VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Quinta-feira, 30 de Agosto de 2018

Natural

Óptimo resultado obtido na Grécia, que acaba por ser algo que me parece perfeitamente natural. Como escrevi depois do frustrante empate no jogo da primeira mão, considero o Benfica muitíssimo superior a este PAOK e portanto a goleada obtida esta noite não foi mais do que a expressão normal dessa superioridade, e aquilo que já deveria ter acontecido no primeiro jogo. Levaram esta noite aqueles que já mereciam ter levado há uma semana.

 

 

O onze titular teve o regresso do Salvio e reservou-nos a novidade do Seferovic na frente de ataque. O que, face às opções disponíveis e ao sub-rendimento do Ferreyra nos últimos jogos, até acabou por não ser uma surpresa assim tão grande. A nossa entrada no jogo foi francamente má. Logo na primeira jogada um mau passe do Seferovic originou um contra-ataque que terminou com uma falta do André Almeida mesmo sobre o limite da área e um cartão amarelo. Durante os minutos iniciais a nossa equipa foi incapaz de manter a posse de bola e teve grandes dificuldades para lidar com a pressão agressiva dos jogadores do PAOK, que recuperavam rapidamente a bola e causavam perigo nas consequentes saídas para o ataque. Aos seis minutos o golo grego esteve muito próximo de acontecer, e só um desvio do Grimaldo fez com que a bola passasse ligeiramente ao lado. E aos treze, o previsível golo aconteceu mesmo, numa jogada de laboratório em que a nossa equipa foi completamente ludibriada, o que permitiu ao Prijovic limitar-se a empurrar a bola para a baliza. As coisas não pareciam nada famosas, mas num abrir e fechar de olhos tudo mudou. Aos vinte minutos o Jardel empatou num cabeceamento após canto do Pizzi, e seis minutos depois já estávamos em vantagem. O Cervi foi derrubado na área depois de um erro grosseiro do guarda-redes grego (depois da exibição inacreditável há uma semana na Luz alguma vez haveria de regressar à normalidade) e o Salvio converteu o penálti, com a bola ainda a bater no poste antes de entrar. O PAOK acusou muito estes dois golos, que fizeram muito bem à nossa equipa e lhe permitiram começar a jogar de forma bem mais confiante. Ainda passámos por um susto, quando no seguimento de um livre o Odysseas foi obrigado a uma defesa por instinto após um cabeceamento quase à queima-roupa, mas nesta fase já era o Benfica quem mandava na partida, e pouco depois o Seferovic esteve perto de marcar por duas vezes no mesmo lance. Não marcou ele, mas marcou o Pizzi logo a seguir numa das jogadas mais bonitas de todo o jogo. A combinação entre o Grimaldo e o Cervi pela esquerda foi perfeita, o passe atrasado deste último saiu teleguiado para o Pizzi à entrada da área, e este teve tempo para parar a bola e rematá-la direitinha para entrar junto do poste. Jogo e eliminatória praticamente resolvidos.

 

 

Embora no futebol nunca haja certezas, seria precisa uma hecatombe para que o Benfica não estivesse amanhã no sorteio da Champions, e logo nos primeiros minutos da segunda parte as coisas ficaram ainda mais decididas. Segundo penálti a favorecer o Benfica, desta vez a punir uma placagem do Varela sobre o Jardel (pena que cá em Portugal não punam mais vezes este tipo de lances) e mais uma vez o Salvio a converter, desta vez com um remate para o meio da baliza. A partir daqui o Benfica limitou-se a gerir com calma o resultado, ainda que aqui e ali houvesse um sobressalto - levámos com uma bola na barra, e o Odysseas ainda teve que fazer mais uma grande defesa por instinto já perto do fim. Mas da parte do Benfica o interesse era sobretudo ir deixando o tempo correr e gerir o esforço, que têm sido muitos jogos seguidos nesta fase da época, e quase sempre com os mesmos jogadores no onze. A tarefa ficou ainda mais facilitada na fase final do jogo quando o senhor Felix Brych mostrou que não só sabe assinalar penáltis a nosso favor como também é capaz de expulsar adversários do Benfica quando assim se justifica. Uma carga desnecessária sobre o Cervi valeu o segundo amarelo ao Léo Matos e o PAOK ficou reduzido a dez. Uma pena que este mesmo árbitro não tenha aplicado estes critérios naquela inacreditável final da Liga Europa em Turim, frente ao Sevilha. Pode ter-se redimido um pouco neste jogo (não fez mais do que a sua obrigação, ou seja, uma boa arbitragem) mas eu nunca mais vou conseguir esquecer aquela final. No final, uma vitória sem contestação da equipa mais forte e a importantíssima qualificação para a fase de grupos da Champions, para alegria de muitos e desespero e azia de uns quantos.

 

 

O melhor do Benfica neste jogo foi para mim o Cervi. Dá sempre o que tem, mesmo quando as coisas não lhe correm bem. Mas hoje correu-lhe quase tudo bem. Arrancou o penálti que permitiu a reviravolta, o que só foi possível por acreditar sempre no lance e fez a assistência para o terceiro golo, depois de toda uma jogada brilhante entre ele e o Grimaldo. O Grimaldo é também outro dos destaques, tendo estado bem a atacar (o que é habitual) e a defender (o que já não é tão habitual). O Fejsa tremeu um pouco naqueles péssimos minutos iniciais, tendo até feito alguns passes muito maus, mas depois acertou agulhas e foi o pêndulo a que nos habituou. Uma palavra para o Seferovic, que não era titular há muito tempo. Hoje teve a missão de sacrifício de jogar sozinho na frente e mesmo não tendo feito um jogo exuberante, cumpriu. Fez certamente mais do que aquilo que o Ferreyra tem feito nos últimos jogos, lutando com os defesas pela bola e segurando-a na frente de ataque.

 

Está ultrapassada esta etapa decisiva da época. Uma não qualificação poderia afectar de forma extremamente negativa toda a época, sobretudo em termos anímicos. Isto para não falar do enorme rombo em termos financeiros que o falhanço acarretaria. Agora é preciso não pensar que a missão está cumprida com o apuramento. Temos a obrigação de tentar limpar a péssima imagem deixada a época passada. O prestígio do Benfica assim o exige.

tags:
publicado por D`Arcy às 03:44
link do post | comentar
8 comentários:
De Jeronimo a 30 de Agosto de 2018 às 12:53
Viva
Acho que nestes 2 dias que faltam temos que arranjar 1 d.c
que entre já na equipa(parece-me que o lema e o conti dos 2 não se faz 1 de jeito),e também acertar com o Ramires ou outro de igual valia,porque a equipa precisa de mais maturidade. Contudo parabéns aos jogadores e treinador pela passagem à fase de grupos.
De antonioSLB a 30 de Agosto de 2018 às 13:24
Gonçalo, ainda bem que a tua brilhante crónica não tem aqui muitos "comentadores". É sinal que as coisas correram bem e o nosso Benfica ganhou, como tinha aqui previsto. É triste que para dizer mal quando a coisa corre mal aparecem muitos, quando corre bem parece que ficam frustrados e não aparecem. Serão Benfiquistas? Alguns duvido muito...
No futebol, a eficácia é tudo. Ontem não jogámos melhor que na semana passada antes pelo contrário, sofremos muito mais e o nosso guarda redes teve muito mais trabalho. A diferença foi que desta vez as bolas que foram à baliza entraram ao contrário do que aconteceu na Luz, onde até criámos mais oportunidades. Como tinha dito, ficaria preocupado se a nossa equipa não conseguisse criar oportunidades, isso sim seria dramático, criando oportunidades mais cedo ou mais tarde as bolas iriam começar a entrar. A diferença básica entre os dois jogos foi a nossa eficácia.
Continuo a dizer que o PAOK apesar de não ser uma super equipa ou uma equipa de topo, tem alguns bons jogadores e tem alguma qualidade como equipa, nomeadamente do meio campo para a frente. Apesar disso também revela deficiências óbvias, quando tenta sair de trás a jogar, perde algumas bolas no passe quando é pressionada na sua defesa. Já tinha revelado essas fragilidades em Lisboa, no entanto desta vez a nossa equipa foi mais feliz e conseguiu aproveitar.
É claro que antes do jogo era quase visto como uma ameaça e um papão que nos ia retirar da fase de grupos, agora que os conseguimos eliminar, vai ser desvalorizada e passar rapidamente a equipa fraquinha. Isto apesar de ter sido a primeira derrota que sofreram esta época em jogos oficiais, e terem afastado duas equipas teoricamente mais fortes como o Basileia e o Spartak Moscovo, com três vitórias e um empate. Mas a isso já estamos habituados, se esperarmos que alguém nos dê mérito quando ganhamos, estamos bem enganados e é melhor esperar sentados.
Nem se dignaram dar os parabéns a Rui Vitória na conferência de imprensa, ao contrário do que fizeram com outros treinadores "catedráticos" de outros clubes. E zero perguntas sobre o jogo, apenas sobre temas que poderiam chamar polémica e onde pudessem especular. Triste futebol português recheado por jornaleiros e paineleiros.
O que importa pensar agora a 100% é na próxima final que teremos Domingo na Madeira. O resto é musica para nos tentar adormecer.
E pluribus unum
De E Pluribus Unum a 30 de Agosto de 2018 às 16:04
Assino por baixo.
Não tive ainda tempo para elaborar o meu comentário.
Penso ainda fazê-lo, aliás como quase sempre.

Quanto a termos de esperar sentados para que a jornaLEIRIXADA nos reconheça valor e mérito nas vitórias, eu penso que temos de esperar sim, mas é DEITADOS.
Que se FODA essa ESCUMALHA. O Glorioso e Inigualável SL.BENFICA não precisa dessa GENTALHA para nada.

Esses MONTES DE ESTERCO DE PORCO, para manipularem os menos atentos, e também abanarem o cuzão porco aos dragartos às riscas, lêem os acontecimentos / vitórias do Benfica assim:

Se ganhámos, o adversário não presta, não vale nada, não tem a mínima categoria, qualquer equipa da 3ª divisão se batia bem com ele e até os eliminaria, etc,etc,etc,... bla,bla bla,....

Se perdemos - seja contra adversário for -, não jogamos nada, somos uma equipa sem categoria, os jogadores deviam ser todos despedidos, etc,etc,etc,etc,... bla bla blaaaaa.

Relativamente a oporco corruptus e a riporting de alvLADRA a leitura dos acontecimentos é precisamente a oposta, ou seja, quando perdem, jogaram muito, tiveram foi muuito azar e o árbitro foi o principal culpado de terem perdido.
Se ganham, mesmo que seja a clubes da 2ª e 3ª divisão Europeia, logo dizem que fizeram grandes exibições, que marcaram 20 golos mas que deveriam ter marcado 500 golos, o árbitro ainda prejudicou-os pois senão fora isso teriam marcado 1969 golos, etc,etc,etc, que são uma grande equipa, das melhores da Europa, bla,bla,bla,blaaaaaaaa

Agora digo eu: QUE VÃO À GRANDE PUTA PÔDRE QUE OS PARIU.

É por isso que eu não compro NENHUM pasquim desportivo, e dos outros, muito raramente.
A informação MADE in BENFICA é a informação mais verdadeira e correcta/isenta, mesmo sendo informação do próprio Clube.

Por isso me enervo e revolto quando vejo a Direcção do Benfica, depois de ver o Clube ser tão maltratado, e constantemente maltratado, estender a passadeira vermelha a jornaLIXEIROS que nos maltratam e só querem o nosso mal, não tendo estes inteligência sequer para se aperceberem que se os Benfiquistas deixarem de comprar os seus PASQUINS, a maioria deles terá de ir varrer as ruas de Lisboa, ao vender pentes e rebuçados para o Chiado.

Sempre disse e repito, e espalho essa mensagem a todos os BENFIQUISTAS:
Quanto mais fortes e activos forem os Adeptos / Sócios do Clube e as pessoas/Benfiquistas que compõem os seus orgãos dirigentes, mais poderoso, grandioso e Glorioso se tornará o MAIOR E MELHOR Clube de Portugal.

BENFICA BENFICA BENFICA............Sempreeeeeeeeeeeeeeeeeee
De António Madeira a 30 de Agosto de 2018 às 16:08
Olá, D`Arcy.

Acreditava muito nesta vitória. Aquilo que se viu nos últimos dois jogos na Luz indiciavam que, houvesse um pouco mais de eficácia, e a passagem era mais do que uma probabilidade, seria uma inevitabilidade dada a diferença de qualidade e de orçamento entre as duas equipas.
O jogo começou tremido, muito por culpa desse tal lance do André, mas o golo que sofremos fez-nos bem, porque nos espicaçou e nos fez ir para cima deles. O resto já tu muito bem resumiste.
E estou como o António que me antecedeu. É um mimo vir aqui ou a outro blogue ou caixa de comentários e ver que os sapos, os corruptos e os benfiquistas que estão sempre à espera para empurrar para baixo desaparecem todos.

E permite-me acabar assim:
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que não assobiam a sua equipa no estádio.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que apoiam em vez de criticar tudo e todos só porque emprenham pelos ouvidos.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que não chamam professor não sei do quê ao Rui Vitória.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que respeitam os seus profissionais e que os apoiam quando mais precisam.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas defendem o clube quando ele sofre o pior ataque de que há memória na sua gloriosa história.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que não confudem o Benfica com o seu presidente, atacando ambos como se fossem a mesma coisa.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que estiveram no meio daqueles adeptos gregos fanáticos e se fizeram ouvir naquele inferno.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas das vitórias, dos empates e das derrotas.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que vão ver um Benfica-PAOK para o apuramento da LC porque amam o clube e não porque detestam o Pizzi, o André Almeida, o Jardel, o Rui Vitória e mais o Luis e o Manel.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que sabem que as nossas vitórias custam muito e são fruto de muito trabalho.
Esta é uma vitória para os Benfiquistas que sabem que apoiar e puxar pela equipa é muito mais eficaz do que assobiar, apupar e insultar.

Abraço e viva o Benfica!
De Anónimo a 30 de Agosto de 2018 às 18:23
Boa tarde,
Excelente comentário que eu subscrevo na integra.

Nada a acrescentar, somente dizer que devagar se vai longe. Com calma iremos vencer as batalhas que se aí vêm.
De Francisco Pereira a 31 de Agosto de 2018 às 03:02
Olá D' Arcy.

Pouco vou dizer, ontem alguma coisa de bom, embora, felizmente, não digo com felicidade, mas com garantias dadas desde o início de jogo, que o que aqui em Portugal só se assinala contra o Benfica, ali havia um árbitro, logo de início, bastante inibidor de prática de jogo agressiva mesmo só nos termos do jogo recente Benfica-Sporting. Quem diria isto deste nosso conhecido árbitro??? Assim, tudo é possível ao Benfica, mesmo quando duplamente atrazado no marcador. Veja-se como agiu este árbitro ontem em jogadas semelhantes mas, muito menos descaradas que, por exemplo, o estampão feito ao André Almeida pelo defesa do Sporting, lançando-o até contra o resguardo da traseira da linha final da baliza do Sporting. Com este árbitro o que teria acontecido em entradas estúpidas e, sem receios, dos jogadores do Sporting.
Embora, a comunicação social portuguesa, na sua grande maioria, tenha conseguido dividir o grau de faltosa agressividade, em igualdade, pelas duas equipas. Não dá para pensar já que escolhem em agradar a dois clubes grandes do que só a um super-grande. E, quem sabe, será que não têm também receios.......

Depois, tivemos um bom guarda-redes, ao qual apenas falta maior capacidade para saídas aos cruzamentos mas....foi excepcional. Obrigado Odysseas.

D' Arcy, não sei porque não mais se falou do polivalente ENZO PEREZ, enquanto hà tantos obstáculos ao polivalente RAMIREZ. E....os dois até não era mau. Fiquei com tosse até, mas D' Arcy, que fazes tu. em relação a estas coisas???!!!!!!!..........

VAMOS EM FRENTE BENFICA, OS ÁRBITROS AQUI NÃO PODEM CUMPRIR, TÊM MÊDO........temos que usar mais genica e persistência em quaisquer circunstâncias.

BENFICA SEMPRE.
De Dias Pereira a 31 de Agosto de 2018 às 15:20
Boa tarde.
Quando o Benfica não perde, nem empata, tudo fica bem mais agradável e permiti-mo-nos, então, desfrutar do tempo para sermos felizes. É por isso que, nas vitórias, passo sempre mais tarde por este fórum, no qual me sinto particularmente bem, mesmo quando as coisas não correm de feição. Este é, verdadeiramente, um espaço genuinamente benfiquista, democrático e onde normalmente se respira uma saudável urbanidade, mesmo quando as críticas, e os aplausos, se fazem de forma mais veemente.
Quanto ao jogo, e à consequente passagem à fase seguinte da prova, estou, obviamente, bastante satisfeito. Era, de facto, um objectivo importante, com impacto inegável na restante época, o qual não poderíamos, mesmo, falhar. Mas não era necessário termos sofrido tanto, ao longo destas últimas semanas.
O nosso futebol, objectivamente - como já aqui foi notado, tanto pelo D'Arcy como por outros... - continuou a padecer de muitos dos males que o têm caracterizado, de há ums largos tempos a esta parte. Isso foi especialmente visível na parte inicial do jogo, e voltou a sê-lo, aqui e além, um pouco ao longo de toda a segunda parte. Muitos passes falhados, decisões muitas vezes complicativas e escusadas, ineficácia na concretização, tanto individual como clectiva e, como muitas vezes se notou, os jogadores apreensivos e a jogarem sobre brasas...
Na verdade, como foi escrito pelo D'Arcy, na Grécia jogámos menos do que em Lisboa, e a diferença esteve realmente nas oportunidades que concretizámos. Pode dizer-se que tivemos alguma felicidade, muito ao contrário do que no jogo da Luz, há uma semana. Empatámos, aproveitando - como não é nada habitual! - um lance de bola parada, com um belo remate de cabeça do Jardel, e passámos para a frente na conversão de uma grande penalidade, pelo Salvio, que ainda fez a bola beijar o poste, tendo esta ressaltado para o interior da baliza.
Depois veio a jogada do terceiro golo, essa sim, de uma grande beleza e eivada de classe e técnica, com envolvimento de Grimaldo e Cervi (grande jogo!...), que assistiu Pizzi para uma conclusão de grande qualidade.
E a segunda parte começou da melhor maneira, com o Salvio a converter outra grande penalidade, assinalada por falta cometida sobre o Jardel (que fez, também, um grande jogo, mau grado não estar totalmente isento de culpa na jogada que deu o golo do PAOK...), na sequência da marcação de um canto.
Depois do 1-4 percebe-se que a prioridade fosse acautelar o resultado. E a equipa fê-lo, geralmente, com eficácia. Mas custa não se ter aproveitado todo o espaço que foi sendo cada vez mais concedido para os nossos contra-ataques, e desaproveitar um bom par de situações excelentes para concretizar. É que, se desta vez não fez falta, normalmente faz.
Quando as coisas nos correm menos bem, costumamos recorrer aos dados estatísticos para comprovar a nossa superioridade. Neste jogo, embora tenhamos sido melhores do que o adversário, porque sobretudo mais eficazes, é bom não esquecer que tivemos menos posse de bola, menos ataques e menos remates. Isto para não embandeirar-mos em arco e percebermos que a diferença esteve, sobretudo, na eficácia e, sejamos honestos, em alguma felicidade com o desenrolar do jogo. A equipa transcendeu-se e quis, muito, vencer e passar à fase seguinte da prova, mas continuou a cometer erros e a pôr-se a jeito em algumas alturas do jogo. E isto frente a um adversário que, como sempre disse, de forma convicta, nos é claramente inferior.
Por isso é que considero, sem qualquer dúvida, que os resultados do jogo com os gregos e do dérbi, na Luz, foram claramente negativos.
Reconheço que não fica bem, e que não é hora de escrutinar o nosso treinador. Mas continuo a defender que Rui Vitória, mau grado todas as qualidades humanas e de trabalho que tenha, não está à altura das nossas necessidades.
Resta esperar que o jogo na Madeira resulte numa vitória nossa, para nos mantermos à frente do campeonato, e que as duas semanas de interregno possam, de alguma maneira, trazer melhorias ao nosso futebol.
Viva o Benfica!
Saudações benfiquistas!
De Luís Manuel a 31 de Agosto de 2018 às 22:16
Olá D'Arcy, e obrigado pelo teu post.

grande jogo da nossa equipa, grande e inequívoca vitória num estádio muito difícil contra uma equipa que apostava tudo neste jogo. Enorme lição de entreajuda, capacidade de sofrimento, união e classe. Só não dominámos nos primeiros 20 minutos, de resto o jogo foi totalmente nosso. Precisávamos desta exibição, desta demonstração de força. Foi um mês muito desgastante, a Liga não mostrou (ao contrário do que sucedeu no ano passado relativamente ao Sporting) qualquer complacência com calendários, e ainda bem que o não fez, e portanto fomos à luta e o que conseguimos conseguimo-lo com o nosso suor.

Acho que concretizámos 4 das 6 oportunidades de golo que tivemos, sofremos quando foi preciso sofrer (Odysseas esteve magnífico em três ocasiões, e especialmente no final da primeira parte com uma grande e decisiva defesa), mostrámos uma vontade impressionante de vencer. Muito obrigado a todos os nossos pela enorme exibição. Nos dois últimos jogos já merecíamos uma vitória assim, e tenho muita pena que isso não tenha acontecido. Aconteceu esta, que foi muito saborosa.

Concordo com os destaques individuais que fazes, mas acho que todos estiveram a grande nível. O André não se enervou pelo amarelo ao primeiro minuto de jogo e esteve impecável, Jardel e Rúben idem, Salvio, Gedson, Pizzi, e gostei da entrada do Alfa. Todos muito bem. Quanto ao árbitro... nem tu, nem eu nem ninguém conseguirá esquecer aquela miserável arbitragem na final de Turim. Por que razão se mostra agora tão criterioso e justo? Porque não é uma final de uma equipa portuguesa contra uma espanhola?

Agora é tentarmos passar a fase de grupos. A opinião dos doutos comentadores é que temos um grupo acessível, mas não minha opinião Ajax e AEK não são fáceis. Gostei do facto de reencontrarmos o Ajax tantos anos depois, traz-me memórias felizes da minha infância e de estar na sala dos meus vizinhos a ouvir o relato de um Ajax-Benfica ;) Aquela equipa do Benfica de inícios dos anos 70 tinha sido muito bem renovada, mas tivemos azar ao apanharmos um grande Ajax.

Concentração no jogo com o Nacional, mais um obstáculo muito difícil que vamos encontrar.

Força, Benfica !

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Receio

Passeio

Natural

Pouco

Absurdo

Controlo

Tranquila

Desconcentração

Cinzenta

Frustrante

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds