Mínimos

Um grande golo do Gabriel Barbosa, uma estreia segura do miúdo Svilar na baliza, outra estreia na equipa principal, do João Carvalho, o Diogo Gonçalves a aproveitar os minutos que lhe foram dados para 'exigir' mais oportunidades, e os serviços mínimos para progredir para a próxima eliminatória da Taça de Portugal. Estes foram os pontos que eu retive do jogo desta noite. 

 

 

Sobre a qualidade do futebol jogado, pouco a dizer, porque ela foi baixa. Sim, dominámos o jogo, o que era obviamente exigível dado que defrontávamos uma equipa do terceiro escalão. Só nós tínhamos algo a perder neste jogo, e por isso mesmo a vitória foi importante. Mas creio que poderíamos ter aproveitado a oportunidade para mostrar mais qualidade no nosso jogo, e as várias alterações feitas no onze não servem de grande desculpa para o pouco futebol mostrado. Não sei exactamente o que é que estivemos a trabalhar durante estas duas semanas de pausa, mas espero que seja algo melhor do que aquilo que mostrámos hoje. Que foi uma espécie de 4-3-3 algo estranho, em que os supostos extremos vinham constantemente para dentro e deixavam aos dois laterais as tarefas de jogar pelas alas, e que resultou numa produção ofensiva muito fraca - teríamos obrigação de criar muito mais situações de perigo dada a diferença de valor entre as duas equipas. Confesso mesmo que estava quase a adormecer até ao momento em que entrou o Diogo Gonçalves, que finalmente veio animar o nosso ataque. Achei que vários dos jogadores a quem foram dadas oportunidades esta noite não as souberam aproveitar (e os titulares que jogaram também não brilharam propriamente). Outra das estreias, o Douglas, não me impressionou a defender, mas dou o desconto de saber que ele estava há uns quatro meses sem jogar.

 

Foi uma estreia morna na Taça de Portugal, muito semelhante à do ano passado, frente ao 1º de Dezembro. Só espero que o nosso percurso na competição acabe por ser também semelhante.

tags:
por D`Arcy às 02:24 | link do post | comentar