VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Quarta-feira, 6 de Outubro de 2021

Absurdo

Um resultado absurdo num jogo igualmente absurdo, no qual o Benfica acabou fortemente penalizado pela falta de eficácia (e também de sorte) na finalização, e onde o Portimonense acabou por sair com três pontos que pouco fez por justificar.

2.jpg

Começando com um onze no qual, em relação ao que tinha defrontado o Barcelona, apenas se registou a troca forçada do Lázaro pelo Gilberto, o Benfica demorou a entrar no jogo frente a um portimonense que não demorou nada a mostrar ao que vinha. Perdas de tempo constantes, jogadores a deixarem-se ficar no relvado de cada vez que caíam, tentativas de arranjar quezílias, contestação a quase todas as decisões da equipa de arbitragem, enfim, foi o catálogo completo do antijogo por parte de uma equipa que parecia fazer de não perder este jogo uma questão de sobrevivência. Somado a isto, o autocarro firmemente estacionado em frente à baliza - que é obviamente perfeitamente legítimo, cabendo ao Benfica a responsabilidade de encontrar soluções para lhe dar a volta. E nisto não fomos particularmente eficientes desde o início, já que demorámos meia parte até conseguirmos finalmente fazer o primeiro remate à baliza. Mas esse primeiro remate até poderia perfeitamente ter dado logo golo, não fosse o guarda-redes do Portimonense dar logo aí início a uma exibição quase inacreditável, defendendo por puro instinto o remate à queima-roupa do Yaremchuk. O Portimonense ainda deu resposta num remate forte de meia distância do Boa Morte que obrigou o Vlachodimos a uma boa defesa, mas isso foi uma excepção no jogo, já que rapidamente se evidenciou a tendência para o Benfica somar oportunidades de golo desperdiçadas. Ou por aselhice, como foi o caso do Darwin, ou por inspiração quase divina do guarda-redes algarvio, que continuou a negar-nos o golo mesmo em situações em que isso parecia quase impossível - o Grimaldo ou o Rafa que o digam. O nulo ao intervalo já de alguma forma deixava no ar a sensação de que isto podia ser mesmo um daqueles dias em que corre tudo mal.

1.jpg

A segunda parte depressa acentuou essa sensação, pois o Benfica até marcou cedo - num lance também algo caricato, em que o Yaremchuk rematou ao poste e a bola depois bateu nas costas do guarda-redes e entrou - e o golo acabou por ser prontamente anulado pelo VAR, devido à posição irregular do ucraniano. Parecia estar mesmo escrito que não teríamos vida fácil, e o resto do jogo descreve-se de forma simples: sentido praticamente único, com o Benfica a ver as oportunidades a esbarrarem sempre num dos inúmeros adversários que se acumulavam em frente à baliza. Só faltava o inevitável golpe de teatro do golo do Portimonense numa das raríssimas ocasiões em que elese se aproximassem na nossa baliza, mais previsivelmente nalguma bola parada, e foi isso mesmo que aconteceu aos sessenta e seis minutos. Num pontapé de canto do nosso lado direito um jogador deles saltou no meio de um cacho de jogadores e conseguiu cabecear a bola quase à figura do Vlachodimos, com esta ainda a bater no chão e a passar por baixo do corpo do nosso guarda-redes. Face à forma como o jogo tinha decorrido até aí, confesso que fiquei imediatamente com a sensação de que já não o conseguiríamos vencer. O resto do tempo encarregou-se de confirmar esta sensação. O Benfica continuou a carregar e fez tudo para chegar ao golo, mas era uma daquelas situações em que se calhar poderíamos ficar ali toda a noite a tentar que a bola não entraria. Ou passava ao lado, ou ia ao ferro, ou batia em alguém, ou o guarda-redes defendia, ou um jogador do Portimonense esticava-se em desespero e conseguia o desarme no último instante. O Otamendi conseguiu ver um defesa tirar a bola sobre a linha com o guarda-redes já batido, e já sobre o final do jogo acertar no ferro com o guarda-redes pregado ao relvado. Foi uma derrota amarga e injusta, mas o futebol tem sempre destas coisas.

3.jpg

Acho que o Otamendi pode ser destacado por ter dado um exemplo de luta contra a adversidade e liderado a equipa na procura por um resultado mais justo. O Rafa também foi um dos que mais lutou.

 

É sempre mau perder, mas é importante não deixarmos que este resultado nos afecte. Há jogos em que ganhamos e no final podemos dizer que ganhámos, mas que a jogar assim nos arriscamos a perder. Depois há jogos como este, em que perdemos mas que no final sabemos que a jogar assim é muito difícil perder outra vez. E julgo que terá sido isso mesmo que o público da Luz reconheceu pela forma como se despediu da equipa. Se há coisa de que não podemos acusar a equipa desta vez é de não ter dado tudo pela vitória. As coisas acabaram por não correr bem, mas não foi por não terem tentado. E quando assim é, é muito difícil correr mal uma segunda vez.

tags:
publicado por D`Arcy às 12:04
link do post | comentar
7 comentários:
De Luis Agostinho a 6 de Outubro de 2021
Saudações Benfiquistas

Ainda não consegui digerir o jogo, e muito menos o resultado de Domingo.

Eu sei que muito dificilmente se ganha sempre, mas, perder, em casa, contra o portomonense, também conhecido como porto b???!!! Logo esses????!!!! Se há jogo que nunca poderíamos perder, e muito menos em casa, é contra o portomonense!

Para mim este resultado está ao nível de outros que nunca consegui digerir, como uma derrota para a taça, em casa, contra o gondomar, ou a derrota numa final da taça de liga contra um moreirense infestado de lagartos....não sei se alguma vez conseguirei digerir este, e ainda está muito fresco e a azia é imensa.

Apetece-me disparar em todas as direcções, mas vou disparar para o lado que, na minha opinião, é o maior responsável, o treinador.

A táctica de três defesas centrais dois laterais e por aí fora, à lagarto, sem extremos, chamo-lhe a táctica do funil, onde o ajuntamento de jogadores do Benfica e de defesas do portomonense na área do portomonense e imediações era tão grande, e para onde grande parte das equipas converge, que seria um milagre uma bola passar entre tantas pernas. Por vezes os jogadores do Benfica até se empurravam e chocavam para lutar por um espaço, tal a densidade populacional de jogadores. Isto, para jogar em casa, contra um portomonense qualquer... Ainda contra o Barcelona, até aceito, mas contra o portomonense, em casa???

O JJ utilizou praticamente a mesma equipa que tinha utilizado contra o Barcelona, excepção do Lázaro. Foi um jogo intenso física e psicologicamente. Os jogos pós noite europeia, ainda por cima uma noite daquelas, são sempre difíceis. Não será a função da equipa técnica assegurar-se de que todos os jogadores estão em condições físicas e psicológicas para jogar? Obviamente, a julgar por aquela primeira parte desastrada, havia jogadores que não estavam, pelo menos psicologicamente aptos. Porque não ter feito algumas, poucas, alterações na equipa?

A táctica estava mal, as movimentações, erradas, os jogdores escolhidos, mal, e com tanto constrangimento, era quase impossível mexer bem na equipa. Foi o que aconteceu, o JJ mexeu mal e tarde. O Ramos entrou pertinho do fim...! Há jogadores que nada acrescentaram ao jogo do Benfica, pelo contrário, e por isso, porque entram? Temos extremos no plantel, para quê?

E ainda por cima, um jogo em casa, contra o portomonense, em véspera de eleições e de mais uma, sublinho, mais uma, paragem para a treta das selecções...!

Este resultado não poderia acontecer, e não acredito na treta da sorte. É verdade que na segunda parte houve alguns lances que poderiam ter resultado em golo, mas a realidade é fizemos muito pouco para marcar, não tivemos engenho nem arte para romper com a defesa do portomonense.

Saudações Benfiquistas



De D`Arcy a 6 de Outubro de 2021
Na primeira parte demorámos a atinar mais ainda criámos quase meia dúzia de situações claras de golo. No total, este foi o jogo desta época em que tivemos mais finalizações. Não me parece que o problema tenha sido táctico.
De Luis Agostinho a 6 de Outubro de 2021
Já há muito que escrevo que não gosto desta táctica e nunca irei gostar. No outro dia ouvi o Shéu a falar desta táctica e disse que nos anos setenta tentaram implementá-la mas tiveram de desistir porque o terceiro anel simplesmente se recusou aceitá-la.

Mas, se grande parte do problema não foi táctico, porque perdemos em casa, perdendo a invencibilidade, e contra o porto b, em casa? Foi azar? Também houve numa ou outra situação, mas tem de haver mais explicações do que isso...
De D`Arcy a 6 de Outubro de 2021
Com o Eriksson, na primeira passagem, jogámos diversas vezes com três defesas e com enorme sucesso.

Se nós conseguimos criar ocasiões mais do que suficientes para vencer o jogo, não me parece que possamos pensar que o problema foi táctico. Seria um problema táctico se não se conseguissem criar situações.
De José Rama a 6 de Outubro de 2021
Para mim essa treta da "falta de eficácia" não é mais do que "falta de competência", dos jogadores, de quem os escolheu e não soube ultrapassar o previsível sistema em que o Porto B ia jogar.
De Anónimo a 6 de Outubro de 2021
Caro D'Arcy
Mais uma vez esteve bem na análise e muito obrigado por ter esta página aberta aos Benfiquistas para também podermos dar a nossa opinião com respeito e acima de tudo pelo Benfica.
É sabido que o treinador Paulo Sérgio quando joga contra o Benfica estaciona o autocarro. Iniciou o jogo com uma defesa de 5.
Como é óbvio, sendo eu um simples adepto, pelo que me é fácil jogar no totobola à segunda-feira, mas desta vez tinha a certeza de que esta seria a táctica que o Portimonense iria utilizar. Competia ao Benfica contrariar esta forma de jogar.
O Benfica entrou muito mal no jogo. Via-se que a equipa não estava maleável para abrir a defesa contrária. É certo que se o remate na pequena área do Yaremchuk tem entrado em vez de bater na mão do guarda-redes o jogo seria diferente.
O autocarro estava confortável. Os jogadores do Benfica ajudavam. Iam todos para a mesma paragem: zona central da meia-lua da grande área. É certo que o Rafa falhou um golo fácil depois de uma jogada fenomenal. Não foi só mérito do guarda-redes, também houve muito demérito dos nossos jogadores.
Eu a ver na televisão tinha a sensação de que se não se mudasse a táctica e não se começasse a explorar as laterais e a linha de fundo não conseguiríamos marcar um golo.
Mas o jogo foi-se arrastando à espera que um golo entrasse a qualquer momento. Mas o futebol não é de esperas e via-se a olho nu que as coisas não se iriam alterar.
As substituições tardaram a chegar. A táctica mantinha-se. Chegaram as substituições e mudou-se mal. Taarabt e Everton são jogadores amenos quando estão em campo. João Mário fez o pior jogo ao serviço do Benfica, penso que esteve tempo a mais no jogo.
Era preciso um abre latas nas faixas, em vez de entrar o Radonjic, para ver se colocava alguma velocidade e repentismo na ala, entrou o molenga Everton. O Ramos entrou no fim do jogo...
Perdemos imerecidamente! Mas também é um facto que nos deixamos manietar e cair no jogo so Portimonense. Estivemos sem ideias para ultrapassar um adversário previsível. Masi um jogo na Luz com 3 centrais a jogar para a Liga Portuguesa contra uma equipa ultradefensiva. Se com o Arouca e com o Tondela conseguimos vencer, desta vez a derrota doeu muito. Não só por ser desta forma e após uma vitória contra o Barcelona, mas porque íamos para mais uma inenarrável paragem do campeonato e continuaríamos com 4 pontos de vantagem.
Assim, ficamos com 1 de avanço e um amargo de boca que nos traz a sensação de que o treinador continua de ideias fixas.
Sócio há 27 anos, hoje mais Benfiquista que ontem!
De Luis Agostinho a 7 de Outubro de 2021
Caro "anónimo",

O que escreve, vai em grande parte de encontro aos meus argumentos. Esta táctica nos anos 70 foi recusada pelo terceiro anel porque não era considerada "uma táctica à Benfica", segundo ouvi do Shéu. Não compreendo porque agora passou a ser.

Outra coisa que estava a dar bom resultado no inicio da época e agora parece ter terminado, foi a rotação de jogadores. Não sei porquê.

O Waldshimdt saiu, por menos do que entrou, porque com esta táctica não há segundo avançado, e é o que ele é. O Darwin, a convergir para o centro a partir da esquerda (mais um a convergir para o centro), nem é extremo nem ponta de lança. Na minha opinião, perde-se muito dos dois. Isto apesar da exibição contra o Barça, mas temos de analisar na globalidade e não só um jogo. Uma equipa a jogar assim, é uma equipa com muita traccção a trás, na minha opinião, em excesso. E em casa contra um portomonense qualquer... Vale o que vale, a minha opinião. Isto apesar de eu gostar imenso dos nossos defesas centrais. Já nas laterais, acho que continuamos com problemas a defender.

Este é um jogo que não podíamos perder por muitas razões, algumas das quais já falei no outro comentário. É verdade que foram três pontos, mas...até o fruteiro-mór ontem já saiu da toca para animar as suas tropas à custa deste resultado. Tínhamos as coisas mais ou menos controladas, os inimigos estavam em desânimo e oferecemos-lhes um balão de oxigénio (novamente) desnecessariamente.

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Degradante

Surreal

Resgate

Perfeita

Triste

Incompetência

Indolente

Derrocada

Absurdo

Brilhante

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds