Avassalador

Exibição avassaladora do Benfica, a confirmar aquilo que alguém disse (não me recordo bem quem foi), que não há no campeonato equipas a conseguir jogar com um domíno tão avassalador como nós. É de tal forma avassaladora a nossa forma de jogar que até nos podemos dar ao luxo de dar uma parte de avanço aos adversários, como o fizemos, e muito bem, hoje. Não convém cansar demasiado os nossos jogadores, nem sequer arriscar demasiado perante um adversário poderoso e perigoso como aquele com que nos deparámos hoje. Nestas ocasiões o melhor é jogar com segurança e dar conforto aos nossos jogadores, que é escusado andarem em grandes correrias. Com calma, o golo acabará por chegar.

 

Eu volto a repetir, como já o fiz diversas vezes neste espaço, que percebo pouco de futebol, e por isso, apesar de ter dificuldades em entender a necessidade de jogar com dois médios de contenção, amarrados cá atrás a par um do outro, durante uma parte inteira frente ao União da Madeira, ainda por cima quando a nossa forma de jogar é reconhecidamente avassaladora (não sou eu quem o diz, são pessoas entendidas na matéria), não vou questionar a validade dessa opção - mas quando vi que a escolha inicial era o Fejsa, certamente para dar a necessária segurança defensiva contra o União, torci logo o nariz. Nem sequer vou questionar a insistência autística em tentar furar pelo meio a organização defensiva de um adversário que enfiou onze jogadores à frente da área, ou de, em opção, definir jogar pelas alas não o tentar ganhar a linha de fundo mas sim o despejar sem nexo ou critério toda e qualquer bola que se apanhe nas imediações das laterais directamente para a área, apanhando os defesas adversários de frente. Retirar do campo o nosso melhor marcador e melhor jogador na ausência do Gaitán quando se está a precisar de marcar um golo foi certamente uma manobra estratégica para confundir o adversário - mesmo que não estivesse a jogar grande coisa, ainda assim achei que o Mitroglou estava ainda pior. De certeza que existe um propósito muito bem definido para todas estas opções. Só acaba por ser surpreendente que elas resultem num nulo frente ao União da Madeira, equipa de reconhecida solidez defensiva e que está a fazer um grande campeonato, ainda por cima atravessando neste momento um pico de forma. É também surpreendente o actual atraso pontual relativamente ao primeiro lugar, mas acredito que a nossa forma avassaladora de jogar depressa permitirá corrigir isso, e tomaremos avassaladoramente de assalto a liderança. Depois de ver a qualidade do nosso futebol esta noite, não me é possível acreditar noutro desfecho que não esse.

 

Mais a sério e abandonando o sarcasmo, pelo qual peço desculpa mas que é a única forma que me permite lidar minimamente com a irritação que sinto, não consigo escrever muito mais sobre o jogo de hoje, ou sobre o futebol jogado. Estou mesmo demasiado irritado com a exibição patética que fizemos, e com os dois pontos deitados fora, literalmente. Para mim não serve de desculpa que o adversário se tenha limitado a defender o tempo todo com os onze jogadores ou que tenha feito antijogo - isso é o que praticamente todos fazem contra nós, e cabe-nos encontrar antídotos para isso. Hoje não o conseguimos ou não o quisemos fazer. Sim, escrevo que não quisemos porque quem faz uma primeira parte vergonhosa como aquela que fizemos não parece mostrar grande vontade em vencer um jogo. Aquilo foi inaceitável. Não é que a segunda parte tenha sido muito melhor, mas pelo menos mostrámos um bocadinho mais de vontade. Mas na falta de qualidade, a vontade só não é suficiente.

tags:
por D`Arcy às 00:33 | link do post | comentar