VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Quarta-feira, 15 de Setembro de 2021

Susto

Um jogo frustrante em que ficamos com a sensação que estaria perfeitamente ao nosso alcance ganhá-lo, e no qual acabámos por não ganhar para o susto pois poderíamos tê-lo perdido mesmo a acabar, comprovando mais uma vez o velho chavão de que quem não mata, morre.

3.jpg

Optámos pelo esquema de três centrais de início, o que nesta fase já não é surpresa nenhuma. Com o Lucas Veríssimo suspenso, avançou o Morato para a titularidade. Na direita jogou o Gilberto, e na frente jogaram o Everton e o Yaremchuk, para além do inevitável Rafa. Aquilo que acabou por ser o jogo quase todo ficou bem visível logo nos minutos iniciais. O Dínamo parecia não ter problemas em aguardar pelo Benfica com todos os seus jogadores fechados atrás, tentando depois sair no contra-ataque sempre que possível, o que nem foram tantas vezes assim. Acho que nos primeiros cinco minutos nem devem ter passado do meio campo e só tocaram na bola para a chutar para onde estavam virados. Já o Benfica, mostrou as habituais dificuldades para dar a volta a uma equipa acantonada na defesa. A posse de bola foi avassaladora (a chegar perto dos 80%) mas era sobretudo circulação de bola de um lado para o outro sem conseguirmos colocar jogadores em situação de finalização. Sem surpresas, era quase sempre o Rafa quem conseguia criar acelerações e situações de desequilíbrio, mas demorou muito tempo até conseguirmos obrigar o guarda-redes adversário a intervir. Pelo contrário, o Vlachodimos teve que se mostrar atento logo na fase inicial, quando um mau passe do Otamendi resultou num livre à entrada da área que criou muito perigo. As melhores situações do Benfica tiveram a intervenção do Weigl: uma recuperação de bola muito alta colocou o Everton em situação perigosa dentro da área, mas o brasileiro embrulhou-se com os defesas e não conseguiu finalizar (num lance em que se calhar até poderia ter sido assinalado penálti); e nova recuperação de bola no meio campo adversário com um passe para o Yaremchuck rematar forte à entrada da área, só que à figura do guarda-redes. O Rafa também surgiu em boa posição depois de um livre estudado, mas a tentativa de chapéu saiu demasiado por cima.

2.jpg

Na segunda parte manteve-se o mesmo cenário. O Benfica continuou sempre por cima e até criou a melhor oportunidade em todo o jogo para chegar à vantagem. Depois de uma insistência do Rafa, que nunca desistiu do lance, a bola sobrou dentro da área para o Yaremchuk, que rematou quase à queima-roupa para uma defesa do guarda-redes ucraniano com o pé, puramente por instinto. Pouco depois o nosso treinador mexeu na equipa, fazendo entrar o Darwin, o Lázaro e o Radonjic para os lugares do Yaremchuk, Everton e Gilberto, mas as alterações não trouxeram nada de novo. Aliás, até me pareceu que perdemos alguma coisa com elas - nem tanto por causa dos jogadores trocados, dado que nenhum dos jogadores que saiu estava a ter um rendimento relevante, mas o que é certo é que depois das alterações o Benfica não pareceu capaz de manter o adversário tão encostado à sua área, e ainda criámos menos ocasiões perigosas. O Rafa era o único que continuava a causar maiores dores de cabeça à defesa ucraniana, mas perto do fim arrumaram com ele num lance que me custa a compreender como é que o VAR não indicou que deveria ter sido mostrado um cartão vermelho. Para o final estava reservado o golpe de teatro. O Dínamo, que tinha sido inofensivo durante quase toda a segunda parte - o único lance de perigo tinha sido uma fuga pela esquerda da nossa defesa que resultou num cruzamento que o Otamendi apenas conseguiu desviar ligeiramente, mas o suficiente para atrapalhar a finalização do adversário no segundo poste - conseguiu nos três minutos de compensação ser mais perigoso do que as duas equipas juntas na soma dos noventa minutos anteriores. Primeiro, um remate de fora da área levou a bola a embater no ferro da baliza, na recarga ao mesmo o Vlachodimos fez uma defesa quase impossível, e depois o Otamendi na tentativa de corte ainda fez a bola bater no poste antes de sair. Na sequência do pontapé de canto que se seguiu, novamente o Vlachodimos a ter que se aplicar para evitar o golo depois de um cabeceamento ao segundo poste. E com o Dínamo a não sair da nossa área, mesmo a acabar um cruzamento largo desde a direita resultou num golo clássico, em que aparece um adversário solto do outro lado para finalizar. Parecia estar tudo perdido, mas o VAR desta vez interveio e assinalou a posição irregular do jogador que fez o cruzamento na altura em que recebeu a bola.

1.jpg

Os melhores do Benfica foram, para mim, o Vlachodimos, que não teve muito trabalho mas as três intervenções que teve foram todas de alto nível e decisivas, o Weigl, que foi o patrão do meio campo, e o Rafa, que é sempre o jogador que acaba por estar envolvido na maior parte das situações de perigo que criamos, porque é aquele que traz mais imprevisibilidade ao ataque e causa desequilíbrios com as suas acelerações. Só foi pena ter falhado o controlo da bola num passe longo que o poderia ter deixado isolado. Não consigo compreender o motivo pelo qual foi o Otamendi o eleito como o melhor em campo no final.

 

Um ponto é melhor do que nada e normalmente um empate fora é considerado um resultado positivo na Champions. É positivo não termos sofrido golos mais uma vez, mas depois de termos assistido ao jogo é impossível não sentir alguma frustração, porque o Dínamo pareceu ser uma equipa perfeitamente ao nosso alcance. À partida a responsabilidade pelo apuramento neste grupo recai sobre o Bayern e o Barcelona, mas somarmos os seis pontos nos dois jogos com o Dínamo, para além de praticamente nos garantir o terceiro lugar, também poderia deixar alguma ambição para aproveitar alguma eventual instabilidade pós-Messi no Barcelona.

tags:
publicado por D`Arcy às 11:16
link do post | comentar
2 comentários:
De Anónimo a 16 de Setembro de 2021
Caro D'Arcy
Este jogo é exemplar para provar que ter o controlo da bola não é sinónimo de vitória.
Ao Benfica continua a faltar a competitividade nos jogos europeus.
Se não se alterar esta mentalidade na equipa do Benfica continuaremos a sofrer na Europa.
Sócio há 27 anos, hoje mais Benfiquista que ontem.
De Sérgio Gomes a 17 de Setembro de 2021
Tenho uns anos disto e não consigo ver um empate fora na Champions como negativo...
Para quem joga FM pode parecer mau mas no mundo real é um bom resultado, nem que seja para já ter um ponto na conta e a tranquilidade pouco valorizada que isso dá para os próximos jogos.
Convém lembrar os jogos com Ajax na última fase de Champions em que sendo melhores eles tinham sempre a tranquilidade de não precisar de ganhar,por exemplo...

Comentar post

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Derrocada

Absurdo

Brilhante

Embalados

Sexta

Susto

Eficácia

Unidos

Heróico

Aberto

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds