VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sexta-feira, 15 de Março de 2019

Bomba

Foi à bomba e a ferros que o Benfica deu a volta ao resultado negativo de Zagreb e, após prolongamento, garantiu a passagem aos quartos-de-final de Liga Europa.

 

 

Foi com um onze um pouco surpreendente que o Benfica entrou em campo. Grimaldo, Samaris, João Félix e Jonas poupados, e uma frente de ataque constituída pelo Rafa e o Jota. No meio campo, destaque para o Fejsa após dois meses de ausência. O Zivkovic e o Yuri Ribeiro foram as outras duas novidades. A primeira parte foi complicada. Os croatas vieram à Luz basicamente para defender e o Benfica teve um enorme domínio territorial, mas fomos quase sempre uma equipa inócua. Foi muito complicado romper as linhas cerradas que o Dínamo montou em frente à sua área, e quando lá chegávamos regra geral faltava presença na zona de finalização, onde os nossos jogadores perdiam claramente no duelo físico com os defesas adversários. Nem sei quando é que conseguimos fazer o primeiro remate no jogo, mas certamente terá sido já depois de metade da primeira parte ter passado. Muito pouco para quem precisava de marcar. Na entrada para a segunda parte, duas alterações mais ou menos óbvias face ao rendimento da primeira parte. Saíram o Yuri e o Zivkovic, claramente os jogadores que estiveram menos bem, e entraram o Grimaldo e o Jonas. O Benfica melhorou muito com a nova ala esquerda - o Rafa saiu do centro e começou a cair mais para esse lado - e a muralha croata começou a abrir brechas. O golo passou a ser uma possibilidade muito mais real, enquanto que ofensivamente o nosso adversário não existia. Nem sequer em contra-ataque conseguiam fazer qualquer jogada relevante, sendo remetidos para o seu meio campo durante praticamente todo o tempo. O golo que empatou a eliminatória finalmente surgiu a cerca de vinte minutos do final, pelo inevitável Jonas. Subida do Ferro com a bola controlada, que levantou para a área onde o Pizzi atrasou de cabeça para o remate enrolado do Jonas, feito com a parte de fora do pé, que fez a bola entrar bem juntinho da base do poste. O golo em nada alterou a atitude do Dínamo, que continuou a jogar como se estivesse em vantagem na eliminatória. 

 

 

O Benfica foi à procura do golo que evitasse o indesejável prolongamento e o que fez até final justificaria esse mesmo golo, mas infelizmente não conseguimos resolver a eliminatória nos noventa minutos. No prolongamento, nada de novo, Benfica sempre em cima e croatas inofensivos. O Pizzi deu logo a abrir o primeiro aviso num remate de longe, e pouco tempo depois foi mesmo assim que o Benfica marcou o segundo. Na sequência de um canto (resultado de mais um remate forte do Jonas que o guarda-redes tinha defendido com dificuldade) a defesa do Dínamo não foi eficaz a afastar a bola, que o Ferro recuperou numa zona adiantada e depois ainda de fora da área desferiu um remate indefensável. Um golaço que nos colocava em vantagem e que, a não ser que o Dínamo tivesse a capacidade para se transfigurar completamente, muito dificilmente não significaria o apuramento. E não, o nosso adversário não conseguia mesmo fazer mais do que aquilo que tínhamos visto até então, pelo que foi com naturalidade que a fechar a primeira parte do prolongamento ficou tudo resolvido. Primeiro os croatas deram um tiro no próprio pé, já que o seu lateral direito Stojanovic se fez expulsar com dois amarelos consecutivos por protestos. E logo a seguir, mais uma bomba no jogo, desta vez do Grimaldo, que num remate cruzado fez a bola subir muito e depois cair a pique para dentro da baliza, deixando o guarda-redes pregado ao relvado. A segunda parte foi apenas para cumprir o horário. O Benfica poderia ter chegado a um quarto golo se forçasse porque o Dínamo estava completamente entregue - apesar de ter tido a sua única ocasião de golo digna desse nome, mas o suplente Atiemwen atirou de forma inacreditável ao lado depois de ficar isolado após ganhar um ressalto na zona central - e mesmo a fechar foi o guarda-redes quem negou esse quarto golo ao Pizzi, que bem o mereceria.

 

 

Gostei muito das exibições do Rafa (incrível como mesmo no prolongamento continuava a ser capaz de correr de uma baliza à outra com a bola nos pés) do Pizzi ou do Gabriel, mas escolho destacar o Ferro. Continua a jogar com uma calma e qualidade que seria mais própria de alguém que já andasse na equipa principal há vários anos. Para além disso marcou o golo que nos colocou em vantagem na eliminatória e ainda deu início à jogada do golo que a igualou. A entrada do Grimaldo foi importantíssima, sendo no entanto preocupante confirmar que é um jogador quase impossível de substituir.

 

Teremos que esperar por domingo para perceber a influência que este indesejado prolongamento possa ter tido no aspecto físico da equipa, mas o apuramento certamente que terá feito muito bem à parte psicológica. Veremos o que o sorteio amanhã nos reserva, mas o fundamental agora é mesmo ganhar ao Moreirense. Será um dos obstáculos mais complicados que teremos que ultrapassar se queremos ser campeões.

tags:
publicado por D`Arcy às 00:52
link do post
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

#Reconquista

Um

Crer

Proveitosa

Pujante

Deplorável

Firme

Soberba

Complicado

Merecida

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds