VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sexta-feira, 31 de Agosto de 2012

Em prol do espectáculo

Na primeira jornada, aos 44 minutos de jogo, o árbitro mostrou a intenção de dar um segundo cartão amarelo a Alan, do Sporting de Braga. Recuou na intenção e ficou-se. Numa conhecida estação radiofónica, o comentário foi de que se justificaria o segundo cartão amarelo, mas que, em prol do espectáculo, o árbitro agira bem em não expulsar o jogador…

 

Na segunda jornada, aos 8 minutos de jogo, Amoreirinha tentou arrancar Melgarejo do chão pelos pés. Entrada violenta, com o único objectivo de ir ao osso do adversário. O árbitro expulsou-o. Segundo alguns teóricos da bola, entre os quais o treinador de circunstância do Setúbal, aquela expulsão não deveria ter ocorrido porque foi aos 8 minutos de jogo. Não estava em causa a violência da entrada de Amoreirinha, não estava em causa a justiça da decisão do árbitro. Estava em causa o facto de ter sido aos 8 minutos, e isso não era em prol do espectáculo.

 

Em Fevereiro de 2010, aos 7 minutos, João Pereira teve uma entrada violentíssima sobre Ramires. O jogador do Sporting foi justamente expulso. Foi a histeria (mais uma) por parte dos de Alvalade, porque, em prol do espectáculo, dava-lhes jeito que o agressor ficasse em campo. Para abrilhantar o ‘freak show’ de comentários, o advogado sportinguista Rogério Alves chegou a defender uma “jurisprudência da indulgência” para ilibar uma conduta violenta de um jogador do seu clube.

 

Em Abril de 2009, ao minuto 58 de um FC Porto-Setúbal, Carlos Cardoso, treinador de circunstância do Setúbal, decidiu retirar do jogo Leandro Lima e Bruno Gama, jogadores emprestados pelo FC Porto ao Setúbal que estavam a ser os melhores em campo. Em prol do espectáculo, o jogo que estava empatado acabou com a derrota dos do costume. De facto, em Setúbal, fazem-se muitas coisas em prol do espectáculo… Tudo, menos expulsar justamente um jogador aos 8 minutos.

 

_____

Artigo de opinião escrito e enviado para a redacção do jornal "O Benfica" no dia 28 de Agosto e publicado na edição de 31/08/2012 do jornal "O Benfica".

 

[Se alguém quiser manifestar-me a sua opinião, pode fazê-lo para este endereço: tertuliabenfiquista@gmail.com]

publicado por Pedro F. Ferreira às 09:09
link do post
Quinta-feira, 30 de Agosto de 2012

Sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões

Como no ano passado, quase que acertei na mouche, vamos repetir a brincadeira.

 

Pote “Este era o que eu queria”:

 

Barcelona

BENFICA

Ajax

Nordsjaelland

 

Até conseguir ver o Messi ao vivo, irei sempre torcer para que nos calhe o Barcelona na fase de grupos. Com o Ajax, seriam dois jogos com tradição e, como geralmente nos damos bem com equipas holandesas, poderíamos ter boas hipóteses. Este grupo tem a mais-valia de não levarmos com o Barça nos oitavos.

 

 

 

Pote “O 1º lugar é possível”:

 

Arsenal

BENFICA

Anderlecht

BATE

 

De todos os cabeças-de-série, acho que os gunners serão os que estarão mais ao nosso alcance até porque geralmente nos damos bem com equipas inglesas. Com o Anderlecht e o BATE, é para um mínimo de 10 pontos.

 

 

Pote “E não querem que joguemos ao pé-coxinho para ser ainda mais difícil?”:

 

Real Madrid

BENFICA

Juventus

Borrusia Dortmund

 

Sem comentários…

 

 

Pote “Se formos parar à Liga Europa, ao menos é com honra”:

 

Bayern Munique

BENFICA

Juventus

Montpellier

 

Perspectivas de grandes jogos e casas-cheias na Luz, com o vice-campeão europeu e dois campeões nacionais. Repetir a Juventus é uma necessidade, porque perder a qualificação para os oitavos para o campeão italiano, que está no pote 3(!), não seria desprestigiante.

 

 

(E agora uma inovação em relação ao ano passado) Pote “Nós e os novos-ricos do futebol europeu”:

 

Chelsea

BENFICA

Paris Saint-Germain

Málaga

 

Nome, história e tradição (x1) vs. dinheiro (x3). Quem ganharia?

 

 

Escaldado com o ano passado, o meu desejo esta época é conseguir o 2º lugar no grupo, ter uma eliminatória entusiasmante com um tubarão nos oitavos e depois concentramo-nos é no campeonato, e deixarmo-nos (o nós majestático é para não escrever só o nome do nosso treinador…) de sonhos utópicos. A passagem para os oitavos é essencial para as finanças, especialmente se (como espero) não vendermos ninguém até depois de amanhã. Por isso, a (conquista da) Liga Europa pode esperar este ano. TEMOS é que ser campeões nacionais!

publicado por S.L.B. às 14:21
link do post | comentar | ver comentários (8)
Quarta-feira, 29 de Agosto de 2012

Saviola (post editado)

 

Aparentemente, Saviola vai sair do Benfica. Se assim for, lamento. [link] Lamento que um dos mais talentosos e inteligentes futebolistas que passaram pelo futebol português na última década tenha sido tão mal aproveitado nas duas últimas épocas. Tenho por Saviola uma grande admiração e desejo-lhe as maiores felicidades.

 

[post editado]

tags:
publicado por Pedro F. Ferreira às 18:59
link do post | comentar | ver comentários (28)
Segunda-feira, 27 de Agosto de 2012

Minuto 58

É a minha resposta às reclamações deste senhor. Nunca é demais lembrar.

publicado por tma às 14:59
link do post | comentar | ver comentários (15)

Fácil

Vitória muito fácil do Benfica em Setúbal, num jogo em que a nossa natural superioridade ainda mais ficou evidenciada com a expulsão madrugadora de um adversário. Foram cinco sem resposta, poderiam ter sido ainda mais.

Para este jogo o nosso treinador deu a entender que a aposta em dois avançados de início deverá ser para manter: apenas uma alteração no onze que a semana passada defrontou o Braga, que foi a entrada do Enzo Pérez para a esquerda, no lugar que tinha sido ocupado pelo Bruno César. O Benfica entrou forte desde o apito inicial, empurrando o Setúbal para a sua área, e o domínio territorial cedo ficou ainda mais claro, quando aos oito minutos, após uma entrada perfeitamente disparatada do Amoreirinha sobre o Melgarejo, surpreendentemente o Jorge Sousa expulsou o jogador do vitória. E escrevo 'surpreendentemente' não por causa do cartão vermelho em si, dado que aquela entrada é claramente merecedora desta punição, mas sim pelo facto de ter sido o Jorge Sousa a mostrá-lo. Cinco minutos após a expulsão, a superioridade do Benfica no campo ficou também expressa no marcador. Momento de redenção para o Melgarejo, que desmarcado pela esquerda a passe do Pérez ofereceu o golo ao Rodrigo, que se limitou a empurrar para a baliza deserta. Fiquei contente com este momento, que pode ter sido muito importante para o jogador, e gostei muito de ver a união de toda a equipa em redor do Melgarejo, quase parecendo ter sido ele o autor do golo.

A resposta do Setúbal foi o único remate que conseguiu fazer na direcção da baliza ao longo de todo o jogo, obrigando o Artur a uma defesa apertada. Mas o jogo só dava Benfica, com uma ala direita muito activa, onde o Maxi já não precisou de assumir as despesas em exclusividade, dado ter a companhia do Salvio. Do outro lado era o Melgarejo quem, em constantes subidas, aproveitava bem os espaços que as movimentações do Pérez lhe iam abrindo. Com muita mobilidade no ataque, bem apoiado pelo Witsel em funções de organização, o segundo golo era apenas uma questão de tempo. Surgiu à meia hora, através do Salvio (segundo golo em igual número de jogos), na recarga a uma cabeceamento à queima-roupa do Cardozo, após bom trabalho do Rodrigo do lado direito. Como o Benfica nunca pareceu fazer tenção de abrandar, o avolumar do resultado era quase uma certeza, e foi mesmo no fecho da primeira parte que o terceiro golo surgiu. Mais uma recarga, desta vez do Enzo Pérez, a um remate do Salvio, que tinha arrancado disparado por ali fora sem que ninguém o conseguisse travar.

A segunda parte nada trouxe de novo. O Benfica continuou a mandar no jogo como quis, e o Setúbal continuou a ser simplesmente inofensivo. Ataques constantes do Benfica e mais golos a adivinharem-se. Deu para poupar o Javi e o Cardozo (entraram o Carlos Martins e o Nolito), testar momentaneamente o Salvio como segundo avançado, e sobretudo para apreciarmos mais algumas pinceladas de classe do Pablo Aimar. Entrou a vinte e cinco minutos do final para o lugar do Pérez, e segundos depois, no primeiro toque que deu na bola, assistiu de cabeça o Nolito para o nosso quarto golo. Nesta fase final as situações de golo sucediam-se quase em catadupa, houve mesmo alguns lances em que a bola chegou a entrar que foram (bem) anulados, mas a dez minutos do final o inevitável quinto golo aconteceu mesmo. Assistência do Aimar, que na altura certa libertou o Rodrigo sobre a esquerda, e este com muita calma fez cair o guarda-redes com uma simulação e depois picou-lhe a bola por cima. Mesmo com cinco golos de vantagem nem por isso o Benfica abrandou, e até final continuou sempre a ameaçar o avolumar do resultado. Como escrevi no início, foram cinco, mas até podiam ter sido mais.

Numa vitória por cinco golos sem resposta, evidentemente que a equipa num todo deverá ter estado bem. Mas a destacar algum jogador, escolho o Salvio. Quem o tenha visto jogar no Atletico e o veja fazer jogos como o de hoje, deve ficar a pensar que são dois jogadores diferentes. Não parou quieto um momento, criou inúmeros lances de perigo, marcou um golo numa recarga oportuna, tal como na primeira jornada, e teve intervenção directa no terceiro golo. Foi bem acompanhado pelo Rodrigo, Pérez, Witsel, Maxi e Melgarejo. E conforme referi antes, os minutos do Aimar em campo foram muito bons de ver - sem surpresa.

Este jogo e este resultado foram a melhor resposta possível à má imagem deixada na estreia. Terá sido também muito importante para o Melgarejo que o jogo lhe tenha corrido bem, depois das infelicidades contra o Braga. Agora será importante aproveitar esta embalagem e injecção de confiança. Na equipa e nos adeptos.

publicado por D`Arcy às 00:57
link do post | comentar | ver comentários (21)
Domingo, 26 de Agosto de 2012

Desculpem a interrupção, mas...

 

hoje foi em cheio! E nem imaginam como há tanta, tanta, tanta gente aziada com esta pequena vitória... [link]

publicado por Pedro F. Ferreira às 23:14
link do post | comentar | ver comentários (10)
Sexta-feira, 24 de Agosto de 2012

Entre o ensaio e a estreia

A pré-época é constituída por um equilíbrio difícil, pois pede-se que se experimentem possibilidades e se sedimentem realidades. Vive-se entre a possibilidade e a realidade. Vive-se entre o ensaio e a estreia.

 

Nesta pré-época, o Benfica defrontou, essencialmente, equipas fortes, bem estruturadas e pôde ensaiar várias possibilidades. Vimos bons jogos do Rodrigo Mora (entretanto dispensado do plantel); vimos excelentes jogos do Carlos Martins (entretanto dispensado da titularidade no primeiro jogo da época); percebemos que Ola John tem um imenso talento, mas ainda precisa de se adaptar a novas exigências; sentimos um bom potencial em Luisinho e no adaptado Melgarejo, mas sentimos também que, apesar do valor que poderão vi a ter, o lado esquerdo da defesa pede tempo de adaptação à equipa e esta não tem tempo para dispensar. Sentimos que Maxi é super, mas continua a precisar de uma alternativa (aparenta ser Cancelo, grande esperança que encanta na equipa B). Assim, também aqui apostamos na possibilidade, enquanto nos preocupamos com a realidade de não ter, efectivamente, dois futebolistas de nível idêntico para o lado direito da defesa.

 

A pré-época serviu para tudo isso e para muito mais. Serviu, por exemplo, para mostrar como a equipa está muito rotinada em jogar apenas com um ponta de lança e com um povoamento maior do meio campo. Entretanto, o começo da época chegou. Acabou-se o ensaio e chegou a estreia. A estreia serviu para perder dois pontos, serviu para ver um árbitro português em acção, serviu para perceber que muito do ensaiado não foi estreado. Serviu para acordar o cepticismo dos adeptos e deseja-se que tenha servido como um alerta bem claro, óbvio e sonoro de que algo está a correr mal, apesar de serem dadas todas as condições para que corra bem.

 

_____

Artigo de opinião escrito e enviado para a redacção do jornal "O Benfica" no dia 20 de Agosto e publicado na edição de 24/08/2012 do jornal "O Benfica".

 

[Se alguém quiser manifestar-me a sua opinião, pode fazê-lo para este endereço: tertuliabenfiquista@gmail.com]

publicado por Pedro F. Ferreira às 09:09
link do post
Domingo, 19 de Agosto de 2012

Hábito

Para não variar, mais uma vez iniciamos o campeonato sem uma vitória. Um mau hábito que se instalou de há oito épocas a esta parte e que hoje, com uma preciosa ajuda da nossa equipa e do nosso treinador, parecemos fazer questão em manter.


 

O onze inicial do Benfica para este jogo foi no mínimo surpreendente. O jogador que terá demonstrado estar em melhor forma nos jogos da pré-época (Carlos Martins) foi relegado para o banco. O Enzo Pérez, que também tinha mostrado bons pormenores nos jogos de preparação, juntou-se-lhe. O reforço Ola John nem convocado foi. Para a equipa inicial saltaram o Salvio, que ainda não tinha disputado qualquer jogo desde que regressou ao Benfica, e o Rodrigo, que apresentava as mesmas credenciais visto ter estado ausente nos Jogos Olímpicos. É caso para perguntar se os jogos de preparação terão alguma utilidade. Para a minha irritação inicial contribuiu também o facto de, mais uma vez, num jogo complicado, o Jorge Jesus reverter para a táctica dos dois avançados, entregando de mão beijada ao adversário a superioridade numérica no meio campo. Claro que o Braga, que se apresentou na Luz a jogar claramente em contenção e para o empate, não parecendo sequer contemplar qualquer tipo de estratégia para procurar activamente marcar um golo, não se fez rogado e explorou com facilidade essa fraqueza. A primeira parte foi portanto bastante fraca, com o Braga a procurar guardar a bola e o Benfica anormalmente apático a assumir uma atitude expectante. As poucas jogadas de algum perigo resultaram quase todas de raras jogadas de contra-ataque em que conseguimos recuperar a bola e levá-la rapidamente para a frente. Mas, que me recorde, não conseguimos obrigar o guarda-redes adversário a nenhuma intervenção de elevada dificuldade. Do nosso lado, o pouco espaço no meio campo resultou em diversos passes aparentemente fáceis errados, com alguns jogadores a mostrarem uma estranha falta de concentração - casos do Artur, Maxi ou Luisão.

A segunda parte, sem alterações na nossa equipa, começou da melhor maneira, pois apenas alguns minutos após o reinício o Benfica colocou-se em vantagem. Após uma boa desmarcação do Rodrigo sobre a esquerda da área, a bola por ele centrada foi disputada pelo Cardozo e um defesa do Braga, acabando por sobrar para o Salvio, que à boca da baliza deu o toque decisivo. A equipa e o público pareceram entusiasmar-se, mas este estado não durou muito, pois cinco minutos mais tarde, num lance aparentemente pouco perigoso, a um centro vindo da esquerda do ataque do Braga o Melgarejo, pressionado por um adversário nas costas, acabou por fazer um corte infeliz de cabeça e marcar na própria baliza. E para piorar as coisas, poucos minutos depois, e na sequência de novo erro do Melgarejo, que aliviou a bola de forma frouxa para os pés de um adversário perto da esquina da área, o Braga apanhou-se a ganhar. O Jorge Jesus acabou por alterar a equipa, lançando o Enzo Pérez e o Aimar para os lugares do Rodrigo e do Bruno César, e praticamente no lance seguinte o Benfica teve um penálti a seu favor, após um corte com a mão dentro da área de um jogador do Braga, que na sequência do lance ficou ainda reduzido a dez jogadores. O Cardozo fez o que lhe competia e empatou o jogo, e ficávamos ainda com mais de vinte minutos até final para tentarmos a vitória. Só durante todo esse tempo o que se viu da parte do Benfica foi praticamente nada. A equipa não melhorou nem um pouco em relação ao que de mau tinha feito na primeira parte, e foi completamente incapaz de explorar a vantagem numérica em campo. A manutenção do empate no marcador foi a consequência lógica. O Braga veio jogar em contenção e para esse resultado, e limitando-se a aproveitar os nossos erros conseguiu os seus intentos sem grande dificuldade.

Impossível escolher um destaque na equipa do Benfica. Acho que quase todos os jogadores estiveram bem abaixo daquilo que sabem e podem fazer. A estreia oficial do Melgarejo acabou por ser desastrosa. Não que ele estivesse a jogar particularmente mal, mas acabou por cometer dois erros que ficaram directamente ligados aos dois golos do adversário. O Bruno César esteve irreconhecível, e o Nolito, que o substituiu, irreconhecível esteve. O Aimar mostrou estar claramente sem ritmo, e ficou escondido do jogo desde que entrou. E conforme referi antes, na primeira parte o Luisão e o Artur pareceram estar muito desconcentrados, embora seja compreensível que os recentes acontecimentos possam ter afectado o nosso capitão. Se calhar o Garay foi dos poucos que estiveram a um nível aceitável e constante durante todo o jogo.

Abrir com um empate em casa frente ao Braga é mau. Não é desastroso, mas é mau. Seria sempre importante começar com uma demonstração de força, em vez de dar logo um estímulo inicial aos nossos inimigos (já não consigo vê-los como meros adversários). Mas o mais preocupante para mim foram mesmo as opções do treinador para este jogo. O Salvio até marcou um golo e tudo, mas não me parece que isto seja a forma mais correcta de gerir um plantel. Além disso, pareceu-me que foi um erro não ter qualquer avançado no banco - que bem falta fez na altura em que era necessário atacar para inverter um resultado negativo e explorar a superioridade numérica.

publicado por D`Arcy às 00:16
link do post | comentar | ver comentários (78)
Sábado, 18 de Agosto de 2012

Quando entramos em campo, não vamos sozinhos...

Mas, se as coisas não correrem bem, quando sairem do campo vamos ver quantos vos acompanharão...

publicado por Anátema Device às 17:30
link do post | comentar | ver comentários (4)

A tal questão...

 

Por que motivo o Vítor Pereira conduz um carro que está em nome da Olivedesportos?” Esta é a dúvida que tenho partilhado com alguns amigos nos últimos três meses. Hoje, leio a capa do CM e fico satisfeito por ver que a dúvida foi partilhada por mais pessoas. Agora é tempo de procurar respostas.

 

A este assunto regressarei noutro momento. Hoje há assuntos mais importantes, hoje joga o Benfica!

publicado por Pedro F. Ferreira às 10:47
link do post | comentar | ver comentários (21)

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Pouco

Longe

Arraial

Panaceia

‘Feeling’

Pequeno

Miséria

Normalidade

Selado

Horrível

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds