VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Terça-feira, 22 de Março de 2016

Dificílimo

Foi uma vitória arrancada a ferros no último suspiro de um jogo dificílimo, que deve servir de exemplo para aquilo que nos espera nas sete finais que sobram. Mas a nossa equipa nunca desistiu de perseguir esta vitória e foi recompensada com os três pontos e a importante motivação adicional que ganhar um jogo desta forma proporciona.

 

 

Dificilmente o Benfica poderia ter mais contrariedades para formar uma equipa para este jogo. Mais de meia equipa indisponível - Júlio César, Luisão, Jardel, Fejsa, Gaitán, Mitroglou seriam, em condições normais, titulares - significaram um onze com muitas alterações. O Ederson manteve-se naturalmente na baliza, o Samaris formou dupla com o Lindelöf no centro da defesa, e na direita jogou o Nélson Semedo para permitir que o André Almeida jogasse no meio campo. O Salvio foi titular pela primeira vez esta época e 'empurrou' o Pizzi para a esquerda, tendo sem surpresas o Jiménez ocupado a vaga do Mitroglou no ataque. Com uma equipa tão alterada foi natural que o nosso jogo tenha sofrido com isso. O Pizzi perde influência na esquerda, no meio campo o André Almeida não tem a mesma influência no início da construção de jogo que o Samaris consegue ter - aliás, vi por diversas vezes o André Almeida a ficar atrás enquanto era o próprio Samaris quem subia da defesa com a bola, para dar início aos ataques - o Nélson Semedo e o Salvio ainda parecem estar longe da forma ideal, e no ataque o Jiménez dá uma presença na área menos forte do que o Mitroglou, que serve de referência e prende mais os centrais adversários. Por via disso o Vinícius teve muito mais liberdade para andar por ali a ser o bombeiro de serviço e a limpar quase tudo o que lhe aparecia pela frente, e o Jonas acabou também por ter menos liberdade. O Boavista fez o que podia para nos complicar ao máximo a tarefa, exercendo pressão quase no campo inteiro e inclusivamente atribuindo ao Renato Sanches a honra de ter um jogador praticamente dedicado a marcá-lo homem a homem assim que o Benfica tentava sair para o ataque. Depois houve também o incendiário de serviço, um tal de Rúben Ribeiro, que à menor brisa que lhe soprasse se deixava cair em estertores agonizantes, enquanto tentava armar quezílias e provocar qualquer jogador nosso que lhe passasse ao alcance. Resultou tudo isto num jogo em que dispusemos de uma quantidade anormalmente baixa de ocasiões de golo. Na primeira parte apenas me recordo de duas situações, uma num remate acrobático do Jiménez que foi defendido por instinto pelo Mika, para depois o Lindelöf fazer a recarga por cima, e a outra numa boa iniciativa do lado esquerdo, com a bola a chegar ao Pizzi que, depois de evitar bem um adversário, já dentro da área rematou ao lado. O Boavista tentava surpreender em saídas rápidas para o contra-ataque, mas apenas deu verdadeira sensação de perigo num lance em que o Ederson foi obrigado a sair aos pés do adversário para evitar males maiores. Nulo algo natural ao intervalo, portanto, e perspectivas de muitas dificuldades para o resto do jogo.

 

 

Perspectivas essas que se confirmaram, porque muito pouco se alterou no regresso do descanso. O Benfica tinha mais bola mas continuava a ter dificuldades em arranjar espaços para rematar à baliza adversária, e o Boavista começou até a conseguir ser mais perigoso nos contra-ataques, aproveitando os riscos cada vez maiores que o Benfica corria. Foi aliás deles o primeiro sinal de perigo, num remate cruzado que desviou ligeiramente no Lindelöf e fez a bola passar muito perto do poste da nossa baliza. Apesar do evidente domínio territorial do Benfica, começava a ser desesperante a incapacidade para o transformar em lances de perigo e a desinspiração da equipa para conseguir ultrapassar a pressão constante que os jogadores do Boavista continuavam a conseguir exercer sobre o portador da bola. Quando se quer e se precisa de ganhar um jogo, se não conseguimos sequer rematar à baliza então a nossa tarefa está muito complicada. As melhores ocasiões da segunda parte pertenceram, aliás, ao Boavista, que sempre a jogar em contra-ataque acabava por conseguir por vezes situações potencialmente perigosas em que apanhavam a nossa equipa com muito pouca gente a defender. Para além do remate que já referi, pelo menos por duas outras ocasiões criaram perigo, valendo-nos que os remates nunca saíram na direcção da nossa baliza. Na segunda dessas ocasiões, a cinco minutos do final, o Boavista saiu para o contra-ataque numa situação de três para apenas dois defesas nossos, e com um pouco mais de calma poderiam ter dado um golpe fatal no jogo. Nessa altura já o Benfica jogava em modo de risco quase total, com três avançados em campo (o Jovic tinha-se estreado, entrando para o lugar do Pizzi) mais o Talisca atrás deles, o Eliseu como uma espécie de lateral/extremo a fazer o flanco esquerdo todo, o Carcela na direita, o Renato era o meio campo do Benfica e a estratégia era despejar bolas para perto da área o mais depressa possível. Felizmente o que nos faltou em inspiração nunca faltou em querer, e já com dois minutos decorridos do período de descontos esse querer foi recompensado. O Eliseu despejou a bola para a entrada da área, o Carcela apareceu mais ou menos à vontade (com tanta gente na frente, alguma bola haveria de sobrar para nós) para tocá-la de cabeça para o interior, e o Jonas, descaído para a esquerda e talvez na primeira vez que conseguiu aparecer solto durante todo o jogo, rematou suavemente e de primeira com o pé esquerdo para marcar o golo que fez explodir o Bessa.

 

 

Foi um jogo de muita luta e pouco brilho individual, uma batalha entre duas equipas na qual não houve grandes oportunidades para brilharetes individuais. Parabéns portanto a todos os jogadores da nossa equipa, que juntos ultrapassaram mais este adversário, e apenas um cumprimento especial para o Jonas: uma oportunidade, um golo. Os grandes jogadores são mesmo assim.

 

Conforme escrevi no início, só com uma dose inusitada de infelicidade poderia o Benfica poderia apresentar-se mais desfalcado para um jogo do campeonato. Acho por isso perfeitamente natural que o nosso futebol tenha sofrido com isso, até porque do outro lado esteve uma equipa que nos complicou muito a tarefa. Por isso mesmo, por ter bem presentes as contrariedades que tivemos (e que temos tido nos últimos meses, para as quais a equipa continua sempre a encontrar soluções) quase me dá vontade de rir quando ouço 'especialistas' satisfeitos porque acham que este jogo mostra que o Benfica está em queda. Deviam era estar preocupados como facto de, mesmo assim, termos conseguido vencer e mantermo-nos no topo da tabela. É que nem assim perdemos pontos. E dificilmente voltaremos a apresentar uma equipa tão desfalcada até ao final da época.

tags:
publicado por D`Arcy às 02:24
link do post | comentar
11 comentários:
De antonio fonseca a 22 de Março de 2016 às 05:53
Boa noite,
Comentário que expressa o que se passou em campo.

Jogo dos mais difíceis como eu antevi em conversa com amigos. Aliado a esse facto está composição da equipa com muitos dos titulares de fora por lesão.

Foi uma vitória que me deu imenso prazer pelo facto de os nossos adversários ali para os lados do lumiar que já esfregavam as manápulas de contente com a possibilidade de voltarem ao primeiro lugar.

Mais uma vez os metralhas fizeram jogo sujo. Como é hábito neles, perante a dita comunicação social despejam todos os comentários negativos sobre as arbitragens deixando estes condicionados e pressionados para que nos prejudiquem. Pergunto que comunicação social é esta que alinha em todos os disparates que os metralhas chorões dizem. Eles vão pressionando para que possam alcançar o primeiro lugar, por isso os nossos atletas só têm que manter a cabeça fria, não ligar às baboseiras que daquele lado são vomitadas e encarar os jogos que faltam como finais e tentar ganhá-los para os deixar a falar sozinhos e esperar que estoirem no final da liga.

Dos programas de tv que abordam os jogos vê-se o antibenfiquismo quer dos apresentadores bem como a cobertura que dão aos inácios , lavradores e nalgas que proliferam por esse mundo verde e que empestam a sociedade e esse clube, que não merece quem está a comandá-los. Força Benfica vamos dar cabo desses antis todos e sorrir no fim com a conquista do 35º.

Saudações benfiquistas.
De inês Lima a 22 de Março de 2016 às 10:15
Obrigada mais uma vez pela sua crónica. Noto uma veia mais solta e alegre naquilo que escreve hoje, quando comparado com o que escrevia no início da época, o que é certamente normal. Estamos todos mais esperançados no 35!
Este golo terá tido o mesmo efeito que aquele que o Javi Garcia marcou já nos últimos minutos de jogo. E depois de quase ninguém da comunicação social reconhecer que estávamos a jogar desfalcados e obrigados a improvisações...! Pelo efeito que teve nos lagartos aqui do meu serviço, foi mais uma alfinetada na sua arrogância.
Sempre Presente!
De Manuel Afonso a 22 de Março de 2016 às 11:25
Pois eu, caro D'Arcy, pela primeira vez estou de acordo com os espertos.
O Benfica está sem qualquer espécie de dúvidas com queda. Uma enorme queda para aziar taliban, jornaleiros e comentadeiros.
O nosso clube é mesmo uma instituição grandiosa. Há crise no sector farmacéutico? Não há problemas. O Super Benfica logo entra em acção, sendo responsável pela duplicação da venda de anti-depressivos, reguladores de fauna e flora intestinais, anti-ácidos estomacais, vaselina para alívio do hemorroidal, etc.

Mais, depois da morte do Nicolau, nosso consócio que aproveito para homenagear, trata-se também de serviço público da máxima importância fornecer material para os programas cómicos da TBI e CMTV, e que consistem em torcedores de primeira hora dos clubes adversários do Benfica a televisionarem o jogo da sua equipa.
É uma risota pegada, aquilo. Curiosamente os clubes que jogam contra o Benfica mudam todas as semanas, mas os torcedores são sempre os mesmos...

A propósito do jogo com o União da Madeira tinha para aqui dito que quando se ganha por 4,5, ou 6, não se fazem jogos pouco conseguidos, fracos apesar do resultado e outras tretas que tal.
Jogo pouco conseguido foi o que fizemos no Domimgo, e espero que percebida a diferença depois de uma explicação tão vívida, alguns Benfiquistas parem de uma vez por todas de papaguear disparates.

As contrariedades que temos tido ao longo da época têm sido tantas que começamos a entrar no campo do não acreditar em bruxas, mas...
A verdade é que nem bruxas, nem bruxos, nem taliban, nem comentadeiros, nem jornaleiros, nem a meretriz que os há-de por no mundo a todos conseguem instalar a dúvida nos nossos profissionais.
Fantástica a forma como mesmo num dia mau, em que as coisas não saiam, desfalcados até à medula, os nossos jogadores acreditaram sempre, mesmo para lá do que foi a crença dos nossos adeptos (e da minha), e arrancaram uma vitória importantíssima. Bem haja a todos.

Para finalizar só queria salientar o que diz o D'Arcy no último parágrafo.
Andaram esses porcos jornaleiros a falar do que aconteceria ao Sportêm se castigassem o Sulemane. Da vergonha que seria se o Sulemane não jogasse contra o Benfica. Que seria meio caminho andado para o Sportêm não ganhar o jogo.
No entanto para estes mesmos montes de esterco, o Benfica jogar sem o Júlio Cesar, sem o Luisão, sem o Jardel, sem o Fejsa, sem o Gaitan, e sem o Mitroglu não interessa nadinha. É coisa para meninos.


Com todo o respeito e humildade, que venha o próximo. E o Próximo é a quarta potência do futebol nacional, o perigosíssimo Braga.


P.S. Entretanto parece que vão jogar uma data de equipas das federações de futebol. Aos nossos jogadores que foram chamados para estas coisas, desejo a melhor sorte a todos sem excepção e sem favoritismos.
Acima de tudo que não se lesionem, que a minha selecção não precisa de mais do mesmo.






De RyanRed a 22 de Março de 2016 às 12:01
Esse jogo mostrou exatamente que nao devemos, sob pretexot algum, nao embadeirar em arco. O jogo correu mal e tivemos sorte nao termos sofrido qualquer golo. Agora espero que os lesionados se juntem rapidamente e que o Salvio encontre a forma e clareza porque nao pode levar tudo em frente com fintinhas. E sobretudo que o Benfica num todo seja prudente pois ja sabemos que vai haver de tudo para nos chatear. Vamos la Benfica. Dificil, mas nao impossivel!
De Henrique Teixeira a 22 de Março de 2016 às 12:35
A imensa alegria que o golo do Benfica me proporcionou fica situada num dos patamares mais elevados da felicidade que a vida até gora me deu.
De Ogamaras a 22 de Março de 2016 às 13:07
Saudações Benfiquistas.

Em primeiro lugar cumprimento o caro Manuel Afonso, e dizer-lhe que aceito a sua sugestão.

Em relação ao jogo de domingo tenho a dizer que já não me sentia assim desde um célebre jogo com a Naval 1º de Maio, em que o Javi marcou aquele golo aos 88 minutos. A minha mulher até se assustou com o berro que eu dei na sala. Pensou que me tinha dado alguma coisinha má. Mas pronto, já passou, e os 3 pontos já cá moram.

Entretanto, no sábado, estava a ver, na BTV 1, o jogo de hóquei, entre o Benfica e a Física, e o resultado já ia em 6 ou 7 a 1, e, aproveitando um pedido de "time out" e a proximidade do intervalo, logrei mudar para o canal onde ia dar o Sporting. E o que é que eu vi?

1º - Os gajos todos a cantarem uma versão apaneleirada (desculpem-me o vernáculo, mas não resisti) de My Way. Até o grande cantador e treinador deles cantava. Imagine-se. Foi tão giro, tão fofinho, que "até me vieram as lágrimas aos olhos". Coitados, agora deu-lhes para ali.

2ª - O gajo que andava a jogar com o n11 nas costas evoluía com o nome de Bruno Cézar (isso com Z). Quando jogava de vermelho equipado era Bruno César (com S). Conclusão: o homem teve que mudar a côr do carro, não pode jogar de chuteiras vermelhas, não pode usar cuecas vermelhas, nem meias, agora até teve que mudar de nome??????...Tadinhos!!!

3º - Alguém me sabe dizer o nº de sócio do Sporting dos comentadores daquela estação de televisão. É que francamente, assim é demais. E pensarmos nós que qualquer dia vamos ter de aturar aquela gente novamente a entrar-nos casa dentro para comentarem os jogos do Benfica. Presidente o que é que se poderá fazer em relação a isto?

Entretanto voltei à nossa BTV e vi o resto do jogo de hóquei em patins. E foi um regalo.

Agora à José Augusto.......Viva o Benfica.
De Redpower a 22 de Março de 2016 às 13:38
Deixe-me só acrescentar que o Boavista estaria a lutar por lugares europeus se jogasse sempre assim. Por momentos ia jurar que este jogo valia-lhes a manutenção... Provavelmente, ao intervalo, os nossos jogadores receberam indicações para não entrar em quezílias que só nos prejudicariam e que eles bem procuraram.

São vitórias assim que fazem os campeões, e a sorte que tivemos com aquele golinho aos 93', só chega a quem a procura.

Correndo o risco de ser injusto com os nossos jogadores, pareceu-me que o Jonas estava distraído com a chamada à seleção, e outros estavam a pensar no Bayern. A mentalidade tem que ser batalha a batalha e a próxima adivinha-se muito difícil contra o Braga.

VAMOS BENFICA!
De Luís Manuel a 22 de Março de 2016 às 22:19
Olá D'Arcy,

Obrigado pelo teu post, com o qual concordo inteiramente e que espelha tudo o que se passou no jogo.

A nossa vitória de há algumas semanas contra o actual segundo classificado foi apenas uma vitória, que teve como consequência o facto de nos colocar em primeiro lugar no campeonato. Apenas isso. Quando ganhamos um jogo contra os nossos adversários directos - ao contrário daquilo que sentem os adeptos dos nossos adversários directos quando ganham um jogo contra o Benfica - não ganhamos um campeonato do mundo; ganhamos apenas um jogo. Por isso, os nove jogos que se seguiriam seriam igualmente difíceis, igualmente exigentes, igualmente importantes. Este jogo contra o Boavista veio provar isso mesmo, e os jogos que se seguem constatarão a mesma coisa. Todos serão cada vez mais difíceis. Se, como todos esperamos e acreditamos, conseguirmos vencer o Braga, o jogo que se segue a esse será ainda mais difícil de vencer.

Este jogo contra o Boavista foi terrivelmente difícil, por tudo o que já escreveste no teu post. Gostava de ver como se comportariam os nossos adversários directos se, num jogo desta importância, estivessem privados de 6 titulares indiscutíveis e contassem com dois jogadores vindos de lesões que os afastaram durante meses da alta competição. Por isso mesmo, é preciso dar mérito ao nosso treinador e aos nossos jogadores por tudo o que têm feito. Por tudo o que têm lutado, enfrentando todas as contrariedades com coragem, entreajuda e espírito de sacrifício. E é preciso, cada vez mais, cerrarmos fileiras e enfrentarmos juntos os muitos obstáculos que nos aguardam. Por mim, não haveria agora interrupção do campeonato. Gostava que pudéssemos jogar já no sábado.

Muito obrigado a todos - treinador, jogadores e adeptos magníficos que estiveram no Bessa. Há muito tempo que não sofria tanto e não explodia tanto de alegria. Mas temos de continuar com os pés bem assentes no chão e perceber que, tal como disse o nosso treinador no final do jogo, foi apenas mais uma vitória e mais três pontos. Temos de continuar a lutar e muito. E estou com muita esperança que possamos ultrapassar o próximo e extremamente difícil adversário. O Braga está realmente a jogar um grande futebol, o jogo que fez contra os turcos foi impressionante, mas não foi apenas nesse jogo que estiveram bem. Teremos de enfrentar um grande Braga daqui a uns dias.

Força, Benfica!!
De Thomas Akino a 23 de Março de 2016 às 15:50
Cantiflas de Alvalixo Prioridade Absoluta do EI

Estado Islâmico tem como principal prioridade o recrutamento de Bruno de Carvalho.

Cantiflas de Alvalixo, Burro do Kar…, ou Líder Radical da Lagartada, já veio a público dizer que “é tudo uma questão de negociação”, ou falta dela…

O radical líder lagarteiro, acrescentou ainda que vê o seu querido clube como uma “espécie de mártir do Islão, sempre mal compreendido, ostracizado e perseguido pelas forças ocidentais.”

Figuras influentes do EI também vêem com bons olhos o recrutamento de Octávio Malbado e Inácio das Málbas! E dizem-se atentos a outros novos talentos que todos os dias desfloram lá prós lados do guetto de alvalixo.

Aki se vê a grandeza do zmerdem


De Francisco Pereira a 30 de Março de 2016 às 02:14
Fiquei louco com a vitória no Boavista, além de quase ter dado cabo do computador onde estva a ver o jogo, o meu Alzheimer até não me deixa ter a certeza se já o comentei aqui ou não.

Mas como agora só me preocupa o próximo, que até já é sexta-feira, não estou a ver, para já, que jogadores, além do Jardel, vai recuperar o Glorioso ???!!! os outros estão a ver se as lesões já permitem dar um jeitinho e, ainda por cima, pareceu-me neste jogo de hoje com a Bélgica que o R.Sanches não estará mesmo grande pistola. Deixem lá, eu sou pessimista, talvez para depois ter mais alegria, é isso mesmo rapazes !!!! quero é ganhar sempre o próximo, o Braga é um perigo, embora não me importasse que o Benfica fosse mesmo o Belenenses para lhe dar 3-0 !!!! e, só um aparte, para comentar quem disse, o Braga teve no jogo com os turcos, uma arbitragem a seu favor mais que vergonhosa. Se tivesse sido com o Benfica, ainda hoje estávamos a ouvir o Bruto de Carvalho 1!!!

Vamos aguardar, apesar do meu pessimismo, que nem os nossos jogadores nem o árbitro nos estraguem a nossa vidinha.

Humildemente mas com ambição, sempre em frente BENFICA.

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Desnecessário

Desilusão

Estrelinha

Paciência

Incontestável

Difícil

Serenata

Crença

Evidente

Talento

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds