VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014

Pragmático

Um Benfica bastante pragmático, como nos tem vindo a habituar esta época, jogou pacientemente com o resultado trazido da primeira mão e acabou por conquistar uma vitória robusta e carimbar a passagem aos oitavos-de-final da Liga Europa. A expressão da vitória até pode deixar a ideia de algumas facilidades que, na verdade, não foram assim tantas, ainda que a nossa superioridade no jogo tenha sido por demais evidente.

 

 

Mais uma vez assistimos a sete mudanças no onze em relação ao que tem sido o habitualmente titular. Destaque para as presenças do Cardozo e do Salvio no onze inicial, algo que já não acontecia há algum tempo. A baliza foi entregue ao Artur, e a defesa foi o sector com menos mexidas, tendo apenas havido uma troca na lateral esquerda, onde jogou o Sílvio. Do meio campo para a frente, para além dos mencionados Cardozo e Salvio, Amorim, André Gomes e Djuricic juntaram-se ao Gaitán. O jogo na primeira parte pouco diferiu daquilo que vimos na primeira mão. Apesar do PAOK estar obrigado a atacar para recuperar da desvantagem, preferiu manter a mesma atitude cautelosa que tinha tido na Grécia. O Benfica limitou-se a ser bastante paciente, jogando com a convicção de que o tempo corria a seu favor e portanto sem ter necessidade de se lançar desenfreadamente ao ataque. O domínio do jogo pertenceu-nos claramente, a bola rondou sempre preferencialmente a área grega, mas o Benfica optou sempre por construir as suas jogadas de ataque de forma paciente, nunca se expondo ao contra-ataque adversário. As ocasiões mais evidentes de golo surgiram quase todas pelo Cardozo: na primeira isolou-se, evitou o guarda-redes, mas perdeu ângulo de remate e acertou na rede lateral; depois num cabeceamento em posição frontal que deveria ter tido melhor destino, após um grande cruzamento do Salvio, e finalmente num livre em que a bola me pareceu ter sofrido um ligeiro desvio, obrigando o guarda-redes a uma enorme defesa. O PAOK foi praticamente inofensivo no ataque, e só assustou numa quase oferta do Artur, que quase deixou a bola escapar para dentro da baliza depois um remate desferido de muito longe por um jogador grego. O nulo ao intervalo era apenas preocupante por nos deixar ao alcance de um qualquer lance fortuito, porque o PAOK não parecia ter capacidade para nos incomodar seriamente.

 

 

Tudo na mesma para a segunda parte. O PAOK organizadinho no seu meio campo, e o Benfica a jogar tranquilamente, fazendo a bola viajar pelos pés dos seus jogadores, pacientemente à espera de uma abertura. O jogo só começou a mudar quando ao fim do primeiro quarto de hora o Jorge Jesus mexeu na equipa, isto depois de termos sofrido o segundo susto do jogo, quando após um canto o inevitável Katsouranis surgiu ao primeiro poste a ganhar de cabeça, com um colega a não conseguir a emenda no segundo poste. Retirou do campo os jogadores com menos ritmo, Salvio e Cardozo, e fez entrar o Lima e o Markovic. O Salvio deixou alguns bons pormenores no tempo que jogou, mas o Cardozo foi quem revelou mais falta de ritmo, pois esteve demasiado estático na frente de ataque, sendo presa fácil para os defesas adversários e não abrindo linhas de passe para os colegas. Com a entrada do Lima isto mudou, e o próprio Djuricic subiu de rendimento, aproveitando melhor os espaços que as movimentações do Lima abriam. Apenas nove minutos depois destas substituições aconteceu o momento decisivo do jogo. O André Gomes trabalhou muito bem no meio campo e desmarcou o Lima, que depois foi derrubado sobre a linha da área pelo Katsouranis. Vermelho directo para o Katsouranis (que saiu de campo sob merecidos aplausos), e livre directo apontado de forma exemplar pelo Gaitán. Acho que folha mais seca do que aquela era impossível, e o guarda-redes grego limitou-se a ficar estático enquanto contemplava o arco que a bola fez sobre a barreira até entrar junto à base do poste. Num minuto o PAOK ficava em desvantagem no jogo, reduzido a dez jogadores, e perdia precisamente o seu jogador mais importante, que coordenava toda a manobra defensiva da equipa. O desnorte dos gregos em campo passou a ser evidente, e nove minutos depois já o Benfica vencia por três a zero, depois de marcar dois golos de rajada no espaço de um minuto. Primeiro num penálti convertido pelo Lima, a castigar uma mão dentro da área, e depois foi o Markovic quem aproveitou um corte do Luisão para as costas da defesa grega e fez o golo. E até final até poderiam ter sido mais, porque nessa altura o Benfica já fazia o que queria em campo e o PAOK parecia estar apenas à espera que o jogo terminasse rapidamente (o árbitro fez-lhes a vontade e nem sequer deu quaisquer descontos).

 

 

Melhor do Benfica: Gaitán. O jogo acelerava sempre que a bola lhe chegava aos pés, e basta ver o seu toque de bola para se perceber que é um jogador extraordinário. A forma como marcou o livre foi sublime. Os nossos centrais, em particular o Luisão, estiveram impecáveis, e voltei a gostar do jogo do Sílvio. É um lateral agressivo, com grande qualidade técnica, que apoia bem o ataque, joga nos dois flancos e ainda por cima é formado no clube. Sei que não temos opção de compra neste empréstimo, mas gostava que em vez de andarmos para a próxima época outra vez com a rábula do lateral-esquerdo, o comprássemos e arrumássemos de vez com essa questão. O Djuricic fez uma primeira parte bastante má, mas soltou-se na segunda parte e melhorou bastante. A entrada do Lima no jogo foi importantíssima.

 

Mais um jogo em que seria difícil pedir melhor. Vitória robusta, gestão do plantel feita, e passagem à próxima eliminatória carimbada, onde agora iremos encontrar o Tottenham. Certamente que serão jogos que nos irão obrigar a correr bastante mais. Mas o que interessa agora é mesmo ganhar ao Belenenses.

publicado por D'Arcy às 01:06
link do post | comentar
11 comentários:
De ÁGUIA GENIAL a 28 de Fevereiro de 2014
BOA VITÓRIA, PASSAGEM CONFIRMADA.

FORÇA BENFICA!
De antoniofonseca a 28 de Fevereiro de 2014
boa noite,
Subscrevo na integra o comentário do moderador.
A minha nota pessoal vai para as exibições menos conseguidas de André Gomes e Djuricic (teimam em impor-se) e do Cardoso.
De resto destaque para o quase frango de Artur!!.
Agora aguardar o Totenham no plano internacional, e já de seguida aviar o Belenenses resgatando o empate que concedemos no nosso estádio.

Saudações benfiquistas
De Anónimo a 28 de Fevereiro de 2014
Excelente vitória! Mais uma! Calmo e tranquilo, só artur desafiou a calmaria!
Lima decisivo, Sílvio com toda a entrega que faltou e falta a André Gomes...
Força Benfica, domingo lá estarei para te ver!
De inês Lima a 28 de Fevereiro de 2014
É um luxo poder passar um dia de jogo do Benfica com serenidade, confiança, porque o nosso grupo está focado, robusto! E depois, ver tudo confirmado no campo...!
Estamos a reservar a nota artistica para os golos.Tive até vontade de ir rever (agora já sou capaz...) o golo do Gaitan na época passada contra o Sporting.
Com todas as cautelas que o passado aconselha, a esperança tomou conta do meu dia a dia. Bem hajam os nossos jogadores e técnicos, que têm sido capazes de se reerguer á dimensão que lhes pertence.
Sempre Presente
(Obrigada, Águia Imperial)



De Sérgio a 28 de Fevereiro de 2014

Esta equipa do Paok está em 2.º lugar do campeonato grego. À frente dela só existe o Olympiakos. O Paok tinha ficado em 1.o lugar na fase de grupos. Nesta fase, equipas como o Guimarães, o Estoril e o Paços não conseguiram ficar entre os 2 primeiros lugares dos seus respectivos grupos. Portanto é razoável admitir que o Paok está um degrau acima dessas equipas portuguesas.

Contra o Paok basta jogar com jogadores de segunda linha para equilibrar o jogo. Depois basta lançar 2 ou 3 jogadores melhores para desequilibrar complectamente o jogo em favor do Benfica. Isto também deveria acontecer com as tais equipas portuguesas piores do que o Paok. Não acontece porquê? O que faz as equipas portuguesas serem tão difíceis nos jogos contra o Benfica? Uma equipa como o Paços faz um grande jogo contra o Benfica e na semana seguinte perde por 4-0 contra o Setúbal. Porquê? O Guimarães foi um osso muito difícil de roer contra o Benfica. Se jogar assim contra o Porto, vence facilmente. Até porque o Porto teve um jogo nesta Quinta. Também é interessante notar que o Mangala foi um autêntico cavalão neste jogo da Liga Europa. o Mangala não vai poder jogar contra o Guimarães por ter visto o 5º amarelo.

No campeonato, há boas possibilidades de aumentarmos a nossa vantagem nas próximas 2 jornadas e, a partir daí, encarar a Liga Europa de outra forma.

Já agora, convem reparar que as equipas que nos eliminaram da Liga dos campeões fizeram bons resultados e estão com boas perspectivas de seguirem para a próxima eliminatória. Afinal, o nosso grupo não era fácil...

De inês Lima a 28 de Fevereiro de 2014
Peço desculpas...No comentário anterior referia-me ao golo do Lima.
A jogada do Gaitan contra o Sporting é tão sublime, que injustamente me esqueci de nomear a primorosa execução do Lima
Sempre Presente
De Manuel Afonso a 28 de Fevereiro de 2014
Em primeiro lugar este adversário não era assim tão facil quanto a qualidade extraordinária do nosso plantel fez parecer.

Depois, quando segundo Jesus jogamos de forma conservadora, para o comum dos mortais isto significa não jogar à maluca, controlamos muito mais os jogos, correndo muito menos.
Mais, jogando de forma mais conservadora segundo Jesus, para o comum dos mortais significa não jogar à parva, mesmo correndo muito menos, criamos muito mais oportunidades de golo.
Só é mesmo pena que não joguemos sempre de forma mais conservadora segundo Jesus, para os comuns dos mortais significaria jogar de forma que se perceba.

Eu não sei o que é que o Gaitan fez na marcação daquele livre. Nunca vi nada parecido e duvido que haja nome para tal obra prima.
Chutar uma bola junto à linha limite da grande área, fazendo-a passar sobre a barreira para entrar na baliza rentinho ao relvado, e isto levando a velocidade bastante para o guarda-redes não ter hipotese nenhuma de lá chegar...
Para mim foi bruxedo.
De Águia IMPERIAL a 28 de Fevereiro de 2014
Viva o Nosso Eterno, Glorioso e Inigualável SPORT LISBOA E BENFICA.
28 de Fevereiro de 1904, Nasce aquele que viria a ser o Maior e Melhor Clube de Portugal em................TUDO, T U D O . Então na SERIEDADE, respeito pelo adversário ( às vezes até infelizmente pelo INIMIGO, que também temos devido à INVEJA endémica que têm pela GRANDEZA INIGUALÁVEL do Nosso Clube), no saber GANHAR e no saber perder, No seu Símbolo Maior que é a Nossa ÁGUIA, a criatura mais bela deste Planeta, as próprias cores do equipamento, onde o VERMELHO simboliza a RAÇA, A LUTA, O AMOR, A VIDA, A ALEGRIA, etc,etc, de ser do BENFICA e de ser B E N F I C A. Temos ainda o BRANCO que simboliza a PAZ, a HARMONIA, o saber estar com os outros e entender as diferenças... mas desde que Nos RESPEITEM.
Em todos estes predicados somos de facto a REFERÊNCIA em Portugal.

28 de Fevereiro de 2014, data em que o Nosso BENFICA comemora 110 (CENTO E DEZ) anos de EXISTÊNCIA, mas ANOS REAIS, VERDADEIROS, que transportam Grandeza no Desporto e na vida.
É isso. O Nosso BENFICA é GRANDEZA no Desporto e Grandeza na VIDA.

O BENFICA não pode ser comparado com ninguém, porque simplesmente é Ú N I C O. Ú N I C O .

Nesta data CÉLEBRE para Nós, quero endereçar os meus PARABÉNS a todas as ALMAS VIVENTES que AMAM e DEFENDEM tão Grande e Glorioso Clube, o Nosso Eterno e inigualável BENFICA de Todo e Mundo.

P.S. Caríssima BENFIQUISTA Inês Lima, não tem nada que agradecer. Eu é que fico grato pela sua eloquência e pelo seu BENFIQUISMO SÉRIO, A SÉRIO e ETERNO.

BENFICA, BENFICA, BENFICAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Sempreeeeeeeeeeeeeeeee o Maior e o Melhorrrrrrrrrrrrrr.

De Luís Manuel a 1 de Março de 2014
Bom post, D'Arcy. E com um título a condizer.

Acho que fizemos um bom jogo, embora pudéssemos ter tentado resolver as coisas na primeira parte e ficarmos assim a salvo de possíveis azares. Mas a equipa adversária também joga, veio cá para tentar uma surpresa, e o resultado de 0-1 na primeira mão é sempre um pouco ingrato.

A nossa segunda parte foi bastante boa. É preciso não nos esquecermos que tínhamos jogado contra o Guimarães poucos dias antes, e a rotação do plantel foi acertada e inevitável. É verdade que Cardozo e Salvio ainda não estão nas melhores condições, mas melhor seria difícil, sobretudo no caso do Salvio. Gaitán... em grande. Que magnífico jogador.

Também gostei muito de toda a defesa, dos centrais em particular e de Sílvio, o Rúben esteve bem e a entrada do Lima foi muito boa. Parece-me que o Lima está a subir de forma aos poucos, bem precisamos dele.

Este jogo já passou, e antes de pensarmos no Tottenham temos um muito difícil jogo contra o Belenenses. Vai ser preciso lutar muito amanhã, e estou confiante que a equipa o fará.É um dérbi, nunca é um jogo simples, mas creio que os nossos jogadores sabem disso, estão conscientes do que os espera, sabem que nenhum adversário será fácil, e vão tentar tudo para vencer. Vamos apoiar a equipa e tentar vencer este difícil jogo.

Saudações Benfiquistas.
De moleculasdeamor a 2 de Março de 2014
O Artur revela que chegou ao fim a sua passagem pelo Benfica... para mim a titularidade (nestes jogos?)é de Paulo Lopes mas a milhas de distância de Artur.

Na equipa B mora mais de uma duzia de jogadores interessantes... O Varela, Cancelo, Bruno Gaspar, Fragoso, Victor, Pinto, João Teixeira, Cavaleiro, Bernardo Silva, Funes Mori, Gianny, Sancidino... e nos Juniores - Gonçalo Guedes, Rochinha, Hildeberto... e nos juvenis são mais uns 7 ou 8!, assim sejam formados e colocados a jogar!

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Confrangedora

Doloroso

Inequívoca

Tristeza

Deplorável

Descanso

Cumprido

Entradas

Regresso

Inadmissível

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds