VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Segunda-feira, 18 de Março de 2019

Distinção

Tudo indicava que seria um jogo muito complicado e uma prova de fogo para a nossa equipa no caminho para o título, quanto mais não fosse pela excelente exibição que o Moreirense fez na Luz no jogo da primeira volta. Mas num estádio pintado de vermelho a nossa equipa não deu quaisquer hipóteses e transformou o difícil em algo aparentemente fácil, não se notando quaisquer sequelas do esforço extra despendido a meio da semana.

 

 

Onze esperado e sem surpresas. Mas conforme já escrevi antes, o Benfica do Bruno Lage é uma equipa em constante adaptação e desenvolvimento que altera a sua forma de jogar consoante o adversário que defronta, como que se reinventando de jogo para jogo. Os jogadores podiam ser os mesmos mas desta vez o Pizzi apareceu muito mais fixo na direita, não se vendo por isso o João Félix a cair para esse lado e em vez disso jogou muito mais no meio. Foi o Jonas quem acabou por ser o avançado menos fixo, com o Rafa a fazer frequentes diagonais e incursões pelo centro. O Moreirense é uma boa equipa que procura sempre ter bola e jogar futebol, ao contrário de tantas outras que a entregam ao adversário e se fecham atrás para se dedicar ao antijogo. Por isso assistimos a um jogo aberto e disputado a um ritmo elevado, com a bola em constante movimento entre uma baliza e a outra. Começou o Benfica logo com uma enormíssima ocasião, na qual o Pizzi, isolado em frente ao guarda-redes, nem sequer acertou na baliza. Na fase inicial do jogo este foi repartido e o Moreirense conseguiu equilibrar as coisas, mas a partir do meio da primeira parte o Benfica foi ficando por cima, sobretudo no que diz respeito às jogadas de perigo. Pouco depois da meia hora marcámos pelo Jonas, mas o golo foi bem anulado por posição irregular do Pizzi no início da jogada. Mas cinco minutos depois valeu mesmo: passe longo do Grimaldo a solicitar o João Félix pelo meio, o defesa do Moreirense falhou a intercepção e o Félix finalizou com facilidade num remate potente. Pouco antes do intervalo surgiu o importante golo da tranquilidade, num cabeceamento do Samaris após um canto do Pizzi na direita. Sabíamos que o Moreirense não baixaria os braços - ainda obrigaram o Vlachodimos a uma grande defesa nos segundo finais da primeira parte - e além disso o jogo com o Belenenses reforçava a ideia de que não poderíamos relaxar, mas ao sairmos para intervalo com uma vantagem de dois golos achei que só muito dificilmente a vitória nos escaparia.

 

 

E quaisquer dúvidas sobre isso ficaram imediatamente desfeitas logo no início do segundo tempo, pois o Rafa encarregou-se de marcar o terceiro golo e deixar o Benfica completamente descansado no jogo. Solicitado por um passe do Jonas, isolou-se e à saída do guarda-redes picou-lhe a bola por cima. A partir daqui achei que o Benfica tentou mesmo acalmar o jogo e gerir o resultado e o esforço mantendo a posse de bola. Mérito do Moreirense em ter continuado sempre a tentar jogar e chegar ao golo - num livre do Chiquinho voltaram a obrigar o Vlachodimos a uma boa defesa - mas não parecia de todo que fossem capazes de anular uma desvantagem tão grande no marcador., até porque o Benfica parecia estar muito confortável e confiante no jogo. A gestão de esforço incluiu poupar jogadores nucleares aos minutos finais do jogo - o Pizzi e o Gabriel cederam os seus lugares ao Gedson e ao Florentino, e já muito perto do final também o Jonas foi substituído. Apesar da menor intensidade, não era por isso que deixava de ser provável o Benfica chegar a mais um golo. Até porque o Moreirense não abdicava de jogar com as linhas bem subidas e por isso expunha-se sempre a algum contra -ataque mais rápido caso a bola fosse recuperada numa posição mais comprometedora. Mas acabou por ser numa bola parada que o Benfica ampliou o resultado. Canto desta vez marcado pelo Grimaldo, confusão na área (apenas entre os defesas e o guarda-redes do Moreirense) e a bola acabou por sobrar para o Florentino se antecipar a um adversário e estrear-se a marcar pela equipa principal do Benfica. Os meninos do Seixal continuam a crescer a um ritmo acelerado, e duvido que haja alguém neste momento que ainda ache que a declaração de que os reforços de Janeiro estavam no Seixal é disparatada. Fim de jogo em festa para os muitos benfiquistas que tornaram o estádio do Moreirense uma casa longe de casa para o Benfica.

 

 

Melhor em campo, para mim, Samaris. Inúmeras recuperações de bola, muitas delas decisivas (como no terceiro golo) e um golo marcado em duas jornadas consecutivas. É difícil acreditar que até Janeiro era praticamente uma carta fora do baralho. Gostei também do Jonas e gostei muito do Rafa, que continuo a considerar ser um dos pilares do 'novo' Benfica de Bruno Lage. Elogios ao Ferro já começam a ser rotina.

 

Obstáculo ultrapassado com distinção. Agora faltam oito jogos, e destes apenas três serão disputados fora de portas. Se soubermos manter esta atitude e concentração, dificilmente não alcançaremos o objectivo do título. Só dependemos de nós próprios, e depois de ter visto a completa inversão de critérios do Capela de segunda para sábado mais reforcei a convicção de que de uma maneira ou de outra os nossos adversários mais directos não perderão mais pontos.

tags:
publicado por D`Arcy às 00:42
link do post | comentar
6 comentários:
De António Madeira a 18 de Março de 2019 às 04:25
Olá, D`Arcy.

Depois do apocalipse, da desgraça da falta de reforços, da equipa de rastos, da entrega do título aos corruptos, do enforcamento em praça pública do Rúben e do Odysseas, veio aquilo que ninguém estava à espera.
Não se admite aquilo que se passou hoje (ontem) em Moreira de Cónegos! Logo para começar, um estádio vestido de vermelho? Mas onde já se viu isto? Então, mas o jogo não era em casa do adversário, que até equipa de verde e branco? Espera-se uma multa tremenda ao clube do Vieira e dos amigos.
Depois, onde cabe na cabeça de alguém ir espetar quatro batatas no quarto classificado do campeonato nacional? (Sim, porque a classificação dos sapos do lamuriar só conta num universo paralelo ao nosso).
E ainda por cima acabar o jogo com seis (6!) jogadores da formação? Não pode ser! Então, mas onde estão os reforços? O Vieira e o Mendes é que são os culpados! É só betão lá para os lados do Seixal!
E ter um gajo daqueles com 34 anos na frente, que joga e faz jogar, não lembra ao diabo! Quem foi o iluminado que lhe renovou o contrato?

Falar do árbitro é chover no molhado. O Moreirense foi claramente roubado. Um fora-de-jogo escandalosamente mal assinalado que anulou um remate perigosíssimo ao painel de publicidade!

Por fim, não queria deixar de terminar com uma palavra de profundo desagrado para com o Grimaldo. A agressão que fez à sola do pé do adversário com o tornozelo logo aos 3 minutos não se quaduna com os valores deste Clube. Por mim, não calçava mais nos próximos 10 dias que era para ver se aprendia.

Ah, e já agora: o Laje que arrepie caminho, porque isto de falar só de futebol nas conferências de imprensa já enjoa.
De Anónimo a 18 de Março de 2019 às 09:36
Não entendo de onde deriva tanta certeza no golo anulado ao Benfica.
Pelo corte da relva o pizzi está a meio e o penúltimo defesa do moreirense também.
Quem pode ter a certeza?
De D`Arcy a 18 de Março de 2019 às 11:48
Precisamente pelo corte da relva o Pizzi parece-me estar adiantado. Na minha opinião o golo foi bem anulado - logo na altura achei que o iria ser.
De Anónimo a 18 de Março de 2019 às 11:47
Bom dia,
Comentário ajustado ao que se passou no campo do Moreirense.

Exibição sólida que teve um desfecho lógico. O próprio técnico do Moreirense disse que a vitória do glorioso foi justa.

Os comentários que já vi na bola do insolvente, onde punha em causa quer o nosso primeiro golo bem como o hipotético golo anulado ao Moreirense, dizer a esse energumeno que de certo não viu a capelada no sábado onde a arbitragem esteve ao contrário daquilo que aconteceu na passada segunda feira no jogo com os de belem.

A meu ver o melhor em campo foi o Samaris, bem secundado pelo Gabriel. Que meio campo com categoria e aplicação. Gostei imenso.

Agora manter o mesmo foco e aguardar que os lesionados voltem, mormente Seferovic, para dar mais consistência ao nosso ataque, para levar de vencida as oito finais que faltam para a conquista do 37.

Saudações benfiquistas.

De Dias Pereira a 19 de Março de 2019 às 10:13
Bom dia.
Foi, realmente, um jogo que se veio a tornar fácil, depois de um início bem mais complicado, com domínio repartido, e com alguma ineficácia nos processos de jogo ofensivo da nossa equipa.
Estou, como é natural, muito satisfeito - e aliviado!... - pela vitória, mas não partilho totalmente da convicção que esta tenha sido uma exibição de excelência. Na verdade, além do falhanço incrível do Pizzi, a três metros da baliza, não fizemos nada de relevante até meados da primeira parte. E foi por essa altura que, fruto de um inacreditável erro de um central adversário, o João Félix inaugurou o marcador.
E daí até ao final da primeira parte continuámos a dividir o jogo, tendo o Samaris marcado o segundo golo na sequência de um canto.
Em suma, na primeira parte, das três ocasiões de golo - uma das quais oferecida... - concretizámos duas... e não concretizámos a mais fácil!
A segunda parte pareceu-me mais conseguida. Não tanto pelo que se tenha jogado, mas pela segurança e eficácia com que se jogou.
Voltámos a ter alguma felicidade, marcando logo na fase inicial, num lance em que a bola entrou na baliza, depois de ainda ter tocado no guarda-redes, em marcha lenta e rente ao poste. E, mais tarde, na quinta ocasião de golo, marcámos o quarto, pelo Florentino, que aproveitou uma confusão entre os defesas e o guarda-redes, na pequena área adversária, na sequência de mais um canto...
Ou seja, marcámos - por quatro vezes em cinco ocasiões... - e fizemos o que tínhamos a fazer, mas, na minha opinião, sem o brilhantismo que muita gente se apressa em atribuir.
Acho que não nos serve de rigorosamente nada estar a enbandeirar em arco numa situação que, em meu entender, não o justifica. E, além disso, como bem sabemos, comporta o risco de voltarmos a relaxar - porque, afinal, somos os melhores do mundo e arredores... - e cometermos os mesmos erros de um passado ainda presente...
O que importa é ter sempre presente que erros evitáveis não são admissíveis, que os jogos se ganham com objectividade, eficácia e concentração total - em vez de com habilidades circenses, passes de calcanhar e sobranceria... - e que se joga muito fora do campo, situação que continua miseravelmente descurada pelos nossos dirigentes, nomeadamente pela direcção e pela SAD.
É que, enquanto uns se empanturram com desmesurados e despudorados favorecimentos, o nosso presidente continua mudo e quedo, entretido a comunicar via telemóvel, e a relacionar-se, impávido e sereno, como os bandalhos deste futebol tuga, mantendo convívios, institucionais e pessoais, com esses miseráveis...
É urgente abrir os olhos! E ser coerente! Defender o Benfica exige muito mais do que uma suposta urbanidade, ainda mais se essa urbanidade se reporta aos protagonistas que bem conhecemos!
Acorda, Benfica! Acorda, Benfica!Acorda, Benfica!
Viva o Benfica!
Saudações benfiquistas!
De Anónimo a 19 de Março de 2019 às 10:57
"Distinção". Boa escolha de palavras no post. Boa análise no comentário em relação à "transmutação" do Capela.

De assinalar que o número de comentários é sempre inversamente proporcional aos bons resultados do Benfica. Enfim.. os tolos do costume vêm cá só quando há que falar mal...

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

#Reconquista

Um

Crer

Proveitosa

Pujante

Deplorável

Firme

Soberba

Complicado

Merecida

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds