VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Domingo, 3 de Março de 2019

Categórica

Eram oito vitórias consecutivas, agora são nove. Nove são também os pontos ganhos ao Porto desde a alteração no comando técnico da nossa equipa. Foi uma vitória categórica no Porto contra um adversário difícil e ainda outros obstáculos que foram surgindo durante o jogo, e que concretizou a ultrapassagem ao adversário desta noite e a conquista do lugar no topo da tabela. 

 

 

O onze inicial do Benfica foi o esperado e não teve surpresas. Mesmo não sendo um génio das tácticas como o Sérgio Conceição, qualquer benfiquista deve ter sido capaz de adivinhar a equipa com que entrámos em campo. Teste de fogo para a a jovem dupla de centrais Rúben/Ferro, mas nada que intimide os nossos jovens, incluindo um Marega miraculosamente recuperado com baba de caracol. A entrada do Benfica no jogo até foi algo tímida e o Porto teve algum ascendente na fase inicial, chegando ao golo aos dezoito minutos, numa recarga a um livre perigoso depois de uma falta do Rúben sobre o Brahimi quase sobre a linha da área. Houve dúvidas sobre a posição do Pepe no lance, mas já sabemos que sempre que um lance vai ao crivo do VAR nunca é decidido a nosso favor. Por isso siga para golo, tal como seguiu o jogo quando minutos antes o Pizzi foi agarrado em plena área do Porto. Paradoxalmente, o golo fez bem ao Benfica, porque a partir daí fomos claramente a melhor equipa em campo. Quase na resposta só não chegámos imediatamente ao empate porque o Pizzi, em frente ao guarda-redes, rematou contra as pernas do Casillas. Mas aos vinte e seis minutos o empate chegou mesmo, resultado da habitual pressão alta do Benfica: recuperação de bola do Gabriel, completada pelo Seferovic, que depois progrediu pela esquerda e passou a bola para o centro da área, onde o João Félix recebeu à vontade e finalizou com aparente facilidade. O Benfica apresentava-se a jogar no Porto como há muito não via: com um enorme à vontade e a jogar o seu futebol (que diferença em relação a todas aquelas vezes em que vimos o Benfica mudar completamente de cara sempre que lá ia e apresentar-se encolhido e receoso). Não fomos para o intervalo a ganhar apenas porque, na sequência de uma grande jogada de saída de pressão em que a bola foi quase sempre jogada ao primeiro toque entre vários jogadores, o Seferovic rematou mais uma vez à figura do Casillas quando estava sozinho.

 

 

No início da segunda parte veio a sequência lógica daquilo que tínhamos visto a acabar a primeira parte. O Benfica cedo se colocou em vantagem, resultado mais uma vez das linhas bem subidas e dentro do meio campo do Porto. O corte do Filipe a um passe para o João Félix fez a bola ir cair nos pés do Rafa, que tabelou com o Pizzi (grande trabalho deste, dentro da área e rodeado por três adversários) e em posição frontal rematou para fazer a bola entrar rasteira e junto ao poste. Fazendo um ponto de situação: nesta altura eu achava que o Benfica era claramente a melhor equipa em campo e que se as coisas continuassem como estavam seria muito mais provável um terceiro golo nosso do que o Porto chegar ao empate. Objectivamente, o Porto tem três planos de jogo: a) Chutar bolas para o Marega; b) Dar a bola ao Brahimi; c) Pôr o Alex Telles a despejar bolas para a área. Nada disto estava a resultar, e assistimos mesmo ao Porto a utilizar estratagemas que são mais típicos de equipas pequenas quando vêm jogar à Luz, em que aproveitam livres quase sobre a linha do meio campo para despejar a bola para a área, já que é das poucas formas que têm de conseguir lá chegar. A única razão pela qual a minha confiança na vitória não era absoluta era porque já são muitos anos a ver o Benfica jogar no Porto, e coisas esquisitas têm sempre tendência a acontecer quando o Porto está em apuros. Ainda por cima era mais do que visível a vontade dos jogadores do Porto em levar o jogo para quezílias e arranjar confusões, por isso todo o cuidado era pouco (ficou-me na retina um tentativa do Pepe, uma das criaturas mais asquerosas que alguma vez pisou um campo de futebol, arranjar confusão com o João Félix, que basicamente o ignorou). Então quando ao fim de uma hora de jogo entrou o Otávio em campo, o nível de arruaça elevou-se para valores demasiado perigosos. O Porto apenas por uma vez conseguiu criar uma grande ocasião, valendo-nos um desarme incrível do Samaris quando o Herrera já puxava o pé atrás para rematar para o que seria quase inevitavelmente golo. Aquele desarme valeu tanto como um golo. Logo a seguir, o Otávio fez aquilo que sabe melhor, arranjou uma confusão com o Gabriel e aquele que estava a ser o nosso melhor jogador em campo acabou expulso (o Otávio obviamente que se safou com um amarelo, e na confusão e ajuntamento que se seguiu, que incluiu uma espécie de agressão do Brahimi ao Rúben Dias, toda a gente passou impune). A partir deste momento então o jogo mudou completamente, e o Porto carregou muito mais à procura do empate. Mas a equipa mesmo reduzida a dez não abanou e manteve-se sempre muito organizada e lúcida. Destacam-se duas situações em que o Vlachodimos esteve muito bem, num grande remate de longe do Felipe, e depois num remate à queima roupa do Marega - fiquei com a sensação de que estaria em posição irregular, mas ainda bem que ele defendeu a bola porque já sabemos que não nos podemos fiar no VAR, e em posição irregular ou não o mais provável seria o golo ser validado caso a bola entrasse. Na fase final, e perante a alteração táctica do Porto em que colocou o Danilo em campo para passar a defender apenas com três e fazer dos seus laterais alas, o Benfica reagiu com a colocação do Corchia na direita e juntando o André Almeida ao meio para ajudar na marcação ao Soares.

 

 

O melhor do Benfica, para não variar do que têm sido quase todos os jogos desde que o Bruno Lage pegou na equipa, estava a ser o Gabriel até ao momento em que o Otávio arranjou maneira de o meter fora do jogo. É impressionante a quantidade de bolas que recupera e o nosso primeiro golo foi resultado directo disso. Grande jogo também do Samaris. Dois jogadores que praticamente não contavam para o treinador anterior são agora duas pedras fundamentais na recuperação do Benfica. Toda a equipa esteve bem e muito personalizada, mas fiquei particularmente agradado com a nossa jovem dupla de centrais, que deu provas que podemos contar com eles mesmo para jogos de dificuldade elevada.

 

Contra petardos e foguetório junto ao hotel na noite passada, contra apedrejamentos, contra arruaças, provocações, intimidações e faltas de respeito, contra as campanhas mais difamatórias e agressivas alguma vez vistas a ser movidas contra um clube, fomos ao Porto, fizemos o nosso trabalho com competência, conquistámos os três pontos e a liderança, e voltámos para casa. Sem arrogância, sem passar cartão a quem nos ofende constantemente e é incapaz de se comportar como gente civilizada. Agradou-me a atitude e as respostas do Bruno Lage após o jogo, e agradou-me ainda mais a incapacidade do Sérgio Conceição para perceber porque motivo o perdeu e de reconhecer mérito ao adversário. Enquanto assim continuar, será incapaz de aprender com os próprios erros e isso serve-nos bem. Nada está ganho e está muitíssimo longe de estar - não podemos cair no erro de pensar assim e relaxar. Daqui até final do campeonato - e ainda falta tanto - vão continuar a ser-nos atirados grandes escolhos ao caminho e só mantendo esta concentração, atitude e respeito pelos adversários é que será possível chegar ao objectivo final da reconquista.

tags:
publicado por D`Arcy às 01:56
link do post | comentar
21 comentários:
De António Madeira a 3 de Março de 2019 às 03:44
Olá, D`Arcy.

Orgulho. Muito orgulho.
Uma alegria imensa por sentir aquilo que escreveste no teu último parágrafo, por constatar que, finalmente, o Benfica aprendeu a contornar todo o ruído, toda a trampa, todo o ódio que gira à sua volta e sair de cabeça erguida, sacudindo o pó, rumo ao futuro que nos pertence.
Se há três anos fizemos algo parecido em Alvalade, com aquele golo para a História do Mitro, desta vez fizemos muito mais. Não só porque o fizemos categoricamente (excelente, mais uma vez, o título da tua crónica), como de forma personalizada e serena.
Vê-se que todos sabem o que fazem em campo, que espaços ocuparem, que colegas solicitarem. Vê-se um treinador no banco tranquilo, sabendo que os seus jogadores estão a fazer aquilo que lhes solicitou, sem berros, sem histerismos, concentrado, e a dar um banho de civismo, humildade e de categoria a um boneco que ainda está para perceber o que se passou ali à sua frente.

As tuas palavras descrevem bem o que se passou hoje naquele antro, mas quero apenas sublinhar duas coisas por achar que foram preponderantes: Gabriel e a dupla de centrais.
Se do primeiro começam a faltar adjetivos (nunca mais esquecerei a ida ao tapete daquele porco do Otávio, finalmente alguém com colhões para o fazer) a dupla de putos que tivemos hoje no centro da defesa encheu-me as medidas. Se do Rúben só esperamos que seja o nosso futuro capitão por muitos anos (sonhar não custa...) do segundo ninguém esperava grande coisa, não pela qualidade, que a tem, mas pela fibra que tem mostrado, entrando na equipa de honra com um à vontade que nos deve encher o peito de orgulho e esperança.

Agora é não olhar para trás. Sempre, sempre para a frente! Que os Benfiquistas, de uma vez por todas, se unam e remem juntos, apoiando esta equipa que tem tudo para nos dar muitas, muitas alegrias...

Vai, Benfica!
De Anónimo a 3 de Março de 2019 às 09:05
Bom dia,
Vitória categórica contra tudo e todos, de facto as insinuaçãoes torpes levadas a cabo pelo insolvente e seus acólitos, o rebentamento de petardos junto ao hotel onde pernoitou a nossa equipa, o apedrejamento do autocarro e e carro do nosso presidente, mais não são do que atitudes intimidatórias, para nos condicionar

No jogo essas provocações continuaram nas "pessoas" de um porcugues de anick pepe, esse sugeito se eu fosse selecion

De Anónimo a 3 de Março de 2019 às 09:07
continuação: se eu fosse selecionador não punha mais os presuntos na seleção. Depois a atitude dos arbitros e do var que tudo fizeram para que o nosso glorioso não saísse do estádio do ladrão com os tres pontos.

M
De Henrique Teixeira a 3 de Março de 2019 às 10:08
Vi o jogo numa superlotada Casa do Benfica.
Os gritos nos nossos golos e os gritos no final do jogo fizeram-se ouvir sete léguas em redor.
No final trocamos abraços, tendo ficado ainda mais comovido quando fui abraçado por um veterano que chorava de alegria. São assim os Grandes Benfiquistas. Eu confesso que cheguei a recear ser traído pelo coração.
Os nossos jogadores foram sempre bravos, mas quando ficaram em inferioridade numérica portaram-se como os Portugueses na Batalha de Aljubarrota, quando sob o comando de Nuno Álvares Pereira derrotaram os muito mais numerosos castelhanos. Bruno Lage foi e continuará a ser o nosso Nuno Álvares.
Mas ainda nada está ganho. Vêm aí muitas batalhas em que teremos de vencer tudo e todos.
Força Benfica. Força.
De Anónimo a 3 de Março de 2019 às 12:52
Os anos 90 trazem-me várias coisas boas do Benfica à memória mas também a ida ao fundo a que chegou o clube e sobretudo da maneira muito matreira como o adversário de ontem ganhava jogos e campeonatos. Foram anos difíceis que me ficaram atravessados. Mas desde a algum tempo estamos a ver qualquer coisa surgir no campeonato de Portugal. Ontem eu só aceitaria a vitória do Benfica. O golo deles deixou-me triste mas disse a um grande amigo meu que este resultado não aceitava nem nos interessa nem o empate. O problema é que o jogo era lá e sabemos que muitas coisas acontecem sempre que lá vamos. Felizmente, e apesar de algumas coisinhas, lá conseguimos dar a volta. Virar o resultado é sempre complicado muito mais na casa deles e estamos lidera. Certo que só ganhamos 3 pontos e que importa agora sermos equilibrados e não nos deslumbrarmos. Vêm aí 10 jogos que serão 10 finais e precisamos de saber gerir tudo.
Não acreditava que o Bruno Lage fosse capaz de gerir a herança que nos deixou o Rui Vitória. Está a fazer o seu trabalhinho. É pago para encontrar soluções e não para criar situações e se possível fazer o Benfica campeão. Espero que consiga porque este será um passo interessante na sua carreira. Vamos Benfica!
De Redpower a 3 de Março de 2019 às 15:33
Plenamente de acordo. O D'Arcy tocou em todos os pontos a destacar. A recuperação de jogadores dados como dispensáveis ou em subprodução como Samaris e Gabriel, principalmente do Samaris que nunca jogou tão bem no Benfica, nem mesmo nos tempos pré Rui Vitória. O Gabriel está em grande forma e encontrou o seu lugar após algum tempo. Foi pena ontem não ter dado um verdadeiro soco no Otávio. A dupla de centrais de dois meninos que mais parecem dois veteranos, indiferentes a toda a envolvente de pressão e badalhoquice que se encontra sempre que visitamos a corja.

Depois a qualidade do nosso jogo, a alegria de jogar, a ambição, a organização e a solidariedade da nossa equipa, tudo isso obra de um senhor: Bruno Lage. Este que para além das qualidades de treinador indubitáveis que tem, é uma lufada de ar fresco no nosso futebol, com um discurso sempre admiravelmente sereno e que se cinge a falar só de futebol, como tem que ser. Às vezes as mudanças de treinador geram uma euforia inicial pela novidade, mas após algum tempo isso desaparece. Sinceramente não me parece o caso. Parece-me tudo alinhado para continuarmos nesta senda das vitórias: equipa em sintonia com o treinador e que confia plenamente nele, treinador consciente do peso que tem nos ombros, mas inteiramente capaz de fazer a equipa pôr em prática todo o seu potencial. E por último e para completar o tridente, a onda benfiquista que estará imparável, porque de outra forma não pide ser.

Respeitemos TODOS os adversários independentemente do seu nome e no final seremos felizes.

Parabéns a toda a equipa por uma vitória fantástica, depois de petardos, apedrejamentos, e-mails, insultos, VAR, etc. Já não sofria tanto num jogo de futebol há muito tempo, mas foi LINDO!

VIVA O BENFICA!
De Francisco Pereira a 3 de Março de 2019 às 18:07
Olá D ´Arcy.

Mais uma vez, como não tenho Sport Tv e tenho raiva a quem tem e, também, como faço sempre nestas situações ferventes, não ouvi o relato da minha BTV, nem quiz que ninguém me dissesse ou desse a entender como ia o resultado. Por acaso, ao intervalo, sem querer, quando liguei a TV, a primeira coisa que apareceu foi o resultado 1-1. Virei logo para um filme e, quando já passavam 10 minutos(???!!!!) do final do jogo é que fui até ao recato do meu computador e vi 1-2, não queria acreditar, fui ver a todo o lado se era o resultado final, ia dando em louco.

Estive até às 4 horas da madrugada a Ver a BTV, SIC-Notícias, BOLA TV, etc, até o relato dos minutos dos descontos, andei para trás na BTV e ouvi. Loucura maravilhosa.

Tristeza, quando vi o Gabriel ser indecentemente expulso e, chocado como pessoa, ter visto o Ruben Dias ser esbofeteado por um BRAHIMI qualquer, como se de um bandido se tratasse. E, tudo isto, para quem responsável.....deixa para lá, não foi nada!!!!!!!!!!!!!!!

Agora querido Glorioso, especialmente seus jogadores e técnicos, a mesma garra sempre, o máximo de humildade e respeito para com os adversários, até ao fim dos fins, contra tudo e contra todos.

VIVA O GLORIOSO SLB.
De Anónimo a 4 de Março de 2019 às 00:35
Golo é de Marega. Fora de jogo clarinho do Pepe. Imagens esclarecedoras:
https://streamable.com/up15k
De E Pluribus Unum a 4 de Março de 2019 às 10:48
Uma VERGONHA GIGANTESCA SEM FIM, que durará enquanto o nosso Glorioso BENFICA tiver um "Presidente" e uma "Direcção" de autênticos LINGRINHAS, BÁSICOS, MEDROSOS, COVARDES e INCAPAZES de efectivamente defenderem o nosso querido e amado SPORT LISBOA E BENFICA, e EXIGIREM ÁRBITROS A SÉRIO para arbitrarem os jogos - todos os jogos, de todos os clubes - e não apitadores formatados e domesticados para carregarem o oporco corruptus ao colo.

Este apitador da cidadela do porco e adepto andrade-galego-percebejo do coração, com as subtilezas em que é MESTRE para prejudicar o nosso Benfica, tudo fez para que o oporco pelo menos chegasse ao empate.

Golo em fora-de-jogo NÍTIDO, TALVEZ não para os apitadores no relvado, mas de CERTEZA ABSOLUTA para o VARgonha, que com todos os meios tecnológicos ao seu alcance tinha a obrigação de ver a irregularidade do golo do oporco, mas simplesmente NÃO QUISERAM VER. QUISERAM QUE FOSSE GOLO. Nada de admirar, pois esses FILHOS DA PUTA não são ÁRBITROS.
Esses MONTES DE MERDA FILHOS DA PUTA são indigentes apitadores escravizados e domesticados pelo oporco corruptus através do seu "ponta de lança" no Conselho de APITADORAGEM, fontelas gomes!!!
À GRANDE PUTA QUE OS PARIU. QUERO E DESEJO MUITO, TUDO DO PIOR PARA ESSA GENTALHA.
Principalmente a dois POIOS DE MERDA disfarçados de gente, os apitadores corruptos tiago martins (VARgonha) neste jogo, e o outro MONTE DE ESTERCO fábio verDÍSSIMO ( VARgonha no jogo da Taça da Liga do nosso Benfica contra este mesmo oporco corruptus).

E a nossa direcçãozeca e presidentezeco, como COVARDOLAS E MEDROSOS E INCAPAZES que são elevados à potência infinita, a tudo isto assistem, RESIGNADOS, CALADOS, AGACHADOS, DE CÓCORAS, etc,etc,etc,etc,etc,... sem sequer darem um PIOZINHO!!!!!

Dois cartões amarelos na mesma jogada mostrados ao nosso GABRIEL, em mais uma tentativa de fazer com que o oporco não perdesse o jogo.
O jogador/PORCO do oporco, um tal de nome OTÁRIO é que provocou toda a situação. Gabriel não resistiu e "FEZ-SE" ao palhaçote do porco azul às riscas que logo aproveitou para cair como se tivesse levado com um CONTRA-TORPEDEIRO em cima da abóbora que lhe faz de cabeça!!!
O apitador cumpriu a Lei, dizem os "professores da bola" dos canais de tv anti-Benfica!!!
Pergunto: se fosse um jogador do oporco a fazer o mesmo que o nosso Gabriel, o apitador tomaria a mesma atitude de mostrar os dois cartões amarelos?! PUTA QUE TE PARIU jorge sousa. Pareces um SALPICÃO de Penafiel E NÃO PASSAS DE MAIS UM APITADORZECO domesticado PELOS CORRUPTOS AZUIS ÀS RISCAS.

Como é possível este APITADOR "sabidola" não conhecer as leis do jogo?! Onde está a competência?! Competência existe pois as Leis do jogo de futebol são FACÍLIMAS de entender e aplicar.
O que não existe neste, e nos demais APITADORES DOEMSTICADOS, é IMPARCIALIDADE E ISENÇÃO.

A prova do que digo é facilmente visível no fim do jogo quando este MONTE DE ESTRUME inventa um livre perigosíssimo contra o nosso Benfica á entrada da nossa grande área, quando quem faz falta é o jogador do oporco, que baixa a cabeça e incorre em jogo perigoso passivo, e portanto deveria ter sido marcada falta contra o oporco e NUNCA contra o nosso Benfica, pois o nosso jogador apenas se limitou a chutar a bola com toda a normalidade dum lance de futebol LIMPINHO.

Claro que este BENEFÍCIO PROPOSITADO E DESCARADO ao porco ficou "ESQUECIDO" nos tais "professores da bola" anti-Benfica que enxameiam os programas sobre futebol. Nada de admirar.
O que admiro é os comentadores BENFIQUISTAS dos mesmos programas deixarem passar mais este ESCÂNDALO EM CLARO!!

Valeu-nos o DIVINO ESPÍRITO SANTO, pois o remate do jogador do porco foi tão ineficaz como a própria equipazeca do bimbo da bosta.

Mas aqui fica PROVADA mais uma tentativa de o melhor jogador do oporco - o apitador domesticado - tudo fazer para que ese porco não perdesse o jogo.

Isto vai continuar, e mesmo sendo nós muito superiores ao oporco corruptus, com esta direcçãozeca que temos de AUTÊNTICOS BANANAS, não sei se chegaremos ao Título.
O BENFICA, como já disse bastas vezes e vou continuar a dizer sempre enquanto a COVARDIA E MEDO reinar no Clube na forma dos seus dirigentes, o BENFICA, dizia eu, PRECISA DE HOMENS A SÉRIO E DE TOMATES, capazes de DEFENDEREM O Clube.
SLB4EVER.
De anónimo a 4 de Março de 2019 às 17:18
Amigo vc tem razão. Tem toda a razão.
Qualquer dia os árbitros começam a marcar faltas contra o Benfica por os nossos jogadores correrem mais do que os adversários.
E o nosso presidente covarde como vc diz, vai continuar mudo e quedo.
Só os jogadores dentro do campo defendem o Benfica. O resto é tudo moscas mortas a ver o que a sorte dá.
Viva o Benfica.
De Dias Pereira a 4 de Março de 2019 às 13:01
Bom dia.
Imediatamente a seguir ao jogo com o Chaves - embora não em consequência dele... - fui forçado a recolher-me ao leito, acossado por uma gripe das antigas, que apenas foi resolvida com medicação mais agressiva. E só deixei a cama no sábado, ao final do dia, propositadamente para poder assistir (via computador...) ao nosso jogo no covil dos ladrões...
Se o jogo com o Chaves, em especial a primeira parte, me tinha deixado bastante satisfeito - pela qualidade, e pelo resultado... - o do sábado deixou-me ainda mais! Pela qualidade (embora não superlativa...), pelo resultado, pela ascensão ao topo da tabela classificativa, mas sobretudo por isso ter acontecido no maior antro de corrupção desportiva do país, quiçá do mundo, num jogo disputado depois do autocarro da equipa e o carro do presidente terem sido cobardemente apedrejados, de a noite anterior ter sido perturbada por um foguetório diverso e rebentamentos estrondosos, de o jogo ser dirigido por um ex-membro dos SD - que acabou o jogo com uma indisfarçável azia espelhada no rosto!... - que não se coibiu de validar o golo inaugural aos corruptos, obtido em inequívoca situação irregular, nem de ser suficientemente criativo para expulsar aquele que estava a ser o nosso melhor jogador com um duplo amarelo na mesma jogada, com o jogo parado, e de não ver, na mesma ocasião, uma bofetada - mais uma! - do africano mal-parido ao nosso capitão...
E, a propósito desse fulano a quem incumbiram de arbitrar o jogo - que, tal como o Marega, esteve algum tempo lesionado mas ficou milagrosamente curado para poder estar presente do jogo em que, segundo Giorgio di Bufa, era chegada a hora das grandes decisões... - deve dizer-se que esteve à altura do desafio. Apitou, sempre que lhe foi possível, de maneira a inclinar o campo a favor dos de Contumil, permitiu que os habituais trolhas trauliteiros, nomeadamente Pepe e Felipe, distribuíssem impunemente fruta a seu belo prazer, amarelou todo o nosso miolo central defensivo - Rúben Dias, Ferro, Samaris e Gabriel, tendo este recebido o prémio de dose dupla... - não assinalou um penalty claríssimo de Manfá sobre Pizzi, não assinalou uma falta, claríssima, sobre Rafa, a meio campo, na jogada de que resulta, no imediato, o livre directo que dá o golo - irregular! - aos corruptos. O homem fez TUDO o que podia, para vencer o Benfica. E, mesmo à descarada, depois de ter dado 4 minutos de compensação, ainda levou o jogo quase até aos 6 minutos...
A cereja no topo do bolo foi o miúdo que eles não quiseram por lá - e que até terá vítima de bullying pelo balneário... - ter marcado, além de ter feito um excelente jogo.
Depois deste jogo, não há porto canal nem dragões diário que lhes valha. Nem sequer qualquer acórdão à lá Neto de Moura, ajustado ao futebolês do canelas fc!!!
Desta vez foi, mesmo, limpinho, limpinho, limpinho! Mesmo se do outro lado foi tudo, como é habitual, sujo, sujo, sujo!!!...
Mas, por respeito ao que foi o trabalho dos jogadores e técnicos, é preciso que as incidências que se verificaram não sejam esquecidas. Esse é o trabalho, imediato, que se exige a quem assumiu a responsabilidade de gerir os nossos destinos.
Força Benfica!
Viva o Benfica!
Saudações benfiquistas!
De Dias Pereira a 4 de Março de 2019 às 14:52
Bom dia, de novo.
Como escrevi no anterior comentário, é imprescindível que a nossa direcção não adormeça sobre a vitória de sábado e, também por respeito ao trabalho de técnicos e jogadores, faça o que se impõe ser feito, a propósito de mais uma escandalosa actuação de árbitro e VAR, outra vez em prejuízo do Benfica.
É imperioso que, junto das instâncias competentes - nacionais e estrangeiras - a direcção e a SAD se façam ouvir, questionando a impunidade e a inegável parcialidade com que Jorge Sousa e o VAR actuaram durante o jogo. Uma situação dessas é inadmissível, e deveria ter, se não se resolver no curto prazo, consequências significativas, mesmo até extremas. O Benfica não pode calar-se! Até porque as situações são para se repetir, como todos nós muito bem sabemos! E nem precisamos de ser adivinhos, tantas são as evidências e os sinais...
No jogo de sábado, como em inúmeros outros anteriormente disputados, os erros são sempre em prejuízo do Benfica, e sempre em benefício dos corruptos!
Ainda com o resultado em branco, o Pizzi foi puxado na camisola pelo Manafá, dentro da área. O (ex-)SD estava perto, viu - como viram todos!... - mas não apitou; o VAR, que está lá precisamente para repor a verdade - oh, pá, como somos líricos... - também não quis ver!!!
Na jogada que antecede o livre directo de que resulta o golo (ilegal!) dos corruptos, Rafa é desarmado, em falta, a meio campo, com uma rasteira. A bola sobra para o africano mal-parido que é rasteirado por Rúben Dias. Naturalmente - até porque o homem não veste de azul e branco... - falta assinalada e cartão amarelo. O espanhol que nunca joga marca o livre, a bola ressalta na barreira e volta-lhe aos pés, ele remata uma segunda vez, e a bola é desviada pelo maliano - curado em tempo recorde... com banha da cobra, claro - indo na direcção do palhaço-central brasileiro-luso, que se encontra em posição claríssima de fora de jogo e interfere na acção de Odysseas, acabando a bola no fundo da baliza. O (ex-)SD estava bem colocado, deve ter visto - como viram todos!... - mas não apitou; o VAR, que teve o tempo, e todas as imagens, para ver e rever o lance, mais uma vez, não quis ver!!!
Numa saída para o ataque, sobre o nosso flanco direito, João Félix - já depois de ter restabelecido a igualdade, num lance em que finalizou com grande classe e que deixou à beira de uma ataque de nervos os centrais dos corruptos e o fantabuloso guarda-redes que veio escorraçado de Madrid... - recebe um passe e, já junto à linha lateral, surge o palhaço-central brasileiro-luso desenfreado, em grande correria e, com as patas ao alto, corta pela lateral, mas força o contacto com o miúdo que, naturalmente, menos encorpado e em posição mais estática, acaba projectado para fora do campo. No pasa nada! Sem se intimidar, João Félix continuou a jogar como se nada fosse. Uns minutos depois, na mesma zona do campo, disputa uma bola com o palhaço-central brasileiro-luso e entra com o pé em riste, a cerca de um metro de distância do dito cujo. Este, chutou a bola à vontade e, mesmo estando abusadoramente longe do miúdo, simula ter sido tocado pelo adversário e projecta-se propositadamente sobre João Félix. Levanta-se, de imediato, e, mais uma vez para intimidar, dirige-se ao miúdo e chama-o de "filho da puta". Isto passou-se a dois ou três metros do árbitro auxiliar, e com o (ex-)SD também por perto. Resultado: pontapé livre directo contra o Benfica, e cartão amarelo para João Félix, esse indivíduo execrável, que distribui continuamente fruta a tudo e a todos, que passa os jogos em simulações grotescas para tirar proveitos indevidos, e que chama nomes às mãezinhas dos outros. Puta que pariu a esta podridão!!!

(continua)
De D`Arcy a 4 de Março de 2019 às 17:58
Uma pequena correcção: o João Félix não viu cartão amarelo nesse teatro do Pepe (nem em nenhuma outra altura).
De Dias Pereira a 5 de Março de 2019 às 00:19
Boa noite, D'Arcy.
Agradeço a correcção. De facto o João Félix não viu cartão amarelo na jogada em causa, nem no restante do jogo. Acabei por me equivocar porque o (ex-)SD chamou-o, e ao outro fulano, e repreendeu-o.
Já agora - e porque me chamaram a atenção, em privado... - aproveito também para corrigir mais um lapso que cometi, num outro comentário, porque efectivamente o apitador</i> não prolongou o jogo quase até aos 6, mas sim quase até aos 5 minutos.
Saudações benfiquistas!

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Deplorável

Firme

Soberba

Complicado

Merecida

Susto

Distinção

Bomba

Ridículo

Amorfo

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds