VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sábado, 1 de Novembro de 2014

Pontapé

Salvos por um pontapé inspirado do suspeito do costume, arrancámos uma vitória magra e suada sobre o Rio Ave. A vitória do Benfica é justa porque foi a equipa que mais procurou a vitória e melhores oportunidades criou durante o jogo, mas a qualidade de jogo apresentada foi pouco mais do que serviços mínimos.

 

 

Não gostei da primeira parte. Um raciocínio que me pareceu pouco linear da parte do nosso treinador - 'tenho um jogador num óptimo momento de forma, é o melhor marcador do campeonato, vou afastá-lo da posição em que tem rendido mais e amarrá-lo ao flanco' ou 'tenho um lateral esquerdo no banco, mas vou adaptar o melhor trinco de que disponho neste momento a essa posição' - fez com que o nosso lado esquerdo fosse simplesmente inexistente durante todo esse tempo. A ausência do Gaitán já seria complicada, mas as opções tomadas não me convenceram nada. Do outro lado as coisas não foram muito melhores, já que o Salvio em particular cada vez mais insiste em jogar sozinho e perder bolas atrás de bolas em iniciativas individuais condenadas ao insucesso. No centro o Samaris continua a mostrar estar ainda demasiado perdido relativamente às funções que deve desempenhar em campo. Hoje por diversas vezes o Enzo surgiu numa posição mais recuada para pegar na bola e tentar organizar o jogo desde trás, mas mesmo jogando um pouco mais adiantado o grego pareceu-me claramente o jogador em menor rendimento durante os primeiros quarenta e cinco minutos, e a aposta óbvia para a substituição ao intervalo. Salvaram-se então, para mim, as iniciativas do Enzo e as movimentações do Jonas, a recuar para encontras espaços à frente da área adversária, mas na maior parte dos casos o Benfica foi demasiado confuso e lento a atacar, não sabendo tirar partido disso. Em termos de oportunidades, o Benfica da primeira parte ficou-se por dois remates perigosos do Lima, que obrigaram o Cássio a defesas apertadas, e um cabeceamento do Lisandro num canto que, dada a forma como ele apareceu solto no meio da área, merecia melhor direcção do que ir direito ao guarda-redes.

 

 

 

Na segunda parte, e após a esperada substituição que trouxe o Gaitán ao jogo, o Benfica melhorou um pouco, quanto mais não seja na velocidade que tentou imprimir às jogadas de ataque. O facto de termos conseguido começar a atacar pelos flancos, quer na esquerda pelo Gaitán, quer na direita onde o Salvio melhorou um pouco e de vez em quando se lembrou que tinha colegas com quem podia trocar a bola ajudou também. Foram quinze minutos durante os quais o Benfica pareceu estar bem mais perto de poder marcar do que tinha estado durante a maior parte do primeiro tempo, e acabou por ser recompensado pela inspiração do Talisca. Depois de receber a bola na zona preferencial dele, ou seja, no meio campo defensivo adversário e em posição frontal, progrediu uns passos e enviou um míssil teleguiado quase ao ângulo da baliza do Rio Ave, sem quaisquer possibilidades de defesa. Nos minutos que se seguiram ao golo, estranhamente, o Benfica pareceu ficar algo desnorteado, e houve uma sucessão de jogadas com perdas de bola na saída para o ataque, logo á entrada do meio campo adversário, que foram aproveitadas pelo Rio Ave para contra-atacar com algum perigo. E chegaram mesmo a introduzir a bola na nossa baliza, em mais um lance de contra-ataque que se iniciou num canto a nosso favor, mas o golo foi invalidado por fora de jogo (que a existir, pelo que vi no estádio deve ter sido mesmo por muito pouco). O jogo nesta fase andou um bocado 'partido', e foi particularmente irritante ver inúmeras jogadas em que o Benfica chegava a área e depois andava por ali a trocar a bola entre os seus jogadores sem que ninguém se decidisse a rematar. havia sempre mais um passe a fazer, mais um toque a dar, mais uma finta a tentar, e no final algum adversário cortava a bola. Sem um segundo golo ficámos sempre sujeitos a algum contratempo até final, que não esteve assim tão longe de acontecer, pois houve uma bola cabeceada que não passou nada longe do poste.

 

 

 

Para mim o melhor do Benfica foi o Enzo. Volto a dizer que não achei que tivéssemos feito um jogo de grande qualidade, mas para mim o Enzo foi dos que mais se evidenciaram, quer a distribuir jogo, quer a transportar a bola para o ataque e a tentar empurrar a equipa para a frente. Pelo que vi até agora, agrada-me bastante o Jonas. Tem um toque de bola de grande qualidade (e que diferença, por exemplo, quando vemos a bola fugir sempre uns bons dois metros sempre que o Lima a tenta controlar), mas o que mais gosto é da forma como se movimenta e recua em campo para fugir às marcações. Talvez desde o Saviola que não tínhamos um avançado com esta capacidade de movimentação. Talisca novamente decisivo, a jogar numa posição central. Não me parece ter características (sobretudo velocidade) para ser um flanqueador. Fiquei algo estupefacto com o anúncio por parte do speaker, no final do jogo, de que o Salvio tinha sido eleito o homem do jogo. Não sei quem faz estas eleições, mas para mim ele foi um dos piores. Melhorou um bocadinho na segunda parte, mas durante a primeira achei exagerado o número de perdas de bola e de más opções que tomou, pecando quase sempre por excesso de individualismo. Eu sou fã do Salvio e considero-o um dos nossos jogadores mais importantes, mas este excesso de individualismo não foi uma coisa só de hoje; tem-se notado e até agravado nos últimos jogos (no Mónaco provavelmente não ganhámos por causa disto).

 

O jogo não foi particularmente bom ou entusiasmante, mas ganhámo-lo e somámos os três pontos. Tendo em conta os últimos tempos e todo o ruído que se fez em redor da equipa depois da muito desejada primeira derrota no campeonato ter acontecido, já me dou por satisfeito com isto.

publicado por D`Arcy às 01:36
link do post
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

#Reconquista

Um

Crer

Proveitosa

Pujante

Deplorável

Firme

Soberba

Complicado

Merecida

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds