VAMOS ACABAR COM AS IMBECILIDADES
Segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

Trabalho

Não sendo possível uma exibição de encher o olho, foi fazendo um jogo de muito trabalho que conseguimos uma vitória difícil mas justíssima contra o Boavista, o relvado artificial e uma arbitragem no mínimo irritante. Antes do jogo esperava mais do que uma vitória pela margem mínima, mas estou satisfeito com o mais importante, que são os três pontos conquistados.

 

 

O Enzo esteve em dúvida até à última para este jogo e acabou mesmo por ficar de fora, o que fez com que, em relação ao último jogo, o Talisca recuasse para médio centro e o Jara entrasse no onze. Quanto ao jogo, não consigo fazer grandes apreciações técnicas ou tácticas sobre o mesmo. Essencialmente, pareceu-me um jogo bastante feio e de muita luta. O Boavista foi um adversário bastante chato - não o classifico de incómodo porque foi praticamente inofensivo no ataque, não tendo criado uma única real ocasião de golo (as únicas vezes em que criou a sensação de perigo foi em jogadas já interrompidas por fora de jogo). Foi uma equipa muito à imagem do seu treinador Petit, a jogar de forma muito agressiva (mas não violenta): os seus jogadores caíam imediatamente em cima do adversário para pressionar e metiam sempre o pé sem contemplações ou receio de fazer falta - até porque a renitência do árbitro em apitar faltas contra o Boavista a isso ajudava, o que complicou a nossa capacidade para fazer jogadas organizadas. Outro adversário foi o relvado sintético do Bessa. É que não me lixem; que aquilo seja aprovado para se jogar lá futebol tudo bem, mas é completamente diferente de um relvado natural. A bola salta muito mais e os jogadores mostram muito maiores dificuldades para a controlar, sendo frequente vê-la a fugir-lhes dos pés ao mais ligeiro toque. De qualquer forma, com maior ou menor dificuldade, o Benfica assumiu o controlo do jogo desde o apito inicial e procurou chegar à vantagem, com o Eliseu e o Gaitán na asa esquerda a revelarem-se bastante activos. Foram aliás dos pés destes dois jogadores que surgiram as melhores ocasiões durante a primeira parte, sendo de realçar a apetência do Eliseu para rematar à baliza. Depois de ter feito um grande remate de fora da área, na ressaca de um canto, que obrigou o guarda-redes a uma defesa apertada, foi já quase sobre o apito para o intervalo que num novo remate de fora da área, desta vez cruzado ao poste mais distante, marcou o golo que decidiu o jogo. A lamentar nesta primeira parte termos perdido o Rúben Amorim por lesão, que aconteceu não por culpa de alguma patada boavisteira, mas sim talvez do piso sintético (uma pena, até porque estava mais uma vez a fazer um bom jogo).

 

 

A segunda parte foi mais equilibrada na posse de bola. Sem que saibamos porquê, o Jorge Jesus apareceu na bancada ao lado do Manuel do Laço, já que terá sido expulso pelo árbitro Marco Ferreira. Provavelmente terá sido aplicado o mesmo critério da jogada que valeu o amarelo ao Jara na primeira parte. O Boavista conseguiu subir mais um pouco no terreno, mas o Benfica teve sempre o jogo controlado. Durante esta segunda parte, ao contrário da primeira, o Benfica insistiu no ataque mais pelo lado direito, através do Salvio e do Maxi, enquanto que do lado oposto o Eliseu esteve bem mais comedido nas subidas ao ataque e preocupou-se em fechar bem atrás. Conforme já referi, o Boavista não criou uma única ocasião de golo ou obrigou o Artur a qualquer intervenção de dificuldade mais elevada. Os dois remates perigosos que fizeram foram em jogadas que já estavam interrompidas por posição irregular dos seus jogadores, e as jogadas mais perigosas voltaram a ser nossas. O Gaitán falhou um chapéu ao guarda-redes por muito pouco, depois de duas excelentes intervenções do André Almeida, primeiro a recuperar a bola e a travar o contra-ataque do Boavista, e depois no passe longo para o argentino; e o Lima apareceu em boa posição depois de combinar com o Gaitán, mas só viu a baliza e rematou muito torto quando tinha o Salvio completamente solto do seu lado direito. O desvario do Boavista em tentar chegar ao golo do empate nos minutos finais, em que até subiu um central para o ataque e tentou despejar bolas de qualquer maneira para a frente, valeu-lhe ficar reduzido a dez nos últimos cinco minutos, depois de uma tentativa parva de um seu jogador de jogar voleibol em vez de futebol que lhe valeu o segundo amarelo.

 

 

Num jogo com poucos motivos de realce no aspecto técnico, o homem do jogo acaba por ser o Eliseu, quanto mais não seja pelo golo que marcou e fez o resultado final. O facto de já conhecer bem o treinador parece fazer com que se tenha identificado depressa com a forma de jogar da equipa, parecendo já completamente integrado na mesma. Houve suspeitas levantadas sobre o seu estado físico quando chegou ao Benfica, mas pelo que deu para ver até agora ou essas suspeitas eram infundadas, ou recuperou rapidamente a forma. Não me parece que tenham havido outros jogadores a destacarem-se em particular.

 

Como disse no início, antes do jogo começar esperava uma vitória mais tranquila do Benfica neste jogo, mas depois dos noventa minutos fiquei com a sensação de que seria difícil produzir futebol com muita qualidade esta noite. Por isso o que interessa mesmo é que trouxemos os três pontos do Bessa, e isso deixa-me satisfeito. Agora vou aguardar pelo final da semana, para ver se depois dá para descansar um pouco das novelas sobre os nossos cobiçados jogadores (antes que os jornais entrem em novas novelas sobre os mesmos, envolvendo os mercados turco ou russo).

publicado por D'Arcy às 01:20
link do post
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

escribas

pesquisar

links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

posts recentes

Doloroso

Inequívoca

Tristeza

Deplorável

Descanso

Cumprido

Entradas

Regresso

Inadmissível

Degradante

origem

E-mail da Tertúlia

tertuliabenfiquista@gmail.com
blogs SAPO

subscrever feeds