado do primo da mãe ter gases, do excesso de avançados no plantel ou do raio que os parta.

 

Desculpem, mas não há paciência.

por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 17:47 | link do post | comentar | ver comentários (39)
Segunda-feira, 27.07.09

Emprenhadores e emprenhados.

O âmago do Benfica exige qualidade, espírito de sacrifício, capacidade de se transcender e vitórias. Esse mesmo âmago exige capacidade crítica e apoio incondicional dos adeptos.

 

Nesta pré-época a equipa está a jogar bem e recomenda-se. Demonstra claramente que o “sistema” terá de se esforçar ainda mais para nos afastar do título de campeão. Num momento como este esperar-se-ia um apoio total à equipa e uma união em torno do Clube. Apenas com essa união incondicional conseguiremos dar aquele 'extra 'que pode fazer a diferença e ajudar a que o “sistema” ganhe um pouco de vergonha nas suas práticas criminosas.

 

Ainda assim, e seguindo a opinião dos “queirózes” de mão que abundam pelos pasquins, vou vendo alguma gritaria vinda de onde menos se esperaria. Só o prazer de exibir o histerismo de quem se compraz na antecipação sistemática do apocalipse me permite perceber as reacções daqueles que, num momento de vitória, conseguem atirar as suas atenções para a boataria, para a especulação, para o diz-que-disse, para as fantásticas fontes de onde brotam diariamente as sementes que emprenham os tais apocalípticos de conveniência.

 

Um destes dias, pode ser a seguir à próxima vitória, ainda verei os emprenhadores do costume a especular, na sua douta sapiência de clínico geral, sobre a próxima anunciada venda de um, repentinamente, imprescindível futebolista; a contratação de uma mão cheia de novos "Eversons" que apenas servem para untar as patas dos intermediários; o tamanho das meias do Saviola; a qualidade e composição da água da rega do Estádio; a escala do poleiro da águia Vitória ou o facto de o referendo das cores da camisola alternativa para a próxima época não contemplar a possibilidade do voto nulo.

 

Sobre tudo isto escreverão e sobre tudo isto continuarei a ver muita gente emprenhar pelos ouvidos e, consequentemente, a parir ecos de boatagem pasquineira pela boca.

por Pedro F. Ferreira às 23:30 | link do post | comentar | ver comentários (28)
Domingo, 26.07.09

Ajax

Nova vitória no Torneio de Amesterdão, e conquista do troféu. O Jorge Jesus já se pode pelo menos gabar de, em três semanas, ter conseguido ao serviço do Benfica um palmarés comparável ao do Nandinho.

A quantidade de jogos que temos feito de certeza que já pesa, e talvez por isso o Cardozo e o Aimar ficaram no banco de início. Para os seus lugares, Nuno Gomes e Carlos Martins. Foi um dos jogos mais complicados que o Benfica fez nesta pré-época. O Ajax joga bem e rápido no ataque, e entrou decidido, mas se há coisa de que não nos podemos queixar é de falta de sorte neste jogo. É que o Ajax resolveu dar uma ajuda, e quando ainda pouco tínhamos feito no ataque já nos víamos a ganhar, graças a um 'autogolão', com a bola a fazer um chapéu perfeito ao guarda-redes adversário. Este golo quebrou o ímpeto inicial do Ajax, e permitiu-nos assentar o jogo. Hoje não houve, no entanto, aquela pressão alta e muitas trocas de bola no ataque (notou-se a diferença no estilo de jogo do Aimar - que traz a bola para a frente colada aos pés, e em passes curtos - para o Carlos Martins, que dá preferência a passes longos), mas em vez disso viram-se bastantes saídas rápidas para o contra-ataque, aproveitando o balanceamento atacante do Ajax. Numa dessas saídas o Di María fez o segundo golo, numa jogada bonita em que a bola ainda passou pelos pés do Ramires, Nuno Gomes e Saviola. Isto deixava adivinhar um jogo mais ou menos tranquilo. Só que nos minutos finais da primeira parte o Ajax pressionou bastante, a chegou ao merecido golo, num grande remate à entrada da área após uma tabela que tirou o Luisão do lance.

Na segunda parte o Benfica parecia apostado apenas em gerir o resultado, tendo mais uma vez o Ajax entrado bem. E mais uma vez aproveitando uma falha da defesa holandesa, marcámos o golo da tranquilidade, sendo o David Luiz à boca da baliza quem aproveitou um mau corte de um defesa adversário. Seguiram-se alguns minutos de desorientação do Ajax, durante os quais o Benfica deu a impressão de poder marcar um quarto golo quase em cada ataque que fazia, e só nos quinze minutos finais é que o Ajax voltou a tomar conta do jogo e a pressionar, chegando ao segundo golo e ainda ameaçando o empate um par de vezes. Não o conseguiu, e assim o Benfica saiu de Amesterdão com o pleno: duas vitórias e o troféu.

Di María e David Luiz foram para mim os melhores. Bem acompanhados pelo Javi García (muito bom nas compensações e a destruir o jogo do adversário, não hesitando em recorrer à falta quando necessário) e pelo Ramires, cuja primeira parte me agradou mesmo muito, sobretudo nas ajudas defensivas e subsequentes saídas para o ataque. O Maxi esteve ao nível habitual, e o Shaffer voltou a mostrar-se mais no ataque, e melhorou um pouco na defesa (embora ainda com algumas falhas). Menos bem pareceu-me o Luisão na primeira parte, em que acumulou erros. Não é propriamente uma surpresa, pois o Luisão tem tendência a ter estas falhas enquanto não ganha ritmo, e ele até agora apenas tem dois ou três dias de treinos nas pernas. Na segunda parte já melhorou a sua prestação.

Agora são cinco dias sem jogos até ao Torneio de Guimarães. Vai parecer uma eternidade.

por D`Arcy às 22:45 | link do post | comentar | ver comentários (36)
Sábado, 25.07.09

O que se diz por aí

O pasquim traz hoje uma notícia que me deixaria preocupado se... não fosse dada pelo pasquim. É-me difícil de acreditar que o nosso subcapitão (mas que será o capitão na maior parte dos jogos) possa ser vendido por... 10 milhões de euros, quando a sua cláusula de rescisão é de 20 milhões (e não 25 como dizem eles). Ainda por cima, depois escrevem que o Benfica não está interessado no Manuel da Costa da Fiorentina porque “os responsáveis benfiquistas preferem um central mais experiente para substituir Luisão”. Quer dizer, estes senhores do pasquim argumentam que o Benfica quer vender o Luisão por metade da cláusula de rescisão para depois comprar um “central mais experiente”. Portanto, entre o “deve” e o “haver” ganharíamos... trocos! Isto quando o Luís Filipe Vieira já disse mais do que uma vez que não iria sair ninguém importante do plantel. E não me parece que o tenha dito levianamente. Mas também de uma publicação que rouba um golo ao Cardozo logo na 1ª página (Sion, Shakhtar, Olhanense, Atl. Madrid e Sunderland dá cinco nas minhas contas) é de esperar tudo menos rigor...

 

Por outro lado, muito se tem falado do interesse do Benfica no Júlio César do Belenenses. A minha posição em relação aos guarda-redes é muito simples: ou vamos buscar alguém que seja um titular indiscutível e, portanto, bastante melhor do que os que cá estão, ou não vale a pena. Alguém no seu perfeito juízo considera que o Júlio César é muito superior aos três guarda-redes do plantel? Fala-se na idade dele (22 anos), mas não precisamos de um “guarda-redes para o futuro”. Necessitamos, sim, para o imediato. Com o devido respeito, o titular de um clube que desceu de divisão é o indicado para a baliza do Benfica? Hello?! Já viram estas imagens? A diferença entre o Moretto e este é a mesma que entre a A22 e a Via do Infante...

 

P.S. - Tenho pena que o Javi García tenha ficado com o nº 6. Mas entretanto o 11 ficou livre. Um número mais apropriado para um... extremo e/ou avançado.

por S.L.B. às 13:03 | link do post | comentar | ver comentários (28)

Sunderland

Foi um jogo com um ritmo mais pausado do que aqueles que vi até agora na pré-época. Calculo que algum cansaço seja mais do que aceitável, já que não me lembro de alguma vez ter visto uma pré-época com tantos jogos num espaço tão curto de tempo. Apesar do ritmo mais baixo (que implicou, por exemplo, uma menor pressão exercida sobre o adversário), pareceu-me que controlámos o jogo sem grandes sobressaltos durante a maior parte do tempo.

O onze apresentado de início não andará muito longe daquele que deverá ser o onze base para esta época. Curiosidade para ver sobretudo o Javi García (estreia absoluta) e o Ramires, no primeiro teste mais a sério. O primeiro acabou por fazer os noventa minutos, enquanto que o segundo jogou apenas a primeira parte. Ambos estiveram discretos, e não vi grandes motivos de realce, quer pela positiva, quer pela negativa. Quanto ao jogo em si, foi o Benfica quem assumiu a despesas de início, com o Sunderland a tentar o contra-ataque sem conseguir criar muito perigo, excepção feita a um lance em que houve uma falha de marcação da nossa defesa, e o Jones apareceu à vontade para cabecear ao lado. Chegámos à vantagem à passagem da meia hora, através de um penálti do Cardozo a castigar uma falta assinalada sobre o Saviola (após mais uma jogada de entendimento entre ele e o Aimar). Pareceu-me forçado o penálti, mas como lá fora em caso de dúvida os árbitros não decidem sempre contra nós, foi assinalado.

Depois do penálti o Sunderland tentou reagir e tomar conta do jogo, mas conforme disse, o Benfica nunca pareceu ter grandes dificuldades para controlar a partida. O melhor período dos ingleses até foi no reinício da segunda parte, mas este ímpeto morreu após dez minutos, com o golo do Maxi Pereira, após recuperar uma bola perto da área adversária e rematar entre as pernas de um defesa adversário. Depois disto, só mesmo mais sobre o final da partida, e mais uma vez após a entrada do Coentrão, é que as coisas voltaram a animar, com o Benfica a chegar perto do terceiro golo, mas faltou acertar no alvo.

Quanto aos jogadores, já quase nem é preciso repetir os elogios do costume ao Maxi. O Shaffer parece estar claramente a subir, e dos centrais gostei mais do David Luiz (é natural que o Luisão ainda esteja com falta de ritmo). O quarteto da frente (Cardozo, Saviola, Aimar e Di María) continua a prometer muito para esta época - gosto mesmo muito de ver aquelas combinações que às vezes o Saviola e o Aimar tiram do bolso - e o Coentrão, para não variar, veio dar um safanão ao jogo.

Daqui a dois dias, novo jogo. Com esta barrigada de jogos do Benfica após o jejum do defeso, acho que vou ficar mal habituado e estranhar quando passarmos a jogar só uma vez por semana.

por D`Arcy às 02:10 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Sexta-feira, 24.07.09

Rui Cartaxana

Quem se foi habituando à leitura do que por aqui escrevo, sabe da falta de confiança que tenho em grande parte dos jornalistas desportivos. Mas há excepções.

Há aqueles a quem reconheço verticalidade e independência. Rui Cartaxana, além desses atributos, era também competente e uma referência do jornalismo desportivo.

Nos últimos tempos foi um dos poucos, senão mesmo o único, que vi escrever sem medos, sem amarras e de cabeça levantada sobre a podridão corrupta das últimas décadas do futebol português.

Faleceu hoje. Se o seu exemplo não for seguido, o jornalismo desportivo perderá muito mais do que imagina.

por Pedro F. Ferreira às 16:26 | link do post | comentar | ver comentários (20)
Quinta-feira, 23.07.09

Breves apontamentos.

Reyes.

 

Continuo a considerar que Reyes foi o futebolista mais exclamativo do Benfica na época passada. Como tal, gostaria que continuasse no Benfica. No entanto, a sua manutenção não deverá ser equacionada apenas em função das suas capacidades ou custos. Continuo a considerar que ainda não é o momento para ter uma palavra definitiva sobre este assunto…

 

Simão e declarações de benfiquismo.

 

Simão foi o futebolista que mais gostei de ver jogar no Benfica nas últimas épocas. É um futebolista de enorme categoria, foi capitão de equipa e dedicou-se ao Benfica com um assinalável profissionalismo. Sempre achei que as demonstrações de benfiquismo que se observavam nas suas práticas profissionais deveriam ter eco também nas entrevistas que dava.

Depois de ter saído, começou, então, a dar testemunho de benfiquismo nas entrevistas à comunicação social. Registo como positivo este sinal claro de que se prepara, a médio prazo, o seu regresso ao Benfica.

 

Javi e o preço.

 

Com os dados que possuo, tenho a sensação de que foi uma contratação cara. Repito: com os dados que possuo… dados que pecam por defeito. No entanto, só a relação entre o valor pago e o rendimento desportivo do futebolista fará justiça ou não à sensação que agora tenho. Espero estar enganado.

 

Novo guarda-redes.

 

Não sei quem será, nem sei se será contratado um novo guarda-redes. Para mim, não é prioritário. Se vier, que venha algum que efectivamente faça a diferença relativamente à qualidade dos que lá temos. Não me parece que se deva contratar alguém para substituir o 3º guarda-redes.

 

Dispensas: Balboa e J.Ribeiro.

 

Balboa e Jorge Ribeiro vão ser dispensados. Lamento a dispensa de Balboa, pois quero acreditar que, ultrapassados alguns bloqueios, poderia ser um futebolista bastante válido. Gostaria que lhe dessem mais uma época.

 

O dia da apresentação.

 

O dia da apresentação foi um bom dia. Numa terça-feira, ao fim da tarde, o Estádio praticamente encheu. Viveu-se um ambiente de festa que demonstrou a confiança depositada nesta equipa. A equipa retribuiu com uma atitude e um futebol que nos permitem ter todas as esperanças, apesar de vivermos num sistema em que até o árbitro Hugo Miguel pode pertencer à 1ª categoria.

Além de tudo isso, a grande surpresa acabou por acontecer: a Tertúlia Benfiquista esteve bem representada no relvado do Estádio da Luz, antes do início do jogo, com o Pedro Ribeiro a fingir que sabe cantar.

por Pedro F. Ferreira às 16:15 | link do post | comentar | ver comentários (37)

Juniores

O Conselho de Disciplina da FPF tomou ontem uma decisão previsível face aos acontecimentos na academia de Alcochete, aquando do jogo para a fase final do Campeonato Nacional de juniores entre o sportém e o Benfica, e puniu ambos os clubes com uma derrota por 3-0, para além da obrigatoriedade da realização dos próximos seis jogos entre os dois clubes à porta fechada. A consequência mais mediática desta decisão acaba por ser a conquista do título de campeão nacional do escalão pelo Benfica. Quanto à consequência mais óbvia, essa já se começa a observar, que é a chinfrineira da parte da lagartagem sobre esta decisão, já que como é óbvio esperariam conseguir conquistar na secretaria aquilo que não conseguem dentro do campo. Na sua lógica distorcida, o Benfica é que foi o único responsável pelo que se passou em Alcochete, enquanto que os cândidos lagartos saltitavam de nenúfar em nenúfar, ébrios na sua imaculada inocência. Este comportamento velhaco da lagartagem não é nada que surpreenda.

Resolveram meter na cabeça que os adeptos do Benfica foram até lá com a intenção expressa de acabar com o jogo. Não percebo a lógica deste raciocínio. Se havia alguma equipa em situação mais desesperada antes deste jogo, era o sportém. Ao Benfica bastava o empate; o sportém tinha que vencer, ainda para mais uma equipa que já os tinha batido sem apelo nem agravo no Estádio da Luz. Aliás, as crónicas referem que no momento em que a lagartagem invadiu o terreno de jogo (sim, foi a lagartagem quem interrompeu o jogo e que depois, muito depois da claque do Benfica estar reunida e controlada pela polícia, continuou sem arredar pé do relvado) era mesmo a equipa do Benfica quem já mostrava ascendente na partida - temos inclusivamente exemplos anteriores da forma como a lagartagem gosta de reagir quando começa a ver um jogo mal parado, pois basta lembrarmo-nos como os cândidos membros de uma das suas claques reagiram a um golo do Geovanni no Alvalixo (certamente, conhecido o seu fair play, teriam apenas a inocente intenção de congratular o Geovanni pelo golão).

Quanto à auto-proclamada inocência da lagartagem, convém explicar qual é o conceito de 'inocência' que esta gente tem. Ainda os nossos adeptos não tinham entrado no curral de cabras, e cá fora já estavam a ser bombardeados com pedras atiradas por membros das claques do clube mais inocente do mundo. Curiosamente, e apesar do Benfica ter pedido as imagens das câmaras de segurança do exterior da academia, o sportém não quis ou não foi capaz de as fornecer. Vá-se lá saber porquê. Talvez mostrassem que enquanto os lagartos saltitavam de nenúfar em nenúfar iam atirando uns calhaus pelo caminho, o que não se coaduna de forma alguma com a suposta inocência no processo que não se cansam de anunciar. A entrada na academia foi feita debaixo de uma chuva de pedras (como, aliás, foi noticiado na altura pela repórter da Benfica TV presente, sendo depois por isto a Benfica TV acusada de 'falta de isenção jornalística' por algumas bestas 'isentas' na imprensa desportiva, nomeadamente um idiota de lagarto empedernido que dá pelo nome de José Manuel Freitas). Ao chegarem ao agora famoso 'caminho de cabras', os adeptos do Benfica, face ao anteriormente passado, ripostaram. E eu não quero com isto desculpar de forma alguma esta atitude: para mim isto é igualmente condenável, e por isso mesmo o Benfica foi castigado com uma derrota. Foram estas as imagens que vimos nas televisões generalistas, e que foram aproveitadas para vender a ideia de que os pacatos lagartos estavam ali descansados a ver o jogo, sem incomodar uma mosca, quando de repente uma horda de selvagens benfiquistas entrou por ali dentro a apedrejar tudo o que se mexia. Se por acaso olharem com atenção para as imagens, até verão que enquanto os benfiquistas atiram pedras, a polícia, que os acompanhava, nada faz. Isto porque a própria polícia testemunhou aquilo que se tinha passado antes, e terá sido com base nos relatórios da polícia, que apontam culpas aos adeptos dos dois clubes intervenientes, que a decisão do Conselho de Disciplina foi tomada.

Depois foi o que se viu. Invasão do campo por parte da lagartagem, abraços homoeróticos entre o Cabeça de Cotonete e gente rude de tronco nu e suado, o director de comunicação do sportém a roer as unhas de inveja e, numa atitude a todos os níveis louvável, desatarem a marrar contra tudo o que era vermelho. Quer isto dizer que os familiares dos jogadores benfiquistas, que se encontravam já nas bancadas, se tornaram alvos da fúria da lagartagem, sendo arremessados todo o tipo de objectos na sua direcção, o que obrigou a que essas pessoas tivessem que encontrar refúgio. Mas isto foi apenas mais um acto perfeitamente inocente, de adeptos que se comportaram de forma absolutamente exemplar o tempo todo, que foram apenas vítimas, e não têm quaisquer culpas no cartório. A culpa foi apenas e só dos benfiquistas, que até planearam a coisa toda, tal era o medo que tínhamos de perder um título de juniores para uma equipa que foi banalizada no Estádio da Luz (onde, curiosamente, os selvagens adeptos benfiquistas não andaram a apedrejar tudo o que mexia).

Agora que venha a peixeirada do costume da parte dos viscondes de chinelos. Por mais que eles clamem inocência, que falem de 'verdade desportiva', que utilizem seja que argumentos forem, a gente sabe que apenas uma coisa os move. Aquilo que os tem movido desde os primórdios da sua ridícula existência, passada invariavelmente na sombra. A enorme e incomparável azia de verem o Benfica ganhar algo.

por D`Arcy às 12:17 | link do post | comentar | ver comentários (36)
Quarta-feira, 22.07.09

Atletico

Ao quinto jogo, a primeira derrota na pré-temporada. Fico triste pelo resultado, particularmente por ser o jogo de apresentação aos adeptos, mas não posso evitar sentir alguma satisfação pelo futebol apresentado, em particular na primeira parte. Satisfeito também pelos mais de 57.000 benfiquistas que quiseram assistir ao vivo à apresentação da sua equipa.

O Atletico não veio simplesmente participar na festa, e soube complicar-nos a vida. Chegaram cedo à vantagem, num remate colocado de fora da área, mas em pouco tempo o Benfica empatou, com um golo fácil do Cardozo a passe do Saviola. Os pormenores mais interessantes continuam a ser a forma como a equipa pressiona - por diversas vezes foi possível ver a bola na posse do adversário e os nossos dez jogadores de campo todos dentro do meio campo adversário - e o futebol apoiado que conseguimos jogar, com trocas de bola rápidas em passes curtos, tendo o portador da bola quase sempre mais do que uma opção de passe. Infelizmente, o árbitro do encontro (não sei onde é que conseguimos desencantar estes gajos; como se já não bastasse ser isto que temos que enfrentar durante a época regular, ainda conseguimos encontrar árbitros dispostos a fazer horas extraordinárias durante a pré-época) resolveu que também queria ser protagonista, e conseguiu-o. O Atletico, com o golo do Forlán de penálti, chegou ao intervalo em vantagem.

A segunda parte foi jogada num ritmo mais pausado, e foi bem menos interessante de seguir, até porque as diversas substituições foram retirando qualidade ao jogo. Só mesmo as entradas do Mantorras e do Coentrão vieram dar alguma animação, mas o resultado não se alterou até final. Gostei de ver o Amorim a trinco, e também dos argentinos Aimar, Di María e Saviola. Para não variar, o Coentrão voltou a ter uma boa entrada no jogo, animando algo que parecia ter caído na monotonia. O Sepsi teve mais um jogo muito sofrível, e o Shaffer, que o substituiu, mostrou mais uma vez atributos sobretudo no aspecto atacante. O Cardozo picou o ponto, mas foi algo perdulário na segunda parte. Novidade foi apenas a estreia do Ramires, mas não teve grandes oportunidades para mostrar muito - embora tenha aparecido mais no jogo quando saiu da direita para ocupar uma posição mais central. O Maxi teve a entrega do costume, mas na primeira parte deu alguns espaços a defender, só que felizmente não houve um Reyes particularmente inspirado que os soubesse aproveitar. Quanto aos centrais, desfeita que foi a dupla Roderick/Miguel Vítor para que o David Luiz se estreasse nesta pré-época, pareceu-me que se deixaram ultrapassar com demasiada facilidade pelo Agüero no lance do penálti. O Miguel Vítor esteve perto de marcar por duas vezes, mas precisa de afinar a pontaria.

Mau resultado à parte, saí da Luz com alguma satisfação por aquilo que vi a equipa produzir, sobretudo na primeira parte. Mostrámos momentos de muito bom futebol, e não me parece que o resultado espelhe aquilo que se viu em campo. Espero grandes alegrias deste plantel.

por D`Arcy às 00:40 | link do post | comentar | ver comentários (58)
Terça-feira, 21.07.09

Pena

Por princípio (e porque quero acreditar que não sou idiota), não digo mal de um jogador que não conheço. Dou-lhe sempre o benefício da dúvida até o ver jogar. Não conheço suficientemente bem o Javi García para dizer se 7M€ é ou não um bom negócio. Também no ano passado muita gente (eu incluído) teve dúvidas sobre os 5M€ por 50% do Sidnei e hoje não há ninguém com dois olhos na cara que diga que enfiámos um grande barrete.
 
Por outro lado, também não vou na cantiga dos adeptos do Real Madrid (nunca os comentários da Marca foram tão citados na comunicação social portuguesa...) a agradecerem-nos o facto de o termos comprado. Quem é de um clube que gasta mais de 200M€ em quatro jogadores, acha naturalmente que Saviolas e Javi Garcías não têm lugar no seu plantel. Aliás, como também se querem ver livres de jogadorzinhos como o Huntelaar, Sneijder, Robben, Van der Vaart e Drenthe (como diz o D’Arcy quase 50% dessa selecçãozinha que é a holandesa) que, todos eles, seriam titulares de caras em qualquer equipa portuguesa.
 
Para mim, é igualmente óbvio que o Javi García vem preencher um lugar importante no plantel. Saiu o Katsouranis e não tínhamos ninguém para o substituir na sua posição de origem. Como disse o Jorge Jesus, o Yebda tem potencialidades para ocupar aquele lugar, mas precisa de ser trabalhado.
 
O título deste post tem a ver com a pena que eu tenho que não pudéssemos dar 6,5M€ pelo Reyes. Só isto. Porque nos arriscamos a ter um Miccoli parte II. Não o queremos por determinado valor, mas passado pouco tempo suspiramos por ele, só que aí pedem-nos duas vezes esse valor. No entanto, como ainda tenho esperanças (afinal, ele pode jogar a avançado...), espero que o Javi García não fique com a camisola nº 6...
 
P.S. – Gostaria igualmente de ver esclarecido, de uma vez por todas, a questão dos dois jogadores do Atlético Madrid que ficaram combinados aquando da transferência do Simão. É que, pelas minhas contas, supostamente só teríamos de dar 1,5M€ pelo Reyes...
 
P.P.S. – Acho essencial, a bem da mística e de uma voz de comando na equipa titular, que a camisola nº 4 tenha o mesmo dono das épocas anteriores...
por S.L.B. às 13:51 | link do post | comentar | ver comentários (40)

Bom dia.

Mais do que um desejo sincero que reflecte boa educação, este “bom dia” é a expressão da convicção de que hoje será um bom dia.

 

Apesar de o Simão estar a jogar na outra equipa. E por falar em Simão, chegam a ser comoventes as juras e promessas públicas de amor eterno ao Benfica. São idênticas aos comoventes e insistentes pedidos privados que há uns anos ele fez para sair do Benfica.

 

Apesar de o Reyes estar a jogar na outra equipa. E por falar em Reyes… ok, por aqui e por agora me fico.

 

Apesar de considerar que não há Javier que valha o dinheirão que pagámos. Apesar de alguns pesares, acredito que será um bom dia. Um bom dia e com agradáveis surpresas.

por Pedro F. Ferreira às 11:07 | link do post | comentar | ver comentários (52)
Segunda-feira, 20.07.09

Porque é que nos preocupamos...?

Estádio do CRAC, jogo de apresentação aos sócios, minuto 13, resultado 0-0.

 

 

O que é que foi assinalado? Obviamente, o costume quando é contra o CRAC: falta atacante e respectivo cartão amarelo!

 

Desafio: alguém que não tenha visto o jogo leu alguma coisa acerca deste lance? Ou algo sem ser a "brilhante" vitória do CRAC? Claro que não se contesta um resultado de 3-0, pois não...? Mais facilmente haveria vida em Marte do que o CRAC ficar a perder em casa no jogo de apresentação...

 

De que nos servem Saviolas e afins quando do outro lado está um Sr. João Lamares? Quem quer apostar que este árbitro fará parte da 1ª categoria no próximo ano?

por S.L.B. às 12:05 | link do post | comentar | ver comentários (27)

Sportem S&M

Após o surgimento das equipas SAD, surgem agora as equipas S&M. Diz-se por aí que uma agremiação de queques pagou a uns holandeses para que estes humilhassem a dita agremiação diante dos seus sócios. Ao que parece, os sócios mais conservadores não gostaram.

por Anátema Device às 11:59 | link do post | comentar
Domingo, 19.07.09

Olhanense

Já será um lugar comum dizer isto, tantas foram as vezes que o ouvi nos comentários durante a transmissão televisiva, mas este foi um jogo já muito próximo daquilo que nos esperará na Liga, incluindo a má qualidade da arbitragem.

Houve um relativo equilíbrio durante grande parte do tempo, e para mim a maior satisfação foi mesmo a forma como a equipa reagiu à adversidade daquele penálti, quando já só faltava meia hora para o final. Não é algo a que eu esteja muito habituado em tempos recentes, já que o mais habitual seria a equipa desconcentrar-se e perder o jogo. O Cardozo redimiu-se do primeiro penálti que eu o vi falhar, e marcou um golaço, e depois, mesmo sendo um jogo quase a feijões, a equipa continuou a lutar até ao último minuto pela vitória, vindo a consegui-la precisamente nesse último minuto, com uma cabeçada do Miguel Vítor, a dar mais um exemplo (se mais fossem precisos) de que é um jogador à Benfica.

O Patric voltou a deixar-me uma má impressão, Rúben Amorim discreto como interior direito, Shaffer com altos e baixos (normalmente os melhores pormenores são a apoiar o ataque, e os piores são distracções defensivas). O Yebda voltou a ter algumas perdas de bola incompreensíveis. Dos dois 'putos' centrais, o habitual, mas o Roderick nesta pré-época deve ter estranhado a facilidade com que se assinalam penáltis contra nós, porque ele esteve envolvido em dois. O Di María foi caindo com o tempo, enquanto que o Aimar entrou mal mas foi melhorando. Quem entrou bem no jogo foi o Carlos Martins e, mais uma vez, o Coentrão, que com estes jogos deve estar a garantir um lugar no plantel. O Saviola fez aquele que terá sido o jogo mais discreto até agora, e o Cardozo apareceu na altura certa (ainda não percebo a forma como marcou aquele penálti, porque ele costuma marcá-los quase sempre em força). Quanto aos guarda-redes, nada de particular a apontar, mas parece-me que o Moreira está neste momento em vantagem.

Agora é esperar por terça-feira, para poder ver o Benfica 2009/10 ao vivo. E guardar ainda uns aplausos para o Simão, e até para o Reyes, se ele aparecer.

por D`Arcy às 02:34 | link do post | comentar | ver comentários (29)
Sábado, 18.07.09

Decisões que se tomam enquanto a malta anda distraída.

Ontem, a Direcção da Federação Portuguesa de Futebol reuniu-se. [link]

 

Em discussão estiveram vários assuntos. De entre esses assuntos, a comunicação social destacou uma palermice que se prende com uma carta do subnutrido mergulhador Liedson. De entre esses assuntos, a comunicação social não destacou a proposta de novos Estatutos que será submetida à Assembleia Geral que reúne hoje, sábado.

 

Assunto de somenos, claro, não fosse o caso de estar na forja a criação de um Conselho de Arbitragem único que poderá ser entregue a… Carlos Esteves. Quem destinará a liderança será o homem de mão de Aveiro, o nosso velho conhecido Madaíl.

 

Como não é para entrar em vigor já na próxima época, a malta não vai querer saber que hoje já se estão a preparar os caldinhos do costume para daqui a duas épocas.

 

O papado manda, o cardinalato obedece e o bispado será escolhido a preceito. Estarei atento para ver se Carlos Esteves é o bispo escolhido.

_____

Apostila:

 

Entretanto, as caciquistas Associações Regionais e Distritais, com o medo de perderem influência nos respectivos quintalinhos, inviabilizaram o novo modelo de estatutos. Apetecia pedir uma intervenção do poder político, mas lembrei-me que Laurentino Dias é o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto... [link]

tags:
por Pedro F. Ferreira às 11:32 | link do post | comentar | ver comentários (16)
Sexta-feira, 17.07.09

Totó

Ser totó é:

 
- vir a público dizer que não se é totó (sinal particularmente evidente de que se é);
 
- andar aos saltos como um Carlos Castro histérico ao som de ‘e quem não salta é lampião’ em todo e qualquer evento da Agremiação de Queques;
 
- protagonizar cenas de terna e comovente confraternização homo-erótica com exemplares do sexo masculino de reputação duvidosa transpirados e em tronco nu depois de festivais de arremesso do calhau patrocinados pela supra mencionada agremiação;
 
- ficar bêbado com uma imperial e meia em jantares e convívios da lagartagem e dizer coisas como ‘até os comemos!’ exactamente antes de se espetar de cara no chão;
 
- ser familiar do Pedro Granger;
 
- ser cobarde, prestar vassalagem e beijar as nádegas de gente condenada por corrupção, andar anos a assobiar para o lado e fingir que não se passa nada para poder comer as migalhas envenenadas que são desdenhosamente enxotadas da mesa dos corruptos e depois achar que se tem um pingo que seja de moral para mandar bocas sobre escutas e o Apito Dourado;
 
- andar sistematicamente a olhar para a genitália dos outros, ser invejoso e fazer birras por outros clubes melhor geridos, além de infinitamente maiores, terem mais dinheiro para gastar;
 
- apregoar de forma alarve e estúpida que ‘Ser do Sporting é ser diferente (…) pois não fomos apanhados em escutas’, tentando colocar todos os outros no mesmo saco, e esquecer-se que nessa medida o Benfica é tão diferente quanto o Sportem (sim, porque se o Cabeça de Cotonete se refere às escutas idiotas que gostam muito de referir para tentar implicar o Benfica, esquece-se que também lá está…) e que por alguma razão foi o Benfica, aliás, o único que lutou para que o Apito Dourado não caísse no esquecimento e fosse feita justiça.

 

 

 

p.s. o que quer o Cabeça de Cotonete dizer, no fundo? Que ser totó é roubar e ser apanhado? Que nao é totó porque faz o mesmo que os dirigentes do clube do Guarda Abel mas não é apanhado nas escutas? Isso pode explicar a maneira como têm chegado ao 2ª lugar nas últimas edições da Liga.

 

por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 17:11 | link do post | comentar | ver comentários (32)

Athletic

Foi o teste mais difícil que tivemos até agora, nesta curta pré-época. O que resultou na exibição menos vistosa das três até agora. O Athletic encarou o jogo bastante a sério, pressionou, e causou dificuldades. Foi aliás aos bascos que pertenceu praticamente toda a primeira meia hora do jogo, e não foi por isso surpreendente que acabassem por chegar à vantagem, num lance em que a nossa defesa facilitou numa bola colocada para o centro da nossa área, o que aconteceu algumas vezes durante esse período inicial.

O Benfica melhorou durante o último quarto de hora dessa primeira parte, trazendo depois essa dinâmica para a segunda, onde sem deslumbrar teve o domínio quase total do jogo (só me recordo de um remate dos bascos à nossa baliza, num lance em que após um ressalto um jogador ficou isolado na cara do Moreira). Aparecendo sem marcação ao segundo poste, o Saviola por duas vezes marcou e deu-nos a vitória, que acaba por ser o resultado mais justo para o que se passou.

O Saviola, pelos dois golos (e não só; gostei de o ver jogar quando começou a recuar mais no terreno para vir buscar a bola e arrancar vindo de trás), merece o óbvio destaque. Na defesa, ninguém diria que o Roderick ainda é junior, já que para mim foi o melhor do sector. Bom jogo do Coentrão, menos Aimar que nos dois jogos anteriores, os laterais não me agradaram (o que é raro no Maxi), e notou-se bastante a ausência do Di María.

por D`Arcy às 02:00 | link do post | comentar | ver comentários (40)
Quinta-feira, 16.07.09

Favoritismos

Depois de Maxi Pereira se ter pronunciado sobre quem era, no seu entender, o principal favorito ao título, ontem foi a vez de Nuno Gomes o fazer, partilhando da opinião de Maxi a este respeito.
Se por um lado considero natural a opinião que Maxi e Nuno Gomes têm acerca de quem é o favorito para este campeonato, o que já não acho tão natural é o facto de eles a exteriorizarem.

Tirando as vésperas do jogo em que o Benfica irá defrontar o tal "favorito", não vejo razão para os jogadores falarem sobre esse clube.
Obviamente que não podemos ignorar os nossos adversários, mas nesta fase o que importa é que os jogadores concentrem toda a sua atenção no Benfica. E assim também deveria ser quando se dirigirem à comunicação social.
Não vale a pena, nesta fase, estar a pensar nos outros quando há ainda muito trabalho a fazer na nossa "casa", até ao início da época, para que nela entremos com a máxima força e tenhamos a competitividade necessária para discutir o título.

Quarta-feira, 15.07.09

Surpresa!(?)

 

Será que pela primeira vez em muitos anos temos um treinador que vê aquilo que nós vemos? Isto é, que há que pressionar alto, que o Benfica "tem" de jogar com 2 avançados, que no Benfica tem de haver lugar para os criativos, que, no fundo, o Benfica é o BENFICA?

 

E mais, que além disso também tem peso suficiente para fazer com que quem está acima de si se sinta obrigado a colmatar algumas falhas na construção do plantel que estão à vista de muitos de nós que o têm (temos) reclamado há muito tempo?

 

www.abola.pt/nnh/ver.aspx

 

 

p.s estou a fazer uma tremenda força para não chegar ao 80, mas não está fácil! Não chego no entanto ao cúmulo de pedir a Jesus que faça a equipa jogar para perder na 5ª feira para refrear os (meus) ânimos. Se tivermos de ganhar e se tivermos de voltar a exibir o futebol que exibimos nos 180 minutos da Suiça, pois que assim seja, e eu que me amanhe.

 

por Superman Torras às 07:42 | link do post | comentar | ver comentários (29)
Terça-feira, 14.07.09

As eleições já foram mas a luta continua...

Sou dos que não têm dúvidas que os interesses que moviam as candidaturas alternativas às eleições do Benfica se prendiam, essencialmente, com os direitos televisivos.  Apesar do actual contrato com a Olivedesportos só terminar no final da época 2012/2013, este artigo é revelador do interesse que este assunto já suscita.

 

Para além do mais, o referido artigo revela outras realidades: que o Benfica, até ao final do contrato, irá perder dinheiro (pois aquilo que recebe face às receitas que gera à Olivedesportos é ridículo) e que alguns clubes e a Olivedesportos vivem à custa do Benfica.

Na verdade, isto não se trata de nenhuma revelação, pois não é nada que não soubéssemos...

 

A mim pouco me importa se os direitos de transmissão são negociados individualmente ou em conjunto, ou a quem os mesmos serão vendidos.

O importante é que o Benfica mantenha todas as condições que permitam, na devida altura, negociar em função dos seus interesses, recebendo o valor justo face às receitas que gera.

E não me parece difícil de prever todas as tentativas e mais alguma para tentar enfraquecer a posição negocial do Benfica ao longo destes 4 anos...

Segunda-feira, 13.07.09

Shakhtar

Foi, à semelhança de ontem, um jogo com duas partes bastante distintas. Mas desta vez, até o 'Plano B' correu melhor, e mesmo perante um adversário bastante mais forte do que o de ontem, não deixámos fugir a vantagem conquistada.

Mais uma vez, os jogadores da frente estiveram em destaque na primeira parte, em particular o Di María e o Aimar. O Cardozo, como habitualmente, apareceu no sítio certo para marcar, e o Saviola, mais discreto que ontem, fez a assistência. Após 4571 tentativas, o Carlos Martins (esteve um pouco melhor que ontem) marcou um golo de livre directo, e assim se fez o resultado. Gostei dos dois novos laterais, em particular do Shaffer, que pareceu bastante entrosado com os argentinos do ataque e subiu bastante bem. Bom jogo do Miguel Vítor, e também do Roderick, embora desta vez, talvez por excesso de confiança, tenha tido alguns deslizes evitáveis. Yebda também melhor que ontem, a tentar jogar mais simples. Gostei particularmente de, durante esta primeira parte, ter visto por diversas vezes o Benfica conseguir pressionar bem no meio campo adversário, resultando daí recuperações rápidas de bola e períodos extensos em que o Shakhtar mal conseguia sair organizado para o ataque. Na segunda parte, excelente o Moretto, e boas entradas do Coentrão e do Fellipe Bastos.

Ainda faltam vários jogadores importantes, mas apesar destes dois jogos terem sido apenas uma espécie de treinos mais a sério, acho que já se notam diferenças para a época passada. Para melhor. Estou a ficar com grandes expectativas para aquilo que jogadores como o Di María ou o Aimar, neste novo esquema, poderão fazer.

por D`Arcy às 22:02 | link do post | comentar | ver comentários (50)

Boi

É só mesmo para dizer (enquanto ainda estou a ver o jogo) que o camelo do suíço que puseram a arbitrar o jogo do Glorioso com o Shaktar Donetsk deve ter andado na mesma escola que estropícios como o Olarápio Benquerença, Jorge Sousa, Paulo Costa, Lucílio e por aí fora. Onde raio é que terão desencantado este desperdício de carne?

 

Filho de um comboio de pegas.

por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 19:39 | link do post | comentar | ver comentários (19)

Confissão de um benfiquista feliz

Não foi a estreia, com os golos do Saviola e do Cardozo. Foi ter tido o privilégio de entrar no arquivo do nosso clube, e poder pôr as mãos nisto:

 

 

A minha ida à Luz, hoje, valeu-me uma Águia de Prata, no acerto do meu historial como sócio do Glorioso. Estar naquela sala do arquivo, olhar para aquelas fichas todas de sócios do nosso clube, incluindo a minha, foi emocionante.  Aquele património devia ser digitalizado e poder ser consultado pelos sócios. É a mística que ali está, de 1904 até hoje. O Benfica somos nós.

Sion

Foi apenas o primeiro jogo da época, e não deu para ver grande coisa. Uma primeira parte com alguns pormenores agradáveis e dois golos marcados pela dupla atacante, e uma segunda, já com muitas alterações, bastante pior, e dois golos sofridos em consequência de dois erros individuais. Ficou o empate final.

Nos pormenores interessantes, destacou-se o quarteto sul-americano da frente. Bem afinados, podem fazer coisas interessantes esta época. Gostei de vê-los a todos (mesmo o Di María e o Cardozo) a pressionar o adversário logo na saída da bola. Menos bem pareceram-me o Carlos Martins e o Yebda (o mais provável é que o Rúben Amorim e o Ramires ocupem as posições deles no losango do meio campo), e o Quim, que com o erro de hoje poderá ter dado um passo atrás na luta pela titularidade. Na defesa, os dois miúdos da formação não comprometeram, mas Luisão, David Luiz e Sídnei, quando regressarem, deverão discutir a titularidade.

Amanhã há mais.

por D`Arcy às 01:26 | link do post | comentar | ver comentários (39)
Sábado, 11.07.09

Importa-se de repetir?

Numa entrevista publicada no maisfutebol, é atribuída a seguinte resposta a Paulo Sousa:

 

Mas os adeptos [do Benfica] podem estar, de algum modo, magoados consigo?
Uns podem estar, outros entenderam e perceberam, porque reconheceram, em mim, uma bandeira, a mística do próprio clube, isso faz-me estar bem comigo mesmo, tudo o que dei pelo clube foi de grande valor e qualidade, para poder ser reconhecido e sentir a mágoa de alguns benfiquistas.

 

Uma "bandeira, a mística do próprio clube"? Mas as idiotices, os pistoleiros e os simples palermas não tinham terminado no dia das eleições? Enquanto esteve no Benfica, sim, alguns poderão tê-lo considerado uma bandeira, mas, após decidir substituir, em '93, o manto sagrado por uma lona das barracas da praia da Figueira, até aquela célebre tarde em que, contra o Boavista, defendeu a baliza do Benfica se apagou da nossa memória colectiva.

 

Sexta-feira, 10.07.09

Ah e tal foi oferecido ao FCP e o camandro.

Há uma única razão para o Reyes não ir para o Porto:

A azia que provocaria ao FCP, ter de pagar 25 % do passe, que pertencem ao Benfica.

O resto são tangas.

Sobre aquilo que interessa: boa ideia começar os treinos com público, com uma saudação à Benfica por parte dos jogadores. Dirão que é um pormenor.

Mas pode não ser. É, pelo menos, reflexo de uma certa forma de estar. Gostei.

 

Quinta-feira, 09.07.09

República das Bananas

Presidente do CRAC na Assembleia

 

Sem querer desviar as atenções do importantíssimo post do Gwaihir (que deve constituir leitura obrigatória para todo o benfiquista que se preze), não posso deixar de referir que hoje, 9 de Julho de 2009, se constitui como mais um dia VERGONHOSO na história da nossa democracia. E mais um passo acelerado em direcção ao título deste texto. Já tinha levantado esta dúvida aqui e ainda aventei a hipótese de terem finalmente ganho vergonha na cara. Mas não, tudo continua na mesma.

 

Já no ano passado tinha chamado a atenção para este assunto (link) e manifestei por escrito a minha indignação ao presidente da A.R. Mas este ano voltou a repetir-se este opróbrio à (suposta) casa da democracia portuguesa. Com a conivência de quem lá manda. Aguardo ansiosamente os próximos convites para refeições e tomo a liberdade de sugerir um nome: Bernard Madoff. Fica tudo em família.

 

Adenda: quem quiser expressar a sua indignação e perguntar se fomos todos nós que pagámos esta infame refeição, tem aqui o respectivo email.

por S.L.B. às 15:50 | link do post | comentar | ver comentários (30)

Balas de borracha

Por estes dias pululam pelas caixas de comentários dos posts desta casa alguns snipers munidos de balas de borracha/pólvora seca que aqui vêm sistematicamente deixar gotas bacocas de desconfiança sobre a gestão do Benfica. Não sei, honestamente, qual é o seu intuito (mas posso adivinhar).

 

Vêm, pé ante pé e, por entre elogios com água no bico e manifestações irresponsáveis de ignorância sobre as questões de que falam, lançam suspeições vagas, comentários à chico-esperto portuga que sabe coisas (mas não as quer dizer todas), bocas à lá Octávio Machado (‘investiguem’, ‘vocês sabem do que é que eu estou a falar’) e pequenas adivinhas hipócritas e plenas de segundas intenções ('sabem onde foi contabilizado isto', 'sabem o que anda a fazer o senhor tal', 'sabem quanto se gastou em clips?').

 

Comigo, what you see is what you get. Posso ser bruto, sim senhor, mas levam com o que penso, sem subterfúgios, sem qualquer tipo de fitos encapotados. Não há cá agendas escondidas sob pretensas maciezas, não adoço a pílula, não danço à volta dos assuntos, não visto hipocritamente peles de cordeiros. Gosto de pessoas que são o que são, que dizem ao que vêm, que frontalmente me escarrapacham a agenda em frente mesmo que ma atirem à cabeça. Não gosto, não tolero, não compreendo – foge à minha percepção - gente que envolta em capas de nobres intenções e polida lisura vai dando navalhadas e fugindo, vai mandando tiros para o ar a ver se acerta numa águia.
É absolutamente legítimo criticar o que se queira criticar no Benfica. Mais, esse sentido crítico, na plena demonstração desta profunda democracia que será sempre parte intrínseca do que é o Benfica, é essencial e vital para o clube. Mas exercido de uma forma responsável, justa, honesta. E não com base em equívocos, em farpas irresponsáveis, desinformando e incubando pequenos e purulentos furúnculos que vão infectando e crescendo para focos de desconfiança mal nascidos e injustificados.
O que estes atiradores furtivos dizem mostra um profundo desconhecimento da forma como é gerido o Grupo Benfica, qual a relação entre as empresas do grupo, como funciona o project finance do estádio e como funcionam os mecanismos de controle das contas das empresas e de auditoria. O que não os impede, no entanto, de elaborar irresponsavelmente sobre meias verdades. Como se isso não bastasse, sugerem, de forma intelectualmente desonesta, a existência de práticas pouco correctas e profundamente amadoras. Se há uma coisa com que não se pode pegar é com as contas do Benfica. São públicas, são transparentes como nunca foram, são objecto de um controlo apertado por parte das autoridades competentes e, muito especificamente, por parte dos auditores. Se algum clube há que permite ter a noção real e cabal de toda a sua realidade enquanto grupo económico, é o Benfica. Não estamos nos anos 80 nem no início dos anos 90.
Podia o Benfica estar melhor? Podia. Cometem-se erros? Cometem. É tudo uma maravilha? Não é. Mas está-se no bom caminho e o grupo é, acredito, gerido por gente séria com os superiores interesses do Benfica em mente.
O Benfica é gerido como um grupo, não como um conjunto de empresas isoladas, e é visível no seu todo. As empresas do grupo são todas detidas e controladas pelo Benfica. Todas – repito, todas – as empresas são integradas nas contas consolidadas. Há contratos celebrados com a Benfica Estádio no âmbito do Project Finance do estádio, há contratos celebrados com a Benfica SAD, há contratos celebrados com o Benfica, há contratos celebrados com a Benfica Comercial, há contratos celebrados com a Benfica Multimédia. Nas contas do grupo todas são consolidadas, o passivo global está absolutamente identificado. É muito complicado? Se calhar o que faz confusão a esta gente é que não façamos o mesmo que o SCP ou o FCP e escondamos dívida em empresas que não consolidam e que embelezemos as contas das SAD ou lá consolidemos apenas algumas empresas que fiquem bem na fotografia.
O que interessa é o grupo. Que raio interessa se alguma das empresas angaria financiamentos e funciona ou não como centro de financiamento das outras ou não, se isso é transparente e claro e se depois nas contas consolidadas tudo está incluído e se vê a verdadeira relação entre o cash flow gerado pelo grupo e a dívida total?
Há, evidentemente, contratos cujas receitas estão a ir directamente para os bancos com os quais se têm financiamentos de médio e longo prazo. Resulta directamente da reformulação da estrutura contratual associada ao project finance do estádio. É público, foi amplamente explicado pelos responsáveis do Benfica para quem verdadeiramente quis ouvir. A estrutura do financiamento passou inclusivamente por uma alteração no sentido da libertação de uma série de garantias e mordaças contratuais tipicamente associadas a um project finance - passando a assumir praticamente a natureza de uma dação ‘pro solvendo’, cuja figura jurídica implica o recebimento dos pagamentos de um conjunto de Contratos Comerciais associados ao Novo Estádio directamente em contas dos bancos, por forma a amortizar os financiamentos tidos com estes. O Contrato Comercial de Naming e Pouring Rights com a Centralcer era um deles.
Estão a ver? É simples, não configura qualquer prática pouco clara e é, inclusivamente, uma medida de gestão de absoluta racionalidade. A gestão financeira do Benfica é feita por gente séria, que sabe o que faz, na plena observância da lei.
Registo, não sem uma ponta de náusea, que foi exactamente este tipo de expediente das bicadas sistemáticas e pouco sérias com base em meias verdades que foi utilizado ao longo de meses por um candidato que ainda agora numa corrida a dois conseguiu ficar em terceiro.
Ainda não assentou a poeira de um processo eleitoral agitado por gente com o mesmo tipo de oposição irresponsável. Qual é o objectivo, qual é a necessidade disto, agora que tudo acabou e nos preparamos para, mais uma vez, nos equilibrarmos no ténue fio da esperança que nos separa do abismo e enfrentar mais uma época contra tudo e contra todos?
Como não quero ferir a susceptibilidade de quem ainda acredita no Pai Natal, na Fada dos Dentes e no Coelhinho da Páscoa (nada me surpreende: ainda há quem pense que o Cláudio Ramos é heterossexual e que o Augusto Duarte foi a casa do Pinto da Costa para ter aconselhamento familiar), e de quem poderá achar que ando para aqui à estalada com moinhos, vou-me abster de apontar as óbvias ilações a tirar de tudo isto.
De pirómanos com défice de atenção estou eu farto.
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 12:30 | link do post | comentar | ver comentários (25)
Terça-feira, 07.07.09

As coisas que dormem nos vales.

“[…] o que dizemos ou fazemos roça só o cimo dos montes, em cujos vales dormem as coisas.” Escrevia Fernando Pessoa através do seu semi-heterónimo Bernardo Soares.

 

Efectivamente, a quase totalidade do que por aqui vamos escrevendo roça apenas o cimo dos montes. No entanto, por vezes olhamos um pouco mais para baixo, para o sítio por onde as “coisas” estão acordadas mesmo quando aparentemente dormem.

 

Hoje, peço-vos que olheis para os vales onde dormem (aparentemente) as coisas.

 

Há um grupo empresarial espanhol chamado Mediapro. Este grupo tem os direitos mundiais da Liga Argentina, Colombiana e Equatoriana de futebol. Além disso, tem a comercialização internacional da Liga Espanhola e detém os direitos audiovisuais desportivos de 38 das 42 equipas da 1ª e 2ª divisões espanholas. E, já agora, convém lembrar que explora o Real Madrid TV e a Barça TV.

 

Esta Mediapro detém 49% do Porto Canal, cujo Director é um tal de Bruno Carvalho.

 

Há um grupo empresarial espanhol chamado Prisa (este vocês conhecem) que, entre muitos negócios, também é dono da TVI. O Director-Geral da TVI é um tal de José Eduardo Moniz.

 

Coincidentemente, um foi candidato à presidência do Benfica e o outro foi o líder de um Movimento que tencionava apresentar-se com uma candidatura à presidência do Benfica.

 

Coincidentemente, no passado dia 5 de Junho, a Mediapro e a Prisa começaram a negociar uma possível fusão. [link]

 

Coincidentemente, no passado dia 24 de Junho, a Mediapro procurou deter 30 a 40% da Media Capital (dona da TVI) que a Prisa colocou à venda. [link]

 

Coincidentemente, houve momentos da campanha eleitoral de Bruno Carvalho em que já aparecia um advogado ligado ao tal Movimento VV a tentar intermediar com a actual Direcção do Benfica. Coincidentemente, enquanto uns apresentavam providências cautelares, os outros aplaudiam. Enquanto uns ameaçavam impugnar, os outros… também. Coincidentemente, momentos houve em que a voz de uns já se confundia com a voz de outros. Coincidências. Certamente.

 

Coincidentemente, daqui a uns anos (poucos) vão-se renegociar os direitos televisivos do Benfica.

 

Dentro de toda a inocência e ingenuidade que me caracterizam, louvo o acto bondoso e misericordioso de não ter aparecido até agora nenhum sócio ligado a estas coincidências a impugnar o acto eleitoral da passada sexta-feira. Aparentemente, aprenderam a esperar por melhores momentos.

 

Mas, como estas coisas do fundo dos vales são maçadoras e meramente especulativas, vamos ao que se encontra no cimo dos montes e que vai apaixonando a malta: será que o Falcão vem? E o que dizer daquele azul irritante no manto sagrado?

por Pedro F. Ferreira às 01:28 | link do post | comentar | ver comentários (118)
Segunda-feira, 06.07.09

Ao ângulo, sem espinhas

Por entre a berraria histérica e hipócrita de gente cujo intuito é apenas (nunca como agora tive tanto essa certeza) desestabilizar o Benfica – por entre toda a lama que voa dos sapatinhos do anão de saltos altos como resultado do espernear desenfreado e histérico com que nos tem brindado - há coisas que nos devolvem a atenção ao que verdadeiramente interessa.

 
Numa altura em que o dinheiro fala mais alto, em que amplamente se apregoa que uma visão mais romântica e lírica - mais pura - do futebol  foi substituída pelo pragmatismo, pelo frio calculismo das carreiras planeadas ao pormenor e até por uma meticulosa hipocrisia; numa altura, dizia eu, em que se proclama bem alto que o amor à camisola foi assassinado com um tiro na cabeça pela ambição pessoal e pela ganância, é refrescante ouvir isto:
 
‘Por mim, ficava no Benfica toda a vida’ – Oscar Cardozo.
 

Fica-te bem, o Benfica. Explica isso, devagarinho, ao teu empresário.

por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 12:31 | link do post | comentar | ver comentários (53)
Domingo, 05.07.09

You sing well but you don't make me happy *

Ultrapassadas que estão as eleições (e esperemos que o estejam MESMO!), é altura de nos debruçarmos sobre aquilo a que ultimamente se convencionou apelidar de, e passo a citar, o "core-business" do nosso clube.

 

Ora, já que os anglicismos estão tão em voga, que maneira melhor do que utilizar uma simpática expressão tipicamente portuguesa para encabeçar este escrito uma vez que esta até demonstra com exactidão o ponto em que me posiciono neste momento no que concerne às expectativas com que parto para esta época?

 

Explicando: Estamos na silly-season (cá está, outra!), expressão que nestas últimas semanas temos feito por exponenciar até um nível quase estratosférico, e portanto não me levem a mal se neste momento opto por colocar um pouco de água na fervura. O defeso é geralmente utilizado pela comunicação social para nos colocar nas nuvens, o que no caso dos benfiquistas nem é feito demasiado árduo uma vez que juntamos a essa qualidade (de benfiquistas) outra que é a de sermos portugueses, povo naturalmente propenso a passar do 8 ao 80 no espaço de um ai, o que bastas vezes faz com que nos autoproclamemos como campeões do defeso e portanto potenciais frustrados da época que realmente conta, aquela que termina em meados de Maio.

 

Este ano será diferente! Pelo menos para mim! Não ficarei em extâse com cada passe de trivela ou com algum pormenor mais técnico que alguma das novas contratações faça nos jogos particulares; combaterei com todas as minhas forças o elogio fácil do trabalho do Jorge Jesus "Realmente ele está rouco! Bolas, está mesmo a puxar por eles! Agora sim! Este ano é que é!"; impedir-me-ei de ver qualidades no preparador físico em pleno Agosto, quando está mais que sabido que a qualidade desse trabalho se deve aquilatar ao longo da época; não exclamarei frases do género de "Aqui está nosso novo Preud'Homme!" a cada defesa mais vistosa de algum eventual guarda-redes que venha para ser o nosso nº 1 (por favor, contratem-no!); não vacilarei à primeira contrariedade dizendo que está tudo mal só porque algum jogo nos correu menos bem; não forrarei as paredes do meu quarto com as entrevistas habituais do ínicio de época em que não é preciso ser especialmente hábil para que o treinador diga aquilo que os adeptos querem ler; e por último, mas não menos importante, farei tudo o que esteja ao meu alcance para transmitir estas resoluções pessoais ao maior número de benfiquistas tentando tornar o mais colectivo possível algo que na sua génese é bem pessoal.

 

Descansem no entanto, não o vou imprimir, nem planeio andar com o respectivo volume debaixo do braço evangelizando potenciais vítimas subscritores destas ideias, mas pode ser que alguns estejam no mesmo estágio que eu e que se sintam reflectidos por esta mudança de atitude.


 

* tradução livre da expressão "Cantas bem mas não me alegras"

por Superman Torras às 08:05 | link do post | comentar | ver comentários (23)
Sábado, 04.07.09

"A Bola" e as eleições do Benfica

Não é muito meu hábito referenciar, aqui no blog, artigos da nossa imprensa.

Mas este artigo de opinião de Vítor Serpa, na edição de hoje de "A Bola", parece-me merecedor de destaque, pois resume muito bem o que se passou durante esta semana que antecedeu as eleições. 

No fundo, resume, preto no branco, o que se passa não só com a imprensa desportiva mas com a imprensa em geral, que hoje em dia é controlada, na sua maioria, por grandes grupos económicos...

Obrigado, Bruno

Sim, obrigado. Por causa de si, os benfiquistas uniram-se em torno daquilo que realmente interessa, acima de tudo: o Sport Lisboa e Benfica. É certo que esta união aconteceu com o propósito de simplesmente evitarmos que um verme, através de esquemas que o seu role model certamente não desdenharia, usurpasse o poder no Benfica, mas mostrou uma verdade indiscutível que o candidato Carvalho pareceu querer ignorar durante todo este tempo: o Benfica é nosso. De todos os sócios e adeptos; quem manda no clube somos nós, e entra cá quem nós queremos, não quem pensa poder entrar, ou quem, entre duas doses de lítio, se imagina já no cadeirão do poder. É preciso estar-se completamente desfasado do mundo real para que se consiga ter a ilusão de que se poderia governar um clube, seja qual fosse, contra a vontade da enormíssima maioria daqueles que, no fundo, são esse próprio clube. Os Benfiquistas sentiram que lhes estavam a querer roubar o clube, e uniram-se para darem uma resposta inequívoca a quem o tentou fazer.

O resultado desta união foi esmagador. Mesmo não havendo quaisquer dúvidas sobre quem venceria estas eleições (exceptuando, claro, na mente de algum eventual louco), os Benfiquistas responderam em massa: a segunda maior votação de sempre numas eleições do nosso clube, e um pormenor que me agradou particularmente, que foi a derrota esmagadora do candidato Carvalho face aos votos em branco. Os resultados e a participação nestas eleições parecem-me ser suficientemente esclarecedores sobre qual é a actual e expressiva vontade dos Benfiquistas quanto ao futuro do seu clube. Julgo que qualquer Benfiquista saberá fazer esta leitura.

Orgulho. Orgulho enorme e incomensurável por pertencer a esta enorme Família Benfiquista é aquilo que me invade neste momento.

por D`Arcy às 12:00 | link do post | comentar | ver comentários (27)

Atreve-te!

O candidato da Lista B reservou para hoje ao almoço uma reacção aos resultados das eleições. Acho que foi uma decisão sensata, porque a noite costuma ser boa conselheira.

 
Gostaria de lhe dizer o seguinte: foram votar 20.672 sócios, naquela que foi a segunda maior votação de sempre das eleições do Benfica. Destes, 18.825 disseram claramente que queriam que Luís Filipe Vieira continuasse a ser presidente do Glorioso. 505 entenderam dar o seu voto à lista encabeçada por ele. E 1.121, ou seja mais do dobro destes, exerceram um voto de protesto contra a actual direcção, mas também demonstraram inequivocamente que acima de tudo não querem ver à frente dos destinos do clube uma figurinha como este senhor.
 
Perante estes números, só uma alimária pensaria em continuar uma batalha judicial contra o Benfica e a vontade dos seus associados. É bom que isso nem lhe passe pela cabeça. A ele ou a quem o tem como o marioneta. Os sócios fizeram ouvir a sua voz de forma massiva. Desrespeitar isso é desrespeitar quem é soberano no Benfica. E terá graves consequências. Quem não se sabe comportar em família tem que ser afastado dela.
por S.L.B. às 07:00 | link do post | comentar | ver comentários (23)

Carta aberta ao Sócio Bruno Carvalho

Dr. Bruno Carvalho, antes de lhe comunicar o que penso sobre a sua atitude, desbragada e despudoradamente servil, durante estas eleições, quero dizer-lhe porque não uso para consigo o tratamento de Excelentíssimo Senhor, que sempre usei com todos aqueles a quem me dirijo e com os quais não tenho qualquer relação pessoal.
 
São 2 as razões que a isso me impedem:
 
1) Nem toda a gente é Excelente – ou o seu superlativo -- por norma, mas deve sê-lo. E o Dr. não foi mau, foi péssimo;
 
2) Só merece o qualificativo de Senhor, quem o seja de verdade e não simplesmente por existir.
 
Fico-me, pois, pelo seu título(s) académico(s), que ao que parece são muitos. Ao que parece, porque vindo da sua boca, nunca se sabe. Até o Pinoquio é mais credível.
 
A sua postura de querer ganhar mesmo contra a vontade dos sócios mostra o pequenino que o Dr. Bruno Carvalho é.
 
Como não tem vergonha da cara desconfio que tenha percebido o recado dos  seus colegas benfiquistas, isto é, os sócios do seu clube. Estes mostram-lhe claramente que o querem bem longe do Benfica. Até houve sócios que, não gostando da liderança do LFV, preferiram votar em branco a depositar o seu voto em si.
 
A demonstração foi clara: em 20.672 votantes, 20.167 disseram que o senhor a presidente, não. Faça um favor a si mesmo, reduza-se à sua insignificância e afaste-se. As suas unhas não chegam para tocar a bela guitarra que é o Benfica. O Benfica não é uma qualquer Mafia, NTV ou Porto Canal. É muito superior a isso. Pensava que o Dr. Bruno Carvalho já tivesse aprendido alguma coisa, quando foi rejeitado para presidente da ANJE.
 
Deixo-lhe uma frase para meditar e com a esperança que a siga para a sua vida: "quem nasceu lagartixa nunca chega a jacaré"

Perceberam?

Foram as segundas eleições mais participadas da história do Benfica. Luís Filipe Vieira ganhou com 91% dos votos. Pergunto aos grupos de comunicação social nacionais e internacionais que se movimentaram cobardemente na sombra se perceberam o que é a alma do Benfica. Pergunto aos títeres ao serviço dos ditos grupos que foram a votos (e também aos que não foram) se perceberam.

 

Perceberam que os benfiquistas percebem quando há uma ameaça real ao Benfica?

 

Será que os tais títeres perceberam que não tomarão o clube de assalto?

por Pedro F. Ferreira às 01:00 | link do post | comentar | ver comentários (26)
Sexta-feira, 03.07.09

Escândalo! Sondagem à boca das urnas dá vitória à Lista B!

 

Instado a comentar esta notícia, Bruno Carvalho referiu, após afirmar que agora mais do que nunca iria impugnar o acto eleitoral:

 

"Onde é que ia arranjar dinheiro para os seguranças privados que me teriam de acompanhar aos jogos na Luz?"

 

 

A mesma empresa de sondagens adiantou ainda que está confirmado, a maioria dos portugueses não acredita que o domínio do Futebol Clube do Porto no futebol nacional foi alcançado à custa de manobras ilícitas.

sinto-me: Benfiquista
por Superman Torras às 21:29 | link do post | comentar | ver comentários (10)

190 euros de humilhação.

É uma multa patética que está de acordo com a figura multada. 190 euros simbolicamente humilhantes para um anão de saltos altos que tentou humilhar o Glorioso.

[link]

por Anátema Device às 17:45 | link do post | comentar | ver comentários (27)

Luís Filipe Vieira, obviamente

 

Penso que ninguém tem muitas dúvidas, face ao que tenho escrito e ao que sempre defendi: eu voto Luís Filipe Vieira.
 
Isto é claro como água, e fica aqui registado, preto no branco, com todas as letras, sem espinhas, ambiguidades ou o que quer que seja: o momento é de firmeza e não me demito das minhas responsabilidades. O Benfica chama-me e eu digo ‘presente’.
Apoio, inequivocamente, Luís Filipe Vieira e a sua recandidatura. Para mim, é o melhor para o Benfica (e é isso, sempre, que me motiva).
 
E amanhã (hoje) lá estarei, de peito cheio, orgulho Benfiquista ao ombro e o destino na ponta de um dedo.
 
Acima de tudo, e face a tudo o que tem acontecido, apelo a uma ida às urnas em massa.
Que a força dos números mostre que o Benfica somos nós e que nunca – por mais campanhas sujas e baixas que se façam, por mais mentiras desavergonhadas e desinformação que se lance, por mais piruetas que se dê, por mais aviões que se aluguem - permitiremos que alguém tente tomar o Benfica de assalto contra a vontade dos sócios.
 
Viva o Benfica, sempre, para sempre!
 
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 02:56 | link do post | comentar | ver comentários (50)

Apelo aos possíveis abstencionistas

Estamos perante uma das mais importantes eleições da história do nosso clube. Provavelmente só comparável às eleições de 2000. É muitíssimo importante que os sócios do Benfica compareçam em massa às urnas e optem por uma das duas soluções credíveis que se apresentam: ou votam em Luís Filipe Vieira ou votam em branco. É fundamental mostrarmos a algumas pessoas que um presidente do Benfica só o pode ser com o apoio dos sócios. Não pactuamos com jogadas jurídicas para tentar conquistar o poder a todo o custo. Jamais alguém poderá ser legitimamente presidente do nosso clube quando houver mais votos em branco do que nele próprio. Mesmo que isto não seja juridicamente defensável, pelo menos demonstra que haverá mais pessoas que dizem claramente através do voto que não o querem naquele lugar do que aquelas que o querem.

 

Mesmo aqueles que estão desiludidos com a actual direcção ou com a forma como estas eleições foram marcadas é essencial que demonstrem que isso não os impede de ver que umas quantas pessoas estão a tentar sobrepor-se à vontade dos sócios. Não fiquem em casa e façam ouvir a vossa voz. Uma certa figurinha lançou o nome do nosso clube na lama, utilizando expedientes e prazos jurídicos, e tem que ser SEVERAMENTE punida nas urnas. Para que as coisas fiquem bem claras sobre o que todos nós não queremos nem toleramos no Benfica, acho vital que tanto os votos na Lista A como os em branco ultrapassem largamente os desse senhor. Por isso, votem na Lista A ou em branco, mas por favor VÃO votar. O Benfica agradece.

por S.L.B. às 02:30 | link do post | comentar | ver comentários (11)
Quinta-feira, 02.07.09

Estatutos

Espero que todo este processo que, quer queiramos quer não, está a dar uma péssima imagem pública do nosso clube ao menos sirva para todos tomarmos consciência de que, acima de tudo, é preciso seguir à letra os estatutos do Sport Lisboa e Benfica. Se assim fosse, as eleições seriam em Outubro, ou mais cedo, se para tal fossem alterados em tempo útil ou se se tivesse feito uma AG extraordinária para que os sócios decidissem sobre a sua antecipação. E, mais importante do que isto, se os estatutos tivessem sido cumpridos, não teria sido permitido haver uma candidatura de um associado com menos de cinco anos de sócio efectivo. Que mais não está a fazer do que tentar tomar o Benfica à força, afrontando a esmagadora maioria dos sócios (quer os que estão com a actual direcção, quer os que irão votar em branco).

 
Se alguém sabe ou desconfia que vai ser vítima de uma tentativa de assalto, o mínimo que deve fazer é trancar a porta. O que, pelos vistos, não aconteceu. Caso contrário, estas questões jurídicas não existiriam.
 
P.S. – Caso haja eleições amanhã, volto a apelar, tal como os meus companheiros de blog, a que se processem com a dignidade e respeito que o Sport Lisboa e Benfica nos merece. É o nome do nosso clube que está em causa, portanto espero que todos possam exercer o seu direito de voto de forma livre e sem coações. Mesmo algumas ovelhas ronhosas que existem entre nós. Sendo certo que, e aqui tomo a liberdade de falar em nome da Tertúlia Benfiquista, TUDO faremos dentro da lei para que certas pessoas JAMAIS possam assaltar o Sport Lisboa e Benfica.
por S.L.B. às 18:21 | link do post | comentar | ver comentários (36)

E pluribus unum

 

Benfiquistas,
Estão habituados a ver – a ler – em mim a mais genuína das fúrias e uma impulsividade apaixonada (que nasce cá dentro, bem no fundo, onde todas as coisas verdadeiras nascem) e muitas vezes incontrolável quando se trata da defesa do Benfica. É assim que vivo o Benfica: de língua afiada, coração na boca e espada na mão, sem amarras, sem grilhões. É apaixonada a forma como vivo a defesa do Benfica: como uma Águia que protege o seu Ninho.
Eu, que amiúde todo sou garras de águia à flor da pele, venho aqui pedir-vos que, em nome do Benfica, saibamos honrar o nome do clube que nos abriga e agasalha e que tenhamos a dignidade e serenidade que este momento difícil exige.
Tenho lutado da forma que me é possível contra gente da estirpe de Bruno Carvalho – gente hipócrita, sem escrúpulos e que coloca os interesses pessoais (muitas vezes pouco claros) à frente dos superiores interesses do Benfica.
É meu compromisso pessoal – é uma promessa que faço – lutar até à última gota de sangue, até ao último sopro, para evitar que gente canalha se apodere do clube através de expedientes canalhas, amorais e profundamente contrários à matriz democrática do Benfica.
O que o candidato Bruno Carvalho deve ponderar é se acha que pode algum dia ser Presidente contra a vontade dos sócios. O que o candidato Bruno Carvalho deve ponderar é se considera que alguém algum dia poderá - se alguém algum dia terá legitimidade para - ser Presidente quando se tem mais de 95% dos sócios contra. O que o candidato Bruno Carvalho deve ponderar, se está na plena posse das suas faculdades mentais, é se acha que pode – se isto lhe passa pela cabeça - tomar o Benfica de assalto contra o Benfica. Contra os benfiquistas. O Benfica são vocês, o Benfica sou eu, o Benfica somos todos nós.
O que se exige, nesta altura, é que tenhamos calma e que tenhamos a dignidade que Bruno Carvalho não possui. E que lutemos pelo Benfica como o Benfica merece. O que se exige na Sexta-Feira dia 3 de Julho é uma votação em massa, de acordo com as convicções que nos conduzem, ao abrigo da democracia de um clube que é anterior à do país.
O que se exige na Sexta-Feira dia 3 de Julho é que mostremos a toda a gente o que é isto de ser do Benfica. Que mostremos de que massa somos feitos. Que lutemos pelo Benfica. Que ganhemos o direito ao Benfica.
O repto que lanço – o desafio que vos lanço – é o de colocar o Benfica acima de nós próprios, como sempre terá de ser. Votar em massa. Deixar o direito mais sagrado falar por nós, expressar, traduzir o que queremos. E depois, actuar com a legitimidade que esse direito nos dá.
Da minha parte, reafirmo-o, o que podem esperar é uma luta sem tréguas, sem quartel, sem prisioneiros, para que Bruno Carvalho não tome o Benfica de assalto. Para que Bruno Carvalho não conspurque o Benfica. E se para isso for preciso fazer petições, arranjar assinaturas, solicitar Assembleias Gerais e responsabilizar quem tanto mal anda a fazer ao Benfica, calcorrear o país de lés a lés ou transpirar sangue, fá-lo-ei, com um sorriso libertador na cara e uma determinação férrea e absoluta, própria de quem sabe que luta pelo que é certo e justo, e própria de quem é inteiro e verdadeiro, ainda que nada mais.
Às urnas. E depois à luta. Pelo Benfica. De muitos, (faça-se) um.
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) às 02:48 | link do post | comentar | ver comentários (89)
Quarta-feira, 01.07.09

Boicote Luminoso!

Caros Benfiquistas,

 

Caso se confirme a ida do sujeito a eleições com lista única, apelo ao boicote das eleições.

 

Temos de nos unir todos! Cordão humano em todos os locais onde existam eleições, para que nas mesas de voto não possa entrar ninguém.

 

p.s: Em caso de lista única, um voto basta para que o candidato vença. Poderá haver 99,99% de votos em branco, e 0,01% de votos no Bruno Carvalho e ele será o Presidente do Benfica.

Não passarás, Bruno!!

Escrevo estas linhas às 17 e 26 minutos. A notícia já corre nos mentideros e diz respeito à informação que Bruno Carvalho vai dar na conferência de imprensa aprazada para as 19 horas. Se se confirmar o que se diz a respeito da concretização dos intentos desse tal Bruno concorrer sozinho às eleições escudado cobardemente numa decisão do tribunal [link], então está na hora de os benfiquistas agirem.

 

Eu estarei na primeira linha e não estarei sozinho.

 

Aguardo para ver se se concretiza este crime de lesa-Benfica perpetrado por um andrade arrivista.

por Pedro F. Ferreira às 17:34 | link do post | comentar | ver comentários (87)

Estou muito contente

 

Só por este jogo (e principalmente por este gesto!) merecia ficar no Benfica até final da carreira. Mas não foi só este: 10 anos de Benfica, 367 jogos oficiais e 157 golos. Mesmo que esteja já na curva descendente da sua carreira, é o nosso capitão e o portador da nossa mística. Acima de tudo, respeito por ele, sff.
 
Obrigado, Nuno Gomes, por ficares connosco! Cada golo que marcas tem um sabor especial: não é só um golo do Benfica, mas um golo de um benfiquista. Com mística, como nós. Hoje muitos aprendem a beijar o emblema depois de um golo (sem sentirem verdadeiramente o seu significado), mas o gesto desta imagem não se aprende. Vem do fundo da alma. Sente-se. Demonstra na perfeição o que é ser benfiquista.
 
Espero que acabes a carreira bicampeão nacional. E com uma Bola de Prata (eu sei que sou um lírico, mas ainda tenho esperança).
por S.L.B. às 15:48 | link do post | comentar | ver comentários (22)

Ao associado Carlos Quaresma.

O associado Carlos Quaresma parece ser o idiota útil de alguém. Carlos Quaresma fica a saber que há benfiquistas que, em sede própria e no momento oportuno, apresentarão as propostas que consideram necessárias para que o dito seja responsabilizado pelo acto que ontem cometeu.

 

O caminho é longo e ao longo do caminho cá nos encontraremos.

 

[Sobre o assunto, recordo este post.]

por Pedro F. Ferreira às 10:10 | link do post | comentar | ver comentários (28)

escribas

pesquisar neste blog

 

links

arquivos

recentes

tags

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com

Visitas


blogs SAPO

subscrever feeds