VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Quantas caras faltam para acabar?

 

Recentemente foi insinuado que a minha presença escrita neste tão relevante quanto exemplar espaço de discussão Benfiquista estaria a ter a mesma utilidade que um passe do Bynia. Nada mais verdadeiro, escrevo eu. Para além do penteado, as semelhanças no atabalhoanço do rendimento da equipa são indisfarçáveis.
 
A faculdade de perceber a futilidade dos meus conteúdos é legítima e, por si só, já revela a extrema inteligência de quem é Benfiquista, ainda para mais, apurada pelo facto de frequentar este espaço.
 
Resta-me, tal como ao citado africano, tentar entreter as “massas” com um malabarismo qualquer que se revele pertinente na forma e profícuo no resultado. Ele, que usa as mãos melhor que os pés, faz lançamentos laterais longos para a área. Eu também vou tentar usar as mãos (e deixar de escrever com os pés da cabeça) para entrar na área dos assuntos verdadeiramente interessantes para a vivência do nosso Clube. É por esse motivo que, em seguida, passarei a abordar o estimulante tema dos “placares electrónicos”.
 
Todos os que frequentavam o antigo estádio se recordarão daqueles monstruosos elementos que encimavam as cabeceiras. Os mesmos que recordam essas presenças indeléveis também guardarão na memória que aquelas estruturas se mantiveram apagadas durante longos anos, arrastando-se este silêncio luminoso até à sua demolição. Morreram – ou foram abatidos – muito antes do ninho que os aconchegava. Para mim, aquela escuridão era incompreensível e representava uma tristeza que me obrigava, durante os jogos, a desviar constantemente o olhar, na esperança de ver uma lampadazinha, que fosse, acesa ou o movimento de um dos ponteiros. Nada! Esconderam de vez todo o manancial informativo em luz monocromática para o qual foram ali colocados – o tempo de jogo, a constituição das equipas; o resultado do jogo; os marcadores dos golos; etc.; etc. E mesmo quando as coisas não corriam bem no relvado e os olhos precisavam de ir ali buscar refúgio, só encontravam aquele vazio negro que, qual poço de areia movediça, ainda afundava mais a alma…
 
Com o conhecimento de um novo estádio, um dos primeiros comentários que me lembro de fazer foi precisamente “até que enfim! vamos ter placares a funcionar outra vez”. Sim, eu acho que mais que o Euro2004, o verdadeiro móbil para um novo estádio foi a construção de um local onde se pudessem instalar uns ecrãs do mais à ponta da tecnologia possível. E assim foi, temos uns placares electrónicos como deve ser. Às cores e tudo!
 
Só que agora, em vez de serem usados para o seu propósito, o que é que lá está durante o jogo? O esgar da malta que está a assistir! Mas qual tempo de jogo, quais equipas? Temos um cantinho ínfimo e encolhido dedicado ao relógio e o resto é ocupado com as carantonhas dos utentes das bancadas àquela hora. Claro que, de vez em quando, por lá aparece os minutos de jogo que já se gastaram e a cara e o nome das substituições e dos cartões. Mas só de vez em quando. Eu quero é sempre! Preciso olhar para lá a qualquer altura e, sem preocupação se vou acertar no momento ou não, saber se falta muito para arrefecer o suor ou se posso já começar a pensar se vou comer uma bifana ou um coirato. E se este é bem ou mal passado.
 
Caros gestores dos placares, se eu quiser ver tipos embarretados com cara de quem quer ir ali ao fiscal de linha dar um calduço, olho para o lado, não preciso do placar. Da mesma maneira, se quiser ver uma mulher de meia-idade a disfarçar os afrontamentos da menopausa com os insucessos de cada jogada do Glorioso, ou jovens indecisos entre roer as unhas ou vazar o acne de uma borbulha, olho para cima ou para baixo (não necessariamente por esta ordem).
 
Se querem diversificar, exponham a cara dos adversários quando estão a perder ou, melhor!, passem a edição mensal online da Playboy*.
 
*Playboy é uma marca registada que não merecia ser referenciada num texto meu, muito menos onde também é citado o Bynia
publicado por Carlos Silva às 15:19
link do post | comentar
16 comentários:
De Pedro a 30 de Outubro de 2008
Genial!!!!!!!!
De sergo a 30 de Outubro de 2008
Porra completamente de acordo ó Bynia mas não sejas injusto os senhores-manobradores-de-placares-electrónicos metem lá o relógio pró pessoal, como quem diz.
Caro adepto é só fazer as contas... :)
De Ricardo a 30 de Outubro de 2008
Ahahahahahahahha excelente! Concordo com tudo.

(E que pena davam aqueles monstros apagados...)
De Marreta Vermelho a 30 de Outubro de 2008
Pois eu gostava mais dos placards que existiam antes dos monstros, aqueles alí á mão, genuínamente Portugueses, e do placard com os resultados do Totobola, por trás da Baliza Sul. Para estes placards estrangeiros nem olho, quero de volta os Portugueses !!!
De massinha45 a 30 de Outubro de 2008
Sugestão para o próximo Post. Quem é o cabeleireiro de serviço no Benfica? Foi transferido juntamente com o Nelson? Acho que devias escrever algo sobre isso, ou então algo sobre as patilhas do Quique. Qualquer coisa, mas por favor escreve é um prazer ler-te.
De sergo a 30 de Outubro de 2008
Porra, nunca estão satisfeitos estes adeptos depois de ter no Benfica o penteado do Camacho e do Fernando Santos ainda implicam com as patinhas do Quique...?!?
De LF a 30 de Outubro de 2008
Concordo em absoluto.
Pelo menos o tempo de jogo devia estar sempre disponível.
Podiam também, nos intervalos e antes do jogo, passar outros resultados, resumos dos jogos do dia etc, um pouco como se faz em dias de Liga dos Campeões.

Por mim, nunca entendi o porquê de os placards não mostrarem imagens do próprio jogo e repetições dos lances principais. Se é por causa dos árbitros, não iria ser muito pior do que ouvir o Coroado na rádio a dizer que foi ou não foi penalti.
Além disso, beneficiava-se o espectador que vai ao estádio, com uma acréscimo de qualidade do espectáculo.
Mas enfim, isto já tem a ver com a FIFA.
De João a 30 de Outubro de 2008
A ideia de mostrar as caras de quem está a assistir ao jogo deve ser do mesmo génio que nos momentos que antecedem os penaltis (momento de concentração do jogador) do Benfica mete musica.....
De tma a 30 de Outubro de 2008
Durante o jogo só olho para os placards (perdoem-me o pedantismo de utilizar o termo em francês...) para saber o tempo de jogo (para o resultado não preciso de placards, como é óbvio...), pois regra geral, estou demasiado concentrado no que se passa no relvado para desviar a atenção.
Por isso, a única lacuna que tenho mesmo a apontar é mesmo não estar disponível sempre o tempo de jogo.

Dos placards electrónicos do antigo estádio, recordo quando neles tentavam representar as "fronhas" dos jogadores (isto quando funcionavam, claro...). Chegava a ser cómico :-)

Mas "lindos" eram realmente aqueles placards "manuais"! Como no espaço para os golos marcados só cabia uma placa, perguntava-me como é que eles fariam caso o Benfica marcasse 10 golos ;-)
De balentone a 30 de Outubro de 2008
Bynia????
Este comentário está ao nível de um Steven Gerrard ou Frank Lampard.
Saudações Gloriosas.

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Sexta

Susto

Eficácia

Unidos

Heróico

Aberto

Desperdício

Tranquilo

Atribulado

Coerência

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds