Carta Aberta aos jogadores do Benfica

Caros jogadores do meu Sport Lisboa e Benfica

 

 

O que se passa convosco?

 

Há muito que andava para vos perguntar isto.  Todas as equipas têm fases menos boas, mas para além das questões técnicas vocês transmitem aos adeptos uma sensação de falta de união, falta de alegria de jogar e de motivação que é preocupante.

 

Por isso volto a perguntar: o que se passa convosco?  Onde está a equipa do jogo com o Milan, de Copenhaga, da Ucrânia, dos 6-1 ao Boavista, a equpa mais rematadora da Champions, a equipa que lutava até ao último segundo de jogo, essa equipa que se adivinhava que com o tempo poderia vir a ser grande e desde há um ou dois meses para cá parece andar ausente?

 

Estão desmotivados?  Porquê?  Não é motivação suficiente estarem num clube como o Benfica, lutarem pelo título nacional, estarem em competição ainda na Taça de Portugal e na Taça UEFA?  Não é motivação suficiente a história e pergaminhos do Clube, e mais ainda a sua realidade actual, vivida dia a dia pela paixão de milhões de adeptos?  Se não é, olhem, mais vale irem-se embora.

 

Há problemas no grupo?  Nem sempre se entendem com o treinador?  Há alguns de entre vós que minam a coesão do grupo?  A liderança nem sempre é exercida de forma a ser aceite?

 

Meus amigos, é a vida!  Isso acontece a todos nós, a uns mais do que a outros, numas alturas mais do que noutras.  Não há mundos perfeitos, nem pessoas perfeitas, nem grupos perfeitos.  É para isso que existem profissionais bem pagos, para terem a maturidade, experiência e sentido profissional que lhes permita ultrapassar os problemas e obter elevado rendimento apesar dos problemas.  No mundo de hoje, ser profissional de futebol não se esgota só na habilidade para “jogar à bola”.  É na capacidade de superação das dificuldades que se faz a diferença.

 

Todos vocês são adultos.  Há problemas?  Falem uns com os outros, falem com os vossos  capitães, com o treinador, com o presidente.  Resolvam os problemas, ou pelo menos impeçam-nos de ser um bloqueio aos bons resultados.

 

Desafio cada um de vós a fazer uma auto-crítica e a pensar se, dia a dia, faz tudo o que pode fazer em prol do grupo e dos seus objectivos.  Eu sei que não é fácil; além dos objectivos de grupo cada um de vós tem objectivos individuais, de performance, de carreira, de sucesso financeiro.  Mas tem de haver forma de conciliar as coisas.

 

O conflito faz parte de qualquer grupo, têm de perceber isso.  Não se pretende que um grupo profissional de vinte a tal homens feitos seja constituído só por “grandes amigos”, como se ainda fosse uma turma de liceu.  O que se pretende é ter um grupo de profissionais focados em objectivos e capazes de colocar de lado os seus “egos” em prol desses objectivos.  Porque no futebol só há sucesso individual se houver sucesso colectivo.

 

Não sei se algum de vocês lerá esta “carta aberta”, mas ela aí fica.  Pensem no que vos digo acima, que nem sequer será novo para muitos de vós. 

 

Pensem que cada um de vocês ganha num mês o que a esmagadora maioria dos adeptos que vos apoia não ganha em anos.  É vosso dever retribuir esse apoio.

 

Pensem que podem ficar ligados a uma bonita História de um Clube Glorioso.

 

E sobretudo, pensem que o dever de um profissional é dar o melhor de si em prol do grupo de trabalho.  Sempre.

 

Um abraço a todos.

por Artur Hermenegildo às 11:25 | link do post | comentar