VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Segunda-feira, 25 de Setembro de 2023

Semelhanças

Podia ter sido um simples passeio até ao Algarve, mas acabou por ser mais um jogo com muitas semelhanças à maioria daqueles que temos disputado fora de portas nesta liga, e com o mesmo resultado: uma vitória do Benfica, com uns sobressaltos nada justificados e perfeitamente dispensáveis pelo meio. No final, e para não variar, a sensação de que os números da vitória sabem a pouco.

3.jpg

Fiquei algo surpreendido com a constituição da equipa, já que esperava que o Roger Schmidt fosse o Roger Schmidt e nada mudasse. Em vez disso, o Morato, o Florentino e o Neres avançaram para a titularidade, saindo do onze o António Silva, o João Neves e o Di María (que nem no banco se sentou). Pensando bem, a titularidade do Morato fazia sentido: era um bom jogo para lhe dar minutos, em vez de o lançar sem grande ritmo directamente para a titularidade no próximo jogo da Champions em Milão. Veremos agora se no jogo contra o Porto regressa o António Silva (espero que sim) ou se se mantém a aposta no Morato. O Di María pelos vistos teve um pequeno problema físico, e feliz do clube que pode substituí-lo por um jogador com o nível do David Neres. Quanto ao Florentino, fiquei pessoalmente muito feliz por vê-lo regressar. Já o escrevi antes, lamento pelo João Neves, que é um excelente jogador, mas a bem do equilíbrio táctico da equipa o Florentino tem que jogar quase sempre. Por algum motivo foi um dos mais utilizados a época passada, e faz-me confusão vê-lo frequentemente relegado para o banco esta época. Vejo mais o João Neves como uma alternativa ao Kokçu, ou até mesmo ao João Mário. E quem beneficia bastante com a presença do Florentino no onze é o Kokçu, que pode jogar com maior liberdade e aparecer com maior frequência em zonas mais adiantadas. Não é de todo coincidência que os melhores jogos que (na minha opinião) ele fez esta época foram quando fez dupla com o Florentino. Neste jogo fez apenas 45 minutos, mas foram de altíssimo nível. Passando ao jogo, e a exemplo de todos os outros jogos que o Benfica disputou fora esta época, os primeiros quarenta e cinco minutos foram de domínio quase absoluto. Gostei muito do futebol que a equipa apresentou, solto, alegre e com velocidade, onde o inevitável Rafa e o Neres eram dos principais dinamizadores. Bastaram apenas cinco minutos para nos colocarmos em vantagem: arranque do Neres pela esquerda, bola colocada na zona frontal da área e o Kokçu solicitou a entrada do Bah pela direita, com este a marcar um belo golo com um remate seco e cruzado para o poste mais distante. Bonito, simples e eficaz. Logo a seguir o Neres e o Rafa construíram mais uma jogada rápida de transição, com o brasileiro a finalizar num remate de ângulo apertado que só não deu golo por mérito do guarda-redes. Dezassete minutos decorridos, e segundo golo. Passe fantástico do Kokçu ainda antes do círculo central a rasgar por completo a defesa do Portimonense e a solicitar a corrida do Neres pela esquerda, que entrou na área e colocou rasteiro para a finalização fácil do Musa na marca de penálti. O domínio do Benfica continuou, e acho que todos devemos ter ficado com aquela sensação de déjà vu. É que o jogo parecia estar a ser tão fácil e a nossa superioridade tão evidente que à medida que íamos vendo o Benfica falhar consecutivamente o terceiro golo só dava mesmo para pensar no cenário em que de repente o adversário fazia um golo contra a corrente do jogo e ficava tudo virado do avesso - tal como aconteceu nos outros jogos fora. E foram boas as ocasiões que o Benfica teve para fazer esse terceiro golo, com destaque para o Rafa, que numa delas se isolou, ultrapassou mesmo o guarda-redes e depois não arriscou a finalização de pé esquerdo, acabando o lance por se perder junto à linha final. Na outra, novamente isolado (mais um passe em profundidade brilhante do Kokçu) até tentou finalizar bem colocando a bola ao poste mais distante, mas o guarda-redes defendeu com o pé.

1.jpg

Ao intervalo, e mais uma vez de forma talvez surpreendente (porque o nosso treinador costuma ser muito mais conservador nas substituições) houve três trocas de uma vez: Kokçu, Musa e Bah já não voltaram, e vieram nos seus lugares o João Neves, o Arthur Cabral e o Jurasek - o Aursnes passou para lateral direito. Em relação ao Bah, talvez fosse o menos surpreendente porque já se tinha queixado no decorrer da primeira parte. As alterações não pareceram afectar muito o Benfica, que continuou sempre por cima no jogo. Mas no futebol as coisas podem sempre mudar de um momento para o outro, e foi isso que aconteceu quando o Portimonense, praticamente da primeira vez que atacou com perigo, reduziu. O golo não só foi contra a corrente do jogo, como a própria jogada foi atípica e até algo consentida pelo Benfica. Com a equipa toda no ataque, o Portimonense recuperou a bola e um único jogador ultrapassou creio que quatro ou cinco jogadores nossos pelo meio sem que ninguém o travasse, para depois abrir num colega solto pela direita da nossa defesa. Este entrou pela área e finalizou com um remate forte e colocado ao poste mais distante. Foi aos cinquenta e seis minutos, o Portimonense acordou com o golo e sentiu-se algum nervosismo da nossa parte. Para piorar a situação, apenas três minutos depois foi assinalado penálti por um desvio da bola com a mão do Morato. É preocupante que com apenas oito jogos disputados esta época já tenhamos cinco penáltis assinalados contra, sendo que em quatro jogos fora para a liga houve penáltis contra nós em três deles. Felizmente o mal maior foi evitado pelo Trubin, que manteve a calma e defendeu o penálti. Seguiram-se alguns minutos em que o jogo esteve demasiado partido para o meu gosto, mas com a obtenção do terceiro golo, aos sessenta e seis minutos, recuperámos a calma e o controlo do jogo. Nova transição rápida conduzida pelo Rafa, que levou a bola até à zona frontal da área e aguentou até soltar a bola na altura certa para a entrada do Neres pela esquerda, com este a finalizar o lance com um remate por entre as pernas do guarda-redes. Este golo acabou de vez com o Portimonense, e o Benfica conseguiu gerir tranquilamente o jogo até final, ficando até a dever a si próprio não ter aumentado ainda mais a vantagem (ainda estou para perceber como é que o João Mário falhou aquele golo que o Neres lhe ofereceu depois de entrar pela esquerda até à linha de fundo). Até final, nota para o facto do Florentino ter saído, o que obrigou o Aursnes a ocupar a terceira posição diferente em noventa minutos (entrou o Tomás Araújo para a lateral direita) e ainda para ter ficado bastante evidente que o Arthur Cabral está longe da forma ideal.

2.jpg

O homem do jogo é inevitavelmente o David Neres. Esteve na jogada do primeiro golo, fez a assistência para o segundo e marcou o terceiro. Acho que isto basta. Esta época, ao contrário da anterior, tem jogado mais como extremo puro do lado esquerdo, quando a época passada actuava preferencialmente pela direita para vir para o meio. Não deve ser uma situação fácil de gerir ter um jogador deste nível no banco, mas espero que o nosso treinador saiba aproveitar ao máximo e tirar todo o rendimento dele e do Di María, fazendo uma gestão apropriada do esforço de ambos. Grandes quarenta e cinco minutos do Kokçu que, conforme disse, parece jogar bem melhor quando tem as costas quentes pela presença do Florentino. A qualidade de passe do turco não é surpresa para ninguém, e nesta primeira parte vimo-la de forma bem evidente. O Rafa esteve também mais uma vez em evidência - é a chama mais forte do nosso ataque e quase tudo passa por ele. Se tivesse sido mais feliz na finalização seria ele o homem do jogo, mas também se ele finalizasse melhor já não estaria por cá há algum tempo. O Trubin foi decisivo ao defender o penálti que poderia ter virado o jogo de pernas para o ar, mas eu sei como funciona a mentalidade dos nossos adeptos, por isso não sei se será suficiente para o deixarem em paz por muito tempo. Muitos deverão continuar a escrutinar os noventa minutos à procura daquela falha que lhes permita afirmar de forma triunfante 'eu disse logo que ele não era bom'. O principal que eu retiro deste jogo nem foi o penálti defendido porque há sempre alguma dose de felicidade nisso, foi sim a enorme diferença no que diz respeito ao critério a jogar com os pés. Ele não é daqueles guarda-redes que se limita a chutar a bola para a frente quando lha passam (e não querendo eu atacar o Vlachodimos só para valorizar o novo guarda-redes, a verdade é que essa era quase sempre a opção dele) e procura sempre na medida do possível colocar a bola de forma jogável num colega. Vimo-lo fazer isso diversas vezes neste jogo, e um dos golos até começa nos pés dele. Gostaria que o nosso treinador deixasse de utilizar o Aursnes como pau para toda a obra. Não beneficia o jogador (foi dos mais apagados da equipa) nem a equipa.

 

Estamos apenas na sexta jornada, mas segue-se um jogo que eu não tenho dúvidas que será daqueles em que jogamos potencialmente a época. É um jogo muito decisivo em termos de motivação (nossa e dos adversários). E eu espero que, ao contrário daquilo que vi a época passada, tenham incutido na cabeça dos nossos jogadores precisamente isso. Eles têm que ter a noção de que um jogo contra o Porto não é apenas mais um jogo, e que se entram em campo a pensar assim (ao contrário daquilo que eles fazem sempre) então é meio caminho andado para não o ganhar. Espero também que os meus receios não se confirmem e que não tenhamos mais uma sessão de pastelaria reservada para a próxima sexta-feira. É que fico logo mal disposto assim que anunciam a nomeação dele.

tags:
publicado por D'Arcy às 23:03
link do post | comentar
14 comentários:
De Cristina Ramos a 26 de Setembro de 2023
Esta época, o grande problema do Benfica é que, por mais que crie, não concretiza. Leva tudo mais tempo. Também acho o Florentino essencial, apesar do talento do João Neves, mas precisamos de um meio campo estável e forte no corte de bolas para podermos lançar ataques fortes e decisivos. O kokcu jogou bem contra o Guimarães, mas estávamos com mais um... Vamos, Benfica!
De BI-CAMPEÃO EUROPEU a 26 de Setembro de 2023
O que a cara Cristina diz é verdade. De facto, e como muito bem já alguém disse, existe DIVERSÃO a mais no futebol do nosso Benfica e remates a menos. Penso que o nosso treinador Roger Shmidt deverá rever o seu nível de exigência para com os nosso jogadores, e exigir que ao fim de cerca de seis ou oito toques nas imediações da grande área adversária tem de haver remate ou cruzamento para alguém poder acabar a jogada procurando rematar de pés ou de cabeça.
O que não se pode é andar a entreterem-se com a bola até ficarem sem ela, fazendo com isso um futebol improfícuo, e portanto improdutivo, chegando até muitas vezes a originar perdas estúpidas e absolutamente desnecessárias de bolas que proporcionam contra-ataques dos adversários que muitas vezes dão golo contra nós Benfica, como ainda agora aconteceu no golo do PORTOmonense!!!!

Quanto ao nosso querido jovem jogador JOÃO NEVES, bem, "aquilo" é o BENFIQUISMO em pessoa!!! Esse jovem talento é a VERDADEIRA ARGAMASSA do nosso futebol apresentado nos relvados!!! Em vez de um João Neves tivéssemos nós 4 ou 5 "Joões Neves", bem, aí até poderíamos jogar de costas e contra 14 ou 15 que o Campeonato Nacional e a Taça de Portugal seriam GARANTIDAMENTE ganhos pelo nosso amado SPORT LISBOA E BENFICA!!!!!

Para mim, e salvaguardando e respeitando obviamente todas as opiniões, o nosso querido João Neves, é o PRIMEIRO TITULAR do Benfica.
Fora eu o treinador, e ele só não entraria no onze inicial se não estivesse em condições físicas para tal.

Viva o Benfica. O nosso Benfica, Sempreeeeeeeeeeeeeee

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Consistência

Revolução

Medíocre

Atrás

Superioridade

Confortável

Rasgos

Degradante

Cruel

Tenacidade

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds