VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

Batalha

A vitória do Benfica sobre o Tondela foi inteiramente merecida, sobretudo pela segunda parte realizada, mas a margem folgada de quatro golos esconde as dificuldades por que passámos para conseguir derrubar a muralha defensiva que o nosso adversário ergueu nesta sua visita à Luz. Foi sobretudo a partir do segundo golo que começámos finalmente a ter mais espaço para jogar no ataque, que foi aproveitado para construir este resultado.

 

 

A novidade no onze hoje foi o Zivkovic, que depois das boas indicações que tem deixado nas oportunidades que lhe têm sido dadas surgiu como titular no lugar normalmente reservado ao Salvio. O Benfica começou bem o jogo, e logo nos primeiros dez minutos construiu duas boas ocasiões de golo. Primeiro, num pontapé de canto, o Luisão deixou a bola de cabeça para o remate do Samaris, mas o grego conseguiu atirar por cima quando o mais fácil seria acertar na baliza. Depois foi um remate de fora da área do Jonas, que obrigou o guarda-redes a uma boa defesa. Mas a partir daí as coisas complicaram-se. O Tondela cerrou linhas atrás - defendia na pratica com uma linha de seis defesas, com uma segunda linha logo à frente - e o Benfica começou a ver os caminhos para a baliza tapados. Houve vários problemas com o nosso jogo. O primeiro, a falta de velocidade, o que facilitava uma defesa com muita gente, que raramente era apanhada fora de posição. Depois, muito pouco jogo pelas alas e demasiada insistência pelo meio, onde se concentrava a maior parte dos adversários. O entendimento entre o Nélson Semedo e o Zivkovic nunca foi o ideal, e talvez por isso o Nélson nunca atacou tanto pelo seu lado como costuma fazer. Depois o outro problema que acontece frequentemente com o nosso jogo, que é quando o Pizzi se apaga, o resto da equipa ressente-se. O Pizzi passou uma boa parte do tempo na primeira parte quase escondido do jogo, e por via disso a bola passou demasiado tempo nos pés do Luisão ou do Samaris, que honestamente são talvez os últimos jogadores que eu desejo ver com a bola nos pés a dar início às jogadas de ataque. Foram por isso raras as situações de muito perigo que conseguimos criar. Para além das duas já citadas, acho que apenas me recordo de um cruzamento do Jonas no qual o Mitroglou ou falhou o cabeceamento, ou então tomou a má decisão de amortecer a bola em vez de a cabecear para a baliza. O Jonas, diga-se, pareceu-me demasiado amarrado no ataque, e raramente veio atrás buscar jogo. Em resumo, não foi uma boa primeira parte da nossa equipa.

 

 

Houve uma alteração importante na equipa ao intervalo, saindo o Cervi para dar o lugar ao Salvio - o Zivkovic passou para a esquerda. A entrada do Salvio dinamizou o nosso jogo pelo lado direito, e 'despertou' o Nélson Semedo. O Pizzi também ganhou muito maior protagonismo no jogo e passou a assumir muito mais jogadas. Mas o mais importante mesmo foi que toda a equipa teve uma atitude muito mais agressiva e decidida, jogando com muito mais velocidade. O próprio Estádio da Luz (cinquenta e seis mil espectadores num jogo contra o último classificado) teve um papel importante, empurrando a equipa rumo à baliza adversária com um apoio constante e ruidoso, enquanto que na primeira parte parecia ter ficado contagiado e anestesiado pela apatia em campo. O Tondela sentiu as dificuldades a aumentar e cedo tentou quebrar o ritmo do jogo, com simulação de lesões por parte do guarda-redes - é um fenómeno cada vez mais frequente nos campos de futebol nos dias que correm. Agora os guarda-redes lesionam-se quando fazem aquilo que estão lá precisamente para fazer, ou seja, uma defesa (quando o resultado interessa, obviamente). Não é um choque, não é uma bola dividida, nada. É um remate à baliza, eles atiram-se para fazer a defesa, e ficam lesionados. Foi o que aconteceu quando o guarda-redes defendeu um remate do Zivkovic logo nos primeiros minutos, quando eu já praticamente festejava o golo. Mas nada podia estancar a avalanche ofensiva do Benfica, e no fecho do primeiro quarto de hora o desejado golo surgiu mesmo. Depois de um canto a bola andou pela área até acabar nos pés do Samaris, que fez o passe atrasado para o remate de primeira do Pizzi. O mais difícil estava feito, mas ainda assim isso não foi suficiente para que o Tondela abandonasse a postura defensiva. Notava-se alguma vontade em avançar um pouco mais, mas a muralha mantinha-se no seu posto, por isso ainda sobrava algum nervosismo por estarmos expostos a algum lance fortuito que repusesse a igualdade - e teria que ser fortuito mesmo, porque o Tondela não criou uma única ocasião de golo. O golo da nossa tranquilidade apareceu a um quarto de hora do final, num raide do Nélson Semedo pela direita (grande passe do Samaris para as costas da muralha) que terminou num passe atrasado para mais uma finalização do Pizzi. Depois disso sim, o Tondela abriu finalmente espaços atrás que a nossa equipa, com a tranquilidade dos dois golos de vantagem, aproveitou para ampliar o resultado. A seis minutos do final, com o primeiro golo do Rafa com a nossa camisola: passe longo do Jonas para as costas da defesa, e ainda de fora da área o Rafa aproveitou a saída do guarda-redes para lhe fazer um chapéu. E no último lance do encontro, penálti por puxão ao André Almeida e golo do Jonas.

 

 

O Pizzi acaba por ser o homem do jogo pelos dois golos de desbloquearam uma situação que se ia complicando à medida que o tempo passava. Não gostei da primeira parte, na qual se escondeu demasiado do jogo, mas na segunda parte voltou a ser o jogador influente a que nos habituou. A entrada do Salvio foi importante para o jogo. Mesmo não tendo feito uma exibição de encher o olho, a sua presença deu mais largura ao nosso jogo e libertou também o Nélson Semedo, com quem tem um bom entendimento. Jogo seguro da nossa dupla de centrais.

 

Este jogo foi contra o último classificado, mas foi um bom exemplo daquilo que nos espera nesta segunda volta - como aliás já o jogo anterior contra o Boavista tinha sido. Cada jogo vai ser uma batalha, e não nos será permitido relaxar ou abrandar no caminho para o título, porque qualquer atitude desse género poderá ser paga com pontos. Mas para esta semana a luta será outra. É altura de centrar a nossa atenção na Taça da Liga, e tentar fazer o nosso historial nesta competição ainda mais inigualável. A começar na próxima quinta-feira contra o Moreirense, orientado por alguém que eu considero ser uma das personagens mais execráveis do futebol português. O que por si só deverá ser motivo suficiente para atenção redobrada.

tags:
publicado por D`Arcy às 01:38
link do post | comentar
15 comentários:
De Águia Real e Eterna a 23 de Janeiro de 2017 às 02:43
Crónica que relata com fidelidade este jogo BENFICA-Tondela. TUDO VERDADE.
A primeira parte foi pobre, muito pobre, nada condizente com uma equipa do Benfica. Naturalmente que mesmo a jogar a 5 km/h, e com a intensidade de jogo própria de infantis, poderíamos mesmo assim ter chegado ao intervalo em vantagem no marcador, que até poderia ser superior ao resultado mínimo.
As ocasiões estiveram lá, o que não lá esteve foi o discernimento e a capacidade de execução própria de um atleta do Benfica.
O Benfica precisa de ser mais agressivo no ataque à bola no interior da grande área adversária e rematar com melhor direcção e com superior potência.

Se na primeira parte vimos um "copo meio vazio", na segunda vimos um copo bem mais do que "meio cheio", ultrapassando mesmo os quatro quintos do seu volume.

Devo dizer também que achei o Tondela bem melhor neste registo do treinador Pepa - nosso ex-jogador - do que com o Petit - também este nosso ex-jogador -, e que desejo que o Tondela recupere e consiga ficar na Primeira Liga.

Voltando à nossa equipa, volto a dizer que Pizzi sendo um muito bom jogador continua frágil na protecção da bola, deixando-se desarmar algumas vezes quase de forma infantil, que deve melhorar a sua potência de remate, e ser mais assertivo no passe, pois conseguindo de vez em quando fazer PASSES DE MESTRE, bastas vezes confunde os seus colegas com os adversários, passando a bola a estes.
Achei Jonas muuito ansioso por marcar, o que prejudicou a equipa, pois situações existiram em que podia com toda a naturalidade passar a bola ao Mitroglou, que em posição liberta e favorável facilmente concluiria.

Todos estiveram quanto a mim praticamente no mesmo plano, o queé sempre positivo quando o resultado final é a VITÓRIA.
Gostei das substituições efectuadas, todas profícuas e atempadas.
Franco Cervi é um dos meus FAVORITOS, e gostaria que tivesse jogado o jogo todo. Ficará certamente para muitas outras ocasiões.
Rafa, tal como Franco Cervi, é também um dos meus eleitos. Mereceu o GOLÃO que marcou e EMBELEZOU a nossa Catedral com a sua genialidade.

Por uma vez, eu que vejo o jogo na sua PLENITUDE, e por isso falo de arbitragens e critico quando tenho de criticar, sempre, ganhe ou perca, pois não faço parte do número dos CALADINHOS E QUIETINHOS - sou ACTIVO E MUITO ACTIVO -, por uma vez, dizia eu, considero que tivemos um ÁRBITRO. Não digo que não tivessem existido erros. Mas erros de facto. Não "erros", que isso já é outra coisa, mas a verdade é que eu não consegui ver nenhum.
Por isso daqui envio os meus parabéns ao Árbitro BRUNO ESTEVES e à sua equipa.

Por falar em equipas de arbitragens, o outro, o Luís Ferreira e a sua equipa que na jornada passada, a 17ª, nos "PREMIOU" com três golos ilegais marcados pelo adversário Boavista na nossa baliza, lá andou hoje todo CONTENTE E PIMPÃO a apitadorar o jogo Braga-Guimarães!!!!

Pois é, do Benfica NINGUÉM se queixou, aceitaram tudo na PAZ DO SENHOR, ROUBARAM-NOS DOIS PONTOS - que podem ser decisivos para o tão ambicionado TETRA-CAMPEONATO, mas parece que não se passou nada!!!!
Se fosse outro o prejudicado desta forma gigantesca, já tinha pedido dois ou três meses de "JARRA" para o apitador luís ferreira.

Entretanto, de alvaLADRA chega através do TRINCA BOLOTAS burro de parvalho que o seu riporting foi prejudicado em 12 (DOZE) pontos pelos árbitros e que se não fora isso estariam em primeiro lugar na classificação.

Mas que grande ATRASADO COGNITIVO é esse monte de ESTERCO E MENTIRAS. Por CARIDADE, alguém que INTERNE o réptil.

Na próxima quinta-feira, 26-01-2017, é preciso JOGAR À BENFICA, MAS MESMO À BENFICA para "enterrar" esse ASQUEROSO e ESCABROSO URinácio QUE EU DESEJO QUE LEVE O MOREIRENSE À 2ª Divisão.
É que eu além de amar o meu BENFICA, odeio répteis. ABSOLUTAMENTE. Especialmente os de telheiras/alvaLADRA.

BENFICA BENFICA BENFICA Semrpeeeeeeeeeeeeeeeeeeee o MAIOR E O MELHORRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR
De Redpower a 23 de Janeiro de 2017 às 11:57
Concordo inteiramente com o post! Exibição muito positiva do Zivkovic, Cervi menos inspirado o que fez com que fosse substituído ao intervalo.
Acho que se devia verificar os ares que se respiram junto das balizas dos adversários no Estádio da Luz porque os guarda-redes caem que nem tordos... Deixem-se de merdas e joguem à bola, tenham respeito pelo desporto e por quem paga bilhete!

Fantástico público no Estádio da Luz e que mereceu esta vitória folgada!!

Venha o Moreirense, treinado pelo asqueroso do Inácio, como disse e bem o D'Arcy.

VAMOS BENFICA!
De Águia Real e Eterna a 23 de Janeiro de 2017 às 12:24
Relativamente ao meu comentário anterior, ressalvo aqui que o apitador que esteve em Braga no jogo Braga-Guimarães foi fábio veríssimo ( outro que eu DETESTO, sim, o tal que na época passada, na parte final do campeonato tentou e muito, impedir-nos de nos sagrarmos Tri-Canmpeões, ao nos "presentear" com uma apitadoragem ESCABROSA na ilha da Madeira no jogo Marítimo-BENFICA, ao expulsar sem razão nenhuma, o nosso Renato Sanches que era o nosso "motor" do meio campo, e decidindo sempre contra o Benfica marcando faltas e faltinhas na tentativa de "dar" o empate ao Marítimo. Um grande FILHO DA PUTA é esse escabroso lagartinóide fábio veríssimo), não sabendo eu onde esteve o apitador luís ferreira, o tal que nos "premiou" com três golos ilegais do Boavista contra o nosso Benfica.

As minhas desculpas por este lapso, mas a verdade é que fui induzido em erro por um amigo pois eu não vi o jogo Braga-Guimarães - SÓ TENHO OLHOS PARA VER AS CAMISOLAS VERMELHAS DO BENFICA, e não perco tempo a ver outras equipas. PARA MIM SÓ DÁ BENFICA E BENFICA E BENFICA. MAIS NADA.

Ainda quanto ao árbitro Bruno Esteves que arbitrou este nosso jogo com o Tondela, só quero ressalvar que tenho uma dúvida - quase certeza - num lance ainda na primeira parte em que foi assinalado um fora de jogo ao Mitroglou, quando este estaria em linha com o último defesa adversa´rio, e por isso mesmo, em posição legal. Mas aqui a respnsabilidade é inteiramente o árbitro auxiliar, o antigamente designado fiscal de linha.

Só uma dúvida mantenho, e essa ninguém a poderá tirar-ma, que é a seguinte:
Acaso o resultado do jogo estivesse 0-0 na altura em que aconteceu o penalty ( claríssimo) sobre o André Almeida, e que seria transformado no nosso quarto golo por Jonas, pergunto eu se, nessas circunstâncias, o árbitro teria ou não assinalado a marca dos 11 metros.

Quanto ao resto, temos TUDO para GANHARMOS TUDO.
Basta para isso mantermos toda a atenção e empenho total e não deixarmos - nós todos e a nossa direcção e Presidente - que o nosso Benfica esteja nas "mãos" dos apitadores.
OLHO DE ÁGUIA E BICO FORTE COM ASAS MAIS FORRES AINDA.

BENFICA BENFICA BENFICAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Sempreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
De Henrique Teixeira a 23 de Janeiro de 2017 às 12:53
Vitória mais difícil do que o resultado deixa transparecer.
Não esperava sofrer tanto, mas é bom lembrar que o Tondela venceu o Porto na época passada e já na presente empatou com a mesma equipa e com o Sporting em Alvalade, onde esteve a ganhar até aos descontos.
A exibição do Benfica teve muita noite na primeira parte e muito dia na segunda.
O nosso único adversário na luta pelo título é agora o Porto, sem surpresa para mim pois é o que sempre mais temi.
Espero que não saia ninguém até ao fim do mês , porque a época é longa e desgastante e todos são precisos.
Espero também que Eliseu e Raúl Jiménez regressem já na Taça da Liga, que Fejsa esteja disponível rapidamente e que as queixas de Mitroglou não sejam indiciadoras de nova lesão.
De Manuel Afonso a 23 de Janeiro de 2017 às 14:06
Primeira parte fraquita. O Luisão estava colocado muito atrás, e assim a equipa perde solidez, capacidade de recuperação rápida da bola, e de apoio ao ataque por parte dos médios.
Na segunda parte, sempre que a linha defensiva se situou na linha de meio campo foi um massacre. É assim que temos que jogar contra equipas como o Tondela.
Claro que isto é mais fácil de dizer que de fazer. Mas é por isto que temos um plantel tão superior ao do nosso adversário de ontem.

Qualquer sensação de facilidade, qualquer sinal de facilitismo, tem que ser rapidamente afastado. Nada é fácil para o Benfica. Tudo o que ganhamos é na união, na garra e na vontade.
Qualquer adormecimento paga-se muito caro.
É preciso manter o foco no campeonato a todo o custo.
De António Matos a 23 de Janeiro de 2017 às 15:44
Conforme se refere na crónica, a simulação de lesões por parte dos guarda-redes, está de moda no futebol português e veio para ficar. Num país de chico-espertos e onde a desonestidade é uma virtude, esse facto não me estranha nada. O que me espanta mesmo, é que só agora a sua prática seja uma constante. Numa altura, em que, quase diariamente, surgem ideias novas para melhorar (?) o futebol, resta-nos aguardar que o van Basten, se lembre de alguma regra, que impeça os guarda-redes de pararem o jogo, pelo tempo que lhes apetecer ... ou quase.
De marco rijo a 23 de Janeiro de 2017 às 21:00
Boas ;

Pois, eu já esperava dificuldades diante do Tondela, pois como equipa que luta pela manutenção, faz sempre bons jogos contra os grandes( o histórico reçente assim o diz nos ultimos dois anos) e têm estratégias defensivas consistentes , que o digam o Porto,Sporting e mesmo o V.Guimarães que perdeu em Tondela.
O post já disse praticamente tudo com dificuldade na primeira parte e pouca velocidade e boa segunda parte coroada com golos.
Mas o importante é como foi dito, cada jogo vai ser uma dura batalha, não pode haver facilitismos, pois pode ser irrecuperável.
O Zivkovic, do qual espero que seja uma mais valia, continua a subir a sua forma e confiança.
Gosto do Rafa é rápido, com mais alguma sobriedade e maturidade no passe ou no remate,fica óptimo, vai ajudar-nos muito.
O Pizzi para mim além dos golos não fez uma das suas melhores exibições, mas é fundamental para nós.

Agora outra questão se me podem ajudar, já que vamos á final four da Taça da Liga , o nosso jogo em Setúbal , vai ser quando ??
É que até hoje ninguém ainda me soube dizer ao concreto.

Saudações benfiquistas.

De Luís Manuel a 23 de Janeiro de 2017 às 22:04
Olá D'Arcy, e obrigado pelo teu post, cujo título é acertadíssimo e, aliás, penso que todos os jogos para todas as competições em que estamos envolvidos serão realmente batalhas daqui para a frente. À semelhança do que sucedeu na época passada - e foram tantas, sobretudo na segunda volta. É bom que todos tenhamos isso em mente. Para conquistar os três pontos em cada jogo da Liga (neste caso) teremos de o fazer palmo a palmo, com muito suor e entreajuda.

Entrámos mal, tal como no jogo com o Boavista. Não podemos dar uma parte de avanço a ninguém. Bem sei que o adversário também joga, mas acho que temos de ser mais determinados no início do jogo. Um golo do adversário na primeira parte pode dificultar-nos muito as coisas.

A segunda parte foi excelente, a equipa soltou-se. Vitória muito justa mas muito sofrida. Temos de continuar com os pés bem assentes no chão, e por isso mesmo gostei de ouvir o nosso treinador no final.

Agora é concentração total no jogo com o Moreirense. A vitória dá acesso a uma final de uma competição oficial, e não tenho dúvidas que vai ser um jogo muito difícil. A motivação do nosso adversário - por todas as razões e mais algumas - é enorme. Temos de estar muito concentrados, e acredito que o faremos.

Força, Benfica !!
De D`Arcy a 23 de Janeiro de 2017 às 23:19
A data do jogo em Setúbal dependerá da ida ou não à final da Taça da Liga. Se não formos à final, em princípio será no dia 29 ou 30. Se formos à final, então o jogo deverá ser disputado no dia 2. No fim-de-semana que se segue o campeonato pára por causa da selecção.
De Francisco Pereira a 23 de Janeiro de 2017 às 23:46
Olá D' Arcy.

Tudo bem ou quase na tua crónica, justificadamente pouco entusiasta.
Não gostaste da primeira parte e ficaste em paz com a segunda. Para mim, pessimista, também não gostei da segunda, só muito esforço e atitude, sim senhor, mas pouca linha de jogo. Já jogámos muito mais noutros jogos e não conseguimos resultado tão folgado. Dir-se-á " virtude de eficácia", mas para mim nem isso, foi sim um final agradávelmente feliz por surgirem os 3 golos no último quarto de hora do jogo. Descansámos então, eu pelo menos. Fico apreensivo para os próximos jogos do campeonato, principalmente nos jogos fora. Parece que todos nos querem comer.
Mas, tácticamente, achei estranho que, uma equipa que defendia geralmente com 6 e 7 jogadores, logo que pegava a bola conseguia saltar para o ataque com, pelo menos, 3 jogadores a chegarem à nossa área. Ao contrário, lembras-te daquela corrida doida que o Zickovic fez, para chegar relativamente perto do guarda-redes, sem o apoio de nenhum jogador do Benfica, aparentemente já sem forças para rematar acertivamente. Como essa jogada, houveram mais algumas semelhantes. Percebo pouco disso para opinar a atitude mais acertada para que tal não acontecesse. Já vínhamos a dar sinais de alguma incerteza, nos dois últimos jogos apesar de termos marcado 9 golos sofremos 5, fico preocupado não apenas pelo comportamente aparentemente cansado da nossa equipa mas, principalmente, pela atitude concertada de todos os nossos adversários. Usam todos os argumentos, mesmos os mais esquisitos.

Ao contrário, na Taça da Liga, sinto-me confiante. Mas vamos ter 2 meses a jogar sempre ou quase, 2 vezes por semana.

VAMOS TODOS LUTAR PARA SERMOS CAMPEÕES BENFIQUISTAS.

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Absurdo

Controlo

Tranquila

Desconcentração

Cinzenta

Frustrante

Lamentável

Desnecessário

Desilusão

Estrelinha

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds