VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sexta-feira, 2 de Maio de 2014

Mística

Num jogo já à partida dificílimo, a que se foram somando ainda mais algumas contrariedades, o Benfica arrancou a ferros o nulo de que precisava em Turim para carimbar a presença na segunda final consecutiva da Liga Europa, e o regresso à mesma cidade para defrontar o Sevilha.

 

 

Como seria esperado, o Benfica entrou em campo com o onze mais forte disponível, faltando apenas o Fejsa para que fosse o onze base mais habitual - no seu lugar jogou o Rúben Amorim. A entrada do Benfica no jogo foi boa e confiante, deixando boas indicações para o que poderia acontecer durante o resto da partida - o ambiente adverso em nada pareceu afectar os nervos dos nossos jogadores. Durante os primeiros minutos parecemos controlar com relativa facilidade o ímpeto adversário, e jogámos até mais perto da sua área, mas com o decorrer do tempo a Juventus foi tomando conta do jogo e impondo o seu futebol. O Benfica retraiu-se para mais perto da sua área, começámos a não ser capazes de manter a bola em nosso poder, e com isso deixámos de conseguir construir lances de contra-ataque, que era o que a Juventus mais temia em nós. Verdade seja dita que os italianos também nunca estiveram particularmente inspirados no ataque e portanto nunca nos submeteram a um verdadeiro sufoco. Foram poucas as ocasiões de muito perigo criadas pela Juventus: um remate do Tévez no seguimento de um canto, que passou por cima da baliza, uma cabeçada do Bonucci ao primeiro poste, também depois de um canto, que cruzou toda a pequena área sem que alguém aparecesse para emendar, e uma única grande oportunidade de golo, já em cima do intervalo, em que foi o Luisão em cima da linha a evitar o golo do Vidal quando o Oblak já estava batido.

 

 

Na entrada para a segunda parte o Benfica pareceu querer sacudir a pressão da Juventus, e o Rodrigo até dispôs de uma boa ocasião, rematando no entanto demasiado por alto. O jogo e o tempo corriam claramente a nosso favor, e a Juventus era menos ameaçadora do que tinha sido no final da primeira parte - apenas num livre directo em que o Pirlo tentou surpreender o Oblak conseguiram causar perigo. Mas depois, no espaço de pouco mais de cinco minutos, o Enzo viu dois cartões amarelos e com metade da segunda parte por jogar vimo-nos reduzidos a dez. Não coloco em causa a justiça dos amarelos, apenas lamento que o critério do senhor Clattenburg não tenha sido mais uniforme, porque senão jogadores como o Asamoah também poderiam ter saído mais cedo, isto para não falar de outros lances com o Lichtsteiner, Chiellini ou Pogba, que conseguiram acabar o jogo ilesos. Se a preocupação principal do Benfica durante todo o jogo já era defender, a partir daqui então deixou de haver qualquer outro objectivo. Felizmente o Porto nos últimos tempos proporcionou-nos um bom treino para esta situação. A Juventus respondeu à vantagem numérica da forma mais tradicional e previsível. Meteu mais avançados em campo e desatou a despejar bolas para a área, o que até nem nos causou grandes problemas. O sofrimento era grande, obviamente, porque a pressão da Juventus era constante e a bola não parava de rondar a nossa área, mas o Benfica defendeu bem e conseguiu evitar grandes ocasiões para a Juventus. Houve um grande susto, quando a Juventus até meteu a bola na nossa baliza, mas o lance foi bem anulado por fora-de-jogo. Aguentámos os noventa minutos, aguentámos os seis minutos extra de compensação (que se estenderam até aos oito), aguentámos ficarmos reduzidos a nove depois do Garay ter sido atingido na cara pelo Pogba, e no final festejámos.

 

 

Toda a equipa foi grande, cada um dos jogadores um herói. Mesmo tendo havido alguns jogadores que fizeram exibições fantásticas, não quero destacar ninguém, porque seria injusto para todos os outros que trabalharam tanto.

 

Estamos em mais uma final, e a perspectiva de uma época de sonho continua. Não tenho palavras suficientes para conseguir descrever o orgulho que sinto em cada um dos jogadores que defendem a nossa camisola da forma como os vimos fazer hoje, e têm feito ao longo de toda a época. Na final teremos baixas importantes - Enzo, Markovic, Salvio - mas neste momento todos confiamos nos 'manéis' que ocuparão os seus lugares para nos ajudarem a tentar esquecer a injustiça do ano passado. Não interessa quem joga, o que interessa é que terão a águia ao peito e todo o nosso apoio incondicional. A Mística também é isto.

publicado por D`Arcy às 09:04
link do post | comentar
14 comentários:
De Henrique Teixeira a 2 de Maio de 2014 às 09:52
A vitória no campeonato e as passagens às finais da Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa, tudo em tão pouco tempo, proporcionaram-me tantas alegrias que até cheguei a recear pelo meu coração.
E devo dizer que não esperava nenhuma destas vitórias.
No campeonato, porque quem à 3ª jornada levava 5 pontos de atraso, atendendo ao passado recente era mesmo para estar descrente. Mas passar de 5 pontos de atraso para 15 de avanço é que só um louco podia acreditar.
Recordo que na altura do nosso atraso pontual escrevi aqui que o campeonato estava perdido mas que seria para mim uma grande alegria o futuro vir a dizer que eu estava enganado.
Na Taça de Portugal, porque jogámos fora com a equipa desfalcada, perdemos por 1- 0 com menos um elemento e no jogo da 2ª mão já na 2ª parte o jogo estava empatado e o Benfica jogava com menos um.
Na Taça da Liga, porque jogámos quase com a segunda equipa em cada do adversário e durante uma hora com menos um jogador.
Na Liga Europa, porque jogámos contra o adversário mais poderoso da época, depois do PSG, e fomos a sua casa defender apenas a vantagem de um golo, tendo ficado reduzidos a 10 e depois a 9 jogadores.
Felizmente, o Benfica passou todos os obstáculos e só podemos estar imensamente gratos aos jogadores, ao treinador, ao presidente, ao Rui Costa e a todos os que contribuíram para este grande feito.
Só falta concluir a colossal obra que está a ser feita com as vitórias nas finais.
Mas mesmo que algo falhe a obra já não deixará de ser colossal.
OBRIGADO BENFICA.
De bruno a 2 de Maio de 2014 às 10:11
são muitas finais perdidas benfica está na hora vamos benfica dessa vez ganhar na europa por favor
De Manuel Afonso a 2 de Maio de 2014 às 11:11
Sobre o jogo acho que disse tudo o que queria dizer no tópico anterior.

Para conseguir dizer o que quero de forma eloquente teria de ser poeta. Não sou, mas ainda assim vou tentar.

Nós, o Benfica, temos vivido numa espécie de limbo, de vazio. Num purgatório em que caimos sem nunca ter percebido bem porquê.
Em que parece que estamos sempre mais perto de arder no Inferno do que de passar as portas do céu.
Isto é uma metáfora para a percepção da diferença que sabemos existir entre o que somos e aquilo que sabemos dever ser.
É a assunção da nossa incapacidade para cumprir o nosso destino.
É a triste constatação de não estarmos à altura do Benfica que nos foi legado.

Mas agora parece que está no ar algo diferente. Até substancialmente diferente do que se sentia na época passada, antes do jogo com o Estoril.
Algo que me faz acreditar que os nossos 40 anos no deserto estão mesmo a acabar. Que na época passada expiamos todos os nossos pecados com lágrimas e sofrimento para que este ano cheguemos for fim à terra prometida.

A Leonor Pinhão expressou isto de uma forma brilhante. Disse algo como "o Benfica vai ao encontro de si próprio".

O nosso próximo jogo é dia 7. A competição em si tem uma importância relativa. Sempre teve como bem sabemos.
Mas o jogo é dos mais importantes da nossa história.
Estou convencido que a vitória nesse jogo significa percorrer 75% do caminho para uma época perfeita.

E que se o conseguirmos, nós, o Benfica, vai finalmente encontrar-se a si próprio.





De Cristina Pereira a 2 de Maio de 2014 às 11:24
Efectivamente não há palavras para descrever o que sentimos por esta direcção, equipa técnicas e por estes TREMENDOS jogadores. Somos ENORMES, somos BENFICA.
De Joao Coelho a 2 de Maio de 2014 às 12:02
Parabéns a toda a equipa! Não fizemos um jogo do outro mundo, é certo, mas tal também não era necessário. A equipa demonstrou união, caracter e soube sofrer. O árbitro estragou tudo com aquele 1º amarelo ao Enzo e com o incrível cartão amarelo ao Sálvio. Os 2 blacks da Juventus distribuiram pau a torto e direito e nada lhes aconteceu. Por mais que veja também não entendo a expulsão dos 2 jogadores que estavam no banco!

Somos favoritos na final. Mas o favoritismo prova-se dentro do campo. Até lá muita humildade e não menosprezar o adversário. Não se esqueçam que a Juventus fez a mesma coisa connosco e depois foi o que se viu.

Estamos em todas as decisões. Faltam 3 títulos para que a época se torne brilhante. E a conquista da Liga Europa significará que estaremos na Supertaça da época que vem.

Como crítico desta direcção e deste treinador não me custa reconhecer que este ano tudo se encaminha para que os objectivos sejam alcançados. Como benfiquista que sou, não me importa nada de não ter razão. Infelizmente as últimas 3 épocas foram horríveis e quem me dera que não tivesse razão anteriormente. No essencial a minha opinião mantém-se !

4ª Feira lá estarei e também lá estarei na final da Taça de Portugal.

VIVA O SPORT LISBOA E BENFICA !
De Jorge a 2 de Maio de 2014 às 12:39
Somos demasiado grandes para um país tão pequeno...

Relativamente ao ultimo parágrafo de facto não interessa quem joga, o Benfica tem muitos manéis, e foi com 10 desses manéis que fomos eliminar o Porto para a Taça da Liga. A partir daqui, só há que confiar! Tenho a absoluta certeza que aquele caneco vai direitinho para o Museu do Glorioso!

O Eusébio e Coluna estão, em algures, a torcer pelo Glorioso!
De Taintedlove a 2 de Maio de 2014 às 13:36
Passagem mais que merecida, apesar das opiniões dos italianos. Jogámos com eles durante 3 horas, 2 e meia com 11 contra 11 e mais 30 minutos com menos um jogador, e durante essas 3 horas, marcámos 2 golos e apenas sofremos 1. Por isso fomos melhores, por isso passámos e vamos disputar a final. Tudo o resto são desculpas....
E agora vamos à primeira delas....
De JN a 2 de Maio de 2014 às 14:35
Ainda não consegui dormir! Já tentei por 3 vezes ir a cama descansar, mas o nível de adrenalina que se apoderou do meu corpo (e mente) não me permite. Seguirei, fiel, o desígnio de amar o Benfica, na convicção de que a história não se repete e este ano vamos limpar TUDO. Obrigado BENFICA por estes \"Orgasmos Tantricos\" que me proporcionas! O CAMPEÃO VOLTOU!
De JN a 2 de Maio de 2014 às 14:35
Ainda não consegui dormir! Já tentei por 3 vezes ir a cama descansar, mas o nível de adrenalina que se apoderou do meu corpo (e mente) não me permite. Seguirei, fiel, o desígnio de amar o Benfica, na convicção de que a história não se repete e este ano vamos limpar TUDO. Obrigado BENFICA por estes \"Orgasmos Tantricos\" que me proporcionas! O CAMPEÃO VOLTOU!
De Luís Manuel a 2 de Maio de 2014 às 18:11
Boa tarde, D' Arcy.

Excelente o teu post, que subscrevo inteiramente.

Ontem fizemos um jogo heróico. Não tenho palavras para agradecer a todos os jogadores, a toda a equipa, a forma como se bateram e lutaram, como deixaram a pele em campo. Foi arrepiante, emocionante, inesquecível. É isso mesmo que dizes:

"Não tenho palavras suficientes para conseguir descrever o orgulho que sinto em cada um dos jogadores que defendem a nossa camisola da forma como os vimos fazer hoje, e têm feito ao longo de toda a época. "

A entreajuda, a capacidade de sofrimento da equipa e a forma como soube unir-se depois do tão injusto final da época passada são as grandes armas e qualidades do Benfica.

Sei que vamos desfalcados para a final, e ainda por cima com baixas de muito peso, para já não falar do Sílvio, que tanto deu a esta equipa e não merecia o azar que teve - mas eu acredito. Tenho fé. Sei que o Sevilha não é uma equipa qualquer, ao contrário do que muitos afirmam; joga na Liga Espanhola, está habituada a jogar contra grandes equipas (se não me engano, há umas semanas ganhou ao Real), e se é verdade que perdeu 1-3 ontem, também ganhou 2-0 na primeira mão. Não está na final por acaso, e não vai a Turim em passeio. Tenho a certeza que o nosso treinador e os nossos jogadores sabem de tudo isso, e vão encarar este adversário com o maior respeito e sem euforias. Não há "favas contadas" no futebol, não há vencedores antecipados, e muito menos a este nível - a Juventus que o diga... Só um Benfica ao nível do que ontem vimos poderá vencer o Sevilha. E eu tenho muita fé, muita fé mesmo. Com os pés bem assentes no chão, mas com enorme crença na crença desta equipa (desculpa a redundância), na determinação, no rigor e na vontade de se superar e de vencer que tem apresentado. Vencer esta final seria um merecido prémio para todos, depois de tudo o que se passou na época passada, depois das risotas alarves e dos festejos que muita gente em Portugal fez quando perdemos 2-1 com o Chelsea, após um jogo magnífico do Benfica. Vamos desfalcados para esta final, mas não tenho a menor dúvida que os que entrarem em campo se vão bater com tudo o que têm e não têm. Tal como disse antes dos jogos com a Juventus, de uma coisa tenho a certeza: vamos lutar até ao fim pela vitória!

Quando vi a arbitragem do turco na Luz fiquei convencido que pior seria impossível, e quando soube que era um inglês o escolhido para o jogo da 2ª mão fiquei mais descansado - o que só prova como sou ingénuo. Foi vergonhosa a dualidade de critérios deste "árbitro", ridículo o amarelo ao Salvio, miserável a forma como assinalou contra nós todos os lances que pudessem levar perigo à nossa baliza, e miserável a forma como tentou dar ainda mais uns minutinhos à Juventus.

Obrigado a todos: jogadores, treinador e adeptos que ontem estiveram em Turim.

Saudações Benfiquistas!

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Cinzenta

Frustrante

Lamentável

Desnecessário

Desilusão

Estrelinha

Paciência

Incontestável

Difícil

Serenata

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds