VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sábado, 3 de Novembro de 2018

Horrível

Uma exibição horrível e um resultado vergonhoso como consequência. Mas o mérito a quem é devido: o Moreirense fez uma excelente exibição esta noite na Luz (principalmente na primeira parte) e justificou completamente a vitória. Sem autocarros, sem anti-jogo, e a jogar bom futebol. Era ao Benfica quem cabia fazer muito mais e melhor.

 

 

Duas alterações na linha da frente para este jogo: João Félix e Jonas renderam Seferovic e Salvio. De resto, os mesmos que tinham defrontado o Belenenses. Foi precisamente esta dupla a dar o melhor início possível ao jogo, pois ainda não estavam decorridos dois minutos e já o João Félix assistia o Jonas para o primeiro golo da partida. Seria natural começar desde logo a pensar que uma vitória tranquila se seguiria, mas estávamos muito enganados. O Moreirense veio à Luz para jogar futebol, e de forma bastante eficaz e descomplexada. Linhas subidas, agressivos no ataque à bola e muito bem nas saídas da pressão, conseguindo em três quatro toques aquilo que o Benfica não conseguia em trinta: colocar três ou quatro jogadores na zona de finalização e libertar alguém para fazer o remate. E depois, uma tremenda eficácia, num enorme contraste com aquilo que temos andado a fazer. Nem três minutos durou a vantagem do Benfica, porque o Moreirense imitou-nos e chegou ao golo também no primeiro remate que fez. Uma subida do Grimaldo não foi devidamente compensada (o nosso meio campo, Fejsa incluído, esteve completamente desastrado) e o Moreirense aproveitou a cratera que se abriu do lado esquerdo para entrar e fazer o passe para a entrada da área, onde surgiu o Chiquinho (jogador que fez a pré-época connosco e acabou dispensado) a rematar para o golo. De notar também que nesta jogada o Moreirense saiu para o ataque e chegou à área com quatro jogadores para apenas três defesas nossos. Médios nossos, nem vê-los. O Benfica ainda respondeu com uma grande ocasião do Rafa, na qual o guarda-redes tirou a bola em cima da linha depois do Rafa lhe ter feito um chapéu, mas o Moreirense estava a jogar de uma forma que só deixava antever mais problemas para nós. O Chiquinho, apesar de ter marcado o golo, continuava a gozar das maiores liberdades para receber a bola à entrada da área. Acho que nunca tinha visto o Fejsa a jogar tão longe dos centrais e com tão poucas preocupações defensivas. O resultado disso foi um segundo golo quase tirado a a papel químico do primeiro, à passagem do quarto de hora. Nova subida do Grimaldo, perda de bola no ataque e nenhuma compensação a fechar aquele lado. Depois o Jardel foi facilmente ultrapassado e desta vez o centro saiu para a zona do segundo poste, onde o Pedro Nuno (outro ex-jogador nosso) encostou para o golo. 

 

 

Se as coisas já não pareciam bem, a partir deste momento fiquei com a nítida sensação de que os nossos jogadores estavam completamente perdidos em campo. Os assobios que se começaram logo a fazer ouvir também ajudaram à festa e imediatamente vimos toda a gente a tentar fazer sempre tudo demasiado depressa, e quase sempre mal. Mas ainda tivemos mais duas boas ocasiões para marcar: um cabeceamento do Jonas, que completamente à vontade na área atirou por cima, e uma situação em que o Rafa ultrapassou o guarda-redes e só com um defesa entre ele e a baliza conseguiu acertar no defesa. Mas quase toda a gente à minha volta na bancada percebia que a probabilidade do Moreirense voltar a marcar era grande, porque o Benfica simplesmente não conseguia travar as saídas deles para o contra-ataque. Era tudo feito de forma muito simples e eficaz, com os nossos jogadores quase a parecerem parados. Infelizmente tínhamos razão, e o desacerto ficou por demais evidente no lance do terceiro golo do Moreirense. Depois de uma bola comprida metida nas costas da nossa defesa, descoordenação entre o Odysseas e o Jardel, com o nosso guarda-redes a sair disparatadamente da área e a bola a ficar nos pés do Jardel. Depois o mesmo Jardel deixou-se pressionar e na ânsia de despachar a bola para não ceder um lançamento de linha lateral acabou por colocá-la nos pés de um adversário. Daí, a bola seguiu para a zona central, onde a uns bons vinte e cinco metros da baliza o Loum desferiu um remate colocadíssimo que levou a bola a entrar bem junto da base do poste (acho que ainda lhe bateu). Um golaço. Faltavam dez minutos para o intervalo e imediatamente o Benfica passou a jogar em 4-4-2, com o Félix a juntar-se ao Jonas no centro do ataque, o Rafa a ir para a esquerda e o Pizzi para a direita. Sem resultados práticos, diga-se. Seria necessário algo muito especial para que o Benfica conseguisse dar a volta a isto.

 

 

O Rui Vitória tentou mudar logo ao intervalo, retirando duas das piores unidades do campo - Pizzi e André Almeida - para colocar o Castillo e o Salvio como lateral direito. O João Félix regressou à esquerda e o Rafa foi para a ponta direita, num 4-4-2 clássico. Ao contrário da primeira parte, o Moreirense não se revelou tão atrevido a sair para o ataque e baixou as linhas, convidando o Benfica a atacar. Mas se os jogadores até mostraram vontade para inverter o rumo dos acontecimentos, faltou-lhes discernimento e até mesmo qualidade para o fazerem. Embora o Rafa e o Salvio até tivessem dado alguma velocidade ao lado direito, houve sempre demasiadas dificuldades em fazer a bola entrar na área, assistindo-se sempre àquele futebol rendilhado com demasiados passes pouco objectivos e que exaspera as bancadas, sobretudo quando o resultado não é de feição. Basta tentarmos lembrar-nos de quantas ocasiões de golo ou até mesmo remates na direcção da baliza conseguiu o Benfica fazer durante a segunda parte. Poucos, demasiado poucos para uma equipa que precisava de inverter um resultado negativo. E mesmo esses poucos, foram quase sempre fracos e na direcção do guarda-redes. A terceira alteração não mudou nada em termos tácticos, apenas fizemos entrar um extremo de raiz (Cervi) para o lugar do João Félix, que até trouxe alguma dinâmica à esquerda, mas o golo continuou a parecer sempre muito distante. Como se as coisas não estivessem já a correr mal, o Jardel fez-se expulsar (mais um central expulso). Na marcação de um livre perigoso contra o Moreirense, ele conseguiu dar uma cotovelada num adversário na barreira. Na marcação de um livre perigoso, estão a ver? Quando o árbitro está precisamente atento à formação da barreira e de olhos postos nos jogadores que lá estão. Com o árbitro de frente e a cinco metros, o nosso capitão de equipa dá uma cotovelada a um adversário. Simplesmente brilhante, e digno de qualquer um que envergue aquela braçadeira. A coisa acabou por não descambar para pior porque o Moreirense tinha o jogo na mão e por isso nem forçou à procura de mais golos, mas foi tipo a cereja no topo do bolo de uma noite pavorosa.

 

 

Não é possível destacar alguém pela positiva. Pela negativa sim, mesmo num jogo em que estivemos tão mal. Mas alguns estiveram ainda pior, e estranhamente estamos a falar de alguns dos jogadores mais experientes da equipa. Pizzi, André Almeida e Jardel estiveram um desastre absoluto. Não sei se conseguiram sequer fazer alguma contribuição positiva em todo o tempo que estiveram em campo. Uma palavra ainda para o Castillo: ou no futuro mostra muito mais do que aquilo que vi esta noite, ou então é um absoluto mistério o motivo pelo qual pagámos tanto por ele.

 

Se na derrota contra o Ajax ainda tínhamos mostrado qualidade de jogo, e contra o Belenenses ainda se podia dar algum desconto à inacreditável exibição do guarda-redes na primeira parte (a segunda parte já tinha sido muito má) neste jogo não consigo encontrar qualquer traço redentor. Foi tudo demasiado mau, vi uma equipa tacticamente perdida em campo e jogadores muitas vezes a parecerem desesperados. Perdemos em casa com o Moreirense e o que é mais grave é ter que admitir que perdemos muito bem, porque o adversário foi claramente a melhor equipa em campo. E realço isso mesmo: nós podemos ter melhores jogadores do que o Moreirense, mas eles foram a melhor equipa em campo. Sem discussão possível.

tags:
publicado por D`Arcy às 01:02
link do post | comentar
19 comentários:
De Joaquim Rato a 3 de Novembro de 2018 às 05:42
Não tenho prazer em chamar incompetente a ninguém. Mas sinceramente, há cerca de dois meses, aqui neste espaço, chamei incompetente ao vitória, pois as evidências da sua falta de capacidade para treinar uma equipa de alta competição eram mais que muitas. Sempre o achei um treinador medíocre. No primeiro ano só não foi logo despedido por que o Renato Sanches caiu do céu, e também porque os jogadores se uniram fortemente para mostrar a Jesus que também conseguiam ganhar sem ele, além disso, a sorte também esteve com ele e de que maneira neste primeiro ano, assim como no segundo ano, mas a sorte não dura sempre ( Fernando Santos que o diga!!! ), e no terceiro ano no jogo com o porto ela já foi madrasta. Mas neste jogo a incompetência de vitória também começava a ser de bradar aos céus. Tirou Rafa que estava a ser o jogador mais perigoso do Benfica, inclusive já tinha amarelado dois jogadores do porto, mantendo a nulidade pizzi, que fez uma época miserável, e mesmo assim foi quase sempre titular. No jogo com o Tondela conseguiu manter Luisão em campo, que foi responsável nos três golos. Como agradecimento, ainda o pôs num outro jogo onde novamente deu barraca. No Restelo apostou em João Carvalho, um jogador que consegue ser ainda dez vezes menos intenso que o pizzi. Numa equipa que um dos principais problemas é precisamente a falta de intensidade, apostar em João Carvalho no jogo do Restelo é mais que pôr-se a jeito, é dar o ouro ao bandido. Resultado, saímos de lá com um empate. Mas eu duvido que o homem veja as gravações dos jogos. Pois não é que o João Carvalho que tinha sido uma nulidade, foi titular no jogo seguinte. Enfim, o homem lá conseguiu acordar, e finalmente apostou em Zivkovic, que foi só o melhor jogador do Benfica até ao fim da época, mas de longe. A paga do vitória, foi dar-lhe 5 minutos, este ano, no meio-campo, que é o lugar dele. Mas vitória consegue sempre surpreender pela negativa. Este ano foi buscar Gedson, que já o ano passado devia estar na equipa principal, era ele e não o carvalho, como era evidente para quem perceba o mínimo de futebol. E não é que o homem que já vai no quarto de ano de Benfica espremeu o puto até ao tutano levando-o à exaustão, e esta manifestou-se num jogo importantíssimo, o jogo com o Sporting, a partir daí o rendimento do Gedson foi sempre a cair, até que foi parar ao banco. Só agora está a recuperar, mas ainda está longe do fulgor do início de época, que era a sua grande arma. Uma vez no café disse que vitória tinha rebentado com o Gedson, uma mulher respondeu-me: ele tem 18 anos aguenta tudo. Parece que o nosso treinador pensa do mesmo modo. E por falar em cansaço, o Grimaldo que já andava a estranhar ainda não ter rebentado, ontem já deu sinais evidentes de fadiga, e o André Almeida há vários jogos que também acusa fadiga, até o preguiçoso do pizzi, acho que o problema dele já não é só preguiça. Este pizzi em Amsterdão foi uma nulidade, jogámos só com dez, mas mesmo assim só saiu aos 80 minutos. Já chega de incompetência, só referir, que hoje não foi só incompetência. O senhor vitória quis-se armar em chico esperto, percebendo que está a ficar sem apoio socorreu-se do truque da formação, vai daí lança João Félix, só que o tiro saiu-lhe pela culatra. Como não percebe nada de futebol, não deu conta que ia entrar em jogo com 3 jogadores sem intensidade: Jonas, pizzi e João Félix, três jogadores que não defendem, ainda por cima Almeida, Fejsa e Grimaldo não estão bem. Resultado, o corredor esquerdo foi uma passadeira para vitória do Moreirense.
Só um recado para vieira: sei que estavas à espera que não restassem quaisquer dúvidas que os adeptos já não querem vitória, pois temes que em caso de insucesso os adeptos viessem com a conversa: quando o vitória saiu só estávamos a 1 ponto, se ele tivesse continuado tínhamos ganhado o campeonato. Este fim de semana já deves ter o que queres. Mas não te esqueças, a partir de segunda-feira, é a ti que tudo vai começar a ser quebrado. Acho melhor começares a pensar no Ajax. Com vitória dificilmente te safas.
De Anónimo a 3 de Novembro de 2018 às 07:58
Quem ganha jogos, as equipas, Rui Vitoria tem bom jogadores mas nao tem equipa, este BENFICA nao tem fio de jogo joga para o lado e traz lado e traz, durante 90 minutos passa 45 no seu meio campo logo nao faz perigo no adversário, seja ele quem for.,venha o Peseiro pior nao será.
De Anónimo a 3 de Novembro de 2018 às 08:23
Ontem, o Benfica jogou de azul e o Moreirense de vermelho. É isto que apetece dizer. Sinceramente é difícil de compreender o porquê de tanta incompetência. Foi asneira atrás de asneira. Falta de intensidade, falta de velocidade, passes medíocres, finalização deficiente, falta de movimentação, falta de agressividade, posicionamento deficiente. Enfim, há aqui pano para mangas...

Apetece-me perguntar: onde está a equipa que ganhou aos porcos há coisa de um mês atrás?

Sinceramente, fico com medo do que aí vem.
De Anónimo a 3 de Novembro de 2018 às 09:12
Infelizmente concordo totalmente com o autor, o SLB, escreveu mais uma página negra no palco da Luz, que nos deixa a todos muito tristes, resta saber, o que se passa para não aparecerem melhores resultados.
De Henrique Teixeira a 3 de Novembro de 2018 às 10:16
Como sempre excelente análise, ainda por cima feita pouco depois do jogo, pessimamente mal jogado pelo Benfica e com resultado a condizer, ter terminado. Eu confesso que não seria capaz de ser tão racional num momento daqueles.
Na última vez que aqui escrevi tinha dito que não estava a ver LFV a despedir Rui Vitória e isso foi confirmado pelo próprio na posterior entrevista concedida à TVI.
O presidente anda demasiado confiante na formação sonhando ser campeão europeu com ela. Eu concordo que a formação é importantíssima e elogio o trabalho sem precedentes em Portugal que o presidente já fez e que continua a fazer no Seixal, o qual, aliás, tem sido reconhecido a nível mundial, mas tudo tem o seu tempo. Os jogadores da formação devem ser incluídos cuidadosamente na primeira equipa, a não ser que sejam génios como Ederson, João Cancelo, Renato Sanches ou Bernardo Silva, e mesmo os génios não devem ser lançados todos ao mesmo tempo.
A grande maioria da equipa titular deverá ser constituída por jogadores talentosos e experientes, com idades compreendidas entre os 26 e os 33 anos. O presidente ao dizer que quer ver brevemente mais 4 jovens da formação na equipa titular, a juntar aos que já lá estão com pouca experiência, prova que percebe pouco de futebol.
As contratações também devem ser mais acertadas do que na maioria dos casos têm sido. Vemos, por exemplo, as da época em curso, até agora quase um desastre total.
Outra coisa em que a maioria dos jogadores do Benfica é deficitária é na altura; qualquer equipa em Portugal tem média de jogadores mais altos do que a nossa. Depois é o que se vê: somos facilmente batidos de cabeça, quer defensiva quer ofensivamente. Parece que anda tudo a dormir.
O Benfica de Rui Vitória vai continuar a dar-nos tristezas sobre tristezas. Aquilo é demasiado enervante: passes, mais passes, bola para o lado, bola para trás, lentidão, falta de ideias, falta de classe.
Fazem mal ao Benfica os Pedro Guerras desta vida que não querem ver o óbvio.



De E Pluribus Unum a 3 de Novembro de 2018 às 13:33
"CRUEL" + "SEM COMENTÁRIOS" + "HORRÍVEL"

Pois é, caro Benfiquista D'Árcy - estiveste muito bem na última presença na nossa Benfica-TV -, eu infelizmente, já há muito tempo tinha feito o alerta para esta situação.
Ou seja, esses títulos dos últimos três artigos publicados não são para mim uma surpresa.
INFELIZMENTE para todos nós Benfiquistas, confirmam-se os meus receios.

Está à vista de todos - pelo menos daqueles que entendem o mínimo sobre um jogo de futebol, digo jogo de futebol e não jogo da bola, que é uma coisa bem diferente -, a pobreza competitiva desta "equipazinha" de Rui Vitória.

Vou repetir:
Não CORREM NADA; Não SALTAM NADA; Não REMATAM COM FORÇA DE HOMENS; Não fazem VERDADEIRA PRESSÃO; Não sabem MARCAR LIVRES FRONTAIS NEM LATERAIS COM VERDADEIRO PERIGO PARA O ADVERSÁRIO; Não ganham nem SEGUNDAS NEM TERCEIRAS BOLAS; Não sabem CABECEAR COM FORÇA E DIRECÇÃO PARA A BALIZA ADVERSÁRIA, etc,etc,etc,...

O que fazem de "melhor": "Jogar" com os olhos, e ABRIREM auto-estradas para os adversários chegarem mais rápido e sem oposição à nossa baliza!!!!!

Conclusão: Este "Benfiquinha" de Rui Vitória não joga FUTEBOL PROFISSIONAL!!!!
Este "Benfiquinha" de Rui Vitória joga "À BOLA"!!!! com a mesma "organização" e mentalidade com que jogam os miúdos estudantes nos intervalos das aulas, ou quando têm um "furo" por falta de algum professor/a!!!!

UMA INDIGÊNCIA!!!!!!!!

De positivo tenho a assinalar a vontade e querer dos jogadores, mas infelizmente nota-se bem que andam perdidos em campo e sem a mínima liderança!!!
Não é pois por acaso, que os erros que refiro acontecem incessantemente jogo após jogo.

Com este Plantel mais um defesa direito A SÉRIO e à BENFICA, e com um verdadeiro TREINADOR, ganharíamos o campeonato QUASE A JOGAR DE COSTAS.

Por falar em treinador, diz Rui Vitória que não desiste de nada, nunca!!
Pois é, esse é o seu grande mal. Devia de uma vez por todas DESISTIR de permitir que a nossa equipa ABRA AUTO-ESTRADAS para o adversário, e que a nossa equipa "defenda" a MONTE e sem organização.
Devia de DESISTIR de deixar a nossa meia-lua (entrada frontal da grande área) sem PROTECÇÃO, pois nessa zona, nos pontapés de cantos contra nós, quando aí caem bolas cortadas pelos nossos defesas centrais, 90% delas são ganhas pelos nossos adversários!!!

Tudo vai mal, e a continuar assim, L.F. Vieira está a levar o Clube para o ABISMO FUTEBOLÍSTICO, onde ele próprio irá cair, agarrado a Rui Vitória, que é o PRINCIPAL responsável por este "jogar à bola" INOCENTE que a nossa equipa nos tem presenteado neste tempos mais recentes.

Quanto à APITADORAGEM, mais do mesmo: em caso de dúvida sempre a bufar no apito contra o Benfica, e várias faltas inventadas contra a nossa equipa, etc,etc,etc,.... mas com esta INDIGÊNCIA do nosso "jogo" até ele, o apitador, teve o "trabalhinho" facilitado.

Neste país da TRETA não temos árbitros. O que temos são apitadores FORMATADOS E MANIPULADOS para prejudicarem o Benfica.
Mas isso aí já não culpo tanto o treinador Rui Vitória, pois o principal culpado disso acontecer de forma incessante é o FRAQUÉRRIMO PRESIDENTE que temos e uma Direcçãozinha que é um CLONE PERFEITO de L.F. Vieira.

P.S. Na semana anterior ao Ajax-Benfica consegui, dando cumprimento ao meu Benfiquismo, convencer 7 Adeptos do nosso Benfica a se tornarem Sócios do Clube.
Ainda não ganhámos um jogo desde aí, e por isso já "OUVI DAS BOAS" de alguns desses novos Sócios do nosso Glorioso Benfica!!!

Benfica, Benfica, Benficaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa Semrpeeeeeeeeeeeeee CONTRA TUDO E CONTRA TODOSSSSSSSSSSSSS.
De Dias Pereira a 3 de Novembro de 2018 às 14:41
Boa tarde.
Ninguém poderia, honestamente, esperar que as coisas fossem diferentes daquilo que estão a ser. Ou seja, todos já perceberam que Rui Vitória não é capaz de pôr a equipa a jogar futebol, de ser competente e consistente, nem de fazer resultados compatíveis com o plantel que possui, nem com a grandeza do clube. Rui Vitória já deu bastas provas disso, desde que cá chegou! Como está à vista de todos - mesmo para os Manuéis Afonsos desta vida - só uma série de circunstancialismos permitiu que se conquistassem alguns títulos - e mesmo alguns quase-títulos, como o 2.º lugar do ano passado... - e não o mérito próprio, e muito menos a competência do treinador.
Rui Vitória pode ser boa pessoa, bom e honesto pai de família - tal como muitos de nós seremos... - mas tem provado ser, total e absolutamente, incompetente como treinador do Benfica! O futebol do Benfica é, actualmente, não só enfadonho, lento, mastigado e desesperante, mas também totalmente inconsistente e ineficaz. À imagem do actual treinador. Nunca, desde os tempos do inenarrável Artur Jorge, vi tão incapaz futebol, com a agravante de, presentemente, não termos Nelos nem Paredões, nem Tavares ou Ruis Esteves....
Rui Vitória foi o pior treinador que vi passar pelo Benfica nos últimos 30 anos. E já tivemos, nesse período de tempo, treinadores como Ivic, Artur Jorge, Souness, Manuel José, Jesualdo Ferreira e Quique Flores...
Só mesmo a idiotice de um presidente fortemente condicionado por uma série de situações - que ele próprio criou, diga-se... - vai mantendo este treinador à frente da equipa. Mas Luís Filipe Vieira já preparou o cenário para qualquer eventualidade, anunciando que tinham sido dadas todas as condições, em todas as modalidades, para se voltarem às conquistas esta época. Será que Rui Vitória não percebeu ainda?...
Urge, contudo, que os benfiquistas cerrem fileiras e não se coíbam de atirar pedras a quem está no clube para servir dele, e não para o servir. Já! Antes que seja tarde! É verdade que o Benfica não é o Alverca. Mas eu, que já vivi muitos anos, já vi muita coisa nesta vida...
Viva o Benfica!
Saudações benfiquistas!
De Dias Pereira a 3 de Novembro de 2018 às 14:54
Na sequência do post colocado no blogue depois do jogo de Amsterdão, o D'Arcy voltou mais tarde a comentar, escrevendo o seguinte: "Toda a gente é melhor treinador no sofá do que o Rui Vitória. Toda a gente é melhor presidente da sua sala do que o Vieira do Benfica.". A propósito deste comentário - que senti que me poderia estar a atingir também a mim... - alinhavei um texto, mas acabei refreando o ímpeto e não o publiquei. Contudo, tendo guardado esse texto, publico-o agora, apenas para ficar em paz comigo mesmo.

"Boa noite.
Não respondendo a ninguém, em concreto, mas comentando, no global, muito do que por aqui se escreveu, permito-me deixar algumas reflexões. Não propriamente acerca do jogo de Amsterdão, em si, mas sobre o momento presente do nosso clube – do futebol e não só… – do seu passado recente e do que nos espera no futuro.
Não sendo este blog dos mais procurados, regista, mesmo assim, algumas participações. No que a mim diz respeito, costumo vir sempre ler os posts publicados a seguir aos jogos, e comento, de forma assídua, desde há um bom par de anos.
Quando ocorrem resultados menos bons, a participação aumenta, e a contestação fica, mais ou menos explicitamente, espelhada em muitos dos comentários. Quando os resultados são bons, a participação baixa drasticamente. Se os resultados não são bons, mas a generalidade das pessoas acha que, por uma razão ou por outra, poderiam ter sido piores, aparecem, com alguma frequência, os verdadeiros benfiquistas, ou seja, aqueles que se acham os verdadeiros guardiões dos interesses da nação benfiquista, não só contra os que, de fora, atacam o clube, mas também contra os que, de dentro, não se contentam com o estado das coisas e exigem resultados realmente compatíveis com o estatuto do clube. Esses são os Manuéis Afonsos desta vida, sempre tão prontos a servir de escudo à direcção e ao treinador, não se sabendo se a troco de alguma coisa, em concreto, ou se apenas por forte convicção pessoal…
No que me diz respeito, costumo passar quase sempre por este blog, quer quando os resultados são bons, quer quando não são os desejados, e as minhas opiniões não mudam em função dos contextos nem dos resultados. Como já escrevi antes, fundo as minhas opiniões e convicções em factos concretos – e nos valores e princípios que tenho recolhido no decurso da minha já longa vida de benfiquista, sempre intensa e apaixonadamente vivida… – não estou alinhado com nenhuma facção que exista no seio do clube, não pauto a minha intervenção por qualquer agenda – nem própria, nem encomendada – e não me deixo formatar pela comunicação social, seja ela escrita ou multimédia, amiga ou inimiga. Penso única e exclusivamente pela minha cabeça e, consequentemente, não como tudo o que me servem…
E acredito que, com outros, também assim seja, obviamente. Quer comunguem dos meus pontos de vista, quer tenham opiniões antagónicas. Contudo, causa-me alguma urticária constatar que se exacerbam opiniões, ou, pelo contrário, se branqueiam factos, meramente ao ritmo das marés…"
(continua)
De Dias Pereira a 3 de Novembro de 2018 às 14:55
(continuação)
"É verdade que haverá muitos que serão melhores treinadores “… no sofá do que o Rui Vitória”, grupo no qual eu não tenho pretensões de me incluir. Apesar disso, o facto de não me considerar, naturalmente, “melhor treinador no sofá do que Rui Vitória”, não me inibe de ter opinião sobre a sua qualidade ou, se quisermos, sobre a sua comprovada incapacidade para pôr um grupo estável, com muito tempo de conhecimento e que trabalha num clima de estabilidade, a jogar um futebol compatível com o estatuto do Benfica e capaz de responder ao que se espera de um clube com a sua grandeza.
Rui Vitória está a cumprir o quarto ano no comando da equipa, tem um grupo que mantem alguma unidade, e trabalha com total liberdade (pelo menos tanto quanto se sabe…). Nos dois primeiros anos, fruto de uma série de circunstâncias conjunturais, acabámos por nos sagrar campeões nacionais, com algum mérito, certamente, mas também com muito demérito dos nossos adversários directos, facto que foi especialmente evidente no segundo ano. Ao longo desse período, o futebol praticado foi sempre pobre, lento, inconsistente e pouco consequente, e os resultados apareceram sempre mais em função dos desempenhos individuais do que mérito e qualidade do conjunto. De então para cá a situação tem vindo sempre a agravar-se, facto que se tornou mais notado pela ausência de resultados. No ano passado, então, a situação roçou os limites do escândalo, com uma campanha europeia miserável e um desempenho nas provas nacionais muito aquém do expectável.
A dimensão do desastre não se mede apenas pelo inconsequente e paupérrimo futebol jogado – táctica do pontapé para a frente, progressões para os lados e para trás, desesperante lentidão de processos, tanto a atacar como a defender, desaproveitamento quase total das bolas paradas, … – mas também por um conjunto de miseráveis (vergonhosos, mesmo…) resultados.
Como todos nos fazem questão de lembrar – e nós não devemos esquecer, nem escamotear!... – nas últimas 10 partidas da fase de grupos da Champions League registámos 9 derrotas, marcámos 4 golos (3 deles na penúltima partida, que vencemos…) e sofremos 23!!! E este quadro é ainda mais grave se levarmos em linha de conta os adversários com que nos confrontámos, de entre os quais o Basileia, o CSKA, o AEK, o Manchester United (na pior fase da última década, seguramente), o Dortmund, o Ajax e o Bayern (que está como se tem podido ver…). Se esse histórico fosse com Real Madrid, Barcelona, Liverpool ou Juventus, eu ficaria obviamente aborrecido, mas saberia reconhecer as diferenças. Mas com aqueles?....
Como todos nos fazem, também, questão de lembrar – e nós não devemos, também, nem esquecer, nem escamotear!... – desde que Rui Vitória chegou, descemos do 6.º para o 22.º lugar do ranking de clubes… e deveremos ainda cair mais uns quantos lugares, a confirmar-se o que se prevê que venha a acontecer.
Até o próprio Rui Vitória já percebeu a dimensão do desastre. De tal modo que, cada vez mais, tem tentado, publicamente, justificar o injustificável…
Não concordo que se trucide o treinador em praça pública. Mas não posso calar, ou esconder, os factos. Desde há muito que defendo que Rui Vitória já não se encaixa na solução, mas que, pelo contrário, está cada vez mais na génese do problema. Mantê-lo por mais tempo será totalmente desajustado, quer para o clube, quer para ele próprio.
É que, nem para as guerras internas o seu trabalho se revelou suficiente. Bastaria fazer a contabilidade dos jogos disputados contra os habituais concorrentes às vitórias nas provas nacionais, para nos voltar a cair o queixo!"
(continua)
De Dias Pereira a 3 de Novembro de 2018 às 14:56
(continuação)
"Quanto à questão da liderança de topo do clube (e SAD), estou firmemente convencido que sou, mesmo, “… melhor presidente…” da minha sala “… do que o Vieira do Benfica.” É claro que a minha sala é muito mais pequena e, por isso mesmo, muito mais fácil de gerir do que o Benfica!
Mas a verdade é que eu na minha sala, para a gerir, também não iria buscar nenhum vizinho, muito menos se me fosse declarada, ou comprovadamente, hostil!
Luís Filipe Vieira trouxe para a nossa sala - isto é, rodeou-se, aconselhou-se, fez-se assessorar e investiu de capacidades de gestão – toda uma sorte de gente comprovadamente muito pouco recomendável e, não satisfeito com isso, foi-se permitindo arredar do clube uma série de pessoas genuinamente benfiquistas, nomeadamente aquelas que tiveram a ousadia de pensar pela sua cabeça, de defender vias alternativas, ou de opinar de forma diversa da determinada pela doutrina oficial. E, com isso, arrastou o clube para uma quantidade de situações nada recomendáveis, das quais talvez saíamos mais amarrotados do que julgamos presentemente.
Com a desculpa de pretender profissionalizar o clube, foram-se buscar ex-dragões e ex-panteras comprovadamente ligados aos mais nefastos e nojentos processo do passado recente do futebol tuga, e trouxeram-se para dentro de portas lagartos declarados, para áreas tão diversas como a gestão económica e financeira, a formação, ou o departamento de informação. Oxalá que um destes dias não tenhamos de ouvir o speaker, no estádio, a gritar pelo Sporting em vez de o fazer pelo Benfica…
Luís Filipe Vieira tem méritos? Claro que tem! Ou, ainda tem, melhor dizendo. Mas a verdade é que os tem cada vez menos, pois sempre que fala deixando sair o que realmente lhe vai no íntimo, vai perdendo o crédito dos benfiquistas. Um discurso de troca-tintas não se consegue perpetuar ad eternum. E, quando Luís Filipe Vieira, numa assembleia geral – que é o coração do clube – se permite, num estilo truculento e de baixo nível, ameaçar que ainda teremos de “… levar com ele por muitos anos…”, fica esclarecido o projecto do homem que agora é presidente do clube, e que se soube acautelar, com uma série de manobras, no sentido de se manter à frente do clube ad eternum
Em suma, com este presidente e sua corte, e com este treinador e o seu futebol, estamos a marchar no rumo errado, e para o objectivo, munidos de armas que nos são estranhas e não permitidas pelo nosso código de honra.
Estou firmemente convencido que o futuro, infelizmente, me dará razão. Ou melhor, nos dará razão, porque não sou o único a pensar assim…
Como escreveu aqui o E Pluribus Unum, “Veritas filia temporis”.
Viva o Benfica!
Saudações benfiquistas!"

Renovadas saudações benfiquistas!
De E Pluribus Unum a 3 de Novembro de 2018 às 18:12
Cem por cento de acordo com todos os seus comentários, caro Benfiquista Dias Pereira.

Se a sua LUCIDEZ fosse extensiva a todos nós Benfiquistas, já L.F. Vieira - o "Presidente" que só mete lagartos e tripeiros no Clube e SAD, e que pensa que os Benfiquistas apenas são clientes para lhe garantirem o negócio - tinha SIDO CORRIDO do nosso Glorioso e INIGUALÁVEL SPORT LISBOA E BENFICA.

L.F. Vieira teve os seus méritos, principalmente na edificação da nosso Estádio, a Catedral de Futebol Português, e noutras infra-estruturas com que fortaleceu o Clube. Isso é certo, e temos de lhe ficar eternamente agradecidos, mas em matéria de Futebol Profissional o HOMEZINHO é um zero à esquerda, aliás, como ele próprio já o disse por mais de uma vez.

E o nosso grande mal é esse. Para as coisas piorarem ainda, está rodeado de TACHISTAS "yes man,s" que lhe dizem ámen a tudo para garantirem o seu TACHINHO.

Pergunto: Até quando esta MENTIRA que é este nosso futebolzinho aguentará?!?!

Enfim, há muito que temos o Futebol do nosso Glorioso Benfica entregue à "competência" dos FALSOS-COMPETENTES.

"VERITAS FILIA TEMPORIS"

Benfica Benfica Benficaaaaaaaaaaaaaaaaaa Sempreeeeeeeeeeeeeeeeeeeee ACIMA DE TUDO E DE TODOSSSSSSSSSSSS.

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Normalidade

Selado

Horrível

Sem comentários

Cruel

Competente

Batalha

Masoquismo

Péssimo

Fácil

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds