VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Quarta-feira, 29 de Setembro de 2021

Brilhante

Foi uma grande noite europeia na Luz. Uma exibição brilhante do Benfica, em especial na segunda parte, permitiu ao Benfica vencer de forma claríssima o Barcelona. Face ao momento actual das duas equipas, creio que eram legítimas as esperanças num bom resultado, mas duvido que muitos de nós pensassem ser possível uma vitória por três golos sem resposta.

1.jpg

Creio que o onze base do Benfica está encontrado, e por isso a equipa inicial não deverá ter surpreendido muito. Com o Diogo Gonçalves lesionado, há sempre a dúvida sobre quem ocupará o lado direito, e eu pensei que neste jogo esse papel seria entregue ao Gilberto, que tem jogado frequentemente nos confrontos europeus e dado boa conta do recado, mas um pouco inesperadamente a aposta foi no Lázaro. A nossa disposição táctica foi também na linha daquilo que temos vindo a apresentar nos últimos jogos, com o Rafa mais uma vez a actuar como um falso interior, a jogar entre linhas muitas vezes a par do João Mário, mas com bastante liberdade para se soltar nas alas. O início de jogo foi de sonho para o Benfica, pois decorridos dois minutos já o Darwin fazia explodir o vulcão da Luz - estar no estádio a assistir a um jogo destes, com este ambiente, faz-nos recordar a força que o Benfica perdeu com a pandemia, enquanto não pôde contar com o apoio dos seus adeptos nas bancada. No golo, o Weigl colocou a bola em profundidade na esquerda, onde o Darwin a recolheu, entrou na área pela lateral e já perto da linha de fundo, tendo depois flectido para dentro, tirando o defesa da frente para depois rematar rasteiro e puxado ao poste mais próximo. Logo a seguir foi o Yaremchuk quem se libertou novamente descaído para a esquerda, mas a tentativa de colocar a bola no poste mais distante saiu rasteira e foi fácil para o Ter Stegen. Mas depois o Barcelona conseguiu reagir e foi empurrando o Benfica para trás. Estávamos a revelar alguma dificuldade para controlar o meio campo do Barcelona, que aproveitava a superioridade numérica para trocar a bola e a mobilidade do Pedri e o De Jong para nos causar dificuldades. No banco o JJ bem gritava com o Rafa, que me pareceu que ele quereria que recuasse mais no terreno para contrariar este desequilíbrio, mas não estávamos a consegui-lo. O Barcelona criou algumas ocasiões de bastante perigo, umas delas que foram anuladas por posição irregular (ou seriam eventualmente, caso acabasse em golo) e outras por intervenções fantásticas dos nossos defesas centrais - o corte do Lucas Veríssimo é uma coisa extraordinária. Por volta da meia hora de jogo, acho que foi claro que o Barcelona não ficou reduzido a dez apenas porque era o Barcelona e o jogador em questão era o Piqué, porque já com um amarelo ele virou o Rafa. Até o Koeman no banco percebeu o que se passava e substituiu-o imediatamente. Isto, na minha opinião, foi efectivamente o fim do Barcelona no jogo. Porque a opção do Koeman foi recuar o Frenkie De Jong para central, e o meio campo do Barcelona não voltou a ser o mesmo, porque o Pedri deixou de ter acompanhamento. Com o Barcelona a ter mais bola mas já sem ser tão perigoso, pouco antes do intervalo vimos o Lázaro a ter que sair por lesão, sendo substituído pelo Gilberto, mas esta era uma noite feliz e esta alteração acabou por melhorar ainda mais as coisas para nós, porque o Gilberto entrou muito bem no jogo.

3.jpg

A segunda parte nada teve a ver com a primeira. De uma forma simples, ela foi toda do Benfica. Em primeiro lugar, o Gilberto na direita conseguiu travar de forma muito mais eficaz as constantes tentativas do Memphis de entrar por aquele lado, levando-o até a procurar outros terrenos. Depois, a solução encontrada para equilibrar o meio campo foi um aumento da agressividade dos nossos centrais. Vimos frequentemente um deles a sair da linha para cair imediatamente em cima do médio que recebia a bola e pressioná-lo, de forma a que não se pudesse virar e jogar à vontade. Cheguei mesmo a ver várias vezes qualquer um dos três centrais a fazer isto sobre a linha do meio campo. Depois, as sucessivas recuperações de bola que o Benfica conseguia permitiam-lhe sair em transições rápidas, com especial destaque para o Darwin e o Rafa, para os quais o Barcelona não conseguia encontrar soluções, mostrando uma dificuldade enorme para controlar a profundidade. Resumindo tudo isto, a segunda parte só deu Benfica. O segundo golo podia aliás ter surgido bem cedo na segunda parte, quando o Darwin conseguiu antecipar-se a uma saída disparatada do Ter Stegen a meio do meio campo, e junto à linha lateral do lado direito atirou a bola para a baliza, com esta a ir embater no poste e a sair. O Barcelona apenas criou uma situação de perigo durante toda a segunda parte, na qual o Grimaldo conseguiu interceptar uma tentativa de remate do Sergi Roberto junto ao poste esquerdo. O Vlachodimos aliás acabou por não ter que fazer uma defesa durante todo o jogo, porque o Barcelona acabou com zero remates à baliza. Aos sessenta e oito minutos, ainda a perder apenas por um golo sem saber muito bem como, o Koeman voltou a mexer mal na equipa, fez três substituições de uma assentada que incluíram as saídas do Pedri e do Busquets, e perdeu o meio campo de vez. Ainda por cima, um minuto depois o Benfica chegou mesmo ao segundo golo. Isto numa altura em que eu até amaldiçoava o facto do Benfica ter desperdiçado uma situação em que de repente vi cinco jogadores do Benfica dentro da área quase sem oposição. A bola seguiu para a esquerda, à entrada da área o João Mário tabelou com o Yaremchuk e isolou-se por esse lado e tentou finalizar (quando tinha, surpreendentemente, o Gilberto em zona de finalização). O Ter Stegen conseguiu defender, mas a bola sobrou para o centro da área onde surgiu o Rafa a finalizar de trivela. E nesse momento acho que percebemos todos que não só o Benfica tinha o jogo ganho, como que muito provavelmente o resultado não ficaria por ali. É que logo a seguir o Yaremchuk atirou para fora quando estava em óptima posição, isto depois de mais uma transição em que os três da frente apareceram na área em boa posição. A quinze minutos do final trocámos o Grimaldo e o Yaremchuk pelo André Almeida e o Taarabt, e um par de minutos depois apareceu mais uma vez o Gilberto na posição de ponta-de-lança para cabecear um cruzamento do André Almeida, o que resultou num penálti claro por corte com a mão do Dest (assinalado pelo VAR). O Darwin concretizou com classe e nos minutos finais deu para tudo. Deu para as substituições do Darwin e do Rafa para os merecidíssimos aplausos, deu para o público gritar 'olés' (coisa que eu não aprecio nada e que acho uma falta de classe) e também para gritar pelo Messi, e deu para o Barcelona ficar finalmente reduzido a dez, por expulsão do Eric García.

2.jpg

É difícil escolher o melhor em campo. Obviamente que o Darwin é um grande destaque pelos dois golos que fez, mas também pelas inúmeras dores de cabeça que causou à defesa do Barcelona. Mas para mim o melhor em campo foi mesmo o Rafa. Eu imagino que nesta fase já pareça um bocado repetitivo por estar constantemente a destacar o Rafa em todos os jogos, mas se eu já era admirador das características do Rafa, desde que ele assumiu estas novas funções mais interiores acho que tem sido absolutamente decisivo, e voltou a sê-lo hoje. Acho que o Barcelona nunca conseguiu encontrar solução para o parar, marcou um golo, causou inúmeros desequilíbrios e ainda conseguiu ter um compromisso defensivo exemplar, sendo sempre um dos primeiros (juntamente com os colegas do ataque) a pressionar e a tentar a recuperação. Jogo enorme também do Weigl (outro dos meus preferidos) que deve ter sido o jogador que mais correu e é um prazer ver a forma como lê o jogo e instintivamente consegue fazer as compensações defensivas quase de olhos fechados, e do João Mário, importantíssimo na ligação entre sectores. Finalmente, os nossos centrais foram quase perfeitos. Quem acabou por ser se calhar o elo mais fraco foi o Grimaldo, que esteve bastante apagado frente ao clube onde se formou.

 

Uma vitória importantíssima para prolongar e reforçar o óptimo momento que atravessamos. A nossa equipa parece estar com níveis de confiança altíssimos e cada vez mais entrosada - acho que ainda pode render mais e melhor. O Barcelona pode estar num péssimo momento, mas repito o que disse: o Barcelona não é uma equipa qualquer e vencer por três golos sem resposta é sempre muito motivante. Nesta competição seguem-se dois jogos contra o Bayern, que será um nível completamente diferente. Ainda há muito por jogar, mas é sempre bom colocar logo pontos no bolso na fase inicial.

tags:
publicado por D`Arcy às 23:31
link do post | comentar
5 comentários:
De Henrique Teixeira a 30 de Setembro de 2021
Um dos melhores jogos do Glorioso dos últimos anos.
Garra, força, crença, coletivo, classe.
Esplendor na relva.
Viva o Benfica.
Saudações Benfiquistas.

De Luis Agostinho a 30 de Setembro de 2021
Bom dia,

Se nos lembrar-mos do pesadelo da época passada, subimos do Inferno ao Céu. Agora, saborear um pouco e esperar que não haja nova descida ao Inferno (eu sou um grande pessimista).

Foi um resultado histórico e provavelmente, irrepetível, pelo menos nos anos mais próximos. Mas agora vem aí o Bayern e temos de ir a Barcelona e à Alemanha (penso que é assim) e as coisas ainda têm o potencial para correrem mal, ou muito mal.

Gostei de ver a união e a garra na nossa equipa. A sorte do jogo também esteve do nosso lado, pois na primeira parte poderíamos ter sofrido em alguma das muitas ocasiões de perigo que o Barcelona criou. Já o árbitro, como é costume, esteve do outro lado. O penalty, até compreendo, embora considere que era penalty. Noutra aérea do terreno de jogo e teria marcado falta. Mas a expulsão perdoada ao Piqué, imperdoável. Como vimos no PSV, o Benfica não tem essas tolerâncias. O meio campo era deles e chegavam à nossa cabeça de área livres para faze o que queriam e a nossa defesa estava aflita. No intervalo até disse a um amigo que isto a continuar assim, iriamos sofrer mais tarde ou mais cedo, pois tantas vezes o cântaro vai à fonte...

Mas na segunda parte o JJ deve ter corrigido as marcações e posicionamentos no meio campo e a segunda parte foi totalmente do Benfica e até poderíamos ter dilatado mais o resultado. Eu sei que o Barcelona está em crise, mas isso não é culpa do Benfica. O Benfica só tinha de fazer o seu jogo e foi o que fizemos. Mesmo em crise, o Barcelona tem uma grande equipa com excelentes jogadores e não podemos deixar que desvalorizem a nossa vitória.

Valerá a pena voltar a comentar os comentadores...? Inenarrável que foi ouvir na eleven sports a narração e comentários ao agradável jogo do Liverpool no Contumil. Eu estava a ver uma coisa, e os comentadores a narrarem outra. Segundo eles, o contumilense estava a fazer um bom jogo, com uma defesa sólida, e até a empurrar o Liverpool para a sua área, e o árbitro até prejudicou o contumilense. Ironicamente o sonceição no fim do jogo partiu a loiça e contrariou o que eles foram inventando ao longo do jogo.
Já os viscondes caloteiros, segundo os "dótores" da bola, fizeram um excelente jogo, conseguindo só perder por um. Muitos elogios e, se houvesse um "pote" as coisas teriam sido diferentes...Pois, mas não há "pote", nem substituto para "pote", ou seja, não há panela, nem a que trouxeram do PSG. Se isto fosse no Benfica...
Liguei um pouco para a xic lagartos após o jogo do Benfica, por curiosidade. Sem surpresa, constatei que não reinava a alegria, ao contrário da minha casa. Esse tal "senador da bola" borges, chegou ao ponto de desvalorizar o Barcelona dizendo que apresentou uma defesa de infantis. Mas prontos, ele é que é o "senador da bola", ele é que sabe, que o Benfica não presta, ao contrário dos dragartos, e que só vai faturando bons resultados porque os outros contra nós apresentam equipas fracas, sem vontade de jogar, de correr, senão, não ganharíamos um único jogo. Aconteceu assim com o Spartak, com o PSV, com o Kiev e agora com o Barcelona. No tugal, só conseguimos ganhar porque os árbitros nos protegem, e temos tido sorte. É esta a sua narrativa.
O que desejo, é que a equipa continue a causar azia a essa gente toda.
De Ricardo a 30 de Setembro de 2021
Bravo D'Arcy!
Bravo Luís Agostinho!
👏

Ricardo
De Anónimo a 30 de Setembro de 2021
Caro D'Arcy
Como sempre a sua crónica é certeira.
O Benfica fez uma segunda parte de excelência!
É certo, como dizem os comentadeiros da praça, foi contra uma equipa em crise; mas o Atlético de Madrid já é um colosso, não obstante andar a ganhar e a empar nos descontos; o Dortmund é um colosso, mesmo que neste momento ande pelas ruas da amargura no campeonato alemão.
É assim que estamos: Benfica contra tudo e contra todos! Mas em frente com esta garra, querer e ambição! Importa não adormecer com a fantástica vitória contra o Barça. Vem aí o Portimonense e é para ganhar.
Todavia, não poderemos embandeirar em arco, está a vir ao de cima o mesmo pessimismo informado e controlado, é que nós corremos o risco de ir a Barcelona jogar com menos dois pontos que o Barcelona, pois enquanto o Barcelona vai fazer dois jogos consecutivos com o Kiev, nós vamos fazer os dois jogos com o Bayern.
Vamos saborear esta vitória. Mas não cantemos hossanas, para que esta vitória não se torne, no final, agridoce.
Sócio há 27 anos, hoje mais Benfiquista que ontem.
De Redpower a 30 de Setembro de 2021
Não tendo tido a possibilidade de ver o jogo, fiquei, claro, muito feliz com o resultado!

Atenção que toda a gente conta disputar a passagem com o Barcelona garantindo o Bayern como primeiro e o Dínamo como último. Pois eu acho que o Dínamo pode ter uma palavra a dizer! E o Bayern, embora claramente favorito, pode escorregar também. A atitude terá que ser jogo a jogo, sempre com o intuito de ganhar.

VIVA O BENFICA!

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Degradante

Surreal

Resgate

Perfeita

Triste

Incompetência

Indolente

Derrocada

Absurdo

Brilhante

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds