VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Terça-feira, 13.09.16

A/C do sr. Celis

Já o que o senhor fez no particular frente ao Lyon (para quem não se recorda: abalroar um adversário que estava quase de costas para a baliza no limite da grande área(!) fazendo um dos penalties mais estúpidos de todos os tempos) me tinha deixado muito mal impressionado. Dizem que não fazia mal, porque era jogo particular e eles servem mesmo para erros desses.

 

Pois, mas para mim não servem, porque um tal erro revela que o senhor não tem algo essencial que um jogador do Benfica deve ter se quer ser jogador do Benfica: não ser COMPLETAMENTE IDIOTA a jogar à bola e perceber o jogo. Ora, alguém que vai disputar a bola com a mão(!) perto da sua área no último minuto de jogo, sabendo que do outro lado está alguém especialista em bola paradas e que ainda no ano passado marcou dois golos importantes dessa maneira pelo clube que agora esse alguém até representa é, não há outro termo para o definir, BURRO QUE NEM UMA PORTA! E não me venham com a desculpa da idade: quando se é BURRO, é-se BURRO! Podem vir dizer: “ah e tal, o Gonçalo Guedes também tem culpa: falhou o 2-0 completamente isolado.” Certo, mas isso faz parte do jogo, todos falham, acontece. E o Guedes até foi dos melhores em campo. Agora, para se jogar com a mão(!), repito, com a mão(!) naquelas circunstâncias é preciso uma grande dose de atraso mental. É que nem sequer tentou disputar a bola com o pé ou peito: foi com a mão! E peço imensa desculpa, mas um jogador do Benfica não pode ter uma falta de neurónios deste género.

 

Por tudo isto, vou poupar trabalho ao sr. Celis apresentando-lhe o plano abaixo. É já amanhã de manhã e desejo que faça uma boa viagem. Os dois pontos que voaram hoje frente ao Besiktas são irrecuperáveis, mas espero que se prontifique a devolver os 500 mil o milhão de euros(!) que nos custou a sua falta de neurónios através do seu salário. Obrigado e boa continuação de carreira longe do Estádio da Luz. Até sempre.

Lisboa-Colômbia.jpg

por S.L.B. às 23:59 | link do post | comentar | ver comentários (22)
Segunda-feira, 12.09.16

(Muito) Desnecessariamente sofrido

NOTA: a pedido do D'Arcy (e por impossibilidade dele), desta feita têm que levar com a minha crónica.

 

Vencemos em Arouca na 6ª feira por 2-1 e continuamos no 2º lugar a dois pontos da lagartada. Perante um adversário que ficou num lugar europeu na época passada, esperava-se uma partida difícil e foi-o, mas essencialmente devido à nossa ineficácia, porque se a tivéssemos tido duvido que houvesse mais algum jogo no campeonato doravante com um resultado tão desnivelado.

 

Confesso que estava bastante apreensivo para este encontro, porque não me recordo de algum jogo em que não tivéssemos nenhum ponta-de-lança disponível. E é também por isso que eu detesto os jogos de selecções (desde o Bento, passando pelo Simão, se eu fosse fazer uma lista de jogadores nossos com lesões graves por causa das selecções este post ficaria quilométrico): graças a eles, perdemos o Jiménez e o Mitroglou! A isto juntou-se a lesão do Jonas (aparentemente ainda não recuperado a 100% da operação) e íamos para Arouca com a necessidade de ter o Rafa (com apenas dois treinos de Benfica!) a titular como ponta-de-lança, juntamente com o Gonçalo Guedes. O nosso primeiro lance de perigo coincidiu com o primeiro golo: aos 16’, abertura do Salvio para o Nélson Semedo na direita, o Bracalli sai, um defesa tenta o corte, mas acaba por rematar contra o nosso defesa-direito e a bola vai directa para a baliza. Foi um golo com uma grande dose de sorte à semelhança do primeiro frente ao Nacional. No entanto, a partir daqui mais que justificámos a vantagem e tivemos inúmeras oportunidades para a goleada (sim, goleada!). Rafa, por três vezes (uma das quais isolado e outra sem o guarda-redes na baliza!), Gonçalo Guedes e Pizzi poderiam (e deveriam) ter-nos feito ir para intervalo com o jogo decidido.

 

Para a 2ª parte, eu estava já a ver uma reedição da Choupana, em que também nos ficámos a dever uma vantagem segura e deixámos o Nacional empatar, antes de conseguirmos voltar para a frente do marcador. Porém, à falta de eficácia da 1ª parte, correspondeu uma boa entrada na 2ª: aos 51’, canto do Grimaldo na direita e cabeçada do Lisandro ao primeiro poste para o 0-2. Como o Arouca pouco ou nenhum perigo tinha criado, era expectável que tudo estivesse bem encaminhado, mas as coisas voltaram a ficar instáveis aos 56’ com o Walter González a reduzir num bom cabeceamento, com o Nélson Semedo a ficar nas covas. No entanto, na jogada anterior ao golo, há um empurrão claríssimo ao Rafa por trás na área, quando estava isolado, com o sr. Fábio Veríssimo a nada assinalar. Penalty e vermelho indiscutíveis! Uma vergonha! A nossa última aquisição saiu lesionada do lance (vai para um mês! O melhor seria abrirmos um hospital no Seixal, ainda fazíamos algum dinheiro…) e entrou o velocíssimo Carrillo. Até final, o Arouca ainda criou perigo em dois lances e nós também poderíamos ter dado a machadada final já perto dos 90’, numa óptima jogada do André Horta com o miúdo José Gomes (entretanto entrado) a não conseguir chegar e o Carrillo a rematar para boa defesa do Bracalli.

 

Em termos individuais, gostei bastante do Salvio (parece que finalmente está a voltar ao que era! Óptimas notícias!), do pique e de alguns pormenores do Rafa (tem que treinar mais os remates à baliza!) e do Gonçalo Guedes (que, com a profusão de lesões na frente, se arrisca a fazer boa parte da época a titular). A defesa não está muito segura e, se calhar, será preciso rever alguma coisa, porque atacar é muito bonito, mas a função primordial de um defesa é… defender. Quando entrou o Samaris, para (não) variar o nosso meio-campo ficou trancado (é aconselhável que passe a entrar mais cedo) e o José Gomes foi pena que não tenha mais 5 cm de comprimento nos pés, caso contrário teria tido uma estreia de sonho.

 

Num jogo em que não tínhamos nenhum ponta-de-lança, fizemos do melhor que se tem visto até hoje, com boas combinações atacantes e inúmeras oportunidades. Há que só melhorar o pequeno pormenor de meter a bola na baliza… Amanhã haverá Champions na Luz contra o Besiktas e veremos como a equipa vai responder perante um adversário mais poderoso. Depois deste bom aperitivo frente ao Arouca, estou muito expectante para ver.

por S.L.B. às 09:55 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Sexta-feira, 27.05.16

O balanço da época – parte II

2) A nível desportivo

 

Comecemos pelo início: depois de termos conseguido algo pela primeira vez em 31 anos, o bicampeonato, fizemos uma das piores pré-épocas de sempre. Algo que nunca saberemos é como teria sido o nosso arranque de temporada se não tivéssemos passado o mês de Julho e Agosto a viajar pelas Américas. Eu percebo que houvesse compromissos para serem respeitados, mas com uma (tão grande) mudança desportiva, com um treinador novo que tinha o (enorme) fantasma do outro com que lidar, estava na cara que aquele género de preparação fosse correr tudo menos bem. E o grande problema é que iríamos encontrar o antigo treinador logo na primeira competição oficial da temporada. Que naturalmente perdemos.

 

Aliás, aqueles primeiros meses de futebol continuaram a deixar-me muito de pé atrás. Tivemos vitórias sofridas (Estoril e Moreirense) e derrotas incríveis (Arouca), com exibições globalmente medíocres, onde só a espaços conseguíamos apresentar bons momentos (os últimos 15’ do Estoril, por exemplo), intercaladas com derrotas em jogos em que estivemos bem (Mordor) e triunfos históricos (Madrid). Tivemos durante muito tempo uma montanha-russa exibicional, mas o que é certo é que íamos ganhando jogos, mesmo em campos bastante complicados onde no passado isso não acontecia. Como, por exemplo, em Braga (com alguma dose de sorte, 0-2 aos 11’ e três bolas sofridas nos ferros) ou em Guimarães (génio do Renato Sanches a resolver a 15’ do fim). Pelo meio, tivemos a derrota traumática na Luz frente à lagartada (mas em que a reacção do público no célebre minuto 70 foi um dos despertadores da época), a eliminação da Taça e a partida em que eu pensei que tínhamos entregue a época. Percebo muito disto…! Felizmente!

 

Devo dizer que o primeiro jogo do Benfica que me encheu as medidas em termos exibicionais foi o da Choupana frente ao Nacional. Já tínhamos tido algumas goleadas, mas em termos de futebol foi o primeiro a ser brilhante. A partir especialmente daí, entrámos na nossa melhor fase, com resultados convincentes, aliados a grandes exibições (Moreira de Cónegos e Belém, por exemplo). A equipa subia nitidamente de rendimento e, mais importante do que isso, de confiança, caso contrário aquela derrota injusta com o CRAC na Luz ter-nos-ia deitado abaixo. Outra questão que ajudou ao aumento dessa confiança foi a Champions, especialmente o facto de termos de termos eliminado o Hulk, Witsel, Garay, Javi García & Cia. com duas vitórias, tendo a da Rússia sido conseguida com Lindelof e Samaris como centrais(!), e os dois magníficos jogos frente ao Bayern (empatámos na Luz sem Gaitán, Jonas e Mitroglou!). No meio da eliminatória contra os russos, tivemos a vitória mais importante de todas, aquela que bem vistas as coisas foi essencial para o tri. Como se disse, podemos não ganhar os derbies todos, desde que ganhemos o certo! (Aliás, a bem da sã convivência, assim fica tudo contente: daqui a 20 anos, eles vão recordar e celebrar as três vitórias que tiveram sobre nós, tal como ainda fazem hoje em dia com os 7-1 em ano de dobradinha para os nossos lados, e nós faremos o mesmo por causa do tricampeonato. Cada clube celebra aquilo que é mais importante para ele.)

 

Depois do Bayern, a equipa pareceu mais cansada, mas aí valeu-lhe o coração: triunfos muito sofridos no Bessa (especialmente), Coimbra e Vila do Conde, e em casa frente aos dois Vitórias. Valeu-lhe o coração e valemos-lhe nós, o verdadeiro “colinho” como jogadores e técnicos se fartaram de reconhecer durante e no final da época.

 

Houve obviamente vitórias dentro do campo muito importantes, por diferentes razões (Braga, Estoril, WC e Bessa, por exemplo), mas um dos momentos-chave da época para mim foram as inacreditáveis declarações do Jesus acerca do Rui Vitória (a história do “não o qualifico como treinador”, “não sabe conduzir um Ferrari”, etc.). A partir daí, acabou-se o meu luto pelo anterior treinador. Há limites que não podem ser ultrapassados e o Jesus, ao ultrapassá-los, perdeu o respeito que ainda subsistia em alguns benfiquistas por ele. As declarações são inclassificáveis sob todos os pontos de vistas: um ataque nojento e desmedido a um colega de profissão, ao treinador do Benfica e, no limite, a nós, benfiquistas. Não deixa de ser significativo que, na sequência disso, o toque a reunir da equipa e dos adeptos, que já era forte (volte a lembrar-se o minuto 70), se tenha tornado inquebrável. Estávamos juntos.

 

Olhando exclusivamente para o futebol jogado pelas equipas do Benfica nos últimos anos, o do Jesus até pode ter sido mais espectacular (a célebre nota artística), mas é difícil preferi-lo a ele quando temos o recorde de pontos, recorde de golos e recorde de vitórias esta temporada (para além do melhor marcador e da segunda melhor defesa). E depois, há outra coisa que é secundária para mim (porque o que fica para a história são os títulos), mas que para quem vive as situações no presente sabe muito bem: temos um treinador civilizado, que tem nível, que diz sempre “nós”, e que sabe que o Benfica já era grande sem ele e vai continuar a ser grande quando ele sair. Como se diz, e estou completamente de acordo, agora ganhamos à Benfica: no campo e na atitude. Para além disso, o Rui Vitória é muito melhor treinador do que eu estava à espera. Fomos campeões alinhando nos últimos três meses da época com o ex-guarda-redes do Rio Ave, um suplente do ano passado, um ex-central da equipa B, um ex-jogador do Olhanense e o… Eliseu! Basta só comparar com a defesa titular do primeiro ano do tricampeonato (Oblak, Maxi Pereira, Luisão, Garay e Siqueira) para se ver a diferença… Se isto não demonstra qualidade do treinador, não sei o que a demonstrará…! E já para não falar na coragem de apostar no Nélson Semedo, Gonçalo Guedes, Lindelof e Renato Sanches. Mesmo que alguns deles não tenham sido titulares durante a época toda, sempre foram mais importantes e úteis do que um Patrick, um Djaló, um Sidnei ou um Felipe Menezes, não…?

 

Foi um ano inesquecível e um dos títulos mais saborosos que tivemos. Não só por ter sido um tricampeonato histórico, como principalmente por causa de todas as condicionantes que tivemos. Muito obrigado a todos os que tornaram isto possível, com especial ênfase ao Luís Filipe Vieira e ao Rui Vitória!

 

VIVA O BENFICA!

por S.L.B. às 12:53 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Terça-feira, 24.05.16

O balanço da época – parte I

O prometido é devido e cá está o post a fazer o balanço final da época. Como isto ia ficar quilométrico, resolvi excepcionalmente dividi-lo em dois: balanço a nível pessoal e balanço a nível desportivo.

 

1) A nível pessoal

 

Uma das pessoas mais brilhantes deste país já disse muito daquilo que eu queria dizer. Para quem esteve em Marte e ainda não viu, cá está:

 

 

De tudo o que o grande RAP disse (incluindo obviamente o tom em que o disse), eu só alteraria uma coisa: no meu caso, não é a saúde das miúdas, é a saúde dos miúdos. Tudo o resto subscrevo integralmente.

 

Também eu deixei muito claro (uma e outra vez) que, se ganhássemos o campeonato, teria “todo o gosto em vir aqui no final da época dizer que eu afinal não percebo nada disto e que sou um idiota por não ter acreditado nos tricampeões.” Pois bem, eu sou um IDIOTA porque não acreditei (absolutamente NADA) que pudéssemos ser tricampeões! Quem se satisfizer com esta explicação (aliás, completamente verdadeira), pode ficar por aqui.

 

Para todos vocês, os cinco, que não se satisfizeram, continuarei. O facto de eu me assumir como idiota, não faz com que me arrependa do que escrevi (um leitor perguntou por este, este e ambos os posts do parágrafo anterior, e eu ainda acrescento este e este). Incoerência? Talvez não. Porque eu posso ter muitos defeitos, mas assumo sempre tudo o que escrevo e detesto quem reescreve ou oculta propositadamente a história para favorecer um determinado argumento. São ridículos aqueles posts à luz de hoje? Claro que sim! Eram-no na altura? Claro que não! A não ser por quem não tem espírito crítico ou tinha uma fé incomensurável fundada… em coisa nenhuma! Quantas pessoas, depois do empate na Choupana frente ao União, seriam capazes de apostar que iríamos ganhar 20 dos 21 jogos seguintes…?! Pois…! Meus caros leitores, é muito mais fácil fazer o Totobola à 2ª feira ou nunca expressar opiniões vinculativas para não sermos apanhados na curva. Mas eu não fui, não sou e jamais serei assim. Não é por um qualquer Patrick ou Pesaresi vestir a camisola do Benfica que se torna imediatamente no melhor lateral do mundo. Eu não sou abutre, mas também não sou foca. Critico quando acho que tenho que criticar e elogio quando acho que tenho de elogiar. Nunca tive feitio para defender publicamente aquilo em que não acredito. Pode ser um grande defeito no mundo contemporâneo, mas é como eu sou. Só defendo com unhas e dentes aquilo em que acredito profundamente e já estou velho demais para mudar. Agora, se me garantirem que, se eu fizer figura de idiota, ganharemos o campeonato todos os anos, vamos lá embora a isso, então: o Paulo Almeida foi indiscutivelmente um dos melhores trincos que passaram pelo campeonato português!

 

Não, o RAP sabe que não estava sozinho. Eu também não via mesmo luz nenhuma ao fundo do túnel desta época. Manifestei-o publicamente e não me arrependo de o ter feito. Arrepender-me-ia é se tivesse estado na posição confortável de nada dizer ou de fingir que a pré-época era ‘apenas’ a pré-época ou que chegar à 8ª jornada com quatro vitórias e três derrotas era ‘normal’ em período de transição. E porque é que me arrependeria? Porque, caros leitores, citando o grande RAP, estamos a falar da minha vida! Tal como ele diz, não se trata de querer ou desejar que o Benfica ganhe: trata-se de PRECISAR que o Benfica ganhe. Porque muita da minha vida está organizada à volta do Benfica e, se o Benfica não ganhar, ela nunca fará sentido na totalidade. Digo-vos sinceramente que eu poderia estar com o Euromilhões ganho que, se estivéssemos a fazer uma época tal como as dos finais dos anos 90, eu não estaria nada realizado. Acredite quem quiser, mas quem me conhece sabe bem que é verdade. Eu não pretendo evangelizar, nem ser modelo para ninguém, mas também ninguém me dá lições de benfiquismo. Não sou menos benfiquista por criticar, nem mais benfiquista por apoiar as decisões de quem representa o Benfica. E, por muito que até possam merecer, também não passo cheques em branco a ninguém. Se eu critico decisões que dirigentes, treinador e/ou jogadores do Benfica tomam, é porque acho que aquele não é o melhor caminho para o sucesso. FELIZMENTE que me engano às vezes (não sou como o outro que nunca se enganava e raramente tinha dúvidas…). No entanto, tal como referiu igualmente o RAP, o princípio que motivou as minhas críticas no início da época estava errado. E continua a estar hoje: em teoria, não se deixa ir para o rival um treinador bicampeão. No fundo bem fundo, isso sempre me pareceu (e ainda continua a parecer) que era o presidente Luís Filipe Vieira a querer provar a toda a gente que poderia ganhar sem o Jorge Jesus. E AINDA BEM(!) que o conseguiu e que tudo correu ao contrário da teoria (também com a ajuda do próprio Jesus, mas isso fica para a segunda parte deste post), porém isso só aconteceu porque fizemos história. Nunca uma equipa campeã tinha feito tantos pontos num campeonato, nunca tinha marcado tantos golos e, principalmente, nunca tinha recuperado de uma desvantagem de sete pontos à 13ª jornada. Está explicada a razão pela qual a prática superou a teoria. Teve de haver história. E, graças a Eusébio, que houve! E, como houve, o mérito do LFV é total e é ele o principal responsável por este título, porque tenho a certeza que houve alturas em que ele era mesmo o único a acreditar que isto seria possível.

 

Dos 338 jogos (oficiais e particulares) que se disputaram na nova Luz desde que foi inaugurada, eu faltei a dois (este e este), já fiz pausas em casamentos, o jantar do 89º aniversário da minha avó teve de ser adiado por um dia, a celebração de um aniversário da minha mulher teve de ser ao almoço, porque ao jantar não podia ser, o segundo aniversário de um dos miúdos teve de ser lanche ajantarado, porque à tarde era impossível. Estes factos não servem para mostrar que sou mais benfiquista do que o próximo, porque comparações de benfiquismos sempre me pareceram muito estúpidas. A maioria de nós faz coisas pelo Glorioso que (incompreensivelmente) muitas pessoas não acham “normal”. Se eu conto isto, é para que se perceba que o Benfica não é uma brincadeira para mim. Eu levo isto muito a sério e, por consequência, ganhar ou não ganhar não é indiferente. Eu nunca gozo com amigos dos rivais no momento em que perdem, porque não admito que eles gozem comigo em caso inverso. Isso fazem todos aqueles que levam isto na desportiva. Eu não levo, portanto nenhum amigo tem sequer a veleidade de começar esse tipo de conversa comigo. Tendo o Benfica a importância que tem na minha vida, eu não o consigo viver sem paixão. E isso faz com que eu não me consiga calar quando acho que as coisas estão a ir por maus caminhos ou que estamos na iminência de cometer erros. Históricos ou não.

 

No entanto (e termino esta primeira – e longa - parte deste post, tal como a comecei), ainda bem que eu sou um idiota e que me enganei!

 

VIVA O BENFICA!

por S.L.B. às 11:23 | link do post | comentar | ver comentários (18)
Segunda-feira, 10.08.15

Benfica - 0 - Estrutura - 1

Sem surpresa nenhuma (infelizmente), perdemos a Supertaça para a lagartada por 0-1. O jogo resume-se muito facilmente: houve uma equipa que foi melhor, outra que usou (e abusou) do pontapé para a frente, um golo mal anulado para uma e um penalty não assinalado pelo Sr. Jorge Sousa para outra. O golo surgiu de um remate do Carrillo aos 53’, que foi inadvertidamente desviado por um jogador lagarto e traiu o Júlio César.

 

Posto isto (e porque fiz 1200 km em dois dias, de comboio e carro, prescindindo de dois dias de férias, estando acordado 22 horas seguidas, gastando uma pipa de massa só em transportes, e não estando assim muito satisfeito com o que vi), apraz-me fazer as seguintes considerações:

 

- Apesar do pouco tempo de treino, já se nota alguma coisa do treinador, com interessantes combinações atacantes e uma pressão sobre o adversário que não o deixou sair a jogar. No entanto, que escândalo foi este de colocar o Benfica a equipar de verde e branco?!?! [Ironic mode on] (Porque há sempre pessoas obtusas que não iriam perceber…)

 

- Metade dos objectivos que motivaram a troca de treinador (a “aposta na formação”) já estão cumpridos: o Nelson Semedo foi uma decisão arriscada, mas parece que teremos lateral direito para os próximos anos. Agora só falta a “estrutura” entrar em campo e começar a marcar golos… Como se percebeu, os títulos passaram a ser secundários no Benfica. (Caso contrário, não se teria prescindido de quem ganhou sete dos últimos oito troféus nacionais disputados….)

 

- Fizemos seis jogos até agora. Temos zero vitórias. Marcámos três golos, sendo que dois deles foram na 1ª parte do primeiro jogo. O que quer dizer que, nos últimos cinco jogos e meio, marcámos um(!) golo. Repito: em oito horas e 15 minutos de futebol, marcámos… um(!) golo. Sim, eu sei, os “adversários eram fortes”, “estamos no início de um processo”, “os resultados vão aparecer”, “o treinador tem pouco tempo de clube”… (Curiosamente, conheço um ou outro treinador para o qual não é preciso muito tempo para colocar a sua equipa a jogar à bola…)

 

- Vamos lá a ver o seguinte: 1) o Jonas NÃO é ponta-de-lança. É um CRIME colocá-lo a jogar no meio dos centrais e desgastar-se a disputar bolas aéreas com eles; 2) o Talisca jogou 57’ a mais do que devia. Nem devia ter entrado de início, porque aquele lugar de segundo avançado é do Jonas, mas no mínimo devia ter saído ao intervalo; 3) o Eliseu não é grande espingarda, mas foi titular durante toda a época passada. Jogar o Sílvio naquele lugar pareceu uma resposta à picardia do Jesus de dizer que o Rui Vitória tinha mantido tudo igual; 4) Jogar com o Fejsa e o Samaris é criar um fosso enorme entre os médios e os avançados. Faz lembrar a dupla Katsouranis e Yebda da excelente época do Quique…; 5) o Júlio César deve ter pontapeado a bola lá para a frente mais vezes neste jogo do que em toda a época passada. Como diz um amigo meu, alguém que diga a quem de direito que nós não jogamos com o Maazou na frente…

 

- Eu pensei que tínhamos cometido um erro histórico. Infelizmente, cada vez mais vou tendo a certeza de que cometemos ‘o’ maior erro da nossa história desportiva. O título do post não é, lamentavelmente, irónico. Temo que esta época prove que a “estrutura” que efectivamente ganha troféus foi a que nós oferecemos aos lagartos… (Que o homem nunca foi o paladino da educação já nós sabíamos há muito, mas já o era quando estava com as nossas cores. Mudou de camisola, mas está igual ao que sempre foi. Mas diz um outro amigo meu, e com muita razão, que não queria o Jesus para casar com as filhas. O que interessava é que ele nos punha a jogar bom futebol e, mais importante do que tudo, ganhava títulos. Tudo o resto é – devia ser – secundário. Se queríamos um treinador educado, tínhamos o Quique; se fosse por benfiquismo, temos sempre o Grande Toni).

 

Isto fica já escrito no início da época, porque eu nunca fui politicamente correcto, nem me revejo em pessoas que só fazem o totobola à 2ª feira. Terei todo o gosto em vir aqui no final da época dizer que eu afinal não percebo nada disto e que sou um idiota por não ter acreditado nos tricampeões.

 

P.S. - Pode ser que no próximo domingo no jogo de apresentação aos sócios, perdão, na 1ª jornada do campeonato, as coisas comecem a melhorar.

por S.L.B. às 23:59 | link do post | comentar | ver comentários (23)
Sexta-feira, 12.06.15

Novo treinador

O Benfica confirmou oficialmente a contratação de Rui Vitória para as próximas… três épocas. A estrutura do Benfica considera que o Rui Vitória é melhor treinador do que o Jorge Jesus. Melhor dito: a estrutura do Benfica considera que o Rui Vitória está mais apto para nos levar ao tricampeonato do que o Jorge Jesus [pausa… para absorver a informação…]. Em favor da estrutura, há que dizer que eu também estava muito descrente quando o Jesus foi contratado (há links em catadupa no post anterior), mas ao segundo jogo de pré-época já se notava alguma coisa (“não deveremos embandeirar em arco, mas é impossível não ver que apresentamos uma consistência de jogo bastante razoável para esta altura da época”) e na final do Torneio de Amesterdão eu já estava praticamente convertido (“sinceramente cada vez me dá mais gozo ver-nos jogar à bola”). Peço a Eusébio que o mesmo aconteça com o Rui Vitória. Ou, se não for tão cedo, pelo menos que o seja no jogo da Supertaça.

 

Pelas declarações de quem os conhece e pelo que se sabe publicamente, não tenho a menor dúvida de que o Rui Vitória é uma pessoa muito mais urbana do que o Jesus, com um feitio… digamos… menos difícil e é benfiquista. Três qualidades essenciais num ser humano, mas acessórias num treinador. Porque no Benfica o essencial é ganhar títulos. Repito: o mais importante é continuar a ganhar títulos (e não “apostar na formação”…). Com o Jesus, isso era possível. Com o Rui Vitória, iremos ver.

 

P.S. - Eu peço desculpa, mas não consigo mudar o chip assim tão rapidamente… Isto leva o seu tempo e a bola terá de começar a rolar para eu desejar ardentemente ver sinais que me levem a engolir este enorme cepticismo. O que acontecerá com todo o gosto. Obviamente! De qualquer maneira, por princípio e para primeiro contrato, acho três anos muito tempo para um treinador. Posto isto, alguém sabe quando se começam a renovar os red pass?

por S.L.B. às 09:42 | link do post | comentar | ver comentários (13)
Sábado, 06.06.15

O ego e O erro

Ponto prévio:

 

Da mesma maneira que um pessoa burra não passa a inteligente só porque está vestida com uma camisola do Benfica, quem é bom enquanto está no Benfica não deixa de o ser só porque saiu do Benfica. Vá ele para onde for.

 

O que eu mais temia, tal como exprimi no outro post, aconteceu: Jorge Jesus não vai ser o nosso treinador para a próxima época. Espero estar redondamente enganado, mas temo que tenhamos cometido um erro histórico. Antes de qualquer outra coisa, na hora da saída, é mais do que justo deixar-lhe aqui o meu mais profundo agradecimento por todas as conquistas destes seis anos e pelo futebol magnífico que fomos apresentando.

 

Eu estou particularmente à vontade para dizer isto, porque no início tive sérias dúvidas acerca da sua competência e mesmo durante o seu percurso houve uma série de coisas que não me agradaram nada (uma, duas, três, quatro, cinco e, principalmente, seis). MAS, e este MAS é essencial, o homem ganhou títulos! E, se não se quiser valorizar o facto de ele ter aprendido imenso nestes seis anos e se ver a evolução da equipa (o que me fez defender a sua continuidade em 2013 mesmo depois do que aconteceu no Jamor), isto é que deveria contar para se tomar a decisão de renovar com ele. Porque isto é que é essencial: enriquecer o palmarés. Seja com que jogadores for, é isto que nos interessa. Tenha o treinador o feitio que tiver, seja bem ou mal educado, isso não fica para a história. O que fica são as conquistas. E essas existiram em barda, especialmente nas últimas duas épocas.

 

O presidente diz que tem uma “ideia clara” para o Benfica: “um treinador sem medo de apostar nos nossos miúdos, que seja capaz de fazer projecto integrado dos escalões de formação até ao futebol profissional”. Eu acho isto óptimo em tese, mas já agora convinha que garantisse títulos. Porque eu escolho na hora um título com 11 estrangeiros na equipa em vez de vitórias morais com 11 portugueses. Aliás, esta história da “formação” tem muito que se lhe diga: os próprios lagartos, nos últimos 33 anos, só ganharam o campeonato quando não “apostaram na formação”. Portanto, só foram campeões duas vezes. Obviamente. Como justificação para não manter o Jesus, é muito fraca.

 

Por outro lado, acusa-se o Jesus de não partilhar os títulos com a “estrutura”. Em primeiro lugar, queria pedir encarecidamente o favor de não utilizarem esta palavra, porque eu começo logo a hiperventilar. Durante anos, ouvimos dizer que o CRAC ganhava campeonatos por causa da “estrutura” e todos nós sabemos o que isso significava. Aí sim, é que a “estrutura” ganhava jogos e campeonatos, com ajudas alimentares que só os acéfalos ignoram. Portanto, por favor, utilizem lá outra palavra que essa tem a conotação que tem. Além de que não me parece que tenha sido a “estrutura” a inventar um Fábio Coentrão a defesa-esquerdo, um Enzo Pérez e um Pizzi a médio-centro, um Jardel a central de eleição, etc. (a lista é muito grande e todos nós a conhecemos). Voltando ao tema, as taças não estão no museu? Não são propriedade do Benfica? Não se fica com um treinador porque ele não fala de nós? De novo, uma justificação muito pobrezinha para uma não-renovação.

 

O que me parece de todo inexplicável é esta evidência: como é que não se renova com um homem que ganhou três campeonatos em seis anos, foi bicampeão (coisa que não nos acontecia há 31 anos), ganhou seis dos últimos sete troféus nacionais e nos levou duas finais europeias seguidas (não íamos a nenhuma há 24 anos e a duas consecutivas há 53 anos!)?! É preciso estar mesmo a olhar para o acessório para não ver o cerne da questão. Alguém de bom senso acredita que o Jesus não é o melhor treinador português a seguir ao Mourinho? Não é suposto termos os melhores no nosso clube? Como é que o Benfica se dá ao luxo de prescindir de alguém assim?!

 

A partir do momento em que o Benfica não manifesta um desejo expresso de renovar com ele, é natural que o Jesus se tenha virado para outras paragens. Por isso, não tomo esta ida para a lagartada como uma “traição”. Não, não é, porque o desinteresse inicial partiu (inacreditavelmente) de nós.

 

E o que me custa mais neste processo todo é que deixámos sair o treinador que mais bem colocado estava para nos dar o 35. Sim, porque o 34 é todo mérito dele (o que fez nesta época a famosa “estrutura” foi retirar-lhe seis titulares, mais o André Gomes e o Cardozo, e compensá-lo com dois craques trintões e um Talisca que só durou meio ano…). E o 35 para a próxima época é fundamental, porque um tricampeonato nosso significaria a implosão de Mordor. A “estrutura” deles não aguentaria um terceiro ano de seca connosco a sermos campeões. E é uma pena que não se tenha dado o devido valor a isto e lhes acabemos por oferecer um balão de oxigénio, que já nem eles esperavam ter. Repito: é isto que me custa mais nesta história toda.

 

Pouco me interessa neste momento se o Jesus vai resultar ou não na lagartada. Enquanto lá estiver um presidente que faz mosh à equipa de hóquei em patins, estamos relativamente seguros. Com a sede de protagonismo que ambos têm, vai ser inevitável o choque de personalidades. No entanto, já estou mais preocupado com a performance do CRAC. E na tal estocada final que lhes poderíamos dar na próxima temporada.

 

Independentemente das razões aduzidas pelo próprio, o que mais transparece nesta decisão é o Luís Filipe Vieira a querer provar que consegue ganhar sem o Jorge Jesus. Porque o futebol é mesmo a única modalidade campeã do Benfica em que o treinador não vai continuar. E uma coisa destas é muito difícil de explicar e mais ainda de entender. No fundo, tudo se resume a uma questão de ego. Qualquer argumento utilizado esbarra logo na evidência de que o homem foi (bi)campeão. E quem é campeão tem sempre razão. Mesmo que utilize o Ola John em vez do Gonçalo Guedes.

 

Para bem de todos nós, nada me daria mais prazer do que vir aqui no final da próxima época fazer o meu mea culpa e elogiar esta decisão temerária do nosso presidente. Seria muito bom sinal.

 

P.S. – Muito, MUITO feia a rábula de fazer desaparecer o Jesus da estrutura em 3D dos bicampeões na loja do Benfica (ganhámos este campeonato sem treinador, é…?). Reescrever a história é estalinista e só deveria ser apanágio de outro clube mais a norte. Lamentável! (Parece que voltámos ao tempo dos apagões e das regas…) Também vir a público fazer-se declarações sobre a idoneidade do Jorge Jesus é algo que os responsáveis do Benfica se deveriam abster de fazer. Ou não tivessem trabalhado com ele durante seis anos. Já o conheciam, não? Independentemente do que aconteça no futuro, Jorge Jesus já está na história do Benfica como o mais titulado treinador português que passou pelo clube e, por conseguinte, um dos melhores de sempre. Saibamos respeitar isso. (Mesmo que ele no futuro hipoteticamente não o faça.)

 

P.P.S. – Também eu tenho reservas MUITO sérias em relação ao Rui Vitória (nunca achei que o futebol do V. Guimarães fosse assim grande coisa). Por mim, por todas as razões (experiência de clube grande e de Champions, vencedor de títulos mesmo com um presidente desestabilizador e resposta proporcional aos lagartos) mas PRINCIPALMENTE porque é melhor treinador, iria buscar o Marco Silva. De caras.

por S.L.B. às 18:00 | link do post | comentar | ver comentários (28)
Quarta-feira, 03.06.15

Superação

Toni despedida Benfica.jpg Artur Jorge Benfica.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Parece que estamos prestes a superar por LARGA margem a maior IDIOTICE da nossa história até ao momento.

 

P.S. - Quem achar que haverá algo me dará mais prazer do que vir aqui no final da próxima época reconhecer que idiota foi este post, pode ir já ao médico, porque claramente o cérebro está perdido em parte incerta.

por S.L.B. às 23:50 | link do post | comentar | ver comentários (31)
Sexta-feira, 15.05.15

É hoje o jogo do título!

Toni Tractor3.jpg

Podemos conseguir hoje o primeiro troféu da época. O uso do plural não é, obviamente, por acaso. A equipa deste Senhor está na frente do campeonato e pode tornar-se hoje campeã iraniana pela primeira vez na sua história. Já na época passada, regozijámos pela conquista inédita da Taça do Irão e este Homem está a 90' de voltar a fazer história. Tu mereces tudo, grande Toni! Hoje somos todos Tractor! Força Toni!

por S.L.B. às 13:05 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 10.02.15

Delirium lacerta

Se o derby não foi muito bem jogado e só teve emoção nos últimos sete minutos, o que se passou à volta dele merece realce por si só. Já se sabe que está cientificamente provado que nunca ninguém aprendeu nada a discutir bola com um lagarto. Porque aquelas criaturas vivem numa dimensão paralela cuja semelhança com a realidade anda aproximadamente ao nível do… zero. Como prova o facto de todos eles terem visto um jogo que… não aconteceu!

 

Ainda só ouvi lagartos dizerem que “massacraram” o Benfica, que o resultado foi “muito injusto”, que tiveram “muito mais oportunidades” de golo, que o Artur fez uma série de “defesas de golo” e foi o “melhor em campo”, etc. Eu sei que é escusado mostrar a realidade a um lagarto, porque vivendo eles num mundo paralelo, nunca a conseguirão ver, mas for the record: 1) o Artur fez uma grande defesa na primeira das duas únicas oportunidades de golo que tiveram (não conto a defesa ao remate anterior ao golo, porque ele aconteceu na recarga); 2) dez cantos que não criaram perigo e maior posse de bola não é “massacre”, porque, lá está, há aquelas coisas que se chamam balizas nas quais é preciso tentar meter a bola…; 3) dois remates perigosos à baliza, um golo, não é assim “muito mais oportunidades” do que um remate, um golo. Quanto à “injustiça” do resultado, estamos conversados.

 

Outra crítica que se ouve é que o Benfica parecia o Arouca, a jogar para o empate. E que só criou um lance de perigo. E que marcou um golo fortuito. Isto vindo de adeptos do clube que esteve sete(!) anos sem marcar um golo na Luz. Repito: sete anos! Nenhuma outra equipa da I Liga esteve este tempo todo em branco na Luz. Nem o Arouca. Foram avalanches atacantes nesses sete anos, que nem vos digo nada… É como diz o Nuno Aleixo, quando é o Mourinho a jogar com o Inter em Barcelona ou com o Pepe a trinco também frente ao Barça, ou o Simeone a conseguir fechar os caminhos da sua baliza ao Real Madrid, são ambos génios da táctica. Quando é o Jesus e o Benfica, já é péssimo. Porque o Benfica deveria é jogar à maluca e golear no WC. Mas mesmo assim, é como comentou o meu amigo F.S.C., “sim, foi um Benfica mauzinho; sim, foi um bom Esportem. Conclusão: um mau Benfica chegou para um bom Esportem”. O que o jogo revelou foi que o Jesus está perfeitamente consciente de que este nosso plantel é possivelmente o mais fraco de todos os que teve e há que saber adaptar-se a isso para continuar a conseguir bons resultados. E que, se não se pode ganhar no WC, ao menos que não se perca. Para este peditório do “não jogam nada”, eu recuso-me a dar: como se nós não tivéssemos sido DE LONGE a equipa que melhor futebol jogou nas duas épocas em que perdemos o campeonato para o Vítor Pereira. E isso não nos valeu de nada! Prefiro obviamente o pragmatismo deste ano.

 

Pelo que se vai lendo e ouvindo por aí, só tenho pena é de não ter acções da farmacêutica do Kompensan, porque iria ficar rico por estes dias. A lagartada está muito desalentada por terem perdido aos 94’ a possibilidade de… ficar a quatro pontos(!) do 1º lugar. Como se nós não tivéssemos perdido muito recentemente um campeonato e uma Liga Europa aos 92’ e com quatro dias de intervalo! Esqueçam… “vocês sabem lá”!

 

A lagartada está sempre a dizer que é um “clube diferente”, mas depois o speaker do estádio não anuncia a equipa do Benfica e quando diz o resultado refere-se ao Benfica como “visitante”. Não me parece que seja muito “diferente” do que se passa em Mordor (ou em Braga). Revela apenas tacanhez e mediocridade. Por outro lado, a noção do ridículo é algo que não lhes assiste (como diria o outro): antes do jogo, pediu-se uma “grande ovação” para os campeões nacionais de 81/82 que subiram ao relvado! Foi o delírio… na nossa bancada! Aplausos e vivas com fartura! Eu até percebia se subisse ao relvado um jogador ou se fosse o próprio dia em que tivessem ganho aquele campeonato, mas agora a equipa toda só porque iam jogar contra o Benfica… por favor! Eu sei que estamos a falar de um clube que detém o recorde de estar 18 anos sem ganhar um campeonato, cuja nova série já vai em 12 e que nos últimos 32 anos ganhou… dois(!), mas mesmo assim um bocadinho de noção do ridículo não lhes ficaria mal. Falta de noção do ridículo igualmente com a enésima entrevista do speaker ao Manuel Fernandes para falar de um resultado numa época em que o Benfica… ganhou a dobradinha! Enfim, cada clube tem os títulos que merece.

 

Mas de uma coisa pode a lagartada estar tremendamente orgulhosa e ter motivos para festejar efusivamente: é que é a primeira vez nas últimas sete(!) épocas que não vão perder uma única vez com o Benfica. Mais um título para o museu!

 

P.S. – Como de costume, houve adeptos do Benfica que entraram com o encontro a decorrer e eu vi uma série de lagartos a sentarem-se no seu lugar aos 27’ de jogo! Não resolvam o problema das entradas naquele estádio que não é preciso…

por S.L.B. às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (15)
Quinta-feira, 22.01.15

A melhor notícia do ano!

O adeus de Pedro Proença

 

Eu disse do ano?! Dos últimos 14 anos! Já fiz mais do que um post com estas imagens, mas nunca é demais recordar os momentos mais inolvidáveis do "melhor árbitro do século" em Portugal. Vai respirar-se melhor nos relvados a partir de hoje. E não te preocupes, nós não te esqueceremos. Nunca! E jamais te perdoaremos. Obviamente!

 

Da minha parte, revejo pela enésima vez os dois lances no Bessa e especialmente o do Lisandro, e a tua posição no campo diz-me tudo o que preciso de saber sobre ti. Não tenhas receio, nós sabemos bem que não "erraste dentro de campo".

 

Infelizmente para nós, acabaste a carreira com 14 anos de atraso. Não deixas saudades. Nenhumas!

 

Domingo, 14.12.14

Resumo do jogo

Para quem não viu, foi isto que se passou. É só repetir nas próximas vezes. Como disse um amigo meu, enterrámos o anel! Somos Grandes!

Mordor.jpg

por S.L.B. às 23:36 | link do post | comentar
Segunda-feira, 04.08.14

Obrigado, Cardozo!

 

Meu caro Óscar,

 

Era inevitável, mas hoje é um dia muito triste para mim. Obviamente sabia que qualquer dia terias de sair do Benfica, talvez esta até tenha sido a melhor altura, já que estarás certamente consciente que, depois da grave lesão da época passada, nunca mais foste o mesmo e nem nós nem tu queríamos que a última imagem fosse menos positiva. Mas como um adepto de futebol age mais com o coração do que com a cabeça, secretamente eu ainda tinha a esperança que voltasses a ser o que sempre foste e via em cada toque teu bem conseguido, e cada tabelinha que entrava nesta pré-época, um sinal de que estavas a subir de forma. No entanto, vieram os turcos com uma boa proposta para ti e não seria justo cortarmos-te as pernas nesta fase da tua carreira.

 

Serve este post para te dizer, em meu nome e de todos os benfiquistas que não deixam o cérebro em casa quando vão ao estádio, e portanto sempre te admiraram, MUITO OBRIGADO por tudo o que fizeste no Glorioso. 171 golos em 293 jogos só não impressionam pessoas com acentuada deficiência cognitiva e que portanto acham que o mais importante do futebol não é… meter a bola na baliza! É que eu não tenho problemas nenhuns em confessar uma fraqueza minha: gosto de jogadores que… marquem golos com regularidade! Tens o teu lugar mais que assegurado na história do nosso clube (o melhor marcador estrangeiro de sempre, o segundo melhor marcador nas competições europeias – só atrás do teu ídolo Eusébio -, o nono melhor marcador de sempre), mas mais do que isso tiveste ao longo do tempo grandes demonstrações de que te tornaste benfiquista e que sentes muito o Glorioso (basta recordar como te comportaste no funeral do Eusébio). Por tudo isso, e como todos os adeptos têm uma predilecção especial por este ou aquele jogador, eu festejava os teus golos ainda com mais alegria (seguindo o que fazia com os golos do Manniche, Magnusson, João Pinto, Rui Costa ou Nuno Gomes). É que eram golos do Benfica e DE Benfica!

 

Tenho imensa pena que não tenhas tido oportunidade de te despedir de nós durante um jogo na Luz (pecha de que igualmente sofreram o Nuno Gomes e o Aimar, por exemplo), porque tu e nós merecíamo-lo. Gostaria de ter podido entoar o teu cântico uma última vez contigo a assistir. Não foi possível, mas espero que um dia destes voltes para nos visitar e tenhas a possibilidade de ir ao relvado antes de um jogo para te saudarmos uma última vez. Desejo-te imensas felicidade na Turquia e mais uma vez expresso-te o nosso AGRADECIMENTO eterno.

 

Até sempre, Tacuara! Serás sempre o Maior!

 

P.S. – Só a falta de sensibilidade materna para uma belíssima homenagem impediu que o meu filho mais novo se chamasse Óscar. Situação de que ainda hoje me arrependo, já que um dia depois de ele ter nascido, tu lembraste-te de enfiar três batatas aos lagartos no inolvidável jogo da Taça da época passada. Foi a melhor prenda de boas-vindas que ele poderia ter tido!

por S.L.B. às 23:52 | link do post | comentar | ver comentários (17)
Segunda-feira, 26.05.14

"Memória Gloriosa"

Em tempo de defeso clubístico (este particularmente feliz), nada melhor do que ir lavando os olhos no blog Memória Gloriosa que o nosso amigo Bakero em boa hora resolveu ressuscitar. Agora, é só não o deixar morrer outra vez, porque serviço público como este tem que estar sempre a ser actualizado. Ouviste, Bakero?! :-)

por S.L.B. às 16:53 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quarta-feira, 16.04.14

27 anos

Gostaria só de recordar pela enésima vez a quem de direito (jogadores e equipa técnica do Glorioso) que, se não somos campeões há quatro anos, há mais de duas décadas e meia(!) que não ganhamos a dobradinha. Este ano temos novamente uma oportunidade de ouro para matar este borrego. Só isso bastaria para tornar o jogo de hoje muito importante. O mais importante dos últimos 27 anos.

 

Acontece que a importância deste jogo vai ainda mais além desse facto. Não vamos defrontar um adversário qualquer. Aliás, nem sequer vamos defrontar um adversário. Vamos defrontar o inimigo. Que representa, com uma competência assinalável, as forças do Mal. Estamos a falar da equipa de Mordor, meus caros jogadores e equipa técnica do Benfica. Tenham isto sempre em mente! O campeonato está muito perto de estar garantido, portanto é nossa obrigação NÃO deixarmos que a equipa que envergonha o desporto possa festejar ainda esta época. Este jogo é FUNDAMENTAL para eles, não tenhamos dúvidas. Viu-se pela gestão que fizeram em Braga. Se terminarem a época com as duas taças (a da Liga, no meio da eliminatória com a Juventus, será obviamente secundária para nós e eles, que sempre a desdenharam, não se atreverão a festejar se esse for o único troféu que ganhem este ano), não será uma época assim tão má. NÃO lhes podemos dar esta abébia, METAM isso na cabeça!

 

Com o domínio que evidenciámos, tendo o campeonato a meros dois pontos de distância, confesso que não ficarei totalmente satisfeito se nos limitarmos a ser campeões. Depois do que se passou no ano passado, merecemos festejar mais do que uma vez esta temporada. E a Taça de Portugal é a melhor oportunidade para tal. Para além da referida (e incontornável) questão dos 27 anos de jejum. Eles estão a 15 pontos de nós no campeonato. Nós somos MUITO melhor do que eles. Perante o inimigo, não há complacências! Não desperdicemos a oportunidade de os eliminar!

 

P.S. – O Estádio da Luz não esgotar num jogo desta importância é, não há outra maneira de o dizer, uma VERGONHA!

por S.L.B. às 08:04 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Quarta-feira, 26.03.14

Vamos lá a ver se nos entendemos...

Jorge Jesus, eu vou dizer isto muito devagarinho para ver se o senhor percebe de vez: N.Ã.O S.E O.F.E.R.E.C.E B.A.L.Õ.E.S D.E O.X.I.G.É.N.I.O À.S F.O.R.Ç.A.S D.O M.A.L!!! Eu já sei que isto é só a 1ª parte da eliminatória, ainda temos o jogo da 2ª mão, nada está perdido, o campeonato é que é o mais importante (e é) etc. e tal, MAS, e este MAS é muito relevante, quis o destino que tivéssemos que defrontar o CRAC para as duas taças: E NÃO SE OFERECEM VITÓRIAS AO CRAC NEM NO TORNEIO DO BERLINDE!!! Derrotá-los nestas duas taças significa deixá-los a zeros no que toca a títulos e não se pode perder uma oportunidade destas! (Escuso de lhe recordar as humilhações a quem fomos sujeitos, com o senhor a treinador, em mais do que um jogo contra eles nos últimos quatro anos, não escuso? Não acha que já está mais que na altura de pagar isso com juros?!)

 

"Rodar a equipa"? Tudo muito certo, mas jogar com nove durante 77' (neste momento, o Cardozo e o Salvio não contam para o Totobola) e ainda por cima tirar o nosso melhor jogador (Rodrigo) aos 67' é... como dizer... estúpido! Perante um CRAC muito fraco (mas que mesmo assim poderia ter marcado mais golos, dado que a nossa defesa fartou-se de dar abébias), é INCONCEBÍVEL que tenhamos perdido o jogo da maneira que perdemos. Colocámos em risco a qualificação para a final da Taça de Portugal (a propósito, os jogos consecutivos a marcar e tal é muito bonito, mas já não ganhamos uma dobradinha há 26 anos...!) por única e exclusiva culpa nossa. Ou melhor, sua!

 

Ah, e por último, já que iremos ter que ir ao antro (pelo menos) mais duas vezes até final da época, se calhar já estava mais que na altura de não entrarmos em campo com medo do adversário (aliás, se me permite a pergunta: medo, porquê?!), pode ser? É que aquela 1ª parte, perante um adversário que está a 12 pontos de nós no campeonato, foi confrangedora...

por S.L.B. às 23:05 | link do post | comentar | ver comentários (32)
Quinta-feira, 13.03.14

Pedido a Jorge Jesus

Nós sabemos que o campeonato é o grande objectivo,* mas acho que não seria pedir muito se hoje em Londres pudéssemos entrar em campo com a porta fechada no trinco, em vez de estar escancarada. É que, caso não tenha reparado, mister, nós não temos nenhum Casillas no banco. E ainda todos nos recordamos do que aconteceu com o Júlio César em Liverpool, não é verdade…? Seria pouco inteligente se deitássemos fora uma eliminatória por causa disso, tal como aconteceu há quatro anos. Os sinais estão todos lá: frente ao Leixões na Taça da Liga e em ambos os jogos contra o PAOK. Pelo menos, um frango está garantido, a diferença é que duvido que os Spurs não o aproveitassem como os outros adversários.

 

Vamos lá pensar melhor nisto, ok mister? É que há toda uma Taça da Liga para fazer a rotação nesse lugar específico. Aliás, tal como aconteceu no ano passado, em que só nessa competição é que se fez a rotação. Pode ser? É que os guarda-redes não se cansam assim tanto… Muito obrigado pela atenção e boa sorte para mais logo.

 

* No entanto, já agora, é só o campeonato, mister; não existem “competições” mais importantes do que a Liga Europa, é só uma e mesmo assim é só porque estamos de jejum há algum tempo, porque bem vistas as coisas se não somos campeões há três anos, não ganhamos uma prova europeia há mais de 50… E não foram os campeonatos nacionais que nos tornaram conhecidos a nível mundial…

por S.L.B. às 10:13 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Sábado, 15.02.14

O primeiro título da época

 

Este não é um post sobre o Benfica. Espera aí... estou redondamente enganado! CLARO que é um post sobre o Benfica! O Grande Toni fez história ao conquistar a Taça do Irão pelo Tractor, a primeira da história do clube. Que teve ainda mais mérito por ser conseguida em casa do adversário. Este troféu não vai para o Museu Cosme Damião, não entra no palmarés oficial do Benfica, mas não tenho a menor dúvida que entra no palmarés afectivo dos benfiquistas. Porque uma pessoa como o Toni merece tudo! E quando o Toni do Benfica ganha um troféu, todos nós também celebramos.

 

MUITOS PARABÉNS, MISTER!

por S.L.B. às 23:59 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Quinta-feira, 29.08.13

Sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões

Vamos lá brincar novamente aos sorteios.

 

 

Pote “Este era o que eu queria”:

 

BENFICA

Schalke 04

Ajax

Áustria Viena

 

Temos contas a ajustar com os alemães, que parecem menos fortes do que no passado, e geralmente damo-nos bem com equipas holandesas, sendo Benfica - Ajax um clássico europeu. Com os austríacos, temos a obrigação de fazer seis pontos.

 

 

Pote “O 1º lugar é obrigatório”:

 

BENFICA

CSKA Moscovo

Basileia

Viktoria Plzen

 

Contra suíços e checos, é para fazer o mínimo de 10 pontos. Mais quatro frente aos russos e seremos cabeças-de-série nos oitavos.



Pote “E não querem que joguemos ao pé-coxinho para ser ainda mais difícil?”:

 

BENFICA

Atlético Madrid

Borrusia Dortmund

Nápoles

 

Sem comentários…

 

 

Pote “Se formos parar à Liga Europa, ao menos é com honra”:

 

BENFICA

AC Milan

Manchester City

Celtic

 

Três enchentes praticamente garantidas na Luz. E a possibilidade de nos vingarmos do que o Celtic nos fez no ano passado...

 

 

Estando nós no pote 1, uma não-qualificação para os oitavos seria sempre vista como um falhanço, a não ser que o sorteio seja mesmo muito difícil. É utópico pensar que podemos chegar à final em nossa casa, mas até porque o campeonato é a prioridade era bom que conseguíssemos a qualificação. A (conquista da) Liga Europa continua a ser um espinho na minha garganta, mas este ano é bom que fique em stand-by...

por S.L.B. às 13:29 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Sexta-feira, 07.06.13

“Dar o exemplo”?!

Leio na imprensa que o Fenerbahçe está cá para levar o melhor marcador estrangeiro da história do Benfica por 12 M€. Hello?! Oi?! Importam-se de repetir?! 12M€?! Pensei que a cláusula de rescisão fosse 60M€... Ele não renovou o contrato no ano passado...? E não se manteve essa mesma cláusula...? “Ah e tal, já tem 30 anos”, dizem-me. Mau, mas então os turcos querem um jogador por causa da idade ou por valer 25/30 golos por época há seis(!) anos consecutivos?! E esses números e, principalmente, essa consistência valem 12M€?! “Ah e tal, ele é molengão, não corre e não luta”, argumentam. Ok, esses batem-me em experiência e, portanto, nem sequer vou perder tempo a discutir...

 

Vamos ao cerne da questão: “depois do que fez ao Jesus na final da Taça, há que dar o exemplo e ele não pode continuar no Benfica.”, reivindicam alguns. Sim, o que o Cardozo fez é condenável, não o pode fazer e tem que ser severamente castigado por isso. Mas... ficarmos desfalcados do maior goleador estrangeiro da nossa história, que já está no top 10 dos melhores marcadores de sempre, por uma atitude muito reprovável, certo, mas que reflectiu o que 90% dos benfiquistas quiseram fazer a quente no final do jogo?! Quantos de nós não perderíamos a cabeça daquela maneira ou ainda pior em situação semelhante?! Sim, o Jesus esteve muito mal não só a colocar o André Almeida a defesa-esquerdo (e a não substituí-lo em altura devida), como principalmente a “pensar que 1-0 era suficiente” como disse no final... Portanto, iremos supostamente mandar o Cardozo embora por ter revelado a quente... excesso de benfiquismo! Sim, porque foi isso que ele mostrou: não se limitou a ser um “profissional”, provou que sente a camisola e estava tão frustrado como nós, adeptos. E isso, para mim, é uma enorme atenuante! Juntamente com o facto de ele ter logo pedido desculpa, quer ao treinador quer à equipa, nos balneários.

 

“Ah e tal, se esta atitude passar em claro, qualquer jogador tem legimitidade para fazer o mesmo”, concluem muitos. Errado! Para começar, o Cardozo não é “qualquer jogador”, é o melhor marcador estrangeiro da história do Benfica. Isso dá-lhe o estatuto de poder fazer o que quiser? Não, mas aumenta-lhe a margem de tolerância. Segundo, não foi no final de um jogo qualquer, foi no culminar de quinze dias de enorme frustração acumulada. Terceiro, e mais importante para mim, com certeza que tem que ser castigado, portanto aplique-se uma severa multa que sirva de sinal para o futuro, mas que não prejudique a equipa: três meses de ordenado! Garanto que, sabendo que ficará com os bolsos vazios durantes três mesitos, qualquer jogador pensaria duas vezes antes de fazer algo semelhante.

 

Volto ao título do post: “dar o exemplo”?! Poupem-me! Já tivemos que engolir o camisola 25 da era Quique Flores a voltar a vestir o manto sagrado depois do que nos fez enquanto jogador do Varzim. Já tivemos que engolir o Miguel a voltar a vestir a camisola do Benfica no jogo da Unicef depois de ter saído da maneira que saiu. Isso, sim, era ter “dado o exemplo”! Por outro lado, será que o Jorge Jesus “dá o exemplo” na maneira como trata os jogadores? Isto é uma pergunta que não é de retórica, porque não sei mesmo a resposta, mas nos mentideros diz-se que nem sempre serão tratados com o respeito devido...

 

Enfim, tomemos mas é juízo e não dêmos carta branca a uma pessoa (por mais importante que seja) para fazer o que quiser. Uma valente multa no ordenado do Cardozo, um novo pedido de desculpas públicas no início da nova época numa entrevista à Benfica TV e sigamos para a frente. Certamente que o Tacuara “dará o exemplo” na nova época como melhor sabe: marcando golos como se não houvesse amanhã! É desses “exemplos” que nós queremos.

por S.L.B. às 13:00 | link do post | comentar | ver comentários (35)
Terça-feira, 28.05.13

Renovação de Jorge Jesus?

Confesso que me custa a entender a demora e o silêncio do Benfica nesta questão. Demora e silêncio devidos ao facto de isto ter sido mal feito à partida, ou seja, por esta altura, já o contrato de Jorge Jesus devia estar mais que assinado. E aqui reside para mim a chave da resposta à questão do título do post: se o processo tivesse sido bem conduzido desde o início, neste momento estaríamos dispostos a rescindir o contrato recentemente renovado com o Jesus? Se sim, não se renove; se não, renove-se. Tudo se resume a isto. É muito simples.

 

Custou-nos a todos (E DE QUE MANEIRA!) a derrota no Domingo. Não foi tanto a derrota em si, mas como ela aconteceu. Os jogadores do Benfica não respeitaram os adeptos e isso é imperdoável depois de tudo o que os adeptos apoiaram durante esta época, principalmente após o jogo em casa do CRAC e a final de Amesterdão. Se nós tivéssemos sido respeitados, era facílimo ter ganho a Taça: bastaria que a equipa mostrasse em campo tanta vontade de ganhar como o V. Guimarães. Como somos (muito) melhores, igualada a questão anímica, a nossa superioridade reflectir-se-ia inevitavelmente no resultado. A não ser que tivéssemos tido um novo azar aos 92' ou o Sr. Jorge Sousa a desequilibrar fortemente a balança (o que, de certa maneira aconteceu, mas depois da miserável exibição do Benfica, como a maioria de nós tem vergonha na cara, quase ninguém se atreve a falar do 1º golo deles em evidente fora-de-jogo).

 

Voltando à questão da renovação e utilizando uma comparação, o que está aqui em causa é o seguinte: nós fomos a um óptimo restaurante em que as entradas eram excepcionais, o prato principal maravilhoso, o vinho divinal e a sobremesa de chorar por mais, mas chega o café e é intragável. Conclusão: o restaurante presta, e havemos de lá voltar, ou não? Que peso devemos dar ao miserável café, que foi a última imagem com que ficámos do restaurante? Antes que me venham dizer que a comparação não é aplicável, porque o Benfica não ganhou nenhum dos dois títulos anteriores (portanto, a refeição não poderia ter sido boa), respondo perguntando quantas pessoas é que, antes de Domingo, não estavam a favor da renovação e depois mudaram de ideias? Ou fariam sempre depender a sua decisão de um jogo e uma exibição? Olha-se para a última árvore ou para a floresta toda?

 

A final da Taça foi um grande choque, mas é fundamental manter a cabeça fria. A (reprovável) atitude do Cardozo (aplique-se forte multa, mas qualquer punição superior a isso é um disparate tremendo; foi a quente e ele já veio pedir desculpas públicas) é sinal de que o Jesus perdeu o balneário? Uma atitude irreflectida de um jogador é sinal de alguma coisa mais profunda? Se sim, então quer dizer que a peitada do Luisão no início da época não foi uma casualidade (condenável), é?

 

Quem habitualmente me lê, sabe que eu não tenho problemas nenhuns em dar o braço a torcer. E até gosto se isso tiver sido bom para o Benfica. Não é preciso ir mais longe, no próprio caso do Jesus, por exemplo. Portanto, mantenho convictamente o que escrevi aqui: “independentemente do que suceda até final da temporada” queria dizer isso mesmo. Não é por um (péssimo, horrível, miserável, indecente) jogo (em que o Jesus também tem grandes culpas, quer na constituição inicial, quer nas substituições, mas principalmente por ter pensado que 1-0 era suficente) que eu vou mudar de ideias. Apesar de ser essa a última imagem que fica.

 

P.S. - Caso haja renovação, como espero, a principal consequência desse jogo será a margem de manobra do Jesus ficar reduzida ao mínimo na próxima época. E isso não é bom para ninguém. Mas, em certa medida, a margem também não era muito maior no início desta época e aconteceu o que aconteceu. Se o Benfica lhe providenciar, no mínimo, um médio que seja uma alternativa válida para o Matic e Enzo, e um defesa-esquerdo de raiz, talvez as coisas sejam mais fáceis... Por outro lado, e apesar de isso não dever DE FORMA ALGUMA influenciar a decisão, saberemos para onde irá o Jesus caso não renove. Acreditanto n' A Bola de hoje, achamos mesmo que será com o Paulo Fonseca ou o Rui Vitória (dois indiscutíveis bons treinadores, mas com o devido respeito entre o Benfica e o Paços ou o Guimarães vai um mundo de diferença) que poderemos fazer frente a uma equipa treinada pelo Jesus com a vantagem extra de poder ter defesas a jogar andebol na área, de ter os fiscais do Sr. Pedro Proença a “equivocarem-se” cirurgicamente (para haver este desfecho, foi uma pena a bola ao poste do James não ter entrado), ou mergulhos decisivos de um James qualquer a selarem campeonatos...? Poupem-me!

por S.L.B. às 10:45 | link do post | comentar | ver comentários (40)
Quinta-feira, 16.05.13

INCOMENSURÁVEL ORGULHO!

Nota prévia: o processo de catarse do momento desportivamente mais doloroso da nossa história (ouvi hoje o Toni dizer que, em 34 anos de Benfica, nunca passou por nada assim) requeria que eu escrevesse qualquer coisa aqui na Tertúlia. Por norma, não gosto de repetir posts, mas desta vez teve mesmo de ser, porque infelizmente esgotei as poucas forças mentais que tinha noutro lado. A discrepância horária entre os dois textos deve-se ao facto de eu não gostar de canibalizar escritos dos meus companheiros e, portanto, o magnífico post abaixo do Carlos Miguel Silva merecia respirar o tempo devido.


Contexto: Este testamento foi escrito com o coração, depois de 2,5h de sono e com os olhos marejados a 10.000 m de altitude.

 

Perdemos com o Chelsea (1-2) na final da Liga Europa. Segundo alguém me disse, temos o indesejável recorde de sermos a equipa com mais finais europeias perdidas (sete). MAS (e as maiúsculas não são gralha) é uma terrível crueldade que seja apenas o resultado que fique para a História. Porque a história do que se passou no campo é completamente diferente: fomos melhores durante toda a partida, mostrámos mais vontade de ganhar e MERECÍAMOS ter ganho. Toda a gente reconhece isso. Desde o próprio Ramires, como amigos meus estrangeiros que me enviaram inesperadamente mensagens no final do jogo. Quem for honesto intelectualmente não pode deixar de o pensar (o que exclui imediatamente 95% de adeptos de um certo clube…). MERECÍAMOS ter ganho, estava eu a dizer, tanto os jogadores como os adeptos que, nas ruas de Amesterdão e nas bancadas do Amsterdam ArenA, deram uma demonstração inesquecível de benfiquismo e do que é AMAR um clube.

 

Se nós partimos para esta final na ressaca de uma derrota no antro com requintes de malvadez, o que dizer de, apenas quatro dias depois, perdermos novamente aos 92’?! Depois de uma 1ª parte completamente dominada por nós (somente com o aspecto negativo de revelarmos muita parcimónia na altura de rematar à baliza), o Chelsea adianta-se no marcador pelo Torres aos 60’, mas nós conseguimos igualar através de um penalty do grande Cardozo aos 68’. Aos 92’, quando eu vejo a bola em balão em câmara lenta na minha cabeça cabeceada pelo Ivanovic fazer um arco para dentro da nossa baliza, tive a mesma reacção que se tem ao ver um acontecimento inacreditável: fiquei estático, anestesiado, letárgico e sem querer acreditar no que estava a ver! A sério, não é possível!!! Ainda agora, 12 horas depois, custa-me a acreditar no que se passou: em somente quatro dias, nós perdemos uma final europeia e (muitíssimo provavelmente) o campeonato, de um modo mais do que injusto, através de golos no período de desconto! Nem nos nossos piores pesadelos, pensámos que isto fosse possível, muito menos em apenas quatro dias! Não me cansarei de repetir: QUATRO DIAS!!! (Por contraponto, haverá certamente muita gente vil, rasteira, baixa, reles, cuja inútil existência se alimenta somente do ódio a terceiros e que, no fundo, é um desperdício de matéria orgânica que nunca na vida terá tido um orgasmo tão bom.) Ninguém merece! NINGUÉM MERECE!!! Muito menos os bravos que estiveram em campo e os enormes bravos na bancada. A reacção dos adeptos do Benfica no final do jogo foi dos momentos em que mais orgulho tive de pertencer a esta família. Revelou GRANDEZA! Que é muito diferente de ser grande. Há quem diga que o é (grande, embora seja apenas regional), mas NUNCA na vida revelou Grandeza. E a sorte tem bafejado esses, numa demonstração clara para mim da inexistência de Deus (ou então, se Tu existes mesmo, podes ir para o raio que te parta, minha refinada besta!). E mesmo os (para aí) cinco adeptos desses clubes que se aproveitam, e não são ou escumalha ou acriticamente acéfalos, não mereceriam uma coisa destas. Quanto mais nós…!

 

Não tenho vergonha nenhuma de dizer que chorei no final do jogo. Não foram umas lagrimazitas, chorei mesmo. Não chorava com uma derrota do Benfica desde que os lagartos vieram ganhar à Luz na penúltima jornada da época 1985/86 oferecendo o campeonato ao CRAC. Tinha 10 anos. Mas ontem foi impossível conter-me por variadíssimas razões:

- Chorei de raiva por causa de duas injustiças seguidas do tamanho do mundo.

- Chorei, porque até poderíamos ter jogado mal e merecido perder. Porque poderíamos ter jogado assim-assim e o Chelsea ter sido mais eficaz. Mas não! Fomos melhores e fomos derrotados novamente no período de compensação!

- Chorei, porque depois de tudo o que fizemos esta época é inacreditável pensar que a poderemos terminar sem nenhum troféu ganho. (Quero acreditar que não, que a equipa vai dar a volta em termos psicológicos e derrotar o Guimarães na final da Taça).

- Chorei, por ter visto in loco o maravilhoso povo benfiquista a chegar a Amesterdão aos magotes, de todas as formas e feitios, para apoiar a equipa durante os 90’ como nunca me lembro de ter acontecido (é que não só não deve ter havido um único momento de pausa, como eu não me lembro de ter visto um jogo tantas vez de pé) e, não só a não ser recompensado com a vitória, como voltar a perder da mesma maneira de Sábado… (Já disse que ninguém merece isto?!)

- Chorei, por ver que a reacção dos jogadores no relvado assim que o árbitro apitou era igual à nossa.

- Chorei, porque nem na porra do último lance do jogo, já depois do 1-2, tivemos sorte no ressalto quando o Cardozo estava quase na cara do Cech.

- Chorei, porque se aquela final Man. Utd – Bayern da Liga dos Campeões jamais irá ser esquecida pelos adeptos do futebol, nós tivemos duas edições disso em apenas 96 horas!

- Chorei, porque sei que isto vai custar IMENSO a passar (nunca irá passar para mim…) e porque, 12 horas depois, a escrever esta crónica no avião de regresso a Lisboa, ainda tenho que fazer algumas pausas, porque o ecrã fica momentaneamente embaciado…

 

No entanto, podem perguntar-me se, mesmo que soubesse previamente o resultado e a forma como ele aconteceu, deixaria de fazer esta viagem? NUNCA na vida! Foi um orgulho ter estado presente num evento que fez transbordar a minha alma de benfiquismo. Para mim, o Benfica é isto! Onze jogadores em campo a dar esta vida e a outra para tentar ganhar um jogo. Nas bancadas haver um apoio incansável e os adeptos, apesar da derrota, tributarem a equipa do modo como o fizeram no final da partida. Eu não sou do Benfica, porque temos ganho muito ao longo da nossa história. Eu não quero ganhar sem olhar a meios (como outros…). A Grandeza de um clube não se mede só por vitórias. Mede-se também, e muito, no modo como se ganha e, sobretudo, como se perde. Ser magnânime é muito importante, porque isso revela a nossa condição humana e ultrapassa a fronteira estritamente desportiva (por exemplo, o facto de termos convidado para assistirem à final os dirigentes das equipas que eliminámos nesta inesquecível caminhada foi algo que me deixou tremendamente orgulhoso). O Benfica e os valores que o norteiam tornam-me uma melhor pessoa. Não tenho dúvidas nenhumas acerca disso.

 

Neste longo testamento, uma última palavra para os jogadores. Não vou destacar ninguém em particular. Houve uns que jogaram melhor do que outros, o que é normal. Mas estiveram TODOS à altura do acontecimento e todos honraram (e de que maneira!) o manto sagrado. E eu nunca vos peço mais do que isso. MUITO OBRIGADO a todos eles, na pessoa do grande capitão Luisão! É uma frase feita, da qual eu nem gosto muito, mas que aqui se exige: vocês são uns campeões e nunca esquecerei o quanto nos deram este ano! Pode não ser em títulos, mas em algo que, apesar de não poder ser contabilizado, é muito mais importante para mim: o facto de terem contribuído para o crescimento do (já ENORME) orgulho que eu tenho em ser benfiquista!

 

VIVA O BENFICA! Sempre.

 

P.S. – Este obrigado aos jogadores é naturalmente extensível à equipa técnica e a todos os dirigentes do Benfica que contribuíram para esta caminhada. E volto a repetir o que já disse aqui: se, por algum motivo (e quer ganhemos ou não a Taça de Portugal), o Jesus não continuar no Benfica (apesar das palavras do presidente, as declarações do próprio foram enigmáticas), será uma terrível perda para nós.

 

P.P.S. – Eu sou um gajo democrático e, por norma, aprovo todos os comentários. Entre seis milhões de adeptos, há espaço para muita gente. Mesmo para quem é idiota ou cega. Depois daquela demonstração de querer, categoria e crença de ontem, quem vier aqui dizer que estivemos mal, porque deveríamos ter feito isto ou aquilo, ou que o Jesus errou seja porque colocou aquele e não outro, como por dever ter optado pela táctica ‘x’ em vez da ‘y’, ou se insere na primeira categoria ou na segunda. As simple as that. É preferir olhar para um arbusto em vez de ser para a floresta inteira. Têm direito a tempo de antena, mas não esperem resposta da minha parte. Tenho mais que fazer e não quero ser batido em experiência…

por S.L.B. às 22:27 | link do post | comentar | ver comentários (27)
Terça-feira, 07.05.13

A semana ideal

Eu posso ter muito defeitos, mas há alguns ‘istas’ que eu felizmente não sou, no caso corrente, estalinista ou portista: quer isto dizer que não apago nem reescrevo a História. Vem este intróito a propósito de, por diversas razões (uma, duas, três, quatro, cinco e, principalmente, seis), me considerar absolutamente insuspeito para declarar o seguinte: no mais curto espaço de tempo durante esta semana, deveria ser formalizada a renovação do contrato do Jorge Jesus. O “só falta assinar” que referiu o Luís Filipe Vieira na entrevista à Benfica TV deveria rapidamente ser passado para o “já assinou”. Não tenho dúvidas que isto daria um óptimo sinal à equipa, ao próprio Jesus e também a todos nós nesta semana absolutamente decisiva para o nosso futuro imediato.

 

Mas vou ainda mais longe: independentemente do que suceda até final da temporada, repito, independentemente do que suceda até final da temporada, seria um enorme retrocesso se o Jorge Jesus não fosse o nosso treinador para a(s) próxima(s) época(s). Por várias razões:

 

1) Fazendo uma análise fria aos últimos três anos e onze meses, ganhámos até ao dia de hoje menos títulos do que desejaríamos, mas reduzimos significativamente a diferença em relação ao CRAC, que deixou de ter o campeonato ganho logo em Janeiro e agora tem concorrência a sério. Basta-nos sermos “concorrentes”? Claro que não! Mas se não tivéssemos encurtado distâncias, os títulos ficariam ainda mais longe (segunda metade dos anos 90 e primeira dos anos 2000, anyone?!)

 

2) Chegámos a 1 de Setembro de 2012 sem o meio-campo titular da época passada e a 7 de Maio de 2013 estamos na frente do campeonato com dois pontos de avanço a duas jornadas do fim, oito anos depois regressámos à final da Taça de Portugal e 23 anos depois voltámos a uma final europeia! Imaginem o que seria se, entre Javi García e Witsel, apenas um tivesse cá ficado…

 

3) Se no início desta temporada me dissessem que iríamos jogar a Bordeús nos oitavos-de-final de uma competição europeia com um quarteto defensivo formado por André Almeida, Jardel, Roderick e o avançado do Paços de Ferreira, Melgarejo, a defesa-esquerdo e ganhássemos o jogo, eu telefonaria imediatamente para o Júlio de Matos a denunciar o caso…

 

4) Melgarejo e Coentrão, de extremos a laterais (com o segundo a valer 30M€), Enzo Pérez, de extremo-direito a médio box-to-box, Di María, de “remate mais ridículo da história do futebol” a 33M€ para o Real Madrid, Witsel, de 6M€ a 40M€ em apenas uma temporada, André Almeida, do Benfica-Santa Clara a uma meia-final europeia como defesa-esquerdo também somente num ano, são tudo demasiados exemplos para serem apenas “coincidência”…

 

5) Se me dizem “está bem, mas o que interessa são títulos e, apesar de estarmos em três finais, não só não ganhámos nada, como ainda podemos perder tudo”, eu respondo “estou totalmente de acordo, mas tenho apenas duas palavras: Bayern e Heynckes”.

 

P.S. – Claro que, depois do modo como foi feita a renovação do Jorge Jesus logo a seguir a termos sido campeões, tendo o Benfica, nomadamente o seu presidente, criado as condições para que ele pudesse cumprir os quatro anos de contrato apesar de nem sempre ter conseguido atingir os objectivos propostos, e estando o país e a Europa no estado em que está, talvez fosse agora simpático da parte do Jorge Jesus, numa demonstração de boa vontade num futuro vínculo, valorizar mais os prémios por objectivos em detrimento do que recebe mensalmente.

por S.L.B. às 13:32 | link do post | comentar | ver comentários (38)
Domingo, 05.05.13

Competência oral

Jogo: Nacional – CRAC

 

Facto: no início do período de compensação, os adeptos do Nacional começaram a gritar pelo Benfica e cantaram o “SLB, Glorioso SLB”.

 

Transcrição do comentário do Luís Freitas Lobo: “haverá muitas formas de apoiar uma equipa… [pausa] a sua equipa. Esta não é de certeza, na minha opinião, a melhor, seja ela [com ênfase] qual for. A melhor forma de os adeptos apoiar [sic] a sua equipa é gritar o nome da sua equipa.”

 

O grande Gwaihir já o adjectivou aqui, mas permito-me acrescentar o seguinte:

 

1) Fico contente por verificar que no Estádio da Madeira não existe aquela cera especial para os ouvidos que existe no estádio do CRAC, já que nas diversas vezes em que o Sr. Luís Freitas Lobo lá comentou jogos, nunca se lhe ouviu UMA ÚNICA palavra acerca da versão ordinária do “SLB, Glorioso SLB” que aquela reles escumalha canta cada vez que marca um golo. Como diria (com ênfase) o Sr. Luís Freitas Lobo, “seja em que jogo for”.

 

2) No entanto, por outro lado, há que reconhecer com frontalidade quando as coisas são bem feitas. Este comentário do Sr. Luís Freitas Lobo revela indiscutivelmente a sua competência. Não na análise de jogos (já que, por exemplo, a criatura continua a afirmar que o Ola John é extremo-direito de origem e rende mais no lado direito do que no esquerdo… I rest my case quando à sua suposta sapiência futebolística), mas noutra actividade particularmente cara a alguns dirigentes do CRAC. O que o Sr. Luís Freitas Lobo fez ontem foi um dos melhores e mais competentes fellatios que alguma vez já vi ser feito. Aparentemente a única diferença entre ele e a fruta para dormir, é que ele tem tempo de antena na televisão. Um conselho para o futuro: quando toda a gente se aperceber da sua terrível mediocridade na análise de jogos, pode sempre tentar uma carreira numa determinada indústria cinematográfica. Jeito para isso não lhe falta e poderá ser um sério candidato aos AVN Awards.

por S.L.B. às 12:00 | link do post | comentar | ver comentários (16)

Explicação para a “lógica”

Depois dos critérios enunciados pelo Benfica para a venda de bilhetes para a final da Liga Europa, impunha-se responder à pergunta que ficou neste post: seria obviamente ilógico que um sócio sem Red Pass que comprasse uma viagem para Amesterdão na “Benfica Viagens” tivesse o bilhete do jogo garantido. O Benfica decidiu dar primazia na aquisição de bilhetes aos sócios com os vários tipos de Red Pass em vez de dar aos pacotes da agência de viagens. É um critério certo, justo e lógico.

 

Não obstante isto, o que acho que poderia (e deveria) ter sido feito, para evitar as confusões de 6ª feira era a “Benfica Viagens” não ter pacotes de viagens disponíveis ANTES de o Benfica publicitar o critério da venda de bilhetes. Na prática, teria sido um adiamento de umas quantas (poucas) horas, que certamente não teria sido nada prejudicial à própria agência (dado que no início da tarde de 6ª feira, antes de se saber os critérios de venda, a ida e volta no mesmo dia custava 530€ e no final dessa mesma tarde, depois de ser conhecidos os critérios, já estava a 580€…).

por S.L.B. às 10:59 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 03.05.13

"Lógicas"

Há coisas que, sinceramente, gostava muito de perceber. Ora bem, no espaço comercial do Estádio do Sport Lisboa e Benfica, há algo chamado "Loja do Sócio" que tem vários departamentos lá dentro, todos com a identificação "Benfica". Um deles é a "Benfica Viagens", que está a organizar viagens para Amesterdão para ir e vir no dia do jogo (como costuma fazer quando há jogos importantes das competições europeias, que justifiquem encher charters no próprio dia). Até aqui, tudo bem e tudo normal. O que é extraordinário é que, ao contrário do que é habitual, desta vez o bilhete do jogo não está garantido! Isto dito pela senhora da "Benfica Viagens". Nunca esteve incluído no preço de pacotes deste género, mas estava sempre garantido, como é óbvio. Mas não, desta vez, resolveu-se inovar ("foi o Benfica que assim decidiu", disse-me ela, acrecentando, "eu não sou do Benfica, sou da Benfica Viagens"). Concluindo: por absurdo que seja, pode haver pessoas que gastam mais de 500€ para ir a Amesterdão e não têm bilhete para ir ao jogo!

 

Dizem-me que a "Benfica Viagens" é a "Top Atlântico", mas chama-se "Benfica Viagens" por causa dos descontos que dá aos sócios do Benfica. Excuse me? Come again? Então é "Benfica Viagens", está na "Loja do Sócio" do Estádio do Sport Lisboa e Benfica, mas no fundo não tem nada a ver com o Benfica, é isso? Que mal pergunte... então porquê o nome "Benfica Viagens"?! Alguma alma caridosa e inteligente me pode explicar isto?

por S.L.B. às 17:35 | link do post | comentar | ver comentários (7)
Sexta-feira, 19.04.13

Chama Imensa 1904

Há quem marque golos no relvado e há quem os marque fora dele. Podemos conseguir algo histórico esta época. Não deixemos fugir a oportunidade. Nós acreditamos! Viva o BENFICA!

 

por S.L.B. às 18:58 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Sábado, 09.02.13

Pedro Proença - recordar é viver

Ora, como vamos ter que levar com este senhor no jogo frente ao Nacional, aqui vai uma actualização das maravilhas que ele consegue fazer sempre que arbitra um jogo nosso. Sejamos justos e louvemos-lhe a coerência e a uniformidade de critérios que exibe sempre contra nós. E, como (infelizmente) ainda lhe faltam alguns anos para acabar a carreira, qualquer dia o vídeo destes roubos, perdão, equívocos durará meia parte de um jogo de futebol. Um desafio: tentem ver isto acreditando que são só uma série de infelizes coincidências. Se conseguirem, depois vão à Lapónia e dêem os meus cumprimentos ao Pai Natal, sff.

 

por S.L.B. às 03:00 | link do post | comentar | ver comentários (26)
Segunda-feira, 22.10.12

Eleições V

Como não estamos na Coreia do Norte e, felizmente, não somos como um certo clube de outro Norte, há duas listas candidatas aos órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica. Ainda bem que assim é, porque num clube que foi democrático MUITO antes do próprio país o ser, seria muito mau que só houvesse lista única. E, ao contrário de há três anos, parece-me que a lista que se candidata contra a actual direcção não passará o vexame de ficar em 3º lugar na contagem, com metade da votação dos votos… em branco. Isso também é muito positivo, porque precisamos de uma discussão séria e elevada (apesar de nada disto se ter visto até agora, mas tenhamos esperança…), e não de apresentações em aviões e Carlos Azenhas(?!) como treinador principal…

 

Levanto aqui algumas questões que gostaria de ver respondidas (não tenho tido muito tempo livre ultimamente, pelo que, caso já o tenham sido, agradeço que me digam onde as posso procurar):

 

1) Porque é que, no “mandato desportivo”, que efectivamente o foi… ao nível das modalidades, o respectivo vice-presidente (João Coutinho) não faz parte da lista de Luís Filipe Vieira?

 

2) Gostaria que Varandas Fernandes e José Eduardo Moniz explicassem muito bem as razões pelas quais há três anos faziam parte da oposição e agora fazem parte da lista de LFV. Acho que era muito útil saber o que os fez mudar de opinião.

 

3) Gostaria que ambas as listas apresentassem os nomes que irão propor para a SAD ANTES das eleições. Nomeadamente, se o Sr. José Veiga terá lugar na SAD de Rui Rangel.

 

Muitas vezes não concordo com os meus companheiros de blog, mas num ponto estamos de acordo: Sr. José Veiga, não, obrigado! Se eu já acho motivo de grande embaraço alguém ter sido sócio de um certo clube, o que dizer de outro alguém que já foi presidente de uma casa desse clube e que até já recebeu o galardão máximo que essa organização distribui? Portanto, se ele fizer parte de alguma estrutura directiva, isso facilitará a minha decisão. Restar-me-ão, como há três anos, duas hipóteses para exercer o meu voto.

 

[Adenda: uma fonte muito segura esclareceu-me as razões pelas quais o João Coutinho não faz parte da lista de LFV. São questões de ordem pessoal que nada têm a ver com o Benfica. Considero-me esclarecido.]

por S.L.B. às 00:18 | link do post | comentar | ver comentários (14)
Sábado, 01.09.12

Hara-Kiri

Vender um jogador que actue no campeonato português por 20 M€ é um bom negócio. Vender por 20 M€ um jogador que custou 7 M€ é um muito bom negócio. Vender um médio-defensivo por 20M€ na actual conjuntura de crise (Ibrahimovic custou 20 M€ e o Lavezzi 30 M€ ao PSG) é um excelente negócio.

 

Então, porque é que vender o Javi García por 20 M€ é um péssimo negócio?

 

1) Porque é um jogador fundamental que sai 10M€(!) abaixo da cláusula de rescisão (ao contrário do que foi prometido);

 

2) Porque nós não acautelámos essa saída (se a época estava prevista com Javi + Matic + “jovens da equipa B”, se sai o primeiro e não o substituímos, é óbvio que ficamos mais fracos, por mais que se tente dourar a pílula);

 

3) Porque não se desfalca a equipa de uma peça fundamental no último dia do mercado sem ser pela cláusula de rescisão! É básico e é senso comum (“precavemos assim futuros problemas de tesouraria”? Mas, no início de Julho, esses problemas não se vislumbravam? Foi preciso chegar a 31 de Agosto para nos darmos conta disso?);

 

4) Porque não se percebe que, estando o Javi García na porta de saída e não havendo tempo nem dinheiro para ir ao mercado, o Airton esteja no Flamengo e o Nuno Coelho a treinar na praia (ambos contratados com a anuência do actual treinador, acrescente-se. Dizer que são os “jovens da equipa B” que podem fazer o lugar é colocar-lhes nos ombros uma pressão desmesurada. O mesmo se aplica ao Matic, que nem é trinco de origem).

 

Mas, pronto, tínhamos que fazer dinheiro e saiu o Javi García. Tudo bem. Adiante.

 

Desde o começo da pré-temporada que foi afirmado por responsáveis do nosso clube que queríamos um defesa-esquerdo. Possivelmente, a posição mais deficitária da equipa. Ou seja, tínhamos dois meses para o arranjar (eu não quero ser mau e dizer que há mais de um ano que andamos à procura de um defesa-esquerdo… mas adiante). Chegamos a 1 de Setembro e esse defesa-esquerdo não veio. O nosso treinador veio dizer que o Sílvio era uma “invenção” dos jornais. Pois claro que era, porque raio de carga de água é que nós iríamos querer um internacional português que seria não só uma solução para a lateral-esquerda, como daria um substituto para o Maxi (que há quatro anos que pura e simplesmente NÃO se pode lesionar sob pena de a nossa época terminar aí) e ainda por cima preencheria uma vaga na Uefa para “jogadores formados no clube”?! Era um 3 em 1, como disse o Velho Estilo. Claro que tinha de ser “invenção” dos jornais…

 

A prioridade era um defesa-esquerdo, mas fomos gastar 9 M€ no sexto extremo do plantel (nota pessoal: eu acho que a partir de 6/7 M€ um jogador tem que entrar de caras na equipa titular, tipo Gaitán, Cardozo, Simão, mas também me lembro que o Ola John deu cabo da cabeça ao Maxi no ano passado. Vamos aguardar que não seja um novo Sabry…). A prioridade era um defesa-esquerdo, mas fomos contratar o sétimo extremo do plantel (embora o Salvio seja um jogador fabuloso e, independentemente de quanto terá custado, vá ser sempre uma pechincha no futuro, como o Cardozo ou o Simão). A prioridade era um defesa-esquerdo, mas fomos contratar um ponta-de-lança de 29 anos pela cláusula de rescisão (já agora, se foi pela cláusula, porque é que tivemos que emprestar o Michel? E, se emprestámos o Nélson Oliveira para “jogar mais” porque estava tapado pelo Cardozo e Rodrigo, qual é o sentido de vir agora o Lima? Já para não falar das dispensas do Saviola e Rodrigo Mora. E o que é que o Kardec está a fazer no plantel? Não, espera, não me digam que o mercado na Rússia fecha só no dia 6 e que…?!). A prioridade era um defesa-esquerdo, mas vamos fazer metade da época (pelo menos) com o Melgarejo (de quem gosto muito) adaptado e o Luisinho. A defrontar o Messi e o Hulk. Pronto, está bem, deve ser porque eu não percebo mesmo nada disto.

 

Independentemente das decisões parecerem o mais absurda e incompreensíveis possível, eu gosto de perceber o que está por detrás delas. Qual o racional e a lógica que presidiram a essas mesmas decisões (tipo: emprestar o João Pereira a meio de uma época, dispensá-lo no final da mesma e ir a Braga buscar o Luís Filipe por 2 M€). Confesso que, nesta pré-época e especialmente neste último dia de mercado, tenho dado imensas voltas à cabeça e não consigo mesmo ver o que terá levado os responsáveis do Benfica a tomarem este tipo de decisões. Gostaria que alguém me explicasse, “como se eu fosse mesmo muito estúpido”. (E provavelmente sê-lo-ei, porque isto tudo me parece tão amador que não quero pensar que quem toma este tipo de decisões no meu clube o possa assim tanto ser…)

por S.L.B. às 20:04 | link do post | comentar | ver comentários (52)
Quinta-feira, 30.08.12

Sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões

Como no ano passado, quase que acertei na mouche, vamos repetir a brincadeira.

 

Pote “Este era o que eu queria”:

 

Barcelona

BENFICA

Ajax

Nordsjaelland

 

Até conseguir ver o Messi ao vivo, irei sempre torcer para que nos calhe o Barcelona na fase de grupos. Com o Ajax, seriam dois jogos com tradição e, como geralmente nos damos bem com equipas holandesas, poderíamos ter boas hipóteses. Este grupo tem a mais-valia de não levarmos com o Barça nos oitavos.

 

 

 

Pote “O 1º lugar é possível”:

 

Arsenal

BENFICA

Anderlecht

BATE

 

De todos os cabeças-de-série, acho que os gunners serão os que estarão mais ao nosso alcance até porque geralmente nos damos bem com equipas inglesas. Com o Anderlecht e o BATE, é para um mínimo de 10 pontos.

 

 

Pote “E não querem que joguemos ao pé-coxinho para ser ainda mais difícil?”:

 

Real Madrid

BENFICA

Juventus

Borrusia Dortmund

 

Sem comentários…

 

 

Pote “Se formos parar à Liga Europa, ao menos é com honra”:

 

Bayern Munique

BENFICA

Juventus

Montpellier

 

Perspectivas de grandes jogos e casas-cheias na Luz, com o vice-campeão europeu e dois campeões nacionais. Repetir a Juventus é uma necessidade, porque perder a qualificação para os oitavos para o campeão italiano, que está no pote 3(!), não seria desprestigiante.

 

 

(E agora uma inovação em relação ao ano passado) Pote “Nós e os novos-ricos do futebol europeu”:

 

Chelsea

BENFICA

Paris Saint-Germain

Málaga

 

Nome, história e tradição (x1) vs. dinheiro (x3). Quem ganharia?

 

 

Escaldado com o ano passado, o meu desejo esta época é conseguir o 2º lugar no grupo, ter uma eliminatória entusiasmante com um tubarão nos oitavos e depois concentramo-nos é no campeonato, e deixarmo-nos (o nós majestático é para não escrever só o nome do nosso treinador…) de sonhos utópicos. A passagem para os oitavos é essencial para as finanças, especialmente se (como espero) não vendermos ninguém até depois de amanhã. Por isso, a (conquista da) Liga Europa pode esperar este ano. TEMOS é que ser campeões nacionais!

por S.L.B. às 14:21 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Sábado, 11.08.12

Só porque é bom recordar...

E porque reescrever o passado ou fingir que não aconteceu nada é próprio de ditaduras sanguinárias. Infelizmente, em Portugal, há demasiada gente SEM vergonha NENHUMA na cara que vai ladrar e pedir um castigo de meses para a atitude (feia) do Luisão. Mas vão tentar fazer-nos esquecer que os seus telhados têm demasiados vidros e que na altura estiveram bem caladinhos como ratos que são.


Independentemente da atitude do Luisão, acho esta cena do árbitro demasiado surreal para ser só coincidência. Há uns anos, houve quem dissesse que foi vítima de um "assassinato por meios audiovisuais". Agora, há um árbitro que desmaia por um encosto no peito. Parece-me tudo tentacular demais...
por S.L.B. às 18:23 | link do post | comentar | ver comentários (24)
Segunda-feira, 14.05.12

Lema de vida

“Nunca discutas com um idiota. Ele faz-te descer ao seu nível e depois ganha-te em experiência.”

 

Melhores marcadores de sempre do Benfica em jogos oficiais 

É a 4ª melhor média por época e o Cardozo tem menos de metade das épocas de todos os que estão à sua frente. 

 

Melhores marcadores de sempre do Benfica em jogos do campeonato nacional 

A 3ª melhor média por época e também menos de metade das épocas de todos os que estão à sua frente.

 

Melhores marcadores de sempre do Benfica em jogos das competições europeias 

 

Se mantiver a média para o ano, tornar-se-á o segundo melhor marcador de sempre na Europa.

 

(Estas estatísticas foram gentilmente roubadas do facebook dos nossos amigos do Benfiquistas desde Pequeninos.)

 

Tendo ganho o troféu de melhor marcador do campeonato pela segunda vez, o Cardozo junta-se a uma lista de somente quatro nomes que o conseguiram ser com a camisola do Benfica. Por ordem cronológica: Julinho, José Águas, Eusébio e Artur Jorge. Gente pouco ilustre, como se pode ver…

 

P.S. - Apesar de uma procura exaustiva, infelizmente não consegui encontrar uma lista dos seguintes troféus para avançados: “maior velocidade com a bola”, “corrida mais longa em campo”, “camisola mais suada no fim dos 90'”, “maior elegância no relvado”, “maior eficácia” (por alguma estranha razão, no final ganha quem marca 2 golos mesmo que seja em 5 oportunidades do que quem marca 1 golo numa oportunidade). Se alguém me puder ajudar em encontrar estas listas, ficaria muito agradecido.

por S.L.B. às 11:50 | link do post | comentar | ver comentários (53)
Segunda-feira, 30.04.12

Quarto de hotel

(Isto é um post sobre a indústria hoteleira. Qualquer semelhança com outras realidades é pura coincidência…)

 

Um quarto num hotel de cinco estrelas é muito caro. Se o pudermos pagar, é natural que exijamos a melhor retribuição possível. Porque se não houver excelência, a relação qualidade-preço ficará inapelavelmente comprometida. Suponhamos que haveria uma lista de 11 coisas que eram imprescindíveis para tal (limpeza diária, mini-bar cheio, plasma, etc.). Na nossa primeira semana nesse quarto, tudo correu às mil maravilhas e estávamos deliciados com a nossa estadia. Mas na segunda semana, uma dessas coisas (imaginemos que era o plasma) deixou de funcionar. Foi corrigido na terceira semana depois de várias chamadas de atenção da nossa parte, mas para cúmulo do azar houve outra que passou a ser negligenciada (a limpeza da casa-de-banho, por exemplo). Nós voltámos a alertar para a situação, mas só no último dia dessa semana é que essa limpeza foi efectuada. Como se o quarto nos estivesse a desafiar: “já que tu ficaste tão satisfeito na primeira semana, vamos lá a ver se nas duas seguintes eu te consigo agradar só com 10 coisas da lista em vez das 11”…

 

Independentemente deste facto, nós sabemos que o quarto desse hotel só será nosso enquanto tivermos a capacidade para o pagar. A não ser que sejamos um Abramovich e o pudéssemos reservar para toda a vida. Sabemos que o nosso pior inimigo até poderá vir a ficar nele nos tempos mais próximos. Portanto, tomá-lo como “nosso” seria pouco inteligente. O quarto será de quem pagar mais por ele, porque é essa a sua função. E, se formos inteligentes, não criaremos laços emocionais com esse quarto precisamente por causa disso: está ao nosso serviço só temporariamente, enquanto pagarmos por ele (diferente, por exemplo, dos laços que se criam com o quarto da nossa casa em que, mesmo que não nos tenha prometido, como o do hotel, que fôssemos lá dormir duas ou três vezes melhor do que dormimos no ano anterior – coisa que até foi verdade na primeira semana –, pelo menos temos a certeza de que o nosso maior inimigo nunca lá dormirá).

 

A decisão sobre se ficaremos ou não nele na quarta semana não deve ser baseada, quanto a mim, nesse receio de que o nosso maior inimigo poderá lá ficar. Até porque sabemos que isso vai inevitavelmente acontecer, porque ele já o visitou, gostou dele, apesar de nunca lá se ter hospedado, e tem meios para o pagar. Portanto, se nos concentrarmos nesse acessório (cuja concretização na realidade é apenas uma questão de tempo), perderemos de vista o essencial: será que esse quarto nos satisfaz? Será que fomos felizes nele no conjunto das três semanas? Será justo o preço que pagámos perante o rendimento que obtivemos dele? Será que é desculpável o facto de na terceira semana o quarto ter sido melhor limpo no único dia em que estávamos de smoking, contrariando o que nós lhe dissemos que o importante era estar limpo nos outros dias todos, em que estávamos vestidos normalmente? Será que o hotel tinha potencialidades para nos oferecer mais e melhor, e só não o fez porque o quarto decidiu que dentro dele só entravam os produtos que era queria (e teimou que no seu mini-bar só haveria Charles House mesmo que o Cardhu estivesse na garrafeira)?

 

Independentemente da decisão que tomarmos, é bom termos em mente uma coisa: aquele até pode ser considerado o melhor cá no burgo, mas não é o único quarto de hotel de cinco estrelas que existe.

por S.L.B. às 14:45 | link do post | comentar | ver comentários (38)
Quarta-feira, 28.03.12

Rescaldo de ontem

Assobiar um jogador do Benfica em pleno jogo (ainda por cima da Liga dos Campeões) ainda consegue ser mais idiota do que achar que o Emerson tem qualidade para ser titular do Benfica.

por S.L.B. às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (51)
Terça-feira, 27.03.12

Em dia de sobremesa

Não nos esqueçamos que a avaliação de um restaurante passa sobretudo pelo prato principal...

 

P.S. - A quem de direito: a época do Koeman foi boa para ele pessoalmente. NÃO foi boa para o Benfica.

por S.L.B. às 10:29 | link do post | comentar | ver comentários (30)
Terça-feira, 20.03.12

Mister

Três. Seguidas. Em nossa casa. Contra o maior rival. Em menos de um ano. Eu sei que o senhor é treinador, não é adepto, mas confie em mim: isto dói-nos. Muito. Deixa marcas. Cicatrizes. Foram humilhações suficientes para os próximos… deixa lá ver bem… hummm… 100 anos! No mínimo.

 

Os quartos-de-final da Liga dos Campeões são bons para o nosso prestígio. E para o seu. Mas não são um título. Quando se visita o museu do clube, não há lá nenhum troféu de “quartos-de-final da Liga dos Campeões”. Ao contrário da Taça da Liga. Eu sei que ninguém lhe liga. Mas isso é porque os outros rivais ainda não a ganharam. E, portanto, desdenham-na. O campeonato está a apenas um (dois na prática) ponto de distância. Mas não dependemos de nós. Podemos ganhar os jogos todos até final e não sermos campeões. A Liga dos Campeões é boa para o prestígio. Mas já cumprimos a nossa obrigação. Se não a ganharmos (utopia…), ninguém poderá dizer que foi um falhanço.

 

Ao contrário da (por agora) ida à final da Taça da Liga. Porque isso significaria a quarta derrota em casa. Contra os mesmos. Em menos de um ano. Recorde muito difícil de bater. Ainda mais do que já é agora. O senhor não quererá certamente ficar com essa (ainda maior) mancha no currículo. É para a Taça da Liga, mas até podia ser para a Taça Chiclete. É uma prova oficial. E, principalmente, é em nossa casa.

 

Revendo os três últimos jogos, há uma constante: entrámos sempre a medo e oferecemos tempo ao adversário. Umas vezes, meia-parte. Outras, 20’. Mas partimos sempre em desvantagem. Diga lá aos rapazes (e a si próprio, já agora) que não é preciso ter medo. Estamos em nossa casa. Perante os nossos adeptos. Para se ganhar, é preciso jogar para ganhar. Desde o primeiro minuto. Mas eu não preciso de lhe dizer isto. Porque o senhor é bom treinador e sabe melhor do que eu. Apesar de não ter parecido nos últimos três jogos. Foi um momento mau. Perdão, foram três momentos maus. Mas, pronto, isso é passado. O que interessa é ganhar hoje. Obrigado pela atenção.

 

Viva o BENFICA!

por S.L.B. às 09:50 | link do post | comentar | ver comentários (18)
Quinta-feira, 15.03.12

Prova de existência

Caro Deus,

 

Sinto-me um pouco idiota por Te estar a escrever, porque não acredito na Tua existência. Mas, pronto, como há milhões de pessoas que crêem em Ti, vou dar-te uma oportunidade de me demonstrares que efectivamente existes e não és apenas, citando Nietzsche, “a maior invenção da Humanidade”.

 

Portanto, façamos de contas que és de facto o criador do mundo e tens poder sobre todas as coisas. Assim sendo, há oito anos, permitiste que uma determinada equipa, paradigma do jogo sujo, desleal e corrupto, ganhasse a Liga dos Campeões. E ganhou-a derrotando na meia-final o actual 1º classificado da… II Divisão espanhola e na final o actual antepenúltimo(!) classificado da… II Divisão francesa. Repito: apenas oito anos depois, ambos os clubes estão nas II Divisões dos respectivos países! Sendo que, antes de defrontar esse dito clube há oito anos, a primeira equipa eliminou o Milan (ganhando em casa por 4-0 depois de perder em San Siro por 4-1… ou seja, uma hecatombe bíblica inédita na história do grande clube italiano) e a segunda equipa eliminou o Chelsea. (É só comparar onde estão hoje estas quatro equipas para ver o nível de sorte - ou o nível de ajuda Tua - que esse determinado clube teve nessa época).

 

Ora bem, este ano, tens a grande oportunidade de Te redimir. É muito simples, basta só fazeres o seguinte emparelhamento no sorteio dos quartos e meias-finais da Champions desta 6ª feira: Apoel - Benfica vs. Marselha - Chelsea e do outro lado Real Madrid – Barcelona vs. Bayern Munique – Milan. Tirando o primeiro, estás à vontade para alterar a ordem dos jogos e tudo. Repara: eu não Te estou a pedir que faças o Benfica ganhar os jogos (isso dependerá do nosso merecimento), estou a pedir-Te um nível de sorte no sorteio semelhante ao que deste a um determinado clube há oito anos (sendo até que este teve mais, porque nenhuma das equipas “do outro lado” que irá chegar à final é propriamente o Mónaco…). Mas caso insistas mesmo em atirar um tubarão para cima de nós, ao menos faz com que a 1ª mão seja na Luz.

 

Já agora, e prometo ser a última coisa que Te peço, se a Uefa continuar com os seus critérios inexplicáveis de fazer com que quatro das equipas tenham seis dias de intervalo entre as duas mãos (Quarta e Terça seguinte) e as outras quatro tenham oito (Terça e Quarta da outra semana), e porque o jogo do campeonato entre as duas mãos é frente ao Braga, ao menos coloca-nos neste segundo grupo. Se fizeres tudo isto, prometo abanar um pouco as fundações da minha certeza da Tua não-existência.

 

Muito obrigado e as minhas saudações respeitosas,

 

S.L.B.

 

P.S. - Tirando Real Madrid, Barcelona e também o Bayern, acho sinceramente que temos as nossas hipóteses com qualquer um dos outros adversários.

por S.L.B. às 01:00 | link do post | comentar | ver comentários (21)
Sexta-feira, 02.03.12

Original ou sequela

Meu caro Jorge Jesus,

 

Eu gosto de acreditar nas pessoas, de ver que o que elas dizem acontece de facto. Quando o senhor chegou ao Benfica, afirmou que consigo nós iríamos jogar o dobro do que com o seu antecessor. Foi um discurso mobilizador e que teve correspondência prática (ou que pecou por defeito, visto que jogámos o triplo ou o quádruplo do ano anterior…). No entanto, este tipo de discurso muito confiante nas suas capacidades é algo perigoso, porque se se falha a frustração é muito maior. Foi o que aconteceu na época passada, quando o senhor falou na Champions no início da temporada e depois foi o que se viu…

 

E, perdoar-me-á, foi o que se viu na semana passada, quando o senhor disse que quem deveria estar nervoso eram os outros clubes por estarem atrás do Benfica e a resposta prática não foi espetar quatro batatas em Coimbra (a única consequência possível para este tipo de discurso), mas sim… empatar o jogo. Sim, falhámos imensos golos de baliza aberta, sim, fomos roubados (apoia-se o Fernando Gomes para a Liga e posteriormente para a Federação, e depois está-se à espera de milagres… mas isto é outra história), porém empatámos um jogo que não poderíamos deixar de ganhar. Principalmente, depois daquele seu discurso e na véspera de recebermos o CRAC.

 

Veio o senhor dizer agora que esta partida com os assumidamente corruptos não é decisiva. É o discurso que se tem que ter para fora, eu percebo, porque ainda faltam alguns meses para terminar a época e “matematicamente”, na pior das hipóteses, quatro pontos (na prática) de desvantagem não é uma distância insuperável. No entanto, espero sinceramente que, para dentro do balneário, o discurso seja outro. É claro que este jogo é decisivo. Da mesma maneira que a vitória sobre eles em Dezembro de 2009, com uma quase equipa B, foi decisiva para a conquista do campeonato, ou como a humilhação sofrida em casa no ano passado foi decisiva para o penoso final de época. É que, meu caro Jorge Jesus, a última imagem é sempre a que fica. De nada nos serve recordes de vitórias seguidas, o melhor futebol desde a primeira passagem do Eriksson, grandes goleadas, se no fim não ganharmos nada. E, a minha convicção pessoal (eu sei que sou pessimista por natureza), é que se não ganharmos mais logo, dificilmente ganharemos alguma coisa (incluindo a Taça da Liga) até final da época. Sim, temos mesmo que ganhar, o empate não serve. Por uma questão de confiança ou, neste caso, de falta dela. Tal como a tal derrota na Luz na época passada minou a confiança de uma equipa que tinha conseguido 18 vitórias consecutivas e até fez com que, duas semanas depois, desbaratássemos em casa uma vantagem de 2-0 conseguida no campo deste mesmo adversário. Mas o senhor certamente saberá melhor isto do que eu.

 

Estamos no momento crucial da época, em que saberemos se iremos ter uma reedição do que se passou no ano transacto, ou se iremos ver um filme novo. Em qualquer um dos casos, nós, os adeptos, saberemos tirar ilações no final desta temporada. Espero que o senhor também as saiba tirar. É que este ano não temos desculpa. Até estamos a jogar com guarda-redes e tudo, veja lá. E nós, adeptos, por muito que não percebamos como é que se tem um campeão europeu e mundial na bancada, e se joga com um jogador que, ainda em Coimbra, esteve duas vezes à vontade na grande área contrária sob lado esquerdo, com todo o tempo do mundo para colocar a bola num dos nossos e ela fica no primeiro defesa, ou como é que se deixa ir embora em Janeiro o único substituto do plantel para o Maxi Pereira e não se vai buscar mais ninguém (sim, eu estive no Benfica-Santa Clara e vi os jogos da pré-época: não temos mesmo mais ninguém), pondo-nos a rezar a todos os santinhos para que o uruguaio não se lesione até final da época, nós, adeptos, dizia eu, só queremos é que independentemente de tudo o Benfica conquiste títulos. Algo que só acontecerá se ganharmos hoje. Digo eu.

 

Para terminar, meu caro Jorge Jesus, o senhor que se tem em tão boa conta (e justificada, porque é de facto um óptimo treinador) não quererá perder o campeonato para o ex-treinador do Espinho e Santa Clara (com o devido respeito) e estreante na I Liga, pois não?!

 

P.S. – Contra esta minha teoria de que mesmo se empatarmos hoje não seremos campeões, posso dizer que durante a época do Trapattoni nunca me passou pela cabeça que o poderíamos ser (até o mesmo ter passado pela cabeça do Luisão). A meu favor, posso relembrar que o fomos com três pontos de vantagem sobre o CRAC, que perdeu 24(!) em casa… E, antecipo-me já, nada me dará mais prazer do que vir aqui no final da época dizer que estava redondamente enganado!

 

P.P.S. – Se acho que podemos ganhar hoje? Claro que sim! Se até quando jogávamos com o Bossio, quando os centrais eram o Paulo Madeira e o Ronaldo, quando o Jamir estava plantado no meio-campo, ou o Pringle era mais um defesa contrário, eu tinha sempre esperança de ganhar…

por S.L.B. às 11:28 | link do post | comentar | ver comentários (24)
Quarta-feira, 22.02.12

Hino ao Fut(r)ebol

Futebol não é os programas de debate desportivo, onde as primeiras imagens que passam dos jogos são os casos de arbitragem, mesmo que o jogo não tenha sido muito polémico; futebol não é (não devia ser…) as frutas, os chocolatinhos e as jogadas de bastidores; futebol não é alguns jogadores acharem-se superiores ao próprio jogo e ficarem muito ofendidos quando o público grita o nome do actual melhor jogador do mundo, seu suposto rival (como se fossem ambos do mesmo planeta…).

 

Não, futebol é o que se passa dentro do campo, mas também a maneira como se vive o jogo e se o respeita. Ou seja, como se mantém acesa a chama do adepto mesmo sendo-se jogador. E isso passa essencialmente pela capacidade de admirar outros jogadores. O Rui Costa esteve na Noite do Futrebol e o que se passou foi um verdadeiro hino ao jogo. O Maestro e o Futre são dois dos maiores génios futebolísticos que este país já viu, mas não deixaram que isso influenciasse o seu carácter, o que os torna igualmente grandes Homens. Que gostam mesmo de futebol e principalmente sabem o que ele significa para os que o mantêm: nós, os adeptos.

 

Duas pequenas histórias contadas no programa comprovam essa grandeza de ambos: quando o Futre voltou à selecção depois das lesões, o Rui Costa era o número 10 e já tinha mais internacionalizações do que ele, pelo que pela tradição deveria ser ele a manter a camisola. Só que o Rui disse ao Futre: “nunca joguei contigo à bola sem que tu fosses o 10 e não há-de ser amanhã também.” Por outro lado, o Rui Costa definiu o Futre como ninguém: “não são muitos os génios do futebol que têm tanta admiração por outros jogadores de futebol.”

 

Revejam as repetições do programa. Vale mesmo a pena. Quanto mais não seja para rever as imagens de grandes golos e magníficas assistências do nosso Maestro.

por S.L.B. às 01:47 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Quinta-feira, 16.02.12

Desejo

Espero que daqui a três semanas o Estádio da Luz faça parecer a recepção do Nou Camp ao Figo aqui há uns anos uma brincadeira de crianças quando aquele cão imundo nos poluir com a sua presença...

 

Só se a sua carreira acabar abruptamente e com bastante dor é que eu alguma vez sentirei que foi feita justiça. E abrirei uma garrafa de champagne para comemorar. Que animal hediondo!

por S.L.B. às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (29)
Sexta-feira, 16.12.11

Sorteio da Liga dos Campeões

Calhou-nos o Zenit de São Petersburgo nos oitavos-de-final da Champions. Em teoria, não foi um mau sorteio, embora entre os possíveis adversários só o Milan fosse de facto um tubarão. Mas mais vale o Zenit do que o Nápoles, Lyon ou Marselha.

A nosso favor, temos o facto de o campeonato russo estar a sair da pausa de Inverno na altura dos jogos, o que nos pode dar vantagem na questão do ritmo de jogo (porém, convém não esquecer que na época do Trapattoni defrontámos o CSKA Moscovo também em Fevereiro e fomos eliminados). Independentemente disso, há que assumir sem complexos o favoritismo nesta eliminatória, já que, para além de nós sermos cabeças-de série, é a primeira vez que o Zenit se qualifica para os oitavos-de-final da Champions e eles encontram-se abaixo de nós no ranking da Uefa.

Eu sei que o Zenit deu recentemente uma grande alegria a todos os desportistas ao eliminar da Champions um clube assumidamente corrupto, mas por isso mesmo a sua tarefa já foi cumprida. Escusa de ir mais além, no entanto o Danny que fique descansado que cá estaremos nós para continuar a defender o bom-nome de Portugal, tal como ele o fez.

P.S. – Todavia, atenção que todas as cautelas são poucas. Também no ano passado fiquei contente com o sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões e depois da Liga Europa, e foi o que se viu… Muito cuidado com o jogo da 1ª mão, se eles ficarem em vantagem, são muito bons no catenaccio, ou não fossem treinados por um italiano.

por S.L.B. às 14:27 | link do post | comentar | ver comentários (14)
Quarta-feira, 07.12.11

Lembrete

Só para relembrar a quem de direito que jogar contra o Bayer Leverkusen, Marselha, Zenit São Petersburgo, (e no campo das hipóteses prováveis) Ajax, Lille ou Nápoles não é propriamente a mesma coisa que defrontar o Barcelona, Real Madrid, Bayern Munique, Chelsea, Inter de Milão ou Arsenal (claro que o Milan no primeiro grupo ou o poderoso Apoel no segundo seriam a fava e o brinde, respectivamente).

 

Portanto, vamos lá tratar de ganhar em casa ao último classificado do nosso grupo, que em cinco jogos ainda não conseguiu pontuar, ok? Para desilusões, já nos bastou o que aconteceu na passada Sexta-feira…

por S.L.B. às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Sábado, 03.12.11

Ás de Trunfo (ou a falta dele...)

Eu admito que sou um gajo com algumas idiossincrasias às vezes pouco compreensíveis para muita gente. Uma das quais é uma derrota na Taça de Portugal ser a mais dolorosa para mim. Porque uma derrota no campeonato geralmente não é decisiva, uma nas competições europeias também não (e, se for, ganhar essa competição nunca é um objectivo primordial) e não me lembro da última vez que perdemos para a Taça da Liga (por acaso, até me lembro, foi frente ao V. Setúbal na terrível época de 2007/08). Por isso, fico absolutamente lixado com F maiúsculo quando somos eliminados da Taça de Portugal. Especialmente por causa disto: porque ficamos sem o nosso ás de trunfo para a temporada. Ou seja, por muito mal que corra uma época, se ganharmos a Taça de Portugal, especialmente por ser o último jogo do ano futebolístico (e a última imagem é a que fica com mais nitidez – época passada, anyone?!), as coisas terminam inevitavelmente numa nota positiva.

 

Além disso, há outros factores que contribuem para a importância desta competição: tem imensa tradição e prestígio, só os provincianos não gostam do local da final (com uma envolvência difícil de igualar), somos o clube com mais troféus conquistados e melhor que ganhar o campeonato é fazer a dobradinha. Numa nota pessoal, gosto imenso de ir ao Jamor e já há imenso tempo que não ponho lá os pés.

 

Por tudo isto, custa-me a aceitar que há sete anos que não vamos a uma final e há oito que não a ganhamos. E custa-me especialmente a aceitar a 2ª parte que fizemos frente ao Marítimo, nomeadamente depois de estarmos a ganhar ao intervalo. Havia que comer a relva para se estar à altura da história do Benfica nesta competição. E não se fez isso. Lamentavelmente.

 

P.S. -  O último jogo do campeonato antes da pausa natalícia é no dia 16 de Dezembro e o da próxima eliminatória é no dia 21, não é? Pois bem, mandasse eu no Benfica e os jogadores só iriam para férias no dia 22. E mais: obrigá-los-ia a irem ver ao vivo o jogo em que deveriam estar em campo. Ou seja, reservava já bilhetes para o Belenenses - Marítimo.

 

P.P.S. – Agora, se fazem favor, senhores jogadores e equipa técnica do Sport Lisboa e Benfica, vamos lá ganhar o campeonato para podermos esquecer isto, ok?!

por S.L.B. às 23:59 | link do post | comentar | ver comentários (28)
Sexta-feira, 30.09.11

Anda muita gente a dormir…

A propósito disto e disto.

 

Há certamente madrilenos que ainda não foram ver o Guernica. Há de certeza parisienses que ainda não puseram os olhos ao vivo na Mona Lisa. E o Estádio da Luz ainda não está todo ocupado com Red Passes. A diferença, meus caros, é que o Picasso e o Da Vinci estarão para sempre naquelas cidades, enquanto este Senhor está no seu último ano de contrato. E, mesmo que o renove (como revelaria inteligência da nossa parte), não ficará cá a vida toda.

 

 

Vá… depois não digam que eu não avisei. Não desperdicem a oportunidade de ver ao vivo uma obra-prima a cada toque na bola!

por S.L.B. às 14:25 | link do post | comentar | ver comentários (23)
Quinta-feira, 15.09.11

Vê lá se aprendes!

 

 

Peço desculpa pela violência da linguagem, mas é para ver se ele mete isto na cabeça de vez.

 

Olha lá, ó Cardozo, que história é esta de dominares a bola de peito, bateres o defesa do vice-campeão europeu com uma rotação de tronco e atirares uma bomba para dentro da baliza com o teu pior pé?! E, ainda por cima, tu que só sabes marcar golos "de encostar" e perante "equipas fraquinhas"... Quanto é que tu metes nessa tua cabeça que um avançado não está lá para marcar golos, hein?! O que a malta quer, e muito bem, é um Usain Bolt na frente de ataque e que de preferência seja bom na "nota artística". Agora, um que só saiba meter a bola na baliza não nos serve para nada! Vamos lá ter isso em atenção e vê lá se é preciso que a malta te continue a assobiar para ver se aprendes de uma vez por todas, ok?

por S.L.B. às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (32)
Quinta-feira, 25.08.11

Brinquemos aos sorteios

Pote “Este era o que eu queria”:

 

Barcelona

BENFICA

BATE Borisov

Genk

 

Tenho a pecha de não ter visto o Maradona ao vivo, não queria passar pelo mesmo em relação ao Messi. Esta questão podia ficar despachada já e, com este grupo, o 2º lugar TINHA de ser nosso. Além disso, não levaríamos com o Barça nos oitavos.

 

 

Pote “O 1º lugar é possível”:

 

Arsenal

BENFICA

Basileia

Otelul Galati

 

Sem o Fabregas e o Nasri, os gunners estão mais fracos. Já lhes ganhámos este ano na Eusébio Cup. Os campeões suíços e os romenos têm que estar ao nosso alcance e 12 pontos contra eles não deveriam ser utopia.

 

 

Pote “E não querem que joguemos ao pé-coxinho para ser ainda mais difícil?”:

 

Real Madrid

BENFICA

Manchester City

Borrusia Dortmund

 

Sem comentários…

 

 

Pote “Se formos parar à Liga Europa, ao menos é com honra”:

 

Manchester United

BENFICA

Bayer Leverkusen

Nápoles

 

Perspectivas de grandes jogos e casas-cheias na Luz. Leverkusen traz-nos MUITO gratas recordações.

 

 

Agora mais a sério: estando no pote 2 somos sempre favoritos à qualificação para os oitavos-de-final, mas repito pela enésima vez que, dinheiro à parte, prefiro uma conquista da Liga Europa do que a chegada aos oitavos-de-final da Champions. O primeiro entra no palmarés, o segundo não. Isto por duas razões: por um lado, a Liga Europa do ano passado ainda me está atravessada na garganta, por outro, teremos mais hipóteses de ultrapassar os oitavos se ficarmos no 1º lugar e evitarmos os tubarões dos outros grupos.

 

Mas dado que o nosso grande objectivo é o campeonato, temos ainda mais razões para passarmos a fase de grupos da Liga do Campeões, onde teremos previsivelmente menos jogos que na Liga Europa. Espero que todos no Benfica tenham aprendido com a lição do ano passado e que este ano dispensemos Lacazettes para chegar onde quer que seja.

por S.L.B. às 14:36 | link do post | comentar | ver comentários (20)
Quinta-feira, 28.07.11

Ontem na Luz

Eu: Que grande golo do Gaitán!

Sócio: Mas ele não está a jogar nada!

Eu: Está bem, mas marcou um golão!

Sócio: E depois, o que é que isso interessa?! O Cardozo também marca muitos golos e não joga nada!

Eu: Tem razão! Acho inadmissível o Benfica ter um jogador que só sabe marcar golos…

Sócio: Mas você gosta do Cardozo?! Então como é que explica que ele seja assobiado?

Eu: Porque a malta que o assobia é que percebe de futebol e eu não… Bons, bons eram o Pringle, o Delibasic, o Marcel e outros que tais que a malta assobiava menos.

Sócio: Não falo mais consigo! Eu percebo de futebol e você não. Você acha que o Cardozo é bom.

Eu: Pois é, eu não percebo nada de futebol. Aliás, sou eu e o Jorge Jesus, que nunca prescinde dele…

[Silêncio]

Eu: Mas numa coisa tem razão: escusamos de falar mais. O senhor bate-me em experiência…

 

Haja p-a-c-h-o-r-r-a…!

 

P.S. – Sim, o Cardozo ontem jogou pouco.

por S.L.B. às 15:39 | link do post | comentar | ver comentários (36)
Segunda-feira, 18.07.11

Linhagem

Depois do Bossio, Moretto, Roberto, parece que vamos agora ter o Eduardo. Depois de ajudarmos a argentina, brasileira e espanhola, está mais que na altura de ajudarmos a avicultura portuguesa. Em tempos de crise e de FMI, temos que comprar o que é nosso. Acho bem.

 

Não estou de acordo com o presidente do Génova ("com Eduardo temos sempre de contar com cinco frangos por época"). Espero bem que no Benfica não dê nenhum, porque seria sinal que o Artur Moraes jogaria sempre e ficaríamos descansados em relação à baliza.

 

Outra hipótese para justificar esta contratação/empréstimo é aprofundarmos as relações de vizinhança e querermos que o Rui Patrício seja o próximo titular da selecção. Também espero que isto aconteça, pelas mesmíssimas razões do parágrafo anterior.

 

(Sim, eu sei que temos que ter guarda-redes portugueses, porque mais do que um estrangeiro para a baliza seria desperdiçar vagas preciosas para jogadores não-nacionais, mas tínhamos lá o Moreira, não? Se lhe tivesse sido dito que seria a segunda, e não a terceira, opção para a baliza, ele não ficaria?)

 

P.S. - Do meio-campo para a frente estamos muito bem servidos. Este ano, se se lesionar um Salvio ou um Gaitán estiver esgotado fisicamente, há opções válidas que os poderão substituir e que, em princípio, não hipotecarão as hipóteses de títulos, como sucedeu na época transacta. Só mais dois desejos: o Luisão é OBVIAMENTE para ficar (tem cláusula de rescisão de 20M€, paguem-na e não podemos fazer nada; menos do que isso, obrigado, adeuzinho e voltem sempre) e o Urreta também (para casmurrices já serviu o ano passado, está bem, Jesus?).

por S.L.B. às 13:14 | link do post | comentar | ver comentários (74)
Domingo, 03.07.11

Nuno Gomes no Braga

1) Nenhuma pessoa é mais importante do que o Sport Lisboa e Benfica.

 

2) O clubismo de um jogador de futebol, por muito sincero que o seja, nunca é igual ao de um sócio ou adepto de um clube. E quem diz jogador, diz treinador, como prova o que se passou num certo clube mais a norte. Porque nós, sócios e adeptos, não somos “profissionais de futebol” e portanto nada mais temos em que pensar senão na nossa paixão pelo clube.

 

3) Ao que se sabe, o Braga foi o único clube nacional que fez uma proposta ao Nuno Gomes. Tendo ele sido pai há pouco tempo e tendo ainda pretensões de ir à selecção (com os concorrentes Postiga e Hugo Almeida é mais que viável…), é natural que a sua primeira opção fosse ficar em Portugal para ficar mais visível ao Paulo Bento.

 

4) Tomando os pontos anteriores em consideração, não me faz muita confusão que o Nuno Gomes vá para o Braga. Far-me-ia mais se fosse para o CRAC ou os lagartos. Ou que, tendo tido outras hipóteses em Portugal de equipas que jogam para a Europa, tivesse optado pelo Braga. Ao que se saiba, não foi o caso.

 

5) Sim, é verdade, principalmente desde há dois anos para cá, o Benfica tem sido muito mal tratado em Braga. Mas é uma situação conjuntural e passageira. O Braga NUNCA se poderá comparar a nós. Disputou um campeonato connosco, mas a diferença de grandeza é incomensurável. Por muito barulho que uma formiga faça, nunca chegará aos ouvidos de um elefante. É dar importância a quem não a merece. Querem odiar-nos agora? Por mim, tudo bem. É-me completamente indiferente.

 

6) Não percebo quem acha que, com esta ida para Braga, o Nuno Gomes poderá ter hipotecado um futuro no Benfica como dirigente. Se até o nosso presidente ilibou logo na altura o presidente do Braga dos problemas que tem havido na pedreira, não sei como é que um jogador de futebol poderia ter culpas no cartório. Claro que o caso mudaria de figura se o Nuno Gomes manifestasse no futuro desrespeito pelo Benfica (cânticos, gestos, etc.), o que sinceramente muito me espantaria. (Se bem que, ainda recentemente, há quem nos tenha feito manguitos e depois tenha vindo poluir a nossa camisola…)

 

7) O Nuno Gomes esteve 12 anos no Benfica. Não nasceu benfiquista (caso contrário, seria provavelmente o Nuno Nené), mas agora, por mais camisolas que vista, não deixará de ser do Benfica. Outros há que, por mais que vistam a gloriosa camisola, jamais serão benfiquistas. E eu sempre preferirei os Nunos Gomes a esses. Porque me identifico mais com quem é do Benfica e respeita o benfiquismo, tendo ou não a águia ao peito.

 

8) Por todo o seu passado, para mim, o Nuno Gomes nunca será um adversário como outro qualquer. Será um adversário que eu vou querer derrotar no campo, mas um adversário especial. Porque sê-lo-á, espero eu, um adversário temporário. Desejo que seja feliz, que marque muitos golos, mas que o Braga só ganhe quatro jogos no futuro campeonato. E, claro, que ele possa terminar a sua carreira desportiva no Euro 2012, para depois iniciar a de dirigente no Glorioso.

 

Boa sorte, Nuno! Até já.

por S.L.B. às 01:26 | link do post
Quarta-feira, 15.06.11

Indignidade

Há maneiras e maneiras de fazer as coisas. Doze anos não são doze dias nem doze meses. O processo que levou à saída do Nuno Gomes do Benfica ENVERGONHA-ME como benfiquista. Já disse mais do que uma vez (aqui e aqui) que, mesmo desportivamente, não fazia sentido nenhum que saísse. E muito menos faz em termos do que é preciso no balneário, onde as referências benfiquistas são tantas quanto Coca-Colas no deserto… Mostrem-me um jogador (UM!) que diga mal do Nuno Gomes como colega ou como profissional. Sim, podem argumentar que o Nuno Gomes já não era titular e era muito pouco utilizado. Mas é o sinal que isto dá! Não só para o balneário como para as bancadas!

 

1994/95 para 95/96: saída de Paneira, Isaías, Mozer e Veloso. 2010/11 para 11/12: saída de Nuno Gomes (também não há mais ninguém do género para sair…). Sou só eu a ver aqui um padrão?!

 

Vir-me-ão dizer que ele já estava velho e que os Felipes Menezes, os Éder Luíses, os Fernándezes é que são o futuro. Toda a gente tem direito à opinião de achar que estes têm lugar no Benfica e um Nuno Gomes não. Mas eu prefiro olhar para o rendimento de um jogador, para a mais-valia que ele pode trazer à equipa e ao plantel, em vez de olhar simplesmente para o B.I. Sim, porque só olhando para o B.I. é que se pode considerar que ele já não tem lugar no plantel. Qualquer outro argumento é rebatido com factos racionais.

 

Mas tudo bem, não se contava com ele para a próxima época. Custava muito ter-lhe e ter-nos dito isso ANTES de a época acabar. Para que ele pudesse ter uma despedida dos adeptos semelhante à do Rui Costa?! Foram doze anos, F***-SE!!! Ou foram os quatro minutos que jogou frente ao Leiria que fizeram quem de direito decidir que ele não tinha lugar no plantel?! Deixa-se o homem ir para férias sem lhe dizer nada e depois sabe pelos jornais que não vai ficar?! Mas o Benfica é isto?! É assim que se trata os símbolos do clube?!

 

Nuno Gomes: muito obrigado por tudo o que deste ao Benfica! Pelos muitos golos, pelas muitas alegrias e pelas muitas manifestações de classe dentro e fora do relvado. E especialmente por isto: porque, ao contrário de outros, tornaste-te tão benfiquista como nós e percebeste o que é o benfiquismo. E, ao contrário de outros, não me consta que alguma vez tenhas feito chantagem com o Benfica, acenando-lhe com propostas de presidentes de clubes rivais e ameaçando ir para lá, na altura de renovar o contrato. Há quem seja bom na sua profissão. E quem também o seja e tenha a mais-valia de ser igualmente benfiquista. Eu continuo a preferir estes. Como tu. Que são quem faz renovar o benfiquismo. Não tens nada que agradecer. Quem te agradece, somos nós. Os Adeptos. Com maiúsculas, tal como tiveste o cuidado de escrever no teu comunicado. Lá está, pequenos pormenores que dizem tudo…

 

Ninguém é do Benfica graças aos "profissionais", um clube puramente racional é um clube que não tem futuro. A emoção é parte indissociável do sentimento de pertença. Tira-se essa parte e não fica quase nada. Trata-se mal um símbolo do clube, trata-se mal o benfiquismo e, no limite, o próprio Benfica. Mas também não se pode esperar muito mais vindo de quem pura e simplesmente não percebe o que é o Benfica… E os jogos com o CRAC em casa na época passada ajudaram igualmente a demonstrar isso.

 

A SAD também não esteve bem neste processo todo. Não se pode dar rédea solta a quem toma as decisões técnicas, senão arriscamo-nos (e estou à vontade para dizer isto, porque até gostava do Camacho) a ter "jorges ribeiros" a voltar a vestir a nossa camisola. Salve-se o facto de este comunicado ter a dignidade que faltou em toda a história. Especialmente se a última frase se verificar no futuro.

 

P.S. – Excepcionalmente a caixa de comentários fica fechada. Estou demasiado chateado para, pela amostra do último post, ter que ler pérolas do género “o Maria Amélia já vai é tarde”… Peço desculpa a todos os restantes que conseguem articular argumentos mais racionais. Para esses, há sempre o email da Tertúlia.

por S.L.B. às 15:49 | link do post
Segunda-feira, 06.06.11

Insensibilidade benfiquista

Adeus a Nuno Gomes

 

Diziam ontem os comentadores políticos que, depois do show off da campanha eleitoral e das eleições, hoje o país caía na vida real outra vez. E essa realidade revelou-se com uma das piores notícias do ano. A confirmar-se (e eu ficaria muito mais descansado se a notícia fosse dada pelo Record em vez de A Bola...), isto só revela que há alguém que continua sem perceber o que é o Benfica. Alguém que nesta época não conseguiu passar a mensagem a quem de direito que NÃO se pode deixar um rival ser campeão na nossa casa. Nem que todos tivessem que comer a relva até fazerem o piso -4 das garagens, isso NÃO podia ter acontecido. Alguém que não conseguiu mentalizar os jogadores que NÃO se pode perder uma meia-final da Taça de Portugal em casa, depois de ganhar 2-0 no terreno de um rival. Alguém que não percebeu que NÃO se pode perder uma meia-final europeia contra o... Braga.

 

Eu sei que não estamos a falar de craques como o Felipe Menezes, o Éder Luís, o Fernández ou outro qualquer contratado depois de visionamentos a altas horas da madrugada de jogos de campeonatos sul-americanos, estamos a falar apenas de um jogador que, só para referir esta época, marcou cinco(!) golos em 95’ em campo. Um jogador que tem 12 épocas de Benfica, que está a apenas dois jogos de chegar aos 400 pelo clube (número que o honraria não só a ele, como ao próprio Benfica) e que é o portador da mística do clube no balneário, mas mesmo assim acho que só uma incompreensível teimosia, estupidez e falta de noção do clube onde se está é que faria alguém não ver a utilidade de um jogador destes no plantel de uma equipa.

 

Quero MUITO crer que isto não passará de especulação jornalística (gostaria de um desmentido no nosso site o mais depressa possível), mas se se confirmar e portanto, ainda por cima, o Nuno Gomes vier a saber em primeiro lugar pelos jornais que não se irá manter no plantel, isto é algo que me ENVERGONHA enquanto benfiquista. Não é maneira de tratar ninguém, MUITO MENOS o capitão de equipa e alguém com 12 épocas de casa! E aí a culpa já não será só de quem acha que ele não é útil no plantel...

por S.L.B. às 13:20 | link do post | comentar | ver comentários (61)
Terça-feira, 05.04.11

«Não consigo estar muito tempo longe do Benfica»

A três jogos de cumprir 400 com a Gloriosa camisola, aconteceu o indesejável imprevisto. Peço a quem pode tomar esta decisão que faça o que DEVE ser feito: não permita que se morra na praia e ajude a escrever mais um capítulo na História do Glorioso. Pelo passado, pelo presente, pelo futuro, pelo rendimento apresentado esta época (sim, bastaria esta época!), pela mística no balneário, por todos nós, sócios e adeptos, e porque, nesta altura muito difícil para ele, seria uma atitude nobre que nos honraria enquanto clube: POR FAVOR, renovem com o capitão! Os Grandes devem ser tratados da mesma maneira e seria da mais elementar justiça que o Nuno Gomes tivesse uma despedida de jogador do Benfica semelhante à do Rui Costa. E não de canadianas...

 

P.S. - Aliás, bastaria o título do post para justificar a renovação...

por S.L.B. às 16:49 | link do post | comentar | ver comentários (18)
Domingo, 03.04.11

Mensagem para o Cardozo

Sou um dos teus maiores fãs, mas o que fizeste hoje foi imperdoável! Estávamos em cima deles e certamente teríamos criado mais oportunidades com 11 em campo. Mandasse eu no Benfica e ficarias sem um mês de ordenado! Quinze dias por teres cometido uma agressão e quinze dias por não teres aprendido nada com o Acosta e o João Vieira Pinto!

 

Se quiseres que eu esqueça e te perdoe isto, tens três taças para nos ajudares a conquistar com golos. Podes começar já na Quinta-feira.

por S.L.B. às 23:15 | link do post | comentar | ver comentários (31)

História

Os jogadores do Benfica têm hoje uma oportunidade única de honrar a história do nosso clube. Exagero? Não creio, senão vejamos: quando se olha para o historial do campeonato, a única equipa campeã sem derrotas foi o Glorioso Sport Lisboa e Benfica. Ora, cabe aos seus jogadores, hoje à noite, não permitir que uma agremiação dirigida por um criminoso e apoiada por adeptos criminosos (e não, não estou só a falar dos elementos da organização mafiosa com capa de claque. São todos! Generalização abusiva? Será? Corrupção e tráfico de influências são crime, certo? Alguém ouviu por uma vez que fosse algum adepto desta agremiação criticar ou defender o afastamento de quem praticou estes crimes de corrupção e tráfico de influências? Se não o fizeram, são cúmplices e coniventes com isso, certo? E ser cúmplice de um crime é igualmente, embora em menor grau, um crime, certo? I rest my case.) inscreva também o seu nome como campeã imaculada sem derrotas.

 

Portanto, srs. jogadores, honrem a nossa história e a história da Humanidade ao fazer com que o Bem derrote mais uma vez o Mal!

 

VIVA O BENFICA!

por S.L.B. às 16:19 | link do post | comentar | ver comentários (19)
Segunda-feira, 21.03.11

Mais dois...

Noventa minutos de utilização total, cinco golos e duas assistências.

 

P.S. - Se o Nuno Gomes se quiser ir embora para ganhar mais num último contrato no estrangeiro, é óbvio que eu percebo e resta-nos agradecer-lhe e dar-lhe a despedida que ele merece. Mas se os responsáveis do Benfica não mostrarem interesse e nem sequer lhe propuserem a renovação, digo aqui claramente que considero isso um crime de lesa-benfiquismo. Além de ser um enorme disparate deixar ir embora um jogador que precisa de 18 minutos em campo para marcar um golo...

por S.L.B. às 23:32 | link do post | comentar | ver comentários (13)
Sexta-feira, 18.03.11

Sorteio da Liga Europa

Iremos defrontar o PSV Eindhoven nos quartos-de-final da Euroliga, com o jogo da 1ª mão a ser disputado pela terceira vez consecutiva na Luz. O PSV está em 1º lugar do campeonato holandês, mas teremos uma grande oportunidade para nos vingarmos da final perdida em 1988. Apesar de nos termos dado bem até agora com a 2ª mão disputada no terreno do adversário, a única coisa que eu alteraria era a ordem dos jogos, já que a 1ª mão disputar-se-á apenas quatro dias depois de recebermos o CRAC para o campeonato. E estarmos a assumir as despesas de duas partidas em casa, que se prevêem intensas, com tão pouco tempo de intervalo, era algo que evitaria se eu pudesse. De qualquer modo, espero que desta vez não consintamos golos caseiros ao adversário…

 

Mas dado que as equipas mais credenciadas eram o CRAC e o Villarreal que não só não nos calharam agora, como também não as defrontaremos numas possíveis meias-finais, fiquei contente com o sorteio. Se (e convém por agora só pensarmos em eliminar o PSV) passarmos, iremos jogar contra o vencedor do Braga – Dínamo Kiev. Teoricamente bastante mais favorável que um Liverpool – Manchester City… E aqui, sim, gostei inclusive da ordem dos jogos, já que teremos a 2ª mão na Luz.

 

Eu, que sou um pessimista por natureza, tenho que dizer o seguinte: temos uma oportunidade muito grande de voltarmos a uma final europeia. Sim, claro, temos que pensar jogo a jogo e por enquanto ainda faltam (esperemos bem) quatro, mas no ranking da Uefa só o CRAC está acima de nós. Acredito que o plantel e equipa técnica estejam todos concentrados nisto e se lembrem que o sorteio da Champions também poderia ter sido teoricamente muito pior, estávamos no pote 2 e depois aconteceu o que aconteceu. Pelo que fizeram no ano passado, a equipa técnica e os jogadores já entraram na história do Benfica. Este ano têm hipótese de acrescentar mais um capítulo, com a pequena diferença que um capítulo destes não é escrito há quase 50 anos…

 

FORÇA BENFICA!!!

 

P.S. – E é aconselhável fazer muitos treinos de conjunto com a equipa que defrontou o Portimonense. Sem o descanso dos titulares, tenho grandes dúvidas que tivéssemos eliminado o PSG. Por mim, o último jogo que os titulares fariam para o campeonato seria contra o CRAC… (Até porque me lembro sempre do que aconteceu ao Diamantino na véspera da final de Estugarda…)

por S.L.B. às 13:14 | link do post | comentar | ver comentários (32)
Domingo, 13.03.11

Factos II

Sim, irei continuar a bater no ceguinho até que alguém me explique de uma maneira que ultrapasse o blá, blá, blá de “o treinador é que sabe” (porque o treinador também “sabia” que o David Luiz deveria jogar a defesa-esquerdo na pocilga e parece que se enganou, não foi...?) porque é que NESTE MOMENTO o Nuno Gomes não tem lugar na equipa titular frente ao último classificado do campeonato, quando o Kardec (jogador que até gosto) está numa forma péssima desde o início de 2011 e o Felipe Menezes continua a exibir a sua velocidade estonteante (antes que me caiam em cima, claro que o Nuno Gomes não era para jogar a extremo-direito, poderia era deslocar-se o Jara para lá...)?

 

Até que alguém me diga por A+B porque é que o Jesus continua a votá-lo ao ostracismo, deixo aqui os números actualizados: 77 minutos de utilização em todas as competições, três golos e duas assistências. Para além da frieza dos números, fui só eu que reparei que o nosso jogo de tabelinhas e desmarcações resultou muito melhor com ele em campo?

 

Oiço dizer que o Nuno Gomes “já não dá mais do que isto”. Mas isso é onde? Nos treinos? (Calculo então que o Kardec e o Felipe Menezes sejam pequenos Maradonas nos treinos... Podem ser jogadores de futuro, mas convém ganharmos no presente, não?). Na playstation? Sim, porque dentro de campo e em competição acho que os números dele são razoáveis, ou estarei enganado? Repito o que disse no outro post: a única crítica que aceito ao Nuno Gomes é que ele demonstra uma ineficácia brutal estando sentado no banco ou na bancada...

 

P.S. - As declarações dele na flash-interview demonstraram, mais uma vez, que o homem é um Senhor. É “mais um no plantel”, sim senhor, mas se 11 anos de Benfica não devem equivaler a tratamento preferencial, acho que também não deve ser menos do que os outros... Em especial, daqueles que NESTE MOMENTO claramente não estão a render em campo...

por S.L.B. às 23:10 | link do post | comentar | ver comentários (47)
Sábado, 12.03.11

Treinador de bancada

Fiquei muito satisfeito ao ver a convocatória do Jesus. Assumimos sem sombra de dúvida que o principal objectivo da época é a Liga Europa, tal como eu já vinha defendendo desde aqui. No entanto, já durante a parte final do jogo em Braga me questionei porque é que o Coentrão não tinha forçado o amarelo, para cumprir a suspensão frente ao Portimonense, e afinal agora também ficou fora dos convocados. Poderíamos e deveríamos ter limpo a defesa titular toda de cartões...

 

Colocando-me eu na pele do Jesus, amanhã jogaria com o seguinte onze: Júlio César; Luís Filipe, Sidnei, Jardel, César Peixoto; Airton; Felipe Meneses, Aimar, Jara; Kardec e Saviola. Se fosse mesmo eu a fazer a equipa, jogaria com o Moreira (como espécie de compensação por não ter sido titular na meia-final da Taça da Liga) e o Nuno Gomes em vez do Kardec, que não tem estado na melhor forma nos últimos jogos.

 

De qualquer maneira, e apesar de o Portimonense ser treinado(?) pelo Carlos Azenha, é sempre bom princípio entrarmos concentrados. Não admito, naturalmente, outro resultado que não a vitória.

 

P.S. - Estas declarações confirmam que este sujeito é COMPLETAMENTE conivente, cúmplice e muito possivelmente ele próprio deu o seu beneplácito ao que se passou. Mais: toda a violência que tem acontecido nas deslocações do Benfica à cidade do Porto, se dúvidas houvesse ficaram agora totalmente esclarecidas, têm-no a ele como principal responsável. E não só moral. Há que acabar com isto o mais rapidamente possível e estou para ver o que vão dizer as instâncias responsáveis pelo futebol nacional depois destas declarações. Mas vou esperar sentado... A minha total solidariedade com o Rui Gomes da Silva.

por S.L.B. às 22:11 | link do post | comentar | ver comentários (34)
Quarta-feira, 23.02.11

Polícia ou símio?

Fui sete vezes ao WC ver o Benfica. Cada vez que vou é sempre a mesma cegada: é um enorme stress entrar naquele estádio. Não faço ideia quem é o rosto da polícia responsável pela organização, mas tenho a certeza absoluta que um bugio não faria pior. Este plano policial está para qualquer lógica, para qualquer tentativa racional de compreensão, para qualquer explicação minimamente plausível, como o presidente do CRAC está para a decência e para a honestidade. Já se sabe que Portugal é um país de forte iliteracia e, quando isso atinge quem tem responsabilidades, está tudo estragado. Quem organiza a entrada naquele estádio percebe tanto disto, como eu da vida sexual das abelhas na Lapónia (para citar uma expressão famosa do Herman).

 

Senão, vejamos: dizem-nos para “chegar cedo”. Muito bem, viável quando o jogo é ao fim-de-semana, mais difícil quando é no final de um dia de trabalho. Mas, na época passada, o jogo foi num Sábado e a rua onde se situa a porta 1, por onde entram os adeptos do Benfica, esteve aberta durante uns longos... 15’! O jogo foi às 21h15 e a rua esteve aberta das 19h15 (horário da abertura das portas) às 19h30. A partir dessa altura, só os elementos dos nossos grupos organizados de adeptos puderam passar. Como chegaram relativamente cedo, “só” tive que ficar à espera durante 1h30 e ainda deu para entrar 15’ antes de o jogo começar. Este ano, a coisa correu de maneira muito diferente:

 

Primeiro problema: se a polícia sabe quantos adeptos vão no cortejo, se o cortejo demora “x” minutos a fazer o percurso Luz - Alvalade, como é que este ano os grupos organizados chegaram ao estádio cerca das 19h30? Ou seja, a apenas 45’ de o jogo começar? Lá está: macaco - parte I.

 

Segundo problema: quando os grupos organizados chegam, a rua é fechada. “Questões de segurança”, dizem eles. Macaco - parte II: porque é que outros adeptos benfiquistas, CLARAMENTE identificados com cachecóis, não podem passar o cordão policial e entrar na mesma porta dos grupos organizados? “São ordens, não posso fazer nada”, foi-me respondido ontem. Sim, porque se está mesmo a ver adeptos do Benfica agredirem outros adeptos do Benfica em pleno WC... A porta 1 tem dois tipos de entrada: para a bancada inferior e para a superior. Os elementos dos grupos organizados preferem naturalmente a bancada inferior, enquanto os outros adeptos do Benfica têm bilhetes para a superior. Ou seja, acontece a situação ridícula de durante todo o tempo da entrada dos grupos organizados (mais de uma hora), só uma das entradas estar a ser efectivamente utilizada, já que a polícia só manda os adeptos dos grupos organizados para a bancada superior quando a inferior está cheia.

 

Terceiro problema: a polícia tem GRANDES dificuldades em perceber que quem paga um bilhete para ir a um jogo de futebol quer ver... 90’ de futebol! Não 85’, nem 80’, nem 75’. Que foi o que eu vi ontem: vi 75’ do jogo e pela 1ª vez na vida perdi um golo do Benfica quando o vou ver ao vivo! Ou seja, é muito engraçado e divertido andar a dividir os grupos organizados em 5 ou 10 grupinhos mais pequeninos. O que o símio que organiza isto não percebe é que isso, que faz demorar ainda mais a entrada, só acicata os ânimos, porque as pessoas querem... VER O JOGO TODO! Os dos grupos organizados, cujos elementos que ficam no fim do cortejo também perdem o início do jogo, e o dos restantes adeptos (mesmo os benfiquistas!) que não conseguem passar enquanto eles não acabam todos de entrar. Macaco - parte III.

 

Por tudo isto que acontece ano sobre ano na “organização de segurança”, por termos a sensação de estar a falar com australopitecos que são incapazes de justificar as suas decisões (pensando melhor, se são ao nível de símios, era difícil encontrar uma justificação racional) e, principalmente, por me terem impedido de ver o 1º golo do Benfica ao vivo, não posso dizer que lamento muito o que lhes aconteceu a meio da 1ª parte...

 

P.S. – Amigos meus pertencentes aos grupos organizados sempre foram muitos críticos do trabalho policial nestas situações e finalmente consigo perceber porquê: porque, para estes símios que são responsáveis por isto, adeptos de futebol são gado que não tem que ser respeitados e cujos direitos não interessam para nada. Tomam decisões absolutamente abstrusas e acham que não é preciso nenhuma explicação. É como é e ponto final. O que é que interessa que se perca grande parte do jogo? Sim, no mínimo, ver um jogo inteiro é um DIREITO que um adepto tem! Perceberam isto, seus monos?!

por S.L.B. às 00:42 | link do post | comentar | ver comentários (40)
Segunda-feira, 14.02.11

Prioridades

Não se leia neste meu post uma qualquer tentativa de ser desmancha-prazeres. Estamos todos mais que contentes devido à qualidade do futebol que temos vindo a apresentar nesta fase da época e das respectivas vitórias. Atingimos finalmente o nível do ano passado e dá gosto ver o Benfica jogar. Só que vamos entrar num mês e meio decisivo para esta temporada, com jogos ao fim-de-semana e a meio da semana.

 

Assim sendo, e já que somos a única equipa portuguesa em quatro competições, teremos inevitavelmente de tomar uma decisão sobre quais são as prioritárias. Não temos (arrisco-me a dizer que nenhum clube do mundo tem) plantel para aguentá-las a todas ao mais alto nível e, infelizmente, o ano passado foi prova disso, quando optámos pelo campeonato, e o jogo na Figueira da Foz, em detrimento da 2ª mão em Liverpool. Ora, com a vitória do CRAC em Braga, acho que a vitória no campeonato ficou muito difícil. Com o que nos roubaram no início da Liga e o que ofereceram ao clube assumidamente corrupto, eles terão de perder três jogos até final para podermos passar à frente (e nós ganhá-los a todos). Partindo do princípio que um deles seria na Luz, restam cinco fora: Olhanense, U. Leiria, Portimonense, V. Setúbal e Marítimo. Sinceramente não estou a ver o CRAC perder mais dois jogos ou empatar três nestes campos. Até porque tenho grandes esperanças que o Sevilha os coloque em seu devido lugar na Euroliga, o que lhes daria só o campeonato e a 2ª mão da Taça de Portugal para se preocuparem.

 

Dito isto, se o Benfica tiver (e acho que, mais tarde ou mais cedo, vai ter) que fazer alguma rotação de plantel, a minha aposta seria claramente fazê-la no campeonato. Que, no fundo, é a única competição em que não dependemos só de nós para ganhar. Desistir do campeonato? NUNCA! Mas fazer alguma gestão com Airtons, Jaras, Felipes Menezes, Kardecs, etc. (os jogos na Taça da Liga mostraram que há jogadores que não são habituais titulares que podem muito bem dar conta do recado) para que os jogadores mais influentes possam estar em pleno nos jogos nomeadamente da Liga Europa. Sim, porque já há alguns anos que não vamos a uma final europeia, ainda há mais anos que não a ganhamos e a eliminatória do ano passado com o Liverpool ainda me está atravessada na garganta. E, depois, acho que uma temporada com a possível conquista de três competições, sendo uma delas uma prova europeia, seria uma temporada fabulosa, não?

 

P.S. – Já sei que este assunto vai dar polémica, mas repito: não se trata de desistir do campeonato! Trata-se de dar descanso a um ou outro jogador nos jogos da Liga, para que estejam em pleno nomeadamente na Liga Europa. Porque o meu receio é que a possamos hipotecar por cansaço (tal como no ano passado) em nome de uma competição que ficou indelevelmente viciada nos primeiros jogos e que realisticamente agora teremos poucas possibilidades de conquistar...

por S.L.B. às 13:00 | link do post | comentar | ver comentários (56)
Quinta-feira, 03.02.11

A história repete-se

  

 

Pouco mais de cinco anos separam estas fotografias. O resultado do jogo foi o mesmo. E estes dois Senhores fizeram um jogão. Senhores, estes, que já estão na História do Benfica. Por tudo o que já fizeram (e ainda fazem) dentro de campo, mas também por gestos como estes. É a chamada "bofetada de luva branca". Com classe e dignidade. Perante a barbárie, responde-se com civilidade. Porque nós somos superiores àquela escumalha em TODOS os aspectos. E conseguimos sair sempre limpos do campo, qualquer que seja o resultado. O que num antro como aquele não é nada fácil. 

 

P.S. - Como me chamaram ontem a atenção, será muito difícil conseguirmos ganhar no antro por menos de dois golos de diferença. Porque, mesmo que sejamos muito superiores, haverá sempre um Pedro Proença para arranjar um penaltizinho fantasma.

por S.L.B. às 22:00 | link do post | comentar | ver comentários (15)
Domingo, 30.01.11

Factos

O Nuno Gomes tem 56 minutos de utilização esta época. Marcou dois golos (Naval e Aves) e fez duas assistências (Arouca - golo Gaitán, Aves - golo Felipe Menezes). Precisa de 14' para estar envolvido em golos do Benfica e de 28' para marcar ele próprio.

 

Numa coisa estou de acordo com aqueles que dizem que ele já só serve para entrar em campo com os jogos resolvidos e perante adversários mais fracos: o Nuno Gomes demonstra uma incapacidade preocupante em, perante adversários de maior nomeada, fazer golos e/ou assistências sentado na bancada...

 

P.S. - Este não é só um post escrito com o coração. O Nuno Gomes não é o mesmo de outrora, como é óbvio, mas os números indicam que ele ainda pode dar-nos mais do que "apenas" (e com muitas aspas) mística no balneário. Ainda por cima, porque o Kardec está muito longe da boa forma (praticamente não existiu frente ao Olhanense e Aves). Não discuto o Cardozo, Saviola e Jara, mas para mim é claro quem deveria vir a seguir na hierarquia dos avançados... E sem ser por favor ou por estatuto. Sim, os outros podem ser avançados de futuro, mas a mim também me interessa muito o presente...

por S.L.B. às 20:45 | link do post | comentar | ver comentários (65)
Domingo, 23.01.11

Reflexão em dia de eleições

No Benfica vota-se electronicamente desde 2006. No país, em 2011, altera-se o número de eleitor das pessoas sem as avisar, impedindo muitas de votar. Ainda há quem diga que o Benfica não é maior do que Portugal...

por S.L.B. às 20:50 | link do post | comentar | ver comentários (31)
Sexta-feira, 17.12.10

Sorteio da Liga Europa

Este post parte do princípio que os jogadores do Benfica não repetirão mais esta época a miserável exibição frente ao Schalke que nos custou um lugar como cabeças-de-série no sorteio de hoje. Assim sendo, pode dizer-se que em teoria ele até nos foi favorável, já que iremos defrontar o Estugarda, penúltimo classificado do campeonato alemão. De todas as equipas possíveis (Liverpool, Manchester City, Bayer Leverkusen, Villarreal, etc.), talvez só preferisse o Twente, embora as equipas do Leste estejam na altura dos jogos a iniciar as suas épocas, mas eu também não me esqueço que fomos eliminados pelo CSKA Moscovo nesta eliminatória na época do Trapattoni.

 

No entanto, há que ter atenção, porque o Estugarda costuma ser muito regular nas suas épocas e só este ano é que se apresenta aparentemente mais fraco. Além disso, um pouco de modéstia e prudência não nos fará mal nenhum, já que nos regozijámos com o sorteio da Champions e depois foi o que se viu. Teremos o primeiro jogo em casa e convém conseguir um resultado que não signifique que tenhamos de ir ganhar à Alemanha, já que isso nunca foi conseguido na nossa história. Se passarmos a eliminatória, defrontaremos o vencedor do BATE Borisov – Paris Saint-Germain, novamente com o primeiro jogo na Luz. Ambas as equipas trazem-nos boas recordações, já que vencemos por duas vezes os bielorrussos no ano passado e eliminámos os franceses na época do Fernando Santos. Como já disse várias vezes, temos este ano a oportunidade de prestar mais atenção à Liga Europa, já que a campanha do ano passado soube-nos a pouco por via da prioridade dada ao campeonato. Está mais que na altura de voltarmos a uma final europeia e temos aqui uma boa oportunidade para isso. Para já, acho que está perfeitamente ao nosso alcance conseguir chegar aos quartos-de-final.

por S.L.B. às 13:23 | link do post | comentar | ver comentários (20)
Terça-feira, 07.12.10

V-e-r-g-o-n-h-o-s-o!

Eu admito tudo nos jogadores do Benfica: admito golos falhados de baliza aberta, admito frangos, admito intervenções desastrosas dos defesas, admito centros para trás da baliza, etc. O que eu não posso admitir é que num jogo decisivo, que valia a qualificação para a Liga Europa, que valia 800.000€(!) e em que estava também em causa o prestígio do nosso clube, a equipa não demonstre uma vontade férrea de ganhar, não demonstre raça, não demonstre ambição e dê a sensação que está a fazer um frete em campo durante grande parte da partida. E consequentemente apresente duas velocidades: devagar e parado. Suar a camisola é o mínimo que se pede aos jogadores que têm a honra de vestir a camisola do Glorioso Sport Lisboa e Benfica! Conseguimos a continuação nas competições europeias não graças a nós, mas graças a um golo do Lyon aos 88'.

 

Já a exibição frente ao Olhanense me tinha deixado muito preocupado, mas isto hoje passou das marcas. Não sei o que se passa, o que sei é que se continuarmos nesta senda exibicional, esta época vai ser um pesadelo. Apesar de ainda estarmos nas quatro competições.

por S.L.B. às 22:37 | link do post | comentar | ver comentários (37)
Domingo, 07.11.10

Ilação

Espero que com este resultado se aprenda de vez que imitar o Jesualdo dá sempre mau resultado...

 

Posto isto, e numa opinião muito pessoal, ganhar a Liga Europa deveria passar a ser o objectivo nº 1 da época (dou o 2º lugar no campeonato como adquirido e a conquista das restantes taças como nº 2 e nº 3).

por S.L.B. às 22:52 | link do post | comentar | ver comentários (38)
Quinta-feira, 23.09.10

Caca de cão

Se há coisa que eu detesto na vida é pisar caca de cão na rua. Porque, por mais que limpemos os sapatos, parece que fica sempre um bocado colada a eles. Ora, o actual treinador do CRAC é um bom exemplo disso. Qualquer coisa que tenha a ver com o Benfica e lá vem ele, qual caca de cão, sempre colado ao nosso sapato. A ânsia de mostrar serviço ao dono é tal que não tem noção da figura ridícula que faz.

 

Vem este preâmbulo a propósito das últimas declarações dele acerca da conferência de imprensa do Sr. Vítor Pereira. Entre outras pérolas, diz esta alimária sobre o V. Guimarães - Benfica que "não me parece que esse jogo tenha sido tão mau quanto isso e que seja suficiente para abrir um precedente". Alguém que treina o clube que treina com todo o historial dos últimos 30 anos e já mesmo desta época, é natural que pense que dois fora-de-jogo mal assinalados em que jogadores ficavam isolados e dois penalties por marcar "não tenha sido assim tão mau"... Continua dizendo que "mesmo nesses erros que o Benfica aponta, o FC Porto acabaria sempre por ganhar esses jogos". Repetindo a analogia que o meu amigo Gwaihir disse ontem no debate, é o mesmo que um serial-killer dizer que não faz mal ter cometido vários homicídios, porque essas pessoas morreriam mais tarde ou mais cedo. Se aquele mentecapto não percebe que um penalty mal-assinalado a seu favor perto do fim do jogo, ou dois penalties escamoteados aos seus adversários quando o resultado estava em 1-0 poderia ter influência no desenrolar da partida, ou é profundamente desonesto em termos intelectuais ou sabe, mas finge que não sabe, qualquer uma das duas hipóteses diz tudo acerca da sua pessoa.

 

Mas numa coisa estou de acordo com este tipo: "o FC Porto refugia-se na sua organização, que é forte." Lá isso é verdade. E, com o fim do Apito Dourado e a impunidade que infelizmente grassa neste país, esta máfia voltou tão forte quanto era.

por S.L.B. às 14:07 | link do post | comentar | ver comentários (62)
Quinta-feira, 26.08.10

Mixed Feelings

Lyon

BENFICA

Schalke 04

Hapoel Tel-Aviv

 

Se, por um lado, nos calhou a equipa menos credenciada do pote 1, o que nos permite sonhar com o 1º lugar do grupo, por outro, vamos defrontar uma das mais fortes do pote 3 (ainda por cima, alemã) e a com o melhor ranking do pote 4. Não é um grupo fácil e é possível que o Lyon perca pontos com todas as outras equipas, tornando a classificação do grupo uma incógnita. Tal como disse aqui, o mínimo exigível para nós é o 3º lugar e, consequentemente, a passagem para a Liga Europa, mas se jogarmos como no ano passado, teremos fortes hipóteses de terminar em 1º. Que nos dará a vantagem de jogar a 2ª mão dos oitavos-de-final em casa e, mais importante do que isso, de possivelmente evitar os grandes tubarões europeus. A ordem dos jogos também será importante e, para começar bem e com uma vitória, queria o Hapoel em casa. Por outro lado, também será bom ir a Gelsenkirchen para limpar um dos momentos mais tristes, para quem gosta de um futebol honesto e justo, que aconteceu naquele estádio há uns anitos.

 

Mas que esta presença na Champions não desvie a atenção da equipa do que é prioritário este ano: tornarmo-nos bicampeões nacionais.

tags:
por S.L.B. às 18:22 | link do post | comentar | ver comentários (20)

Pré-sorteio

Nos dias dos sorteios da Uefa, gosto sempre de especular qual seria o alinhamento de equipas ideal para nós. É um exercício que se esgota logo após o dito sorteio, mas que me permite vivê-lo como se estivesse a ver um jogo do Glorioso, a torcer para que nos calhe esta ou para que fujamos a sete pés daquela equipa.

 

Como estamos no pote 2 (cf. lista completa) e são apuradas duas equipas para os oitavos-de-final, teoricamente uma delas seremos nós. Todavia, os ditos potes por vezes escondem surpresas desagradáveis e, como o futebol (felizmente) não é matemática, nada é certo à partida. Devo dizer a priori que tenho uma idiossincrasia muito particular que é... gostar de ganhar títulos. “Parvoíce”, pensarão alguns, “todos gostamos”. Só que, neste caso, isto reflecte-se em não me importar muito que o Benfica jogue a Liga Europa a partir de Janeiro, porque nesta altura, convenhemos convenhamos, é mais fácil ganhá-la do que vencer a Champions. E entre uns oitavos-de-final da Liga dos Campeões e uma conquista da Liga Europa, nesta fase do nosso clube, eu prefiro mesmo o título. É óbvio que em termos financeiros é infinitamente melhor que prossigamos na Champions, mas como já não ganhamos nada na Europa há uns bons anitos, eu gostaria mesmo num destes anos de ir ao Mónaco em finais de Agosto. Claro que, na prática, como quero que o Benfica ganhe sempre, inevitavelmente acabo por torcer pela qualificação para os oitavos-de-final da maior competição europeia de clubes.

 

Bem, adiante, isto tudo para dizer que para o sorteio, qualquer que seja a combinação de equipas, o mínimo que devemos atingir será a passagem para a Liga Europa. Menos que isso será uma desilusão completa. Por isso mesmo, apresento aqui quatro possíveis grupos, consoante os nossos objectivos:

  

1) Grupo “Ai de nós que não nos qualifiquemos para os oitavos-de-final da Champions

Lyon

BENFICA

Copenhaga

Zilina

  

2) Grupo “A receita está garantida, teremos jogos estimulantes, mas devemos passar” (por isso mesmo, o meu preferido)

Barcelona

BENFICA

Glasgow Rangers

Auxerre

 

3) Grupo “Deixa lá estar isso, é melhor não”

Inter

BENFICA

Tottenham

Rubin Kazan

 

4) Grupo “Se é para ir para a Liga Europa, ao menos não deslustra”

Chelsea

BENFICA

Schalke 04

Twente

 

P.S. – Este post só é pertinente durante mais duas horas e meia... :-)

tags:
por S.L.B. às 14:30 | link do post | comentar | ver comentários (17)
Domingo, 22.08.10

Não dá

A minha opinião está formada desde o jogo com o Guimarães para o torneio da cidade. O benefício da dúvida não é ilimitado e esse jogo tirou-me as dúvidas todas. Para mim, todos os jogadores do Benfica são passíveis de serem elogiados e criticados, dependendo das suas performances. Não é o preço que determina se eu gosto mais de um ou de outro, é o que mostram em campo.

 

Nesse sentido, o Roberto é igual ao César Peixoto, ao Luís Filipe ou ao Cardozo, ou seja, é passível de elogio ou de crítica. Nesta altura, parece-me claro que a sua situação é insustentável. Tal como o César Peixoto, depois da horrível 1ª parte do jogo de Domingo passado, passou de titular a não-convocado, eu espero o mesmo tratamento para o Roberto. Neste momento, acho que é claro que ele não tem condições psicológicas para continuar na baliza do Benfica. Além disso, prefiro ter um jogador com a moral em baixo do que três, e todos na mesma posição. Como se sentirão o Júlio César e o Moreira se continuarem a não ser opção depois do que temos visto do Roberto até agora? Sim, eu sou daqueles que acham que o Roberto poderia ter feito mais em ambos os golos da Académica. É a minha opinião. Não são frangos, mas eram defensáveis, porque no 1º ele fica a meio da viagem e no 2º o remate é a 40 metros da baliza. Porém, nesta partida frente ao Nacional parece-me que não há dúvidas para ninguém. São dois frangos. Sem tirar nem pôr. Que nos custaram três pontos.

 

Provavelmente teremos cometido o erro mais caro da nossa história. (Ou não, se somarmos o Clóvis, King, Dudic, Escalona, Rojas, Thomas, Harkness, etc.) Paciência. Toda a gente tem direito a errar e, depois do que foi feito no ano passado (eu não tenho a memória curta...), a margem de erro é grande. Mas pior do que errar será insistir no erro. O Jesus decidirá e eu seguirei a minha doutrina de nunca assobiar um jogador do Benfica. Seja ele qual for. Mas temo que, caso ele insista na titularidade do Roberto, o seu estado de graça possa estar em perigo, porque nos arriscamos a sofrer mais dissabores como hoje. O que seria muito injusto, porque o Jesus nos colocou a jogar como eu não via há 30 anos. Espero que ele não hipoteque isso por causa de um jogador. É que a insegurança do Roberto contagia a equipa toda (vd. os amarelos que temos levado ao longo destes jogos) e isso foi particularmente visível depois do 1-0, onde nunca mais nos encontrámos. Não se trata aqui de arranjar um bode expiatório na mesma medida que a não-convocação do César Peixoto não o tornou certamente o bode expiatório da derrota frente à Académica. Para mim, a questão é muito simples: acima de qualquer jogador está o Benfica e, neste momento, a minha opinião é que a titularidade do Roberto não está a ser benéfica para o nosso clube.

 

Se alguém inferir deste meu texto que, por eu pensar que se errou numa contratação, estou a pôr tudo em causa (desde o presidente ao roupeiro, passando pelo treinador), é melhor candidatar-se a argumentista de Hollywood, porque tem uma mente muito fértil. Ou então, ir para o Júlio de Matos, porque é maluco. Repito: toda a gente tem direito a errar e, depois do que aconteceu no ano passado, toda a estrutura de futebol do Benfica tem bastante crédito para isso. Continuo a pensar que somos os mais fortes candidatos ao título. Mas começamos a ter uma distância preocupante para o 1º lugar. Há que corrigir isso rapidamente.

 

P.S. – Sim, e para além disto, a festa continua: para mim, há dois penalties a nosso favor. Um sobre o Coentrão e um braço na área. Ambos na 2ª parte. O Sr. Pedro Proença no seu melhor.

por S.L.B. às 00:28 | link do post | comentar | ver comentários (75)
Sábado, 31.07.10

Antropologia

Confesso que, tal como o cientista que vai para a selva estudar novas espécies, tenho curiosidade antropológica por aquelas pessoas que, perante factos, continuam a argumentar em sentido contrário a eles. Por outras palavras, pessoas que persistem em defender que 2+2 são 5, mesmo quando todas as evidências o negam. Vem isto a propósito daqueles que continuam a dizer que o Cardozo é um jogador banal, que deveria ser já vendido e que não nos faz falta nenhuma. A esses, agradeço que respondam à seguinte questão: o Cardozo deve ser despachado o mais rapidamente possível, porque...

 

1) Não interessa quantos golos ele marcou, o importante é que falhou quatro penalties;

 

2) É inadmissível que só tenha marcado quatro golos em três meias-partes que jogou nesta pré-época. Qualquer outro jogador teria feito três hat-tricks no mínimo;

 

3) Ao fim de três anos em Portugal ainda diz “cancha” em vez de “terreno de jogo”;

 

4) Tenho um acentuado problema cognitivo (vulgo, sou burro que nem uma porta) e ainda não percebi que o objectivo do futebol é marcar golos e ter um jogador que os garanta em quantidade (independentemente da técnica ou velocidade que possa, ou não, ter) é priceless.

 

Agradeço antecipadamente a vossa colaboração neste estudo. Muito obrigado.

 

P.S. - Em apenas três épocas, o homem tornou-se o segundo melhor marcador estrangeiro da história do Benfica, tem 93 golos (77 em jogos oficiais). Não perceber isto é não perceber que 2+2 são 4. E não me venham com o argumento que “qualquer outro marcaria muitos mais”. Isso tem tanta lógica quanto dizer “se eu fosse um pássaro, voava”...

por S.L.B. às 00:38 | link do post | comentar | ver comentários (43)
Quarta-feira, 30.06.10

Não sejamos ingratos...

Se há coisa que eu detesto é a ingratidão. Acho que nunca, em caso algum, deveremos ter a memória curta. O reconhecimento a alguém que o merece é sempre devido, especialmente nas alturas em que esse alguém possa estar a passar por maiores dificuldades. E quem perde a memória perde uma condição essencial de ser humano. Serve este preâmbulo para dizer que, passem os anos que passarem e aconteça o que acontecer, eu estarei sempre grato ao senhor professor Queiroz por dois motivos:

 

1) Por ter recusado há dois anos um convite para vir treinar o Glorioso durante quatro(!) épocas;

 

2) E principalmente por isto:

  

 

por S.L.B. às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (16)
Terça-feira, 13.04.10

8.000

Ouvi ontem de manhã um responsável do Benfica dizer que é este o número de bilhetes que falta vender. Eu sei... a crise... o dia do jogo... o horário... o reumático... o passarinho com uma unha encravada, etc., etc., etc. Mas de forma muito clara, acho o seguinte: será absolutamente lamentável que, depois do magnífico campeonato que estamos a fazer, com o título a apenas 10 pontos de distância, a seguir a uma derrota que nos entristeceu e quando a equipa precisa mais do apoio dos adeptos, o estádio não tenha lotação esgotada num jogo com os lagartos a cinco jornadas do fim. Entre 210 mil sócios e um número ainda maior de adeptos, não acredito que todos tenham o cãozinho doente e não possam ir ao jogo. E ainda lamento mais, porque tenho a certeza que, se tivéssemos eliminado o Liverpool, já não haveria bilhetes. "Não perguntes o que o Benfica pode fazer por ti, pergunta antes o que tu podes fazer pelo Benfica!"

 

P.S. - Este post é obviamente dirigido a quem tem uma desculpa esfarrapada para não ir ao jogo. Sim, eu sei que há coisas mais importantes que o Benfica. Poucas, mas há.

por S.L.B. às 00:50 | link do post | comentar | ver comentários (68)
Segunda-feira, 29.03.10

Parabéns, Maestro!

 

E muito obrigado por tudo o que nos tens dado. Que a tua prenda mais desejada seja também a nossa daqui a umas semanitas...

por S.L.B. às 15:24 | link do post | comentar | ver comentários (18)
Sexta-feira, 19.03.10

Sorteio Liga Europa

Calhou-nos o adversário teoricamente mais difícil, mas aposto que os adeptos do Liverpool também não estão nada contentes com o sorteio. Jogaremos a 1ª mão em casa, o que acho que é bom, porque se tivermos um bom resultado, o Di María & Cia, com espaço em Anfield, nem quero pensar... Se os eliminarmos, defrontaremos o vencedor do Valência - Atlético Madrid. Ou seja, calhou-nos os dois adversários mais cotados dos oito.

 

Só mais uma coisita: a final é em Hamburgo e a equipa da casa teve muita sorte no sorteio. Quer dos quartos-de-final (Standard Liège), quer das meias-finais (Fulham ou Wolfsburgo). Ou terá sido "sorte"?

 

De qualquer maneira, se eliminarmos o Liverpool é ainda mais legítimo pensarmos em levantar o caneco.

 

P.S. - Uma vitória frente ao Braga é fundamental para termos margem de manobra para poder gerir o plantel nesta eliminatória dificílima. E tenho muita curiosidade para ver o que farão os lagartos, que lamentaram o facto de o Guimarães não ter querido jogar na 2ª feira depois da ida deles a Madrid na 5ª. A nossa partida com eles está marcada para o Domingo a seguir à ida a Liverpool na 5ª. Se nós quisermos jogar na 2ª feira, estarão eles dispostos a tal ou não terão vergonha na cara?

por S.L.B. às 12:54 | link do post | comentar | ver comentários (33)
Quinta-feira, 18.03.10

Era agora!

[Sms enviada no final do jogo que o Superman Torras me desafiou a publicar]

 

A minha felicidade é indescritível! Se eu pudesse escolher a altura em que morreria, seria uma destas. Se não passássemos, era a injustiça do século. AMO-TE BENFICA!

por S.L.B. às 20:36 | link do post | comentar | ver comentários (11)
Quinta-feira, 25.02.10

Aí está!

Lucílio Baptista no Leixões-Benfica

 

Ou muito me engano, ou o homem vai ter uma grande oportunidade de demonstrar à saciedade o quão injusto tem sido a sua reencarnação como "benfiquista" que os cegos, acéfalos e desonestos intelectualmente argumentam desde a Final da Taça da Liga do ano passado.

 

Preparemo-nos...

por S.L.B. às 14:03 | link do post | comentar | ver comentários (13)
Sexta-feira, 12.02.10

A Mística em 11 minutos

O grande JG fez um texto magnífico sobre um documentário fabuloso intitulado "Benfica É Campeão" de 1960. Façam um favor a vocês próprios e LEIAM-NO JÁ! Mas, como uma imagem vale mais do que 1.000 palavras, por mais que se escreva, nada faz jus a vê-lo.

 

Quem ainda não sabe o que é a mística, tem ali a resposta. Quem já sabe, mesmo assim vai ficar espantado com a sua dimensão. Está ali toda, na sua forma pura e esmagadora. Imperdível e, portanto, impreterível que o Benfica adquira estas imagens. Um Museu sem elas ficaria muito mais pobre.

por S.L.B. às 13:35 | link do post | comentar | ver comentários (18)
Quarta-feira, 10.02.10

O momento da noite

No intervalo do jogo num dos corredores do WC:

 

- Em nome da Tertúlia Benfiquista, muito obrigado por ter ficado no Benfica.

- Obrigado, eu!

 

Grande Capitão!

 

P.S. - A maneira como ele comemorou os golos diz tudo acerca da sua importância no plantel. A mística não é facilmente substituível.

por S.L.B. às 00:09 | link do post | comentar | ver comentários (15)
Quinta-feira, 04.02.10

Ora cá está!

Jorge Sousa no V. Setúbal - Benfica. [link]

 

Vamos defrontar o maior adversário que tivemos até agora. O único que conseguiu parar o Cardozo.

 

O jogo ainda vai ser mais difícil do que era suposto...

por S.L.B. às 12:53 | link do post | comentar | ver comentários (30)
Domingo, 17.01.10

Marítimo - Benfica

É ponto assente que tanto as exibições como os resultados conseguidos pelo Glorioso até agora são muito melhores que os da época passada. Mas como a ambição desmesurada não é saudável, gostaria de dizer aos jogadores do Benfica que hoje ficarei contente com um resultado semelhante ao da temporada transacta...

 

P.S. - Tal como frente à Naval, uma vitória nesta partida será lembrada no futuro, se formos campeões, como fundamental para o título. Há oportunidades que não se podem perder.

por S.L.B. às 13:41 | link do post | comentar | ver comentários (9)
Sexta-feira, 18.12.09

Mas está tudo louco?!

Eu bem sei que a Uefa não permite que clubes da mesma cidade joguem em casa no mesmo dia (até faz algum sentido), mas segundo o site deles, os nossos jogos contra o Hertha Berlin estão marcados para 5ª feira, dia 18 Fev, e para 3ª feira, dia 23 Fev. O problema é que no fim-de-semana de 20 e 21 era suposto jogarmos em casa frente à U. Leiria. Partida essa que, a manter-se este calendário, irá ter que ser adiada. Seria impensável fazermos três jogos em cinco dias. Não acho muita piada a adiamentos de encontros para o campeonato (lembro-me sempre do início da temporada do Fernando Santos, com o caso Mateus-Gil Vicente-Belenenses, que nos fez começar o campeonato logo com pontos de atraso), mas tudo bem.

 

Agora, o que acho mesmo incompreensível é o horário do jogo da 2ª mão na Luz. Cinco da tarde! Eu repito, 17h! Podem conferir aqui. Mas será que a Uefa acha que em Portugal não se trabalha? Marcar-se-á feriado nacional nesse dia? O Benfica será recompensado pela receita presumivelmente inferior que se espera de um jogo à tarde num dia de semana?

 

Não sei se a culpa é da televisão, se é do facto de haver jogos da Liga dos Campeões marcados para esse dia, nem é muito importante a razão. Era bom, sim, era que a Uefa respeitasse um pouco mais os adeptos...!

por S.L.B. às 17:40 | link do post | comentar | ver comentários (17)
Terça-feira, 15.12.09

Mais a frio

Dois dias depois, continuo sem perceber como é que um jogador de futebol, que foi mais que avisado por toda a estrutura técnica e directiva para as provocações que ia ser alvo por parte de uma equipa que estava a soldo de outra, cai que nem um patinho nelas, ainda por cima numa altura em que estamos em desvantagem no marcador.

 

Estamos numa altura crucial da época e o mínimo que podemos exigir aos nossos jogadores é que estejam à altura dos acontecimentos. Ou seja, que acima de tudo sejam inteligentes dentro de campo. Detesto aqueles paizinhos que, por mais asneiras que os filhos façam, estão sempre a desculpá-los. Há que assumir responsabilidades e os jogadores de futebol já são crescidinhos o suficiente para tal. Ainda por cima, um internacional pelo seu país que já este ano ficou afastado de vários jogos da sua selecção por causa de uma atitude irreflectida em campo. Há que não se esquecer do cérebro em casa quando se vai para o campo, mesmo que ele seja do tamanho de uma galinha.

 

Da mesma maneira que, se formos campeões, a vitória frente à Naval irá ser recordada como um dos momentos-chave da época, esta partida frente ao Olhanense, se infelizmente não conseguirmos o título, também irá ser lembrada como um dos motivos que levaram a tal. No ano passado tivemos o Binya na Trofa, este ano o Di María em Olhão. Duas idiotices que nos saíram muito caro.

 

Mas, e aqui é o ponto mais importante, estas conclusões se podem tirar no final da época. A não ser que haja por aqui Zandingas... Por enquanto, estamos em 1º em igualdade pontual com o Braga e o CRAC está atrás de nós. Pelo que se lê por alguns comentários, parece que já estamos arredados do título. A esquizofrenia tem que ter limites. A inteligência infelizmente também, mas a estupidez aparentemente não. Relembro os profetas da desgraça que, no ano do último título, só nos dois jogos contra o Estoril é que conseguimos reviravoltas. Não foi por isso que não fomos campeões. E acho que não é preciso ser muito sagaz para verificar que este ano temos melhor plantel do que em 2004/05. Já para não falar na qualidade futebolística que apresentamos agora. Para a malta que literalmente numa semana acha 80 e na outra acha 8, sugiro uma voltinha na montanha-russa. É mais adequado.

 

Adenda: eu posso até nem concordar com a política de aprovação de comentários de alguns amigos escribas aqui do blog nos seus textos, mas este post não vai servir para que alguns venham aqui escrever sobre esses mesmos escribas. Querem elogiar ou criticar este meu texto, estão à vontade, mas recadinhos paralelos não serão aprovados.

por S.L.B. às 02:40 | link do post | comentar | ver comentários (31)
Sexta-feira, 20.11.09

Tamagnini Néné

Este Senhor (o "s" maiúsculo não é inocente) faz hoje 60 anos. E 41 deles são passados no Benfica. Os números são impressionantes: 575 jogos, 362 golos (média de 0,63 / jogo), 10 campeonatos, 6 Taças de Portugal e 2 Supertaças. É a mística em pessoa. Dos 362 golos, estes três foram certamente dos mais saborosos. Muitos parabéns, Néné!

 

 

P.S. - Apesar destes números, o Néné não era, como se sabe, consensual no 3º Anel. Por vezes, nós, benfiquistas, temos destas coisas. Prestamos mais atenção aos fait-divers como "não sujar os calções" do que aos golos marcados. Que este exemplo do Néné nos sirva de ensinamento para não sermos injustos com alguns dos actuais jogadores. Deixemos os "cabelos" de lado e concentremo-nos na sua importância no plantel. A mística também passa muito por aí.

por S.L.B. às 13:10 | link do post | comentar | ver comentários (42)
Segunda-feira, 16.11.09

Os mistérios insondáveis da lagartagem

Mesmo não tendo nada a ver comigo, por vezes tento perceber porque é que as coisas acontecem. Qual é a razão para que “A” faça “B”. Desde ontem que, por mais voltas que dê à cabeça, não percebo como é que a lagartagem foi contratar o Carvalhal. Um treinador mediano que passou por equipas secundárias com pouco sucesso (excepção feita ao Leixões e Setúbal) e que foi despedido do Marítimo há três meses depois de... duas vitórias em 17 jogos! (Aliás, basta ver o que é que o Marítimo está a jogar agora com o Van Der Gaag, que conseguiu três vitórias em... quatro jogos!)

 

A única explicação que eu encontro é a seguinte: como o Domingos não está disponível, os lagartos foram contratar o outro treinador que conseguiu tirar pontos ao Benfica este ano. Não vejo outra hipótese! “Grande surpresa”, Bettencotonete?! Ah, pois foi! E bem divertida!

 

Mas a coisa ainda melhora: a vergonha é tanta que não vai haver conferência de imprensa de apresentação do técnico! Deve ser caso único no mundo. Há uma entrevista em vídeo no site oficial. E, para além disto, a inequívoca demonstração de confiança é fazer um contrato de... seis meses! Que fartote!

 

P.S. – Será que no dia 28 vamos ter, à semelhança da 1ª jornada, dois autocarros à frente da baliza e simulações de lesões de 10 em 10 minutos?!

por S.L.B. às 17:17 | link do post | comentar | ver comentários (37)
Quinta-feira, 12.11.09

Recordemos

Não tenho dúvidas que, se formos campeões, todos nos iremos lembrar deste momento como um dos mais marcantes na época.

 

 

P.S. - As minhas felicitações ao José Carlos Soares pelo não-lançamento da mesa ao ar aquando do golo. Se fosse eu, não poderia jurar que me contivesse, o que seria um pouco desagradável para quem estivesse no piso inferior...

por S.L.B. às 16:37 | link do post | comentar | ver comentários (22)
Segunda-feira, 09.11.09

50.000

É o nosso momento. É a nossa hora. Se formos campeões, no final da época vai dizer-se que este foi um dos momentos marcantes. Temos a oportunidade (quiçá única em toda a temporada) de ganhar oito(!) pontos aos nossos mais directos rivais.

 

Só que vamos defrontar um adversário poderoso. Um adversário que sozinho consegue invalidar o esforço de 11 pessoas. Um adversário que, da única vez na vida que nos beneficiou, teve que ser o fiscal-de-linha a induzi-lo em erro. Um adversário que, para não ir mais longe, há dois anos nos tirou da Liga dos Campeões perto do final da época (recordam-se?).

 

O que é que nós, adeptos, podemos fazer para que esse adversário não influencie como habitualmente um jogo contra nós? Comparecer em massa no estádio. No mínimo, 50.000 numa 2ª feira à noite, para que o Sr. Lucílio Baptista nem sequer pense em voltar a fazer o que sempre fez durante toda a sua carreira quando nos encontrou. É absolutamente necessário que estes senhores sintam o peso do Inferno da Luz e, sim, se sintam intimidados por ele. Não para nos favorecerem, que nós não queremos vitórias e títulos com sabor a fruta, chocolatinhos e café com leite. Mas para serem isentos. Ao menos uma vez na vida. Para que quem seja campeão o possa ser com o que demonstra no relvado e só no relvado. É altura destes senhores aprenderem que nós só exigimos isto. A bem ou a mal.

 

E este post é para ti, benfiquista, que, podendo, não estavas a pensar em ir ao jogo por ser contra a Naval e a uma 2ª feira à noite. Na semana passada, um jogo equilibrado tornou-se desequilibrado por causa de factores externos. Os jogadores do Benfica merecem o teu apoio. E a tua voz é precisa para que o que se vê no vídeo acima não se volte a repetir. Com os resultados deste fim-de-semana, esta partida passou a representar muito. Só o saberemos no final da época, mas talvez até um campeonato…

 

P.S. - Verás que daqui a uns anos te vais sentir satisfeito por poderes contar aos teus netos que estiveste presente. Que ajudaste na vitória. No jogo em que começámos a ganhar um campeonato.

por S.L.B. às 02:36 | link do post | comentar | ver comentários (25)
Domingo, 01.11.09

Lamento...

... ter que escrever isto, mas o que será preciso para esta pouca vergonha acabar? Num jogo equilibrado, um golo anulado e um penalty por marcar (braço descarado do defesa-esquerdo do Braga na 2ª parte) É ÓBVIO que fazem TODA a diferença. É pena, mas parece que é preciso acontecer uma tragédia para que as coisas mudem. A justiça não funciona e a impunidade é total. Estou MESMO, MESMO farto disto!

 

Pensem lá todos um bocadinho comigo: era exequível que o Benfica ficasse cinco pontos à frente do CRAC logo à 9ª jornada? Cambada de anjinhos que nós somos...

 

(Com certeza que falhámos muitos golos, que a movimentação do Quim no 1º golo é péssima e que alguns jogadores não estiveram ao nível que nos habituaram, mas volto a repetir, num jogo equilibrado é mais fácil um árbitro desequilibrar. Para além do golo e do penalty, aproveita-se uma molhada colectiva no túnel para expulsar o melhor marcador do campeonato ao intervalo. Levará certamente mais do que um jogo o que o impedirá também de ir a Alvalade. Acham que isto é tudo inocente?! Quanto mais tempo as coisas ficarão como estão?! É triste, mas é a m**** de país que temos.)

por S.L.B. às 00:08 | link do post | comentar | ver comentários (40)
Sexta-feira, 16.10.09

Penalty no França - Áustria ou como o Pedro Proença é um árbitro miserável

Espero que a FIFA e a UEFA abram de vez os olhos e que este lance represente o final da carreira deste projecto de árbitro. Depois de ter inventado o penalty sobre o Lisandro e o do Olhanense - Santa Clara, curiosamente ambos decisivos para a atribuição dos títulos no ano passado (e já nem recordando isto), esta abécula expôs ao rídiculo toda a arbitragem portuguesa (o que não era de todo uma tarefa fácil...). Reparem bem no que só ele viu a partir do 1:07. Quando se tem a prática de roubar em Portugal, é difícil não o fazer lá fora. Inacreditável!

 

por S.L.B. às 15:42 | link do post | comentar | ver comentários (29)
Quinta-feira, 24.09.09

O Homem-de-Neandertal

Dentro do espaço que dedicamos aqui na Tertúlia às espécies raras e em vias de extinção, apresentamos hoje o último exemplar do Homem-de-Neandertal que ainda subsiste à face da Terra. Segundo a Wikipedia, este homem "tem sido descrito no imaginário popular de forma negativa em comparação com o Homo sapiens, sendo apresentado como um ser simiesco, grosseiro e pouco inteligente". O que me parece que se aplica perfeitamente à figura em causa. Mas quem, senão ele próprio, para o definir melhor?

 

 

 

Excertos do programa Trio d’Ataque de dia 22-9-2009.

 

“Não há nenhum benfiquista ferrenho que diga que é penalty”

[Curioso, eu ainda não vi, li, ou ouvi nenhum benfiquista a dizer que não é...]

 

“Houve uma altura em que o Toni mandava nos árbitros na Luz, o Humberto levantava a mão e era o fiscal-de-linha. Isso é manifesto. Durante uma década foi assim. Um fartar, vilanagem. Isso é um dado objectivo.”

[Como se depreende, este tipo era um frequentador habitual do Estádio da Luz e naquela altura já havia 20 câmaras em cada jogo que tiravam as dúvidas todas acerca dos lances... Reparem na precisão da criatura: “dado objectivo”.]

 

“Ele não pode levantar o pé àquela altura?! (...) Mas qual altura da cabeça?! O Aimar é que é baixinho! Achas que o pé está à altura da cabeça? É que não está à altura da cabeça. Não passou a estar à altura da cabeça. (...) Mas que não levantou o pé à altura da cabeça, não levantou. Pode-se medir.”

[Esta imagem é o momento do toque na bola. O pé está à altura do peito do Aimar, o que só por si já constitui “jogo perigoso”. Como lhe toca, passa a ser "jogo perigoso" com contacto físico e punível portanto com livre directo ou, dentro da área, penalty. Gostaram da magia da repetição "o pé à altura da cabeça"?]

 

 

“E há pessoas que, depois de verem na televisão, dizem que a bola está à altura da cabeça. O Aimar é baixo e até baixa um pouco a cabeça e é duvidoso quem é que faz jogo perigoso. Uma coisa que se pode ver, que se pode medir, a bola está a 1,60m no máximo e dizem que está à altura da cabeça. Isto presume o pior.”

[Presume, de facto, o pior. Esta imagem é o momento em que o pé do jogador do Leiria está mais alto. E, como se pode verificar, este espécime deveria ser preservado pela Humanidade. Reparem: “bola está a 1,60m no máximo e dizem que está à altura da cabeça”. Nem com as imagens vai ao sítio. Lá está, a definição de neandertal: “pouco inteligente”. Ou então, visionário: "é duvidoso quem é que faz jogo perigoso". O Aimar pode estar a fazer "jogo perigoso" em pé e com a cabeça perfeitamente levantada!]

 

 

“Depois disto, depois de ver isto, dizer-se que o pé foi à altura da cabeça, quer dizer, que o pé foi à altura da cabeça, é comparar a Torre de Belém à Torre Eiffel.”

[Tal como em excertos anteriores, a poesia da repetição: "que o pé foi à altura da cabeça, quer dizer, que o pé foi à altura da cabeça". Repetição, imitação: “simiesco”.]

 

“Este penalty marcado ao Leiria é dos casos mais flagrantes dos últimos três / quatro anos. (...) Admito que não haja mais nenhum penalty como este nesta época. É altamente suspeito.”

[Isto dito apenas 24 horas(!) depois deste lance no jogo do clube dele. Fabuloso!]

 

 

P.S. – E quer esta criatura acertar nos resultados eleitorais...!

por S.L.B. às 17:36 | link do post | comentar | ver comentários (41)

O nível

Pela 1ª vez em directo na televisão. Sem comentários...

 

 

[Adenda:] A prova do crime

 

por S.L.B. às 12:46 | link do post | comentar | ver comentários (31)
Quinta-feira, 10.09.09

Os outros oito

Ainda no rescaldo da magnífica goleada frente ao V. Setúbal e como inspiração para os nossos jogadores, recordo aqui os últimos quatro jogos em que o Benfica marcou oito golos para o campeonato nacional. Sit back, relax, são 32 golos do Benfica em pouco mais de 12 minutos. Um pouco de "Benfica Memória" faz-nos sempre bem. Até porque estes tempos idos parecem estar a querer regressar. Para alegria de todos nós.

 

 

Benfica - 8 - Alcobaça - 1

Época 1982/83

Marcadores: Néné (5), Diamantino (2), Chalana.

Realço a eficácia do Néné (cinco golos!), a finta do Chalana no 2-0 e o seu golo. Este jogo foi a 14 de Maio (bela data!), véspera da 2ª mão da final da Taça Uefa frente ao Anderlecht. Não houve cá poupanças...

 

 

Benfica - 8 - V. Guimarães - 0

Época 1983/84

Marcadores: Diamantino (2), Manniche (2), Néné (2), José Luís, Stromberg.

Destaco os dois golos do Manniche, especialmente o segundo, e o Néné que entrou aos 70', e ainda bisou. O guarda-redes do V. Guimarães era o Silvino.

 

  

 Benfica - 8 - Penafiel - 0

Época 1983/84

Marcadores: Néné (4), Diamantino, Carlos Manuel, Manniche, Stromberg.

Como não destacar os dois penalties inacreditáveis não assinalados sobre o Stromberg? O Manniche ia furando as redes e o Néné estava sempre lá para encostar. Este jogo foi a seguir à eliminação em casa frente ao Liverpool (1-4). Que resposta!

 

  

Benfica - 8 - Famalicão - 0

Época 1993/94

Marcadores: Celestinho (autogolo) (2), Yuran (2), Ailton, Rui Costa, Mozer, Rui Águas.

Grande jogada no golo do Ailton e o jogo que lançou para o estrelado o Celestino, who else? Jogo na véspera da ida a Leverkusen... Poupança? 

 

 

por S.L.B. às 13:35 | link do post | comentar | ver comentários (32)
Sábado, 25.07.09

O que se diz por aí

O pasquim traz hoje uma notícia que me deixaria preocupado se... não fosse dada pelo pasquim. É-me difícil de acreditar que o nosso subcapitão (mas que será o capitão na maior parte dos jogos) possa ser vendido por... 10 milhões de euros, quando a sua cláusula de rescisão é de 20 milhões (e não 25 como dizem eles). Ainda por cima, depois escrevem que o Benfica não está interessado no Manuel da Costa da Fiorentina porque “os responsáveis benfiquistas preferem um central mais experiente para substituir Luisão”. Quer dizer, estes senhores do pasquim argumentam que o Benfica quer vender o Luisão por metade da cláusula de rescisão para depois comprar um “central mais experiente”. Portanto, entre o “deve” e o “haver” ganharíamos... trocos! Isto quando o Luís Filipe Vieira já disse mais do que uma vez que não iria sair ninguém importante do plantel. E não me parece que o tenha dito levianamente. Mas também de uma publicação que rouba um golo ao Cardozo logo na 1ª página (Sion, Shakhtar, Olhanense, Atl. Madrid e Sunderland dá cinco nas minhas contas) é de esperar tudo menos rigor...

 

Por outro lado, muito se tem falado do interesse do Benfica no Júlio César do Belenenses. A minha posição em relação aos guarda-redes é muito simples: ou vamos buscar alguém que seja um titular indiscutível e, portanto, bastante melhor do que os que cá estão, ou não vale a pena. Alguém no seu perfeito juízo considera que o Júlio César é muito superior aos três guarda-redes do plantel? Fala-se na idade dele (22 anos), mas não precisamos de um “guarda-redes para o futuro”. Necessitamos, sim, para o imediato. Com o devido respeito, o titular de um clube que desceu de divisão é o indicado para a baliza do Benfica? Hello?! Já viram estas imagens? A diferença entre o Moretto e este é a mesma que entre a A22 e a Via do Infante...

 

P.S. - Tenho pena que o Javi García tenha ficado com o nº 6. Mas entretanto o 11 ficou livre. Um número mais apropriado para um... extremo e/ou avançado.

por S.L.B. às 13:03 | link do post | comentar | ver comentários (28)
Terça-feira, 21.07.09

Pena

Por princípio (e porque quero acreditar que não sou idiota), não digo mal de um jogador que não conheço. Dou-lhe sempre o benefício da dúvida até o ver jogar. Não conheço suficientemente bem o Javi García para dizer se 7M€ é ou não um bom negócio. Também no ano passado muita gente (eu incluído) teve dúvidas sobre os 5M€ por 50% do Sidnei e hoje não há ninguém com dois olhos na cara que diga que enfiámos um grande barrete.
 
Por outro lado, também não vou na cantiga dos adeptos do Real Madrid (nunca os comentários da Marca foram tão citados na comunicação social portuguesa...) a agradecerem-nos o facto de o termos comprado. Quem é de um clube que gasta mais de 200M€ em quatro jogadores, acha naturalmente que Saviolas e Javi Garcías não têm lugar no seu plantel. Aliás, como também se querem ver livres de jogadorzinhos como o Huntelaar, Sneijder, Robben, Van der Vaart e Drenthe (como diz o D’Arcy quase 50% dessa selecçãozinha que é a holandesa) que, todos eles, seriam titulares de caras em qualquer equipa portuguesa.
 
Para mim, é igualmente óbvio que o Javi García vem preencher um lugar importante no plantel. Saiu o Katsouranis e não tínhamos ninguém para o substituir na sua posição de origem. Como disse o Jorge Jesus, o Yebda tem potencialidades para ocupar aquele lugar, mas precisa de ser trabalhado.
 
O título deste post tem a ver com a pena que eu tenho que não pudéssemos dar 6,5M€ pelo Reyes. Só isto. Porque nos arriscamos a ter um Miccoli parte II. Não o queremos por determinado valor, mas passado pouco tempo suspiramos por ele, só que aí pedem-nos duas vezes esse valor. No entanto, como ainda tenho esperanças (afinal, ele pode jogar a avançado...), espero que o Javi García não fique com a camisola nº 6...
 
P.S. – Gostaria igualmente de ver esclarecido, de uma vez por todas, a questão dos dois jogadores do Atlético Madrid que ficaram combinados aquando da transferência do Simão. É que, pelas minhas contas, supostamente só teríamos de dar 1,5M€ pelo Reyes...
 
P.P.S. – Acho essencial, a bem da mística e de uma voz de comando na equipa titular, que a camisola nº 4 tenha o mesmo dono das épocas anteriores...
por S.L.B. às 13:51 | link do post | comentar | ver comentários (40)
Segunda-feira, 20.07.09

Porque é que nos preocupamos...?

Estádio do CRAC, jogo de apresentação aos sócios, minuto 13, resultado 0-0.

 

 

O que é que foi assinalado? Obviamente, o costume quando é contra o CRAC: falta atacante e respectivo cartão amarelo!

 

Desafio: alguém que não tenha visto o jogo leu alguma coisa acerca deste lance? Ou algo sem ser a "brilhante" vitória do CRAC? Claro que não se contesta um resultado de 3-0, pois não...? Mais facilmente haveria vida em Marte do que o CRAC ficar a perder em casa no jogo de apresentação...

 

De que nos servem Saviolas e afins quando do outro lado está um Sr. João Lamares? Quem quer apostar que este árbitro fará parte da 1ª categoria no próximo ano?

por S.L.B. às 12:05 | link do post | comentar | ver comentários (27)
Quinta-feira, 09.07.09

República das Bananas

Presidente do CRAC na Assembleia

 

Sem querer desviar as atenções do importantíssimo post do Gwaihir (que deve constituir leitura obrigatória para todo o benfiquista que se preze), não posso deixar de referir que hoje, 9 de Julho de 2009, se constitui como mais um dia VERGONHOSO na história da nossa democracia. E mais um passo acelerado em direcção ao título deste texto. Já tinha levantado esta dúvida aqui e ainda aventei a hipótese de terem finalmente ganho vergonha na cara. Mas não, tudo continua na mesma.

 

Já no ano passado tinha chamado a atenção para este assunto (link) e manifestei por escrito a minha indignação ao presidente da A.R. Mas este ano voltou a repetir-se este opróbrio à (suposta) casa da democracia portuguesa. Com a conivência de quem lá manda. Aguardo ansiosamente os próximos convites para refeições e tomo a liberdade de sugerir um nome: Bernard Madoff. Fica tudo em família.

 

Adenda: quem quiser expressar a sua indignação e perguntar se fomos todos nós que pagámos esta infame refeição, tem aqui o respectivo email.

por S.L.B. às 15:50 | link do post | comentar | ver comentários (30)
Sábado, 04.07.09

Atreve-te!

O candidato da Lista B reservou para hoje ao almoço uma reacção aos resultados das eleições. Acho que foi uma decisão sensata, porque a noite costuma ser boa conselheira.

 
Gostaria de lhe dizer o seguinte: foram votar 20.672 sócios, naquela que foi a segunda maior votação de sempre das eleições do Benfica. Destes, 18.825 disseram claramente que queriam que Luís Filipe Vieira continuasse a ser presidente do Glorioso. 505 entenderam dar o seu voto à lista encabeçada por ele. E 1.121, ou seja mais do dobro destes, exerceram um voto de protesto contra a actual direcção, mas também demonstraram inequivocamente que acima de tudo não querem ver à frente dos destinos do clube uma figurinha como este senhor.
 
Perante estes números, só uma alimária pensaria em continuar uma batalha judicial contra o Benfica e a vontade dos seus associados. É bom que isso nem lhe passe pela cabeça. A ele ou a quem o tem como o marioneta. Os sócios fizeram ouvir a sua voz de forma massiva. Desrespeitar isso é desrespeitar quem é soberano no Benfica. E terá graves consequências. Quem não se sabe comportar em família tem que ser afastado dela.
por S.L.B. às 07:00 | link do post | comentar | ver comentários (23)
Sexta-feira, 03.07.09

Apelo aos possíveis abstencionistas

Estamos perante uma das mais importantes eleições da história do nosso clube. Provavelmente só comparável às eleições de 2000. É muitíssimo importante que os sócios do Benfica compareçam em massa às urnas e optem por uma das duas soluções credíveis que se apresentam: ou votam em Luís Filipe Vieira ou votam em branco. É fundamental mostrarmos a algumas pessoas que um presidente do Benfica só o pode ser com o apoio dos sócios. Não pactuamos com jogadas jurídicas para tentar conquistar o poder a todo o custo. Jamais alguém poderá ser legitimamente presidente do nosso clube quando houver mais votos em branco do que nele próprio. Mesmo que isto não seja juridicamente defensável, pelo menos demonstra que haverá mais pessoas que dizem claramente através do voto que não o querem naquele lugar do que aquelas que o querem.

 

Mesmo aqueles que estão desiludidos com a actual direcção ou com a forma como estas eleições foram marcadas é essencial que demonstrem que isso não os impede de ver que umas quantas pessoas estão a tentar sobrepor-se à vontade dos sócios. Não fiquem em casa e façam ouvir a vossa voz. Uma certa figurinha lançou o nome do nosso clube na lama, utilizando expedientes e prazos jurídicos, e tem que ser SEVERAMENTE punida nas urnas. Para que as coisas fiquem bem claras sobre o que todos nós não queremos nem toleramos no Benfica, acho vital que tanto os votos na Lista A como os em branco ultrapassem largamente os desse senhor. Por isso, votem na Lista A ou em branco, mas por favor VÃO votar. O Benfica agradece.

por S.L.B. às 02:30 | link do post | comentar | ver comentários (11)
Quinta-feira, 02.07.09

Estatutos

Espero que todo este processo que, quer queiramos quer não, está a dar uma péssima imagem pública do nosso clube ao menos sirva para todos tomarmos consciência de que, acima de tudo, é preciso seguir à letra os estatutos do Sport Lisboa e Benfica. Se assim fosse, as eleições seriam em Outubro, ou mais cedo, se para tal fossem alterados em tempo útil ou se se tivesse feito uma AG extraordinária para que os sócios decidissem sobre a sua antecipação. E, mais importante do que isto, se os estatutos tivessem sido cumpridos, não teria sido permitido haver uma candidatura de um associado com menos de cinco anos de sócio efectivo. Que mais não está a fazer do que tentar tomar o Benfica à força, afrontando a esmagadora maioria dos sócios (quer os que estão com a actual direcção, quer os que irão votar em branco).

 
Se alguém sabe ou desconfia que vai ser vítima de uma tentativa de assalto, o mínimo que deve fazer é trancar a porta. O que, pelos vistos, não aconteceu. Caso contrário, estas questões jurídicas não existiriam.
 
P.S. – Caso haja eleições amanhã, volto a apelar, tal como os meus companheiros de blog, a que se processem com a dignidade e respeito que o Sport Lisboa e Benfica nos merece. É o nome do nosso clube que está em causa, portanto espero que todos possam exercer o seu direito de voto de forma livre e sem coações. Mesmo algumas ovelhas ronhosas que existem entre nós. Sendo certo que, e aqui tomo a liberdade de falar em nome da Tertúlia Benfiquista, TUDO faremos dentro da lei para que certas pessoas JAMAIS possam assaltar o Sport Lisboa e Benfica.
por S.L.B. às 18:21 | link do post | comentar | ver comentários (36)

escribas

pesquisar neste blog

 

links

arquivos

recentes

tags

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com

Visitas




blogs SAPO

subscrever feeds