VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Domingo, 27 de Agosto de 2017

Pobre

O empate acabou por ser um mal menor no final de um jogo pobre da nossa equipa. Valeu a nossa reacção ao golo sofrido, já que só depois de nos termos visto em situação de desvantagem conseguimos subir um pouco a nossa produção ofensiva. O que até poderia ter acabado por nos dar a vitória, mas a verdade é que face ao que jogámos, em especial na primeira parte, se isso acontecesse seria um caso evidente de 'melhor o resultado do que a exibição'.

 

 

Uma alteração forçada no onze titular, Rafa por Salvio, não justifica a fraquíssima produção da equipa na primeira parte. Levámos a lição muito mal estudada sobre este adversário, que jogando com uma agressividade muito superior à nossa na disputa das bolas e uma linha de pressão alta pareceu surpreender-nos. Na zona do meio campo então fomos superados em toda a linha, com o Pizzi e o Filipe Augusto completamente perdidos no mar de camisolas do Rio Ave que por ali apareciam - e com o último a fazer-me esquecer as boas indicações que tinha deixado no jogo contra o Belenenses e a deixar-me com saudades do Fejsa (eu não sou fã do brasileiro, já o disse várias vezes, e por isso acrescento ainda que depois do que vi hoje acho que o próprio Pelé seria mais útil no plantel, pelo menos para aquela posição). Com vinte minutos de jogo decorridos eu não tinha ainda visto um único remate da parte do Benfica, e jogadas de ataque poucas mais seriam. Com o Pizzi literalmente asfixiado a melhor hipótese seria o Jonas assumir as funções de criativo, mas até mesmo ele teve uma noite bastante desinspirada e tomou quase sempre as piores opções. Os passes, quando saíam, eram quase sempre tarde e apanhavam os nossos jogadores em posição irregular. Da parte do Rio Ave, não havendo um propriamente um assalto à nossa baliza, via-se muito maior certeza no ataque, com jogadas a envolver vários jogadores, e não fosse a inépcia do avançado deles (Guedes) poderíamos ter-nos visto em desvantagem mais cedo. Ainda na primeira parte tivemos o contratempo da lesão do Jardel, obrigando à entrada do Lisandro. De uma forma resumida, a primeira parte do Benfica foi mais ou menos uma constante falta de espaço e tempo para pensar e jogar devido ao mérito do Rio Ave em asfixiar-nos.

 

 

Pior do que a primeira parte era difícil, pelo que assistimos a uma ligeira melhoria na segunda. Conseguimos equilibrar a posse de bola (embora pareça difícil de acreditar, esta era favorável ao Rio Ave na primeira parte) e jogar um pouco mais subidos no terreno, mas era ainda pouco para aquilo que se exigia. O Rio Ave voltou a falhar o golo devido à inépcia do Guedes, que em posição privilegiada cabeceou para fora, mas pouco depois ele acabou por estar envolvido no golo. O Varela largou para a frente uma bola disputada com ele, e apareceu o inevitável Lisandro com a destreza do costume a enviar a bola para dentro da própria baliza. Estávamos a meia hora do final mas confesso que face ao que tinha visto até então pensei que já seria muito difícil evitarmos a derrota. Mas a nossa equipa reagiu ao golo e tornou-se mais perigosa no ataque, tendo ainda a felicidade de chegar ao empate poucos minutos depois, num penálti convertido pelo Jonas, assinalado por falta sobre ele mesmo. Ainda tínhamos metade da segunda parte para tentar chegar à vitória e acabámos por criar ocasiões para isso. Mas nessa altura o Cássio evidenciou-se, conseguindo negar o golo em pelo menos três ocasiões flagrantes, ao Rafa, Seferovic e Jiménez. Mas se é verdade que podemos estar agora a lamentar essas ocasiões perdidas, temos também que lamentar o pobre futebol que apresentámos durante dois terços do jogo devido à incapacidade de contrariar os argumentos que o Rio Ave colocou em campo. Esse foi um dos factores determinantes para estes dois pontos perdidos.

 

 

Não tenho grandes destaques a fazer na nossa equipa. A mediocridade a todos afectou e não houve quem possa estar particularmente satisfeito com a sua exibição. Na defesa quando muito o Luisão terá sido quem melhor se safou, e o Zivkovic entrou relativamente bem no jogo, mas não me consigo mesmo lembrar de mais ninguém.

 

Foram os primeiros pontos perdidos da época, e espero que sirvam de aviso para o resto da mesma. Primeiras partes como aquela a que assistimos hoje  normalmente até têm consequências ainda mais graves. Estivemos irreconhecíveis durante grande parte do jogo e naturalmente pagámos o preço disso.

 

P.S.- Não escreverei nada sobre os próximos dois jogos que disputaremos. Não é nenhuma medida de protesto; simplesmente estarei ausente e duvido que consiga sequer vê-los.

tags:
publicado por D`Arcy às 02:31
link do post | comentar
12 comentários:
De RyanRed a 1 de Setembro de 2017 às 10:59
Pobre como o nosso ataque ao mercado de transferencias. Nestes ultimos 4 anos nunca estive tao ceptico da nossa ida ao ercado como este ano. A unica perola que parece de jeito ate agora foi o Esferovite.... de resto nem as anunciadas transferencias mesmo em Janeiro conseguimos dar a volta (Semedo, Lindelof e Ederson)... Enfim... uma vergonha
De Manuel Afonso a 4 de Setembro de 2017 às 14:51
Férias maravilhosas. Só para meter inveja.

Nem ia comentar nada, já não faz sentido.
Mas não posso desiludir o animal de pelo curto que para aqui voltou a aparecer.

Ó coelhito... admiras-te do quê? De não ter comentado este tópico, tal como não comentei o da vitória de 5-0 contra o Belenenses, por estar de férias?

Pois eu não me admiro nada de ver que apenas comentaste um dos tópicos referenciados. Porque tu és declaradamente um taliban de merda.

E o que eu quero é que taliban de merda como tu apareçam por aqui muito poucas vezes. É um excelente sinal para todos os Benfiquistas.
Os que, ao contrário de animais de pelo curto, não desaparecem nas derrotas nem nas vitórias.

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Cinzenta

Frustrante

Lamentável

Desnecessário

Desilusão

Estrelinha

Paciência

Incontestável

Difícil

Serenata

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds